Você está na página 1de 40

RESUMO PORTUGUÊS

Por que- porque/ porquê/ por quê

Cessão-sessão/secção/seção

Sessão: espaço de tempo


˃˃ A sessão demorou muito a começar, mas o filme valeu a pena.

Cessão: ceder
˃˃ A cessão de suas terras foi aceita.

Seção: divisão.
˃˃ Seção de esportes.

Há-a
Há dois dias estou com febre. (Tempo)
Há muita gente que estuda para concursos. (Existir)
As provas serão realizadas daqui a dois meses. (Futuro)

Senão- se não
“se não” (conjunção se + advérbio não)
Perguntei a ela se não queria dormir em minha casa.
“senão” (“do contrário”, “de outro modo”, “caso contrário”)
Se o clima estiver bom você vai, senão não vai. (do contrário)

Ao invés de- em vez de


Ao invés de protestar seu nome, conceder-lhe-ei uma nova
chance. (contrário)
O termo “invés” é substantivo e variante de “inverso” e significa
“lado oposto”, “avesso”.

A expressão “em vez de” é mais empregada com o significado de


“em lugar de”.

A menina assistiu à TV em vez de filme. (não poderá ser usado


“ao invés de”, pois não há oposição de termos).

Ao encontro- de encontro

Ao encontro de: tem significado de “estar de acordo com”, “em


direção a”.

Essa lei vem ao encontro dos interesses da população. (Essa lei


vem a favor, em direção aos interesses da população)

De encontro a: tem significado de “contra”, “em oposição a”.

A decisão tomada foi de encontro às reivindicações do sindicato.


(A decisão tomada foi oposta às reivindicações do sindicato).

Acerca de- Há cerca de


A cerca de ou cerca de significam “aproximadamente”, “mais ou
menos”.
Estávamos a cerca de dois quarteirões do local do crime.

Acerca de é sinônimo de “a respeito de”.


Falei acerca da situação econômica do Brasil.

Há cerca de exprime tempo decorrido, significando “faz


aproximadamente”.

Ele viajou há cerca de duas horas.

A fim de - afim

A fim de: finalidade


A aluna estudou muito a fim de tirar boa nota na prova.
Afim: sinônimo de afinidade
O espanhol é uma língua afim com o português.
Nesta fase das nossas vidas, não temos objetivos afins.

Tampouco- tão pouco

O advérbio tampouco é sinônimo de: também não, nem, sequer e


muito menos.

Se eu não consigo resolver este problema, você tampouco!

A expressão tão pouco significa muito pouco.


Às vezes, para ajudar os outros é preciso tão pouco!
Você estudou tão pouco. Continue a estudar!

Mal-Mau

Mau: sinônimo de BOM


Você é um mau amigo. (Oposição: bom amigo)
Esse cachorro é mau. (Oposição: é bom)

Mal: sinônimo de BEM


Você não entendeu o exercício? Você fez tudo mal.
Você nem imagina o mal que você me faz.

Homônimos
São palavras que possuem a mesma pronúncia (algumas vezes, a
mesma grafia), mas significados diferentes.

Parônimos
É a relação que se estabelece entre palavras que possuem
significados diferentes, mas são muito parecidas na pronúncia e
na escrita.

Emprego Do Hífen
Dicas:
Não se usa hífen em palavras iniciadas pelo prefixo ‘co’
Ex.: coadministrar, coautor, coexistência, cooptar, coerdeiro
corresponsável, cosseno.

Com os prefixos pre- e re- não se utilizará o hífen.


Ex.: preeleger, preexistência, reescrever, reedição.

Nas formações em que o prefixo ou pseudo prefixo terminar em


vogal e o segundo elemento começar por r ou s, estas consoantes
serão duplicadas e não se utilizará o hífen.

Ex.: antirreligioso, antissemita, arquirrivalidade, autorretrato,


contrarregra, contrassenso, extrasseco, infrassom,
eletrossiderurgia, neorrealismo, etc.

Atenção:
Vogal diferente, não se utilizará o hífen.
Ex.: antiaéreo, autoajuda, autoestrada, agroindustrial,
contraindicação, infraestrutura, intraocular, plurianual,
pseudoartista, semiembriagado, ultraelevado, etc.

Prefixos des- e in- + segundo elemento sem o “h” inicial.


Ex.: desarmonia, desumano, desumidificar, inábil, inumano, etc.

Não se utilizará o hífen com a palavra não.


Ex.: não violência, não agressão, não comparecimento.
Observações:
˃˃ Não se utiliza o hífen em palavras que possuem os elementos
“bi”, “tri”, “tetra”, “penta”, “hexa”, etc.
Ex.: bicampeão, bimensal, bienal, trimestral, triênio,
tetracampeão, pentacampeão, etc.
Em relação ao prefixo “hidro”, em alguns casos pode haver duas
formas de grafia.
Ex.: “hidroelétrica” e “hidrelétrica”

Hífen e translineação
Havendo coincidência de fim de linha com o hífen, deve-se, por
clareza gráfica, repeti-lo no início da linha seguinte.
» guarda-chuva
» Por favor, diga--nos logo o que aconteceu.
Acentuação gráfica

1. Oxítonas e monossílabos tônicos

Obs.: Somente os monossílabos tônicos terminados em O,E,A são


acentuados. Os monossílabos terminados por “em” ou “ens” não
são acentuados.

2. Paroxítonas
todas as paroxítonas são acentuadas, exceto as terminadas em
O,A,E,EM,ENS.
Ex: fácil, hífen, álbum, cadáver, júri, lápis, órfão.

Acentuam-se as paroxítonas terminadas em ditongo.


#NOVA ORTOGRAFIA
Paroxítonas com ditongo aberto NÃO são acentuadas: heroico,
assembleia, ideia, androide, colmeia, boia, estoico, ideia,
paranoico…

3. Proparoxítonas
Todas são acentuadas.

Obs.: ve-í-cu-los é acentuada por ser proparoxítona e não pelo í


tônico de hiato.

4. Hiato (reforma ortográfica)


FIQUEI LIGADO!!
Não trazem mais o acento diferencial
FIQUEI LIGADO!!

REGRAS

ONDE X AONDE
Onde: usado para verbos que expressam ideia de estado ou
permanência.
Ex: onde você mora? Onde você trabalha?

Aonde: verbos que expressam ideia de movimento.


Ex: aonde você vai com tanta pressa?
MAS X MAIS
Mas: conjunção adversativa, com “porém”.
Ex: ela come muito, mas não engorda.

Mais: oposto de menos


Ex: estudei um pouco de manhã; à noite estudei mais.

ACERCA de X A CERCA X Há cerca de


Acerca de: sobre, assunto.
Ex: discutiremos acerca do aumento do seu salário.

A cerca de: perto de, aproximadamente, próximo de.


Ex: fica a cerca de 10 km daqui. Fica a cerca de 1 hora de carro.

Há cerca de: sentido de tempo decorrido, existem aprox.


Ex: não vou à academia há cerca de duas semanas. Há cerca de 20
pessoas na sala.

A par X Ao par
A par: informado
Ex: não estou a par desse novo edital.

Ao par: equivalente em valor


Ex: o dólar está ao par do euro.

De mais X Demais
De mais: oposto a “de menos”.
Ex: não acho nada de mais desse filme.

Demais: muito, o restante.


Ex: esse filme é bom demais. O líder fala, os demais ouvem.
Pronome
Pronome: palavra que substitui, retoma ou acompanha um nome.

Exemplos:
A moça era mesmo bonita. Ela morava nos meus sonhos!
A moça que morava nos meus sonhos era mesmo bonita!
Essa moça morava nos meus sonhos!
Minha carteira estava vazia quando eu fui assaltada.
Tua carteira estava vazia quando tu foste assaltada?
A carteira dela estava vazia quando ela foi assaltada.

Pronomes Possessivos
São palavras que dão a ideia de posse de algo.
˃ Meu(s), minha(s);
˃ Teu(s), tua(s);
˃ Seu(s), sua(s);
˃ Nosso(s), nossa(s);
˃ Vosso(s), vossa(s);
˃ Seu(s), sua(s).

Pronomes Interrogativos
São pronomes interrogativos: que, quem, qual (e variações),
quanto (e variações).

Quem fez o almoço?/ Diga-me quem fez o almoço.

Qual das bonecas preferes? / Não sei qual das bonecas preferes.

Quantos passageiros desembarcaram? / Pergunte quantos


passageiros desembarcaram.
Pronomes Demonstrativos
No Espaço
Compro este carro (aqui) - indica que o carro está perto da
pessoa que fala.

Compro esse carro (aí) - indica que o carro está perto da pessoa
com quem falo, ou afastado da pessoa que fala.

Compro aquele carro (lá) - diz que o carro está afastado da


pessoa que fala e daquela com quem falo.

No Tempo
Este ano está sendo bom para nós. (ano presente)
Esse ano que passou foi razoável. (um passado próximo)
Aquele ano foi terrível para todos. (um passado distante)

˃ Variáveis: este(s), esta(s), esse(s), essa(s), aquele(s),


aquela(s).
˃ Invariáveis: isto, isso, aquilo.

Pronome de tratamento
Vossa Excelência X Sua Excelência
Os pronomes de tratamento que possuem “Vossa (s)” são
empregados em relação à pessoa com quem falamos. Emprega-se
“Sua (s)” quando se fala a respeito da pessoa.
Pronome pessoal
Representa no discurso as três pessoas gramaticais, indicando,
quem fala, com quem se fala e de quem se fala.

Caso reto
São do caso reto os pronomes que nas orações desempenham a
função de sujeito ou predicativo do sujeito.

Caso oblíquo
Nas orações desempenham funções de complemento verbal ou
complemento nominal. Dividem-se em átonos e tônicos.

#dica
Os pronomes oblíquos átonos só podem aparecer ao lado do verbo
(próclise, mesóclise ou ênclise):

Jamais me abandonará. (próclise)


Abandonar-me-á? (mesóclise)
Abandonou-me. (ênclise)

Os pronomes oblíquos tônicos podem aparecer em qualquer lugar


da frase:
Para mim estudar Português é fácil.
Estudar Português para mim é fácil.
Estudar Português é para mim fácil.
Estudar Português é fácil para mim.

Pronome Relativo
Estabelece uma relação entre uma palavra antecedente que
representa e aquilo que a seu respeito se vai dizer na oração que
introduz, ou que estabelece uma relação entre um nome que
determina e um antecedente.

a) Qual — vem sempre precedido de artigo: o qual, a qual, os


quais, as quais.

b) Cujo — expressa posse e concorda sempre em gênero e número


com o substantivo que o sucede:

Esta senhora, cujo nome desconheço, tem uma reclamação a


fazer.
Este é o rio Douro cujas águas banham a cidade do Porto.

d) Quem — refere-se a pessoas e, funcionando como


complemento, vem sempre precedido de preposição:
José é o homem a quem eu amo.

e) Onde — refere-se sempre a uma localidade:


Esta é a casa onde nasci.

Pronomes possessivos
Classe de palavras que exprime a posse em relação às três
pessoas gramaticais.
Locuções adverbiais
Uma locução adverbial é um conjunto de uma ou mais palavras
que desempenham a função de um advérbio.
Geralmente, é formada por:
preposição + substantivo/adjetivo/advérbio.

a) preposição + substantivo: na verdade


b) preposição + adjetivo: de novo
c) preposição + advérbio: por aqui

modo: às pressas, à vontade, à vista, em silêncio, de cor, ao acaso


etc.
tempo: à noite, de manhã, à tarde, em breve, de vez em quando
etc.
lugar: ao lado, de longe, por ali, à direita, de cima etc.
afirmação: com certeza, sem dúvida etc.
negação: de modo nenhum, de forma alguma etc.
quantidade/intensidade: de pouco, de todo etc.

Advérbios interrogativos
As palavras onde, como, quando, usadas em frases interrogativas.

■ Onde expressa circunstâncias de lugar.


Onde você mora?
Quero saber onde você mora.

■ Como expressa circunstância de modo (de que maneira).


Como se chega à casa de José?
Não sei como ele fez isso.

■ Quando expressa circunstância de tempo.


Quando você volta?

Conjunção
É a palavra invariável que liga duas orações entre si, ou que,
dentro da mesma oração, liga dois termos entre si independentes.
■ Conjunções coordenativas
Conjunções coordenativas

Aditivas
Ligam pensamentos similares ou equivalentes.
Principais conjunções: e, nem, (não só)... mas também, (não
somente)... senão ainda etc.:
Mateus não veio nem ligou.

Adversativas
Ligam pensamentos que contrastam entre si.
Principais conjunções: mas, porém, todavia, contudo, entretanto,
não obstante etc.:
Ela saiu, mas voltará logo.

Alternativas
Ligam pensamentos que se excluem ou se alternam.
Principais conjunções: ou, ou... ou, ora... ora, já... já, quer... quer
etc.:
Você lavará a louça, ou limpará o quarto.

Conclusivas
Ligam duas orações, sendo que a segunda encerra a conclusão ou
dedução de um raciocínio.
Principais conjunções: logo, portanto, por conseguinte, por
consequência, pois (após o verbo da oração) etc.:
Ela estuda bastante, logo terá boas notas.

Explicativas
Que ligam duas orações, sendo que a segunda se apresenta
justificando a anterior.
Principais conjunções: pois, porque, que, porquanto etc.:
Ela não irá à festa, porque haverá prova no mesmo dia.

Conjunções subordinativas

Integrantes
São as que ligam duas orações, sendo que a segunda é sujeito ou
complemento da primeira.
Principais conjunções: que, se.
É necessário que ela se case.
Eu não sei se o rapaz fará o trabalho.

Adverbiais
São as que ligam duas orações, sendo que a segunda é adjunto
adverbial da primeira, ou seja, a segunda expressa circunstância
de finalidade, modo, comparação, proporção, tempo, condição,
concessão, causa ou consequência.

Conjunções subordinativas adverbiais

Causais
Ligam duas orações, sendo que a segunda contém a causa, e a
primeira, o efeito.
Principais conjunções: porque, visto que, porquanto, já que, como
etc.:
Ela saiu mais cedo, já que não havia mais trabalho a fazer.

Comparativas
Ligam duas orações, sendo que a segunda contém o segundo
termo de uma comparação.
Principais conjunções: como, (tal)... tal, (menos)... do que,
(mais)... do que, (tal)… qual etc.:
As meninas eram lindas como anjos.

Concessivas
Ligam duas orações, sendo que a segunda contém um fato que
não impede a realização da ideia expressa na oração principal,
embora seja contrário àquela ideia (uma exceção).
Principais conjunções: embora, ainda que, mesmo que,
conquanto, posto que, se bem que, por mais que, por menos que,
suposto que etc.:
Ela está sorrindo, embora se sinta triste.
Condicionais
Ligam duas orações, sendo que a segunda expressa uma hipótese
ou condição.
Principais conjunções: se, caso, salvo se, desde que, a menos que,
sem que, contanto que etc.:
Ela ficará feliz, se você for visitá -la.

Conformativas
Ligam duas orações, sendo que a segunda expressa circunstância
de conformidade ou modo.
Principais conjunções: como, segundo, conforme etc.:
Tudo aconteceu segundo havia previsto a cartomante.

Consecutivas
Ligam duas orações, sendo que a segunda diz a consequência de
uma intensidade expressa na primeira.
Principais conjunções: (tão)...que, (tal)...que, (tamanho)... que,
(tanto)...que etc.:
Ela estudou tanto que foi a primeira colocada no concurso.

Finais
Ligam duas orações, sendo que a segunda expressa circunstância
de finalidade.
Principais conjunções: para que, a fim de que, que, porque:
Ela estudou, a fim de passar no concurso.

Proporcionais
Ligam duas orações, sendo que a segunda expressa fato que
decorre ao mesmo tempo que outro, em relação de proporção.
Principais conjunções: à medida que, à proporção que, (quanto
mais)... tanto mais, (tanto menos)... quanto mais etc.:
À medida que os convidados chegavam, o baile ficava mais
animado.

Temporais
Ligam duas orações, sendo que a segunda expressa circunstância
de tempo.

Principais conjunções: quando, enquanto, apenas, mal, logo que,


depois que, antes
que, até que, que etc.:
Ela sorriu, quando me viu.

Pontuação

S + V + C + Adj. Adverbiais

Vírgula
Serve para marcar as separações de sentido entre termos
vizinhos, as inversões e as intercalações, separa termos dentro da
oração ou orações dentro do período.

#Dicas
Podemos concluir que, quando há uma relação sintática entre
termos da oração, não se pode separá-los por meio de vírgula.

Não se separam por vírgula:


a) predicado de sujeito;
b) objeto de verbo;
c) adjunto adnominal de nome;
d) complemento nominal de nome;
e) predicativo do objeto;
f) oração principal da subordinada substantiva (desde que esta
não seja apositiva nem apareça na ordem inversa)

Usa-se a vírgula para:


a) separar o vocativo.
Ex.: Maria, traga-me uma xícara de café.
A educação, meus amigos, é fundamental para o progresso do
país.

b) separar alguns apostos.


Ex.: Valdete, minha antiga empregada, esteve aqui ontem.

c) separar o adjunto adverbial antecipado ou intercalado.


Ex.: Chegando de viagem, procurarei por você.
As pessoas, muitas vezes, são falsas.

d) separar elementos de uma enumeração.


Ex.: Chapéus, sapatos, meias ou roupas usadas quem tem?

e) isolar expressões de caráter explicativo ou corretivo.


Ex.: Amanhã, ou melhor, depois de amanhã podemos nos
encontrar para acertar a viagem.

f) separar conjunções intercaladas.


Ex.: Não havia, porém, motivo para tanta raiva.

g) separar o complemento pleonástico antecipado.


Ex.: A mim, nada me importa.

h) isolar o nome de lugar na indicação de datas.


Ex.: Belo Horizonte, 26 de janeiro de 2001.

i) separar termos coordenados assindéticos.


Ex.: "Lua, lua, lua, lua, por um momento meu canto contigo
compactua..." (Caetano Veloso)

j) marcar a omissão de um termo (normalmente o verbo).


Ex.: Ela prefere ler jornais e eu, revistas. (omissão do verbo
preferir)

#Dicas
Termos coordenados ligados pelas conjunções e, ou, nem
dispensam o uso da vírgula.
Ex.: Conversaram sobre futebol, religião e política.
Não se falavam nem se olhavam./ Ainda não me decidi se viajarei
para Bahia ou Ceará.

Entretanto, se essas conjunções aparecerem repetidas, com a


finalidade de dar ênfase, o uso da vírgula passa a ser obrigatório.
Ex.: Não fui nem ao velório, nem ao enterro, nem à missa de
sétimo dia.

A vírgula entre orações


É utilizada nas seguintes situações:

a) separar as orações subordinadas adjetivas explicativas.


Ex.: Meu mãe, de quem guardo lindas lembranças, mora no Rio de
Janeiro.

b) separar as orações coordenadas sindéticas e assindéticas


(exceto as iniciadas pela conjunção e ).
Ex.: Acordei, tomei meu banho, comi algo e saí para o trabalho.
Estudou muito, mas não foi aprovado no exame.

Atenção
Há três casos em que se usa a vírgula antes da conjunção e:

1) quando as orações coordenadas tiverem sujeitos diferentes.


Ex.: Os ricos estão cada vez mais ricos, e os pobres, cada vez mais
pobres.

2) quando a conjunção e vier repetida com a finalidade de dar


ênfase (polissíndeto).
Ex.: E chora, e ri, e grita, e pula de alegria.
3) quando a conjunção “e” assumir valores distintos que não seja
da adição (adversidade, consequência...)
Ex.: Coitada! Estudou muito, e ainda assim não foi aprovada.

c) separar orações subordinadas adverbiais, e se estiverem


antepostas à oração principal.

Ex.: “No momento em que o tigre se lançava, curvou-se ainda


mais; e fugindo com o corpo apresentou o gancho.”

d) separar as orações intercaladas.


Ex.: "- Senhor, disse o velho, tenho grandes contentamentos em
estar plantando..."

#Dicas
Essas orações poderão ter suas vírgulas substituídas por duplo
travessão, parentese.
Ex.: A casa, disse Ana, precisa de reforma.
A casa - disse Ana- precisa de reforma.
A casa (disse Ana) precisa de reforma.

e) separar as orações substantivas antepostas à principal.


Ex.: Quanto custa viver, realmente não sei

PONTO E VÍRGULA
a) separar os itens de uma lei, de um decreto, de uma petição, de
uma sequência, etc.
Ex.: Art. 127 – São penalidades disciplinares:
I- advertência;
II- suspensão;
III- demissão;
IV- cassação de aposentadoria ou disponibilidade.

b) separar orações coordenadas muito extensas ou orações


coordenadas nas quais já tenham tido utilizado a vírgula.
Ex.: quando eu comecei a estudar para concurso, tudo parecia
fácil; hoje, percebo que eu não sabia nada.

TRAVESSÃO

a) dar início à fala de um personagem


Ex.: O filho perguntou: - Pai, quando começarão as aulas?
b) indicar mudança do interlocutor nos diálogos
- Doutor, o que tenho é grave?
- Não se preocupe, é uma simples infecção. É só tomar um
antibiótico e estará bom

c) unir grupos de palavras que indicam itinerário


Ex.: A rodovia Belém-Brasília está em péssimo estado.

#Dicas
Também pode ser usado em substituição à virgula em expressões
ou frases explicativas
Ex.: Xuxa – a rainha dos baixinhos – será mãe.

ASPAS
a) isolar palavras ou expressões que fogem à norma culta, como
gírias, estrangeirismos, palavrões, neologismos, arcaísmos e
expressões populares.
Ex.: Maria ganhou um apaixonado “ósculo” do seu admirador.
A festa na casa de Léo estava “chocante”.

Conversando com meu superior, dei a ele um “feedback” do


serviço a mim requerido.

b) indicar uma citação textual


Ex.: “Ia viajar! Viajei. Trinta e quatro vezes, às pressas, bufando,
com todo o sangue na face, desfiz e refiz a mala”. ( O prazer de
viajar - Eça de Queirós)

#Dicas
Se, dentro de um trecho já destacado por aspas, se fizer
necessário a utilização de novas aspas, estas serão simples.
('')

PARÊNTESES
a) isolar palavras, frases intercaladas de caráter explicativo e
datas.
Ex.: Na 2ª Guerra Mundial (1939-1945), ocorreu inúmeras perdas
humanas.
"Uma manhã lá no Cajapió ( Joca lembrava-se como se fora na
véspera), acordara depois duma grande tormenta no fim do
verão. “
#Dicas
Os parênteses também podem substituir a vírgula ou o travessão.

DOIS-PONTOS
a) iniciar a fala dos personagens:
Ex.: Então o padre respondeu:
- Parta agora.

b) antes de apostos ou orações apositivas, enumerações ou


sequência de palavras que explicam, resumem ideias anteriores.
Ex.: Meus amigos são poucos: Fátima, Rodrigo e Gilberto.

c) antes de citação
Ex.: Como já dizia Vinícius de Morais: “Que o amor não seja
eterno posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure.”

PONTO
a) indicar o final de uma frase declarativa.
Ex.: Lembro-me muito bem dele.

b) separar períodos entre si.


Ex.: Fica comigo. Não vá embora.

c) nas abreviaturas
Ex.: Av.; V. Ex.ª

#DICA
→ Não se separa SUJEITO do VERBO
→ Não se separa VERBO do COMPLEMENTO
→ Não se separa SUJEITO do PREDICADO

→ Adjunto adverbial deslocado:


Curto: até duas (facultativo)
Longo: três ou mais (obrigatório)

→ uma vírgula separa, duas vírgulas intercalam.


→ vocativos: vírgula é obrigatória.
→ enumerações: termos de mesma função sintática

*Aposto explicativo
Ex: Dilma, ex-presidenta do Brasil, sofreu impeachment.

*Aposto enumerativo
Ex: tudo – sapatos, joias, mochilas e roupas – foi vendido durante
a promoção.

Sinônimo
Palavra que tem com outra uma semelhança de significação
alegre — feliz
diminuto — pequeno
falar — dizer

Antônimo
Sentido é contrário, diferente.
grande / pequeno
bonito / feio

HOMÔNIMOS
Mesmo som ou a mesma grafia, mas com sentidos
diferentes.
sede (lugar)
sede (vontade de beber)

PARÔNIMOS
Possuem som ou grafia parecidos, mas com sentidos diferentes.
Absolver: inocentar, relevar da culpa imputada.
Absorver: embeber em si, esgotar.

COLOCAÇÃO PRONOMINAL

■ antes do verbo — próclise: Não me abandone.


■ no meio do verbo — mesóclise: Receber-vos-emos para o jantar,
amanhã.
■ depois do verbo — ênclise: Entregou-nos os presentes.
Pronomes oblíquos: me, te, se, o , a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes.

Próclise: pronome antes do verbo. Não se usa no início de oração


ou período.
Ex: isso me conforta

Atrativos:
→ palavra negativa (nem, nunca, não, ninguém…)
Ex: Ele não se incomodou.

→ pronome relativo
Ex: a aluna que me mostrou a tarefa não veio hoje.

→ conjunções subordinativas e coordenativas


Ex: embora o considere muito, não posso admitir isso.

→ preposição ‘EM’ + gerúndio


Ex: em se tratando de facilidade, essas aulas são as melhores.

→ pronome demonstrativo
Ex: Isso (aquilo) me deixa feliz.

→ pronome indefinido
Ex: todos se comoveram com as suas palavras.

Mesóclise: pronome no MEIO do verbo com tempos futuros.


Ex: Ajudar-me-ia se pudesse
Far-lhe-ei uma proposta irrecusável.

Ênclise: pronome DEPOIS do verbo. Não usar com verbos no


futuro.

Atrativo:
→ quando verbo inicia oração/período
Ex: avisaram-me que não teria aula hoje.

→ verbo no infinitivo impessoal regido de proposição ‘a’


Ex: os dois passaram a odiar-se

→ gerúndio (sem a preposição ‘EM’)


Ex: Tratando-me com respeito, responderei.

→ pausa antes de verbo e após vírgula


Ex: se passar no vestibular para outra cidade, mudo-me no
mesmo instante.
→ Complemento nominal: lhe (s), nos, vos, me, te

→ verbos terminados em: R, S, Z + o, a, os, as, troca-se por lo, la,


los, las.

→ verbos terminados em M, ÃO, ÕE + o, a, os, as usa-se no, na,


nos, nas.

#Dica
→ objeto direito: o, a, os, as
→ objeto indireto: lhe, lhes

TIPOS DE SUJEITO
Expresso
→ simples: 1 núcleo
Ex: O dia está ensolarado. Como núcleo, temos a palavra dia.

→ composto: 2 núcleos
Ex: Pedro e Paulo são irmãos inseparáveis.

Não expresso
→ elíptico (desinencial, oculto): identificável
sabemos que ele existe, porém não está explícito na oração, a
forma pela qual o reconhecemos é pela terminação verbal.
Ex: Cheguei atrasada para o evento.
Quem cheguei? EU (sujeito)

→ indeterminado: NÃO identificável


Quando ele não está expresso e não podemos reconhecê-lo nem
pela terminação do verbo e nem pela identificação dos elementos
aos quais o predicado se refere. Há duas regras:

1. Quando o verbo está na terceira pessoa do singular


acompanhado do pronome “se” funcionando como índice de
indeterminação do sujeito:
Precisa-se de funcionários competentes naquela empresa.

- Quando o verbo está na terceira pessoa do plural:


Falaram mal de você na reunião.

Oração sem sujeito


→ verbo impessoal
Verbos que indicam fenômenos da natureza, como: nevar, chover,
trovejar, relampejar.
Ex: chove bastante em novembro / faz 12 anos que moro aqui.

USO DE CRASE

Junção da preposição “a” com o artigo feminino “a”.

#FICA A DICA
se puder trocar o substantivo feminino por um masculino e no
lugar do ‘a’ ficar ‘ao’, haverá crase. ;)

Ex: Júlia levou sua irmã à praça / Júlia levou sua irmã ao teatro.

2- Em locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas.

Locuções adverbiais: às vezes, à noite, à tarde, às claras, à meia-


noite, às três horas;

Locuções prepositivas: à frente de, à beira de, à exceção de;

Locuções conjuntivas: à proporção que, à medida que.


3- Ao indicar horas específicas.

A reunião ocorrerá às duas horas da tarde de sexta-feira.


|
Horas específicas

Atenção: Quando a hora aparecer de forma genérica, não haverá


crase.

4- Usa-se crase nas expressões à moda de / à maneira de.


Prefiro comida à francesa.

5- Antes dos substantivos casa e terra, desde que não tenham o


sentido de lar e terra firme, respectivamente.
Chegamos à terra natal de nossos antepassados.
|
lugar específico

6- Usa-se crase com pronomes demonstrativos e relativos quando


vierem precedidos da preposição ª
Ele não obedeceu àquela norma de segurança.
|
verbo transitivo indireto pede a presença da preposição
a (a + aquela = àquela)

USO PROIBIDO
→ antes de masculinos em geral
o governo falava a respeito de políticas públicas

→ antes de verbos
a partir de hoje / com datas a definir, o governo...

→ antes de artigos indefinidos (um, uma, uns, umas)


referiu-se a uma decisão… / era favorável a um método mais…

→ entre palavras repetidas


boca a boca / cara a cara / frente a frente / uma a uma

→ antes de nomes próprios


referiu-se a Darlha Sangute
→ antes de palavra no plural, quando o ‘a’ estiver no singular.
Nós não obedecemos a leis de trânsito

→ depois de preposição (exceto ‘até)


jurou perante o juiz / a reunião foi marcada para as duas
horas.

→ antes de pronomes pessoais


era favorável a ela, não a mim

→ antes de pronome de tratamento (exceto senhora e


senhorita)
referiu-se a vossa excelência com respeito.

→ antes de pronomes indefinidos (cada, alguma, nenhuma,


qualquer, certo, tudo, nada, pouco…)
obedeceria a alguma daquelas ordens / preferia sua ideia a
cada opinião dela.

VOZES VERBAIS
- Voz ativa: quando o sujeito pratica a ação, é um sujeito
agente.
Ex.: A criança alimentou o animal.
l l l
sujeito verbo objeto

A criança (sujeito) pratica a ação.

- Voz passiva: quando o sujeito sofre a ação verbal, é um


sujeito paciente.
Ex.: O animal foi alimentado pela criança.
l l l
sujeito verbo passivo agente

O animal (sujeito) recebe a ação.

#DICA
para se fazer voz passiva, usa-se o verbo ‘ter’ ou ‘estar’ +
particípio (ado, ido).
a) Voz passiva sintética: formada por verbo transitivo na
terceira pessoa mais o pronome apassivador se.
Ex.: Vende -se computador.
l l l
verbo na pronome sujeito
3° pessoa apassivador

b) Voz passiva analítica: formada pelo verbo auxiliar (ser ou


estar) mais o particípio de um verbo transitivo.
Ex.: O menino foi penteado pelo pai.
l l l
sujeito locução verbal agente

- Voz reflexiva: quando o sujeito pratica e ao mesmo tempo


recebe a ação.
Ex: a menina penteou-se / cortou-se

#FICA A DICA
para passar para a voz passiva é o mesmo que dizer qual das
frases possui objeto direto. Só aceitam voz passiva VTD e
VTDI.

FUNÇÕES DO QUE

a) pronome interrogativo
Ex: O que ocorreu nesta sala?

b) pronome relativo: refere-se a um termo anterior.


Ex: As crianças que gostam de brincar…

c) pronome indefinido: tem sentido de “quanto”, “quantas”.


Ex: Que horas são agora?

d) conjunção coordenativa explicativa: valor próximo de


“pois”.
Ex: Devemos nos amar, que o ódio consome e destrói a alma

e) conjunção integrante: introduz oração subordinada


substantiva. Equivale a ‘isso’.
Ex: Ficou claro que você não vai mais discutir o mesmo
assunto.

f) partícula de realce: não prejudica a estrutura sintática se


retirado.
Ex: Que vontade que tenho de conversar com você às vezes

FUNÇÕES DO SE

a) pronome apassivador: quando forma a voz passiva.


Ex: Formaram-se vários times. = Vários times foram
formados.

b) índice de indeterminação do sujeito: não possui função


sintática, acompanha verbos que não admitem voz passiva.
Ex: Aspira-se uma vida melhor no futuro.

c) pronome pessoal reflexivo:


Ex: Ela machucou-se com o canivete do pai.
Ela se vangloria demais.

d) conjunção condicional: exprime sentido de condição.


Ex: Se quiser ganhar melhor, trabalhe um pouco mais.

e) conjunção causal: tem sentido de “visto que”, “já que”.


Ex: Como você disse que eu iria, se sabia que não era
verdade?

f) pronome recíproco: tem sentido da expressão “um ao


outro”:
Ex: As meninas deram-se as mãos com muito carinho

g) pronome de realce: acompanham verbos de movimento ou


que exprimem ações do corpo da própria pessoa. (ir-se,
chegar-se, rir-se, sorrir-se, etc.)
Ex: Foi-se o tempo em que não preocupávamos com nossos
filhos.
CONCORDÂNCIA NOMINAL E VERBAL

A concordância nominal é estabelecida entre em suas flexões


de gênero (masculino e feminino) e número (singular e
plural) e todos os termos que o determinam.

Ex: Bonitas são as flores do meu jardim.

Casos específicos
→ menos (invariável)
Ex: Ela (ele) é menos …

→ mesmo e próprio (gênero / número)


Ex: As alunas mesmas que organizaram…
Eles próprios construíram suas casas…

→ meio / meia (numeral / advérbio)


Ex: Marisa é meio gastadeira…
Adicione meia colher de açúcar….

→ bastante (adjetivo / advérbio)


Ex: os meninos ficaram bastantes doentes com a mudança…

se vier antes de adjetivo ele é invariável


João considerou bastante difíceis as questões da prova.

→ Anexo e incluso (concordam com o subst. que modificam)


Ex: segue anexo o documento solicitado.
segue anexa a fotografia para o cadastro.
Os alunos estão inclusos no programa….
A pasta de materiais está inclusa no valor da…

→ É bom, é necessário é proibido (gênero e número)


Ex: a sabedoria é necessária… / é proibida a entrada de
crianças… / a receita do frango é muito boa.

Se o núcleo não vier precedido de determinante (preposição,


artigo) a palavra continua no masculino singular.
Ex: É proibido bebida na festa.
É necessário inteligência na resolução…

Concordância verbal
→ permanecem no singular
Haver no sentido de existir
Ex: havia muitas propostas de emprego… (existiam)

Haver no sentido de acontecer


Ex: deve ter havido muitos acidentes… (devem ter ocorrido)

Fazer no sentido de tempo decorrido


Ex: faz três anos que eles se conhecem.

→ indicação de horas (concorda com o numeral)


Ex: são três horas da tarde

→ indicação de datas
(quando a palavra DIA antecede o numeral o verbo fica no
singular)
Ex: hoje é dia 22/08/2018
hoje são 22/08/2018

→ pron. pessoal com função de sujeito ou predicado


(verbo concorda com o pronome)
Ex: eu sou a responsável pela exposição

→ expressões de quantidade, preço, valor, medida (é muito, é


pouco, é mais de, é tanto)
verbo permanece na 3° do singular
Ex: cinquenta reais é muito?

REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL

→ regência nominal: o termo regente é um nome.


Ex: os pobres tem necessidade de ajuda
l l
(termo regente é um nome) (termo regido)

→ regência verbal: o termo regente é um verbo.


Ex: os pobres necessitam de ajuda.
l l
(termo regente é um verbo) (termo regido)

Regências verbais especiais

1. Agradar
VTD: no sentido de “fazer carinho”
Ex: O esposo agradava a mulher.

VTI: no sentido de “ser agradável”


Ex: O assunto não agradou aos convidados.

2. Ajudar
VTD ou VTI (sem alteração de sentido).
Ex: O professor ajudou os (aos) alunos.

3. Aspirar
VTD: no sentido de sorver (o ar), sugar.
Ex: A diarista aspirou o pó da sala.

VTI: no sentido de desejar, almejar, querer.


Ex: Ele aspira a um cargo público.

4. Assistir
VTI: no sentido de ver, presenciar.
Ex: Eu assisti ao maravilhoso clássico.

VTD (preferencialmente) ou VTI: no sentido de dar


assistência, ajudar.
Ex: O médico assiste os (aos) enfermos.
VI: no sentido de morar. Ex: A família Piquet assiste em
Brasília.

5. Atender
VTI ou VTD (sem alteração de sentido).
Ex: O juiz atendeu (a) todos os advogados.

6. Chamar
VTD: no sentido de convocar.
Ex: A mãe chamou o filho para almoçar.

VTD ou VTI: no sentido de “dar nome” ou “apelidar”


Ex: Eles chamavam a (à) mãe de heroína.

7. Chegar
VI: mas, quando acompanhado de expressões locativas,
deve-se usar a preposição “a”.
Ex: Chegaremos cedo à escola.

8. Implicar
VTD ou VTI: no sentido de “acarretar”, causar.
Ex: O seu comportamento implica (em) demissão.

9. Lembrar/lembrar-se (também válido para


esquecer/esquecer-se)
VTD: lembrar/esquecer (sem o pronome).
Ex: Meu pai lembra o seu nome. Eu esqueci a sua blusa.

VTI: lembrar-se/esquecer-se (com o pronome).


Ex: Meu pai se lembra do seu nome. Em esqueci-me da sua
blusa.

10. Obedecer
VTI. Ex: Eles não obedecem ao regulamento.

11. Proceder
VTI: no sentido “de iniciar”, “executar”.
Ex: O ator procedeu à apresentação.
VI: no sentido de “ter procedência”, “ser verdadeiro”. Ex: A
fala de empresário não procede.

12. Visar
VTD: no sentido “de mirar”, “ver”.
Ex: O atirador visou o alvo.

VTI: no sentido “almejar”, “desejar”.


Ex: Ele visa a um novo emprego.

TABELA DE CONECTIVOS

Adição - e, além disso, e ainda, também, igualmente, do


mesmo modo, não só… mas também /como ainda, bem como,
assim como, por um lado… por outro lado, nem… nem
(negativa), de novo, incluindo…

Certeza - com certeza, decerto, naturalmente, é evidente que,


evidentemente, certamente, sem dúvida que…

Oposição/ contraste - mas, porém, todavia e alem disso,


contudo, no entanto, doutro modo, ao contrário, pelo
contrário, contrariamente, não obstante, por outro lado…

Concessão - ainda que, apesar de, embora, mesmo que, por


mais que, se bem que, ainda assim, mesmo assim, posto
que…

Conclusão /síntese / resumo - pois, portanto, porquanto, por


conseguinte, assim, logo, enfim, concluindo, em conclusão,
em síntese, consequentemente, em consequência, por outras
palavras, ou seja, em resumo, em suma, ou melhor…

Confirmação - com efeito, efetivamente, na verdade, de fato…

Explicitação / particularização - quer isto dizer, (não)


significa que, por outras palavras, isto é, por exemplo, ou
seja, é o caso de, nomeadamente, em particular, a saber,
entre outros, especificamente…
Opinião - na minha opinião, a meu ver, em meu entender, no
meu ponto de vista, parece-me que, creio que, penso que, sou
da opinião que, para mim, sou a favor, acho que, concordo…

Dúvida - talvez, provavelmente; é provável que,


possivelmente, é possível, porventura, não tenho opinião
formada sobre, não sei dizer se, quem sabe?…

Indiferença - não acho nada, para mim tanto faz, sei lá....

Alternativa - fosse… fosse, ou (…ou), ora… ora, quer… quer,


seja… seja; alternativamente, em alternativa…

Comparação - como, conforme, também, tanto… quanto, tal


como, assim como, tão como, pela mesma razão, do mesmo
modo, de forma idêntica, igualmente…

Consequência - por tudo isto, de modo que, de tal forma que,


de sorte que, daí que, tanto… que, é por isso que…

Causa - pois, pois que, visto que, já que, porque, dado que,
uma vez que, por causa de, em virtude de, devido a…

Fim / intenção - como intuito de, para (que), a fim de, com o
fim de, com o objetivo de, de forma a…

Hipótese / condição - se, caso, a menos que, salvo se, exceto


se, a não ser que, desde que, supondo que, admitindo que…

Sequência temporal / espacial - em primeiro lugar, num


primeiro momento, antes de, em segundo lugar, em seguida,
seguidamente, então, durante, ao mesmo tempo,
simultaneamente, depois de, após, até que, enquanto,
entretanto, quando, logo que, no fim de, por fim, finalmente,
acima, abaixo, atrás, ao lado, à frente, á direita, à esquerda,
ao centro, diante, em cima, em baixo, no meio, naquele lugar,
detrás, por trás de, próximo de, sob, sobre…

Complemento - que, se.