Você está na página 1de 7

PROJETOS DE APRENDIZAGEM PARA O LETRAMENTO ESTATÍSTICO:

RELATO E ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO LEME

Área temática: Comunicação

Mauren Porciúncula Moreira da Silva1 (Coordenadora da Ação de Extensão)

Gabriela Braz Lucas2, Pedro Henrique Barcarolo3

RESUMO: O Programa de Extensão Letramento Multimídia Estatístico – LeME,


existente a cinco anos, é desenvolvido pelo Programa de Educação Tutorial
Conexões de Saberes Estatísticos – PET SabEst da Universidade Federal do Rio
Grande. Neste período já formou cerca de jovens de 14 a 17 anos, em
vulnerabilidade social, econômica e ambiental. O Programa é realizado em uma
cidade do litoral sul gaúcho, no Centro de Convívio dos Meninos do Mar. As
atividades são pautadas pela estratégia pedagógica de Projeto de Aprendizagem –
PA e visam à promoção de habilidades estatísticas. Neste texto, relatamos
atividades realizadas no Projeto, como a participação no Concurso Internacional de
Pôster Estatístico – ISLP e ainda o Jornal Lemecional, estes, são resultados dos PA
desenvolvidos no Programa.

Palavras-chave: Letramento Estatístico, Projetos de Aprendizagem, Estatística.

1 INTRODUÇÃO
O Letramento Estatístico é uma competência importante para a inclusão das
pessoas na nossa sociedade, e também no mercado de trabalho. Essa demanda,
em seu nível mais básico, ocorre para a interpretação de informações que nos
cercam no dia a dia, até ao nível mais elevado, exigindo de profissionais a
habilidade para tomar decisões baseadas em informações estatísticas.

1
Doutora em Informática na Educação, IMEF, Universidade Federal do Rio Grande,
mauren@furg.br
2
Graduanda em Pedagogia Licenciatura, IE, Universidade Federal do Rio Grande.
3
Graduando em Matemática Licenciatura, IMEF, Universidade Federal do Rio Grande.
Segundo Gal (2002) o Letramento Estatístico pressupõe dois critérios:
a) capacidade da pessoa para interpretar e avaliar criticamente informação
estatística, os argumentos relacionados aos dados ou aos fenômenos
estocásticos, que podem ser encontrados em diversos contextos e, quando
relevante, b) capacidade da pessoa para discutir ou comunicar suas
reações para essas informações estatísticas, como sua compreensão
acerca do significado da informação, suas opiniões sobre as implicações
desta informação ou suas considerações acerca da aceitação das
conclusões dadas (p. 2-3, tradução livre).

Para que um sujeito possa ser considerado letrado estatisticamente, o mesmo


deve apresentar cinco requisitos (GAL, 2002): perceber a necessidade dos dados
estatísticos e como ocorre a produção dos mesmos; estar familiarizado com a
estatística descritiva; proximidade com representações gráficas e tabulares;
compreender as noções básicas de probabilidade; e a apreensão de como o
processo inferencial é alcançado.

Para promoção deste Letramento Estatístico, metodologias ativas, tais como


Projetos de Aprendizagam (PA) são alternativas a serem consideradas. A ideia do
uso de PA surge devido ao anseio de que o estudante seja o centro do processo de
aprendizagem. Segundo Fagundes, Laurino-Maçada e Sato (1999, p. 16):

"Quando o aprendiz é desafiado a questionar, quando ele se perturba e


necessita pensar para expressar suas dúvidas, quando lhe é permitido
formular questões que tenham significação para ele, emergindo de sua
história de vida, de seus interesses, seus valores e condições pessoais,
passa a desenvolver a competência para formular e equacionar problemas.
Quem consegue formular com clareza um problema, a ser resolvido,
começa a aprender a definir as direções de sua atividade."

Trazer esta estratégia pedagógica para a Educação Estatística, para


promoção do Letramento Estatístico, é uma opção que visa tornar a sala de aula
mais prazerosa e atraente. Conforme Samá e Porciúncula (2015):

"[...] acreditamos que a sala de aula mediada pelos projetos de


aprendizagem podem potencializar o diálogo, auxilia na construção de um
espaço de convivência que impulsione a interação, cooperação, autonomia
no processo investigativo e criticidade . [...] Os projetos de aprendizagem na
sala de aula de Estatística indicam que este é um caminho possível para
fomentar a construção do conhecimento Estatístico, com vistas ao
Letramento Estatístico.” (p. 139)
Nesta perspectiva, este texto tem como objetivo apresentar o uso de Projetos
de Aprendizagem na Educação Estatística, em um Programa de Extensão. Inicia
com o contexto de onde é realizada a atividade, a relata e apresenta os resultados
desta.

2 CONTEXTO
O Programa de Extensão de Letramento Multimídia Estatística - LeME, visa à
promoção do desenvolvimento de habilidades estatísticas de jovens estudantes.
Conta com o apoio do Programa de Educação Tutorial, da Universidade Federal do
Rio Grande localizada no município de Rio Grande, constituído por doze estudantes,
que ocupam os cursos: Educação Física Licenciatura, Matemática Licenciatura,
Física Licenciatura, Letras – Português/Francês, Pedagogia, Direito, Engenharia
Mecânica Empresarial e História, os quais atuam como professores do mesmo.
As atividades, para promoção do Letramento Estatístico, são desenvolvidas
no Centro de Convívio dos Meninos do Mar, o qual está localizado na cidade de Rio
Grande no Rio Grande do Sul. Neste Centro, aproximadamente cento e cinquenta
estudantes jovens frequentam cursos semestrais profissionalizantes, tais como:
manicure, auxiliar administrativo, auxiliar de departamento de pessoal, construção
naval, informática, costuraria, educação náutica, culinária e panificação. No ano de
dois mil e dezessete está completando cinco anos de vivência, totalizando em média
mil e quintos alunos atendidos ao longo do tempo.
Contudo a cada semestre são oferecidas três oficinas. Entre dinâmicas de
grupo, apresentações e jogos lúdicos, é desenvolvida a principal atividade: o Projeto
de Aprendizagem. A escolha da estratégia metodológica de Projetos de
Aprendizagem é devido a intenção dos estudantes serem os principais sujeitos da
ação, e os professores, os mediadores. Assim possibilitando que final de cada PA
possa haver a utilização de meios digitais para a divulgação dos conhecimentos
obtidos.
Este ano, deu-se ao inicio do ciclo de um concurso de pôsteres estatísticos,
os quais ocorrem à cada dois anos. Este concurso é organizado pelo ISLP
(International Statical Literacy Project) sendo dividido em duas etapas, onde
primeiramente acontece nacionalmente, prosseguindo para a final internacional.
Nessa competição os alunos têm como proposta elaborar um banner estatístico
devendo seguir o regulamento disponibilizado pelo evento, onde os professores
ministram a orientação. Assim sendo utilizado como metodologia de ensino
especialmente para uma, das nove, turmas do CCMar.

3 RELATO DA EXPERIÊNCIA
Na execução o primeiro momento ressalta a Estatística aos alunos, onde é
apresentado e familiarizado os conceitos e ideias, ambos básicos, relacionados à
estatística descritiva e também às apresentações gráficas e tabulares. As Medidas e
variáveis, quantitativas e qualitativas, são dadas com uma maior ênfase para que
possam elaborar e finalizar o projeto.
Prosseguindo o contexto, é exposto o PA no qual então é feito a seleção dos
assuntos, onde o estudante escolhe o tema que irá ao longo dos Projetos
desenvolver suas atividades propostas. A escolha do tema feita pelo aluno dá-se
visto que aprendizagem tende ser maior quando parte de um assunto que é de seu
interesse, de que seja relevante ou de acordo com suas preferências ou gostos
pessoais, Porciúncula e Samá (2015). Assim a intenção volta aos estudantes que
desenvolvem habilidades de Letramento Estatístico (GAL, 2002). Pra tal, foi
orientado que elaborassem um instrumento de coleta de dados, ou seja, um
questionário, os quais sustentavam dados quantitativos e qualitativos, a partir do
tema escolhido. Então dando continuidade ao momento com a saída a campos para
a entrevista e coleta de dados das pesquisas elaboradas.
Após realizado a coleta, é proposto aos estudantes que façam a análise dos
dados obtidos na pesquisa, por meio do uso de uma planilha eletrônica. Assim os
professores, com o auxílio do multimídia, apresentam exemplos de como utilizar o
programa para confeccionar tabelas e gráficos. Então os alunos passam a realizar
as análises quantitativas, com base nos dados coletados na pesquisa. Esta análise
contempla dados qualitativos e quantitativos. De acordo com Samá e Silva (2013):

“... variáveis qualitativas ou categóricas podem ser separadas em


diferentes categorias que se distinguem por alguma característica não
numérica (...). As variáveis quantitativas ou numéricas consistem em
números que representam contagem ou medida” (p. 22-23)
4 ANÁLISE E DISCUSSÃO
O desenvolvimento de todo processo constante de aprendizado que o LeME
nos proporciona, podemos destacar o recolhimento de bons frutos ao longo desta
caminhada. Um dos Projetos de Aprendizagem utilizado especialmente, conforme o
desejo dos professores vinculados foi à participação de uma turma do Programa em
um concurso Internacional de Pôsteres Estatísticos. Dentro desse concurso, um dos
pôsteres produzidos por um grupo de alunos foi selecionado nacionalmente para
representar o Brasil na etapa mundial.
Na produção dos banners surgiram variados temas de pesquisas, tais como:
carnaval, culturas regionais, religiões, praia do cassino, alimentação saudável,
esporte, música e meio ambiente. Ao observar a elaboração e detalhes, pode-se
notar um grande avanço na aprendizagem da turma, corpus do relato, sendo
destacados pontos que contemplam três dos cinco requisitos para que ocorra o
letramento citados por GAL (2002), estando entre eles: perceber a necessidade dos
dados estatísticos e como ocorre a produção dos mesmos, sendo um fator
decorrente de todo o processo do Projeto de Aprendizagem; a familiarização com a
estatística descritiva, que ocorre em vários pontos das oficinas dando ênfase nas
medidas, média, moda e mediana utilizadas para fazer conclusões no banner; e
proximidade com representações gráficas e tabulares, onde enfatizam a construção
dos gráficos através dos dados coletados na pesquisa e exposto no pôster. Assim
como mostra o resultado de dois, Figura 1 e Figura 2, dos quatro banners
desenvolvidos pela turma corpus:

Figura 1 Figura 2

Fonte: LeME Fonte: LeME (Pôster vencedor)


Com tudo as demais oficinas realizadas, mais especificamente nos Projetos
de Aprendizagem, com os outros cursos são concluídas com a elaboração de uma
apresentação dos resultados obtidos, consistindo na gravação de um vídeo, o qual
chamamos de Jornal Lemecional, que além de contemplar requisitos de GAL (2002)
com gráficos, dados e conclusões obtidas através das análises de suas pesquisa,
posteriormente é realizado uma socialização que visa o meio digital para a
apresentação e divulgação dos mesmos. Destacando assim a interatividade e
interdisciplinaridade dentro do estudo da Estatística, mostrando que há coisas
diferentes e divertidas a serem estudadas. Sendo assim, concretizando fatores
importantes que contemplam o Programa Inserção Cidadã (2012) (email que a
maurem mandou, colocar nas referencias tbm)
Essa nova realidade que está se delineando, impulsionada pelo avanço dos
meios de comunicação, exige dos cidadãos desta era digital capacidade de
sintetizar e analisar uma grande quantidade de dados. Nessa perspectiva, o
Letramento Estatístico torna-se competência essencial. Um sujeito, mesmo
alfabetizado, não fará uma leitura completa na Internet sem o entendimento
da lógica das informações estatísticas que permeiam as notícias. (p. X)

Assim concluindo que o aluno precisa ser levado a perceber a existência dos
mais versáteis dados e, de que forma pode influenciar em certos resultados.
Contudo, essas capacidades não se desenvolvem de um momento para outro. Os
mesmos precisam procurar situações diversas que considerem o desenvolvimento
do pensamento estatístico, como afirma Coutinho e Almouloud (2010).

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Tendo em vista que o conhecimento estatístico é fundamental nesse mundo
de informações, o LeME busca auxiliar os jovens a adquirir conhecimentos para
possibilitar a leitura e interpretação de dados. O Projeto visa proporcionar aos
participantes uma forma díspar de construir o conhecimento estatístico, usufruindo
das tecnologias digitais como meios de aproximar alunos e professores, buscando
com isso maior interação e comunicação ambos, tornando assim o aprendizado
dinâmico, divertido e atrativo. Sendo assim, afirmamos que o ambiente de convívio e
de aprendizagem torna-se agradável onde em geral é um momento oportuno de
apresentar suas ideias.
AGRADECIMENTOS (OPICIONAL)
Agradecemos primeiramente à Universidade Federal do Rio Grande - FURG por
todo apoio proporcionado.
Ao Centro de Convívio dos Meninos do Mar – CCMar por ceder o espaço para o
projeto, além do apoio, confiança e empenho na execução do mesmo.
A Profa. Dra. Mauren Porciúncula Moreira pela oportunidade, dedicação e apoio na
elaboração deste trabalho.
A todos que direta ou indiretamente nos auxiliam, o nosso muito obrigado.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998.

Celi E. ; COUTINHO, Cileda de Q. e S. ; ALMOULOUD, Saddo A. (Orgs.) Estudos e


reflexões em educação estatística. Campinas (SP): Mercado de letras, 2010.

(Fagundes, Maçada e Sato, 1999 p. 24). FAGUNDES, L. C.; SATO, L. S.; MAÇADA,
D. L. (1999) “Aprendizes do futuro: as inovações começaram!”. Brasília: MEC.

GAL, I. Adult’s Statistical literacy: Meanings, Components, Responsabilities. In:


International Statistical Review, 2002.
23.

INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR STATISTICAL. International Statistical


Literacy. Disponível em: <https://iase-web.org/>. Acesso em 15 de maio de 2017.

LEFEVRE, Fernando. LEFEVRE, Cavalcanti. O sujeito coletivo que fala.

MALHOTRA, Naresh. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Quarta


Edição. Porto Alegre: Bookman, 2006.

PINTO, Samá. e SILVA, S. Estatística. Volume 1. Porto Alegre: Samá,2013. p. 16-22.