Você está na página 1de 22

EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

ENTREVISTA E ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO DO


ESTÁGIO II
Nome do (a) aluno (a): ALDA MARIA DE JESUS

Instituição de Ensino/Local do Estágio: Creche Municipal Jose Arlindo


Almeida Dias – Bairro Outro Lado

Estado: Bahia Município: Campo Alegre de Lourdes

Nível/Ano/Turma de estagio e faixa etária dos alunos: Estágio II, Módulo


08, estágio nível ensino infantil/03-04/2009, alunos com idade de 04
anos.

Relato e análises das atividades de entrevistas e observações


realizadas na turma de estágios.

Regente/entrevistada: Sandra Rocha e Teresinha Marques.

ENTREVISTA
Aos 16 dias do mês de março de 2009, na Creche Jose Arlindo Almeida
Dias, foi iniciado o estágio II, entrevistando a professora e sua auxiliar,
as mesmas informaram que usam como motivação cantos,
dramatizações, historinhas, utilizam como material didático: cartazes –
com gravuras de higiene, temas de alfabetização e os numerais;
brinquedos - lápis de cera, quebra-cabeça, emborrachados, massa de
modelar, dominós, os próprios alunos encaixam e trocam em sala de
aula entre os outros grupos, e usam jogos lúdicos e jogos corporais. Os
livros didáticos são utilizados para os professores se orientarem e seguir
o plano de aula, geralmente se utiliza de livros de alfabetização:
português, matemática, história e ciências alem do auxilio da bíblia
sagrada. As aulas de campo são aplicadas sempre no jardim da escola,
principalmente a de ciências e religião, com o caráter de deixar os
alunos mais entrosados com o assunto. Oficinas de aula são organizadas
entre professores e alunos, acontece na própria sala de aula, quando os
alunos trazem a os brinquedos e a professora disponibiliza os brinquedos
da própria creche, já as dramatizações sempre organizadas em datas
comemorativas, como: páscoa, dia do índio, Tiradentes, etc.

Integração e inclusão de alunos – é organizada num âmbito


generalizado, envolvendo e unindo todos os alunos, colocando todos
integrados, ou seja, colocando os que sabem mais juntos com aqueles
que ainda estão lentos em termos de aprendizagem, então, desta
integração é possível realizar debates em rodas de conversas, de forma
a deixar os alunos entrosados com o conteúdo que será aplicado.

Quais são os discursos trabalhados a respeito das diferenças? Etnia – os


recursos que tentamos exercer são de demonstrar para os alunos, que
todas as pessoas são diferentes, possuem costumes, religião e hábitos
diferentes, mas, se nós respeitar todos em harmonia, conseguira um
mundo melhor. Por que na verdade, nenhuma pessoa é inferior a outra;
O gênero – neste ponto, tentamos idealizar para os alunos, que todos
te,m direito de estar participando de forma interativa de tudo que
podemos oferecer a elas, tal como: aulas de recreações entre as
crianças, onde há montagens de brincadeiras, jogos, de uma forma que
haja respeito entre meninos e meninas, diferentes de idade, peso e
tamanho. Por que na verdade todos são cidadãos perante a instituição
de ensino; Raça – realizamos um trabalho que ajuda na conscientização
dos alunos, a entender que todas as raças são dignas de respeito entre
elas, para que haja harmonia entre os povos de diferentes hábitos,
costumes e valores que representa perante a sociedade. Portanto,
independente de raça todos nos temos direitos de ingressar em escolas
e participar de comemorações cívicas.

A prática alicerçada é na teoria do Apriorismo. Baseado em Kant, O


nosso conhecimento provém de duas fontes fundamentais do espírito,
das quais a primeira consiste em receber as representações (a
receptividade das impressões) e a segunda é a capacidade de conhecer
um objeto mediante estas representações (espontaneidade dos
conceitos); pela primeira é nos dado um objeto; pela segunda é pensado
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

em relação com aquela representação (como simples determinação do


espírito). Intuição e conceitos constituem, pois os elementos de todo o
nosso conhecimento, de tal modo que nem conceitos sem intuição que
de qualquer modo lhe corresponda, nem uma intuição sem conceitos
podem dar um conhecimento. Se chamarmos sensibilidade à
receptividade do nosso espírito em receber representações na medida
em que de algum modo é afetado, o entendimento é, em contrapartida,
a capacidade de produzir representações ou a espontaneidade do
conhecimento. (...) Sem a sensibilidade, nenhum objeto nos seria dado;
sem o entendimento, nenhum seria pensado. Pensamentos sem
conteúdo são vazios; intuições sem conceitos são cegas, elo que é
necessário tornar sensíveis os conceitos (isto é, acrescentar-lhes o
objeto na intuição) como tornar compreensíveis as intuições (isto é,
submetê-las aos conceitos).

Visa elaborar sua teoria construtivista sobre o conhecimento. Piaget


defende, energicamente, que não há conhecimentos (conteúdos) inatos
nem estruturas preformadas no sujeito cognoscente - postura anti-
apriorista -; mas também, afirma Piaget, a experiência por si só não
fornece ao sujeito conhecimentos da ordem-lógica matemática (postura
anti-empirista). Os conhecimentos são construídos através da ação do
sujeito cognoscente com o meio e não apenas através do conceito ou
da percepção, o sujeito é caracterizado e analisado como um ser, as
manifestações dos interesses individuais são crucias para a formação de
uma personalidade.
ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO
Escola: Creche Jose Arlindo Almeida Dias

Estagiaria: Alda Maria de Jesus

Regente: Sandra Rocha e Teresinha Marques.

O Estágio de observação é um dos requisitos que compõe o Estágio II,


que é um requisito da faculdade de Pedagogia da ULBRA/EAD. Está
sendo realizada nesta referida creche em Campo Alegre de Lourdes – BA.
Foram observadas na sala da professora e sua auxiliar que leciona no 3°
período, que inclui 24 alunos e os mesmos tem idade geral de 04 anos,
no total de 12 meninos e 12 meninas, sendo observados os seguintes
aspectos: a sala é bastante espaçosa; as cadeiras são de acordo com o
tamanho das crianças, existe uma mesa para a professora se apoiar,
uma lousa, para escrever e chamar os alunos; a iluminação e ventilação
são adequadas; nas paredes existem varais informativos e cartazes
retratando a realidade das crianças, como por exemplo, higiene,
cidadania, as letras do alfabeto, etc.; existe um armário onde as
professoras guardam os seus materiais didáticos e também os trabalhos
dos alunos; existe uma estante, dando a idéia de uma mini-biblioteca, ou
seja, um cantinho de leitura, formado por diversos objetos escolares;
existe uma sala de vídeo para as aulas usando DVDs, onde os alunos
assistem e aprendem ao ver vídeos falando de diversos assuntos,
inclusive os que ensinam os órgãos dos sentidos, entre outros temas,
esta mesma sala é usada para recreação de jogos lúdicos e corporais e
brincadeiras usando o raciocínio, estimulados pelos agentes de
recreação; no auditório da creche são realizadas as dramatizações, o
mesmo serve como refeitório; e no jardim e horta, são realizadas aulas
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

praticas, deixando os alunos mais próximos a realidade.

As professoras são bastante criativas e as mesmas despertam com


muito carinho e atenção as criatividades das crianças. As mesmas se
dedicam em obter em tempo integral o controle e qualidade de sua
classe, trazem as aulas prontas por meio de planejamento, organizam
cartazes, lousa, e as carteiras em ciclo, que tem como objetivo propiciar
uma maior interação entre os alunos com o debate, e não permitir que
conversas descaracterizem o assunto abordado.

As professoras iniciam as aulas as 07h30min h da manha, com as


seguintes atividades: colocam as crianças todas em filas para tomar
café e cantarem uma saudação – bom dia! Logo após aplica um assunto
de português – vogais – aplicação da voga a, usando como motivação o
canto: cara redondinha, e explorando bem o canto, após esta atividade,
os alunos foram chamados para escreverem na lousa a letrinha a, logo
após distribuiu uma atividade quando os alunos terminaram a tarefa do
quadro negro. Após isso os alunos foram encaminhados para a refeição,
e para o parquinho em seguida foram para o banho e às 11h00minh,
foram para o almoço, no termino, às 11h40min, como de costume,
foram dormir.

Na aula seguinte as mesmas professoras abordaram novamente a vogal


com gravuras e outros materiais enriquecidos. Foi observado que essas
crianças curiosas e espontâneas faziam muitas atividades na lousa,
coordenadas pelas professoras, assim despertando a curiosidades das
mesmas.

Na quarta-feira (25/03/2009), elas explicitam a letrinha (a) minúscula e


maiúscula (A), chamando sempre as crianças na lousa para escrever as
duas letrinhas, dizendo para as mesmas onde era mais usada a letrinha
maiúscula.

Na quinta-feira, as mesmas professoras revisaram as duas letrinhas


explicadas no dia anterior, já explorando com palavras escritas na lousa.
Na sexta feira, a regente muito satisfeita com a aprendizagem das
crianças, abordou um tema de religião – o filho próspero, usando como
motivação: gravuras com desenhos religiosos e a própria bíblia, depois
que a professora e a auxiliar convencendo as crianças sobre a palavra
de Deus, passa uma atividade para os alunos, após a atividade, as
11h00minh levam os mesmos para o almoço, às 11h40min colocam eles
para dormir.

Portanto, é possível comentar que as professoras estavam


comprometidas com a aprendizagem dos alunos, exploram o assunto de
forma, a deixá-los bem aprendizados dos conteúdos inseridos em sala
de aula.

O objetivo deste estágio é de enriquecer os nossos conhecimentos e


compreensão do papel docente dentro da sala de aula, de forma que o
mesmo possa vim contribuir para a nossa realidade.
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL – ULBRA


LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA.

Tema: Órgãos dos Sentidos

PROJETO DE DOCÊNCIA DO ESTAGIO II

Alda Maria de Jesus


CAMPO ALEGRE DE LOURDES – BA, MARÇO 2009

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL – ULBRA


LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA.

Tema: Órgãos dos Sentidos


PROJETO DE DOCÊNCIA DO ESTAGIO II

ALUNA: ALDA MARIA DE JESUS

ORIENTADOR: EVERALDO MENDES DOS SANTOS

PROJETO DE DOCÊNCIA

DO ESTAGIO II DO MODULO 08

DO CURSO DE PEDAGOGIA.

CAMPO ALEGRE DE LOURDES – BA, MARÇO 2009


EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

Titulo do projeto - ÓRGÃOS DOS SENTIDOS


Subtítulo – AS FUNÇÕES DO NOSSO SISTEMA
SENSÍVEL

01 – JUSTIFICATIVAS
Durante muito tempo as creches, Pré-Escolas ou Jardim de Infâncias
foram considerados locais para deixar a criança com alguém de
segurança para os pais poderem exercer seus trabalhos, ou, no máximo,
um local para brincar. Hoje sabemos a importância e o papel
pedagógico, educativo, social desta fase da criança.
Pesquisas demonstram que quando a escola é um ambiente altamente
estimulante, onde possam ter como se explorar, imitar, olhar, escutar,
expressar-se através de sua fala e em contato com crianças da mesma
faixa etária, tendo a professora como facilitadora e orientadora, as
crianças com menos de 06 anos desenvolvem sua inteligência de forma
surpreendente.
A nós educadores cabe propiciar atividades diversificadas e criar
ambientes educativos cada vez mais ricos e desafiadores.

Baseado no livro alegria de saber (PASSOS, Lucina Maria Marinho), o


projeto órgãos dos sentidos será desenvolvido na Creche Municipal Jose
Arlindo Almeida Dias na cidade de Campo Alegre de Lourdes – BA, numa
sala composta de 26 alunos, dividida por 13 meninos e 13 meninas de
idade com media geral de 04 anos. Notando as crianças necessitam de
conhecimentos, foi resolvido realizar esse projeto para que as crianças
tenham mais conhecimentos sobre os órgãos dos sentidos, para
formular este projeto que tem como finalidade de construir junto com as
crianças, para que as mesmas tenham conhecimentos, para que as
mesmas tenham noções e sintam e conheçam as partes de seu corpo, e
fazendo distinção dos órgãos dos sentidos.

02 - OBJETIVOS GERAIS

• Identificar todas as partes do corpo;

• Conhecer as partes do corpo;

• Reconhecer os sentidos;

• Identificar e diferenciar as partes do próprio corpo com as partes


do corpo dos amigos;

• Vestir-se e desvestir-se sozinhos.

• Fazer com que eles distingam a audição, visão, olfato, paladar e


tato;

Objetivos específicos

• Estimular as crianças a: rolarem, agarrarem, engatilharem,


distinguir os sentidos e andar em equilíbrio de um só pé;

• Andar sobre as linhas, trabalhando assim atividades de


psicomotricidade;

• Estimular a socialização;

• Estimular as crianças a explorar todos os sentidos de forma


abrangente.
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

03 - CONTEÚDOS

• Órgãos dos sentidos

• As partes do copo

• Os órgãos internos do corpo;

• Desenhar e pintar os órgãos dos sentidos;

• Dramatizações;

• Salada de letras;

• Teatro;

• Montagem de quebra-cabeça com desenho do corpo humano;

• Construir em desenho algumas partes dos órgãos dos sentidos.


04 – METODOLOGIA

• Envolver a ludicidade;

• Aplicação do projeto introduzindo e explorando na


aplicação de cada aula que abordará temas interessantes
para o enriquecimento de aprendizagem;

• Dramatizações – orientando as mesmas com detalhes;

• Conversas formais e informais;

• Buscar informações em outros livros didáticos para


enriquecimento da aprendizagem.

Baseado em Kant, O nosso conhecimento provém de duas fontes


fundamentais do espírito, das quais a primeira consiste em receber as
representações (a receptividade das impressões) e a segunda é a
capacidade de conhecer um objeto mediante estas representações
(espontaneidade dos conceitos); pela primeira é nos dado um objeto;
pela segunda é pensado em relação com aquela representação (como
simples determinação do espírito). Intuição e conceitos constituem, pois
os elementos de todo o nosso conhecimento, de tal modo que nem
conceitos sem intuição que de qualquer modo lhe corresponda, nem
uma intuição sem conceitos podem dar um conhecimento. Se
chamarmos sensibilidade à receptividade do nosso espírito em receber
representações na medida em que de algum modo é afetado, o
entendimento é, em contrapartida, a capacidade de produzir
representações ou a espontaneidade do conhecimento. (...) Sem a
sensibilidade, nenhum objeto nos seria dado; sem o entendimento,
nenhum seria pensado. Pensamentos sem conteúdo são vazios;
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

intuições sem conceitos são cegas, elo que é necessário tornar sensíveis
os conceitos (isto é, acrescentar-lhes o objeto na intuição) como tornar
compreensíveis as intuições (isto é, submetê-las aos conceitos).

Piaget defende, energicamente, que não há conhecimentos (conteúdos)


inatos nem estruturas preformadas no sujeito cognoscente - postura
anti-apriorista -; mas também, afirma Piaget, a experiência por si só não
fornece ao sujeito conhecimentos da ordem-lógica matemática (postura
anti-empirista). Os conhecimentos são construídos através da ação do
sujeito cognoscente com o meio e não apenas através do conceito ou
da percepção, o sujeito é caracterizado e analisado como um ser, as
manifestações dos interesses individuais são crucias para a formação de
uma personalidade.
05 – AVALIAÇÃO
• O professor deve propiciar avaliações diversas de
Psicomotricidade;

• Será feita em coletividade, oral e escrita, colagens, pintura,


quebra-cabeça;

• Leitura individual e em grupo, conversa formal e informal, com a


participação dos alunos;

• Trabalhar atividades interdisciplinares.


EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

• ALMEIDA, Theodora Ma. . Mendes. Quem canta seus males

espantam: coletânea. c/DVD. 2001. ED. CARAMELO, 2000, 84

pags. ISBN 8573400684

• Isabella Carpaneda & Angiolina D. Bragança: Porta Aberta para

Matemática - Alfabetização, Ed. FTD, vol. 1, São Paulo, 2003, 248

pag.

• Isabella Carpaneda & Angiolina Bragança: Porta Aberta

Alfabetização - Língua Portuguesa – Atividades, Ed. FTD, vol.

1, São Paulo, 2003, 160 pag.

• MACHADO, Ana Maria. Tapete mágico, quatro historias de

diferentes países. São Paulo 2003.: Ed. Ática ISBN: 8508087489.

• PASSOS, Lucina Maria Marinho: Alegria de Saber: Estudos Sociais

e Ciências - Vol. 2, Editora SCIPIONE, ISBN: 8526248413, 96 pag.

• Piaget, J.(1994) O juízo moral na criança. São Paulo : Martins

Fontes,[1932].

• Regina Azenha Bonjorno, José Roberto Bonjorno: Pode contar

comigo - Matemática - 1ª - CO – Novo. Ed. FTD, SÃO PAULO, 2003,


280 pag., ISBN: 8532247881

• http://74.125.45.132/search?q=cache:xQfePuF_FukJ:pepsic.bvs-
psi.org.br/scielo.php%3Fscript%3Dsci_arttext%26pid%3DS1414-
98931999000300002%26lng%3Dpt%26nrm%3Diso+apriorismo+fi
nalidade&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br data: 10/03/2009 as
22:32 h

PLANILHA DE REGISTROS DE ATIVIDADES DO


ESTÁGIO II
NOME DO ALUNO: ALDA MARIA DE JESUS

INSTITUIÇÃO DO ENSINO LOCAL DO ESTAGIO: CRECHE MUNICIPAL JOSE


ARLINDO ALMEIDA DIAS

ESTADO: BAHIA MUNICIPIO: CAMPO ALEGRE DE LOURDES

NIVEL: 01 ANO: 2009 TURMAS DE ESTAGIO

FAIXA ETARIA DOS ALUNOS: 04 ANOS

RELATO E ANALISES DAS ATIVIDADES SEMANAIS DE DOCENCIA

Atividades realizadas na semana, nos períodos de 23/03/2009 a


27/03/2009.

As atividades realizadas durante esses períodos envolveram as


disciplinas: Português – foi desenvolvido o assunto as vogais – a letra a,
como incentivo foi usado o canto: cara redondinha – foram exploradas as
palavras que compusera este canto, extraindo a vogal a, logo após foi
escrito os cinco órgãos dos sentidos na lousa, falando da importância
dos mesmos, foi pedido que os alunos apontassem a letrinha a que
existia em cada palavra dos sentidos. Houve uma atividade, com o
objetivo de avaliar o assunto dado através do exercício salada de letras,
retirando as palavras que começavam com a letrinha a;

Matemática – foram trabalhado com os números naturais 0 e 1, e como


incentivo, foi cantado o canto, Mariana conta um, explorando o mesmo,
e foi pedido que os alunos citassem um órgão do sentido que existe em
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

nosso corpo, e foi avaliado com uma atividade, pedindo que os alunos
cobrissem os números 0 e 1;

História – foi contada uma historinha infantil, como tema Chapeuzinho


Vermelho, a mesma foi explorada, conscientizando cada um sobre os
personagens, e o autor da mesma, e relembrei para eles, qual a
finalidade de cada órgão, como por exemplo: o ouvido, os olhos, o nariz
da vovozinha. A atividade foi aplicada através de pinturas e colagens de
desenhos;

Ciências – foi abordado o tema: os órgãos dos sentidos e usou-se como


incentivo um canto – se você quiser saber! Explorando o mesmo, e
trabalhou-se com varias gravuras ilustrativas, a avaliação foi através de
pinturas e colagens de desenhos;

Religião: abordei o tema - As coisas que Deus criou – o incentivo foi


através de um passeio campal, observando as coisas criadas por Deus,
pedindo que as crianças levassem algumas coisas para dentro da sala
de aula, com objetivo de serem refletidas. Houve a reflexão também
sobre a humanidade com o seu papel com a natureza. A avaliação foi
aplicada por colagem e pinturas.

PLANILHA DE REGISTROS DE ATIVIDADES DO ESTÁGIO II


NOME DO ALUNO: ALDA MARIA DE JESUS

INSTITUIÇÃO DO ENSINO LOCAL DO ESTAGIO: CRECHE MUNICIPAL JOSE


ARLINDO ALMEIDA DIAS

ESTADO: BAHIA MUNICIPIO: CAMPO ALEGRE DE LOURDES

NIVEL: 01 ANO: 2009 TURMAS DE ESTAGIO

FAIXA ETARIA DOS ALUNOS: 04 ANOS

RELATO E ANALISES DAS ATIVIDADES SEMANAIS DE DOCENCIA

Atividades realizadas na semana, nos períodos de 30/04/2009 a


03/04/2009.

As atividades desenvolvidas durante esses períodos envolveram as


disciplinas de: português – houve a revisão do tema: a vogal a, foi usado
como motivação o canto – somos cinco amiguinhos – explorando o
mesmo, e sempre chamando o aluno a lousa para escrever a letrinha a e
um órgão dos sentidos que começam com a letrinha a;

Matemática – revisão dos números naturais - de 0 (zero) a 1 (um), foi


usado como estimulo o canto - mamãe cadelinha – usando o mesmo
como fonte de riqueza didática, foi explorado gravuras dos órgãos dos
sentidos, pedindo que os alunos falassem qual a quantidade dos nossos
órgãos, e qual o órgão que se apresenta de um (único – sem repetir), em
nosso corpo.

História – o tema foi: o dia da merendeira, e como motivação,


entrevistamos a própria merendeira da escola, cada aluno fazia sua
própria pergunta, e as respostas foram satisfatórias;

Ciências – foi revisado o assunto da aula anterior sobre os órgãos dos


sentidos, como incentivo, foi usado gravuras dos órgãos dos sentidos,
explorei os mesmos, pedindo que cada criança apontasse a letrinha a
que existia e cada palavra, e que descobrissem quantas são as letrinhas
que formavam cada palavra, e como atividade houve pinturas e
colagem;

Religião: foi abordado o tema – o filho pródigo, e foi usado como


incentivo a exploração das gravuras dos mesmos fazendo que as
crianças descobrissem também nas figuras os órgãos dos sentidos dos
mesmos, foi utilizado como avaliação, perguntas orais, e pinturas dos
desenhos que representavam os mesmos (o filho pródigo).

PLANILHA DE REGISTROS DE ATIVIDADES DO


ESTÁGIO II
NOME DO ALUNO: ALDA MARIA DE JESUS

INSTITUIÇÃO DO ENSINO LOCAL DO ESTAGIO: CRECHE MUNICIPAL JOSE


ARLINDO ALMEIDA DIAS

ESTADO: BAHIA MUNICIPIO: CAMPO ALEGRE DE LOURDES

NIVEL: 01 ANO: 2009 TURMAS DE ESTAGIO

FAIXA ETARIA DOS ALUNOS: 04 ANOS


EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

RELATO E ANALISES DAS ATIVIDADES SEMANAIS DE DOCENCIA

Atividades realizadas na semana, nos períodos de 06/04/2009 a


14/04/2009.

As atividades desenvolvidas durante esses períodos envolveram as


disciplinas de: português – tema: as vogais a – e – i - o- u. Foi usado com
incentivo o canto – a musica das vogais, foi explorado a mesmo,
chamando os alunos na lousa para escrever as letrinhas a – e - i – o - u.
Foi escrito o nome dos órgãos dos sentidos, pedindo que os alunos
apontassem nas palavras escritas, as letrinhas a – e – i – o – u. Essa aula
foi avaliada com uma salada de letras.

Matemática – foi trabalhado com os números 2 e 3, foi usado como


incentivo o canto – mamãe cadelinha – esse mesmo canto foi explorado
durante a aula, chamando os alunos na lousa para escrever o numero 2
e 3, foi escrito novamente os nomes dos órgãos dos sentidos na lousa e
foi pedido que os alunos contassem as letrinhas de cada um. A aula foi
avaliada com uma atividade individual, pedindo que os alunos cobrissem
os números 2 e 3.

História – palestra com o professor Herberti Carvalho Batista, que


palestrou sobre a páscoa, a mesma foi explorada na sala de aula,
conscientizando cada aluno sobre a importância da páscoa. Foi usado
como incentivo o canto – de olho vermelho – sempre relembrando as
crianças sobre os órgãos dos sentidos e as finalidades dos mesmos.
Avaliação – pinturas dos símbolos da páscoa.
RELATÓRIO FINAL
Nome do (a) aluno (a): Alda Maria de Jesus

Instituição de Ensino/Local do Estágio: Creche Municipal Jose Arlindo


Almeida Dias – Bairro Outro Lado

Estado: Bahia Município: Campo Alegre de Lourdes

Nível/Ano/Turma de estagio e faixa etária dos alunos: Estágio II,


Módulo 08, estágio nível ensino infantil/03-04/2009, alunos com
idade de 04 anos.

Perante o estágio II, na Creche Municipal Jose Arlindo Almeida Dias. É


possível afirmar que o projeto pedagógico – ÓRGÃOS DOS SENTIDOS - foi
bem absorvido pelos alunos daquela turma, pois os objetivos propostos
foram alcançados e os resultados foram obtidos de forma positivo,
através de avaliações, esse resultado só foi possível graças à troca de
conhecimentos entre professor/estagiário e alunos daquela classe,
resultando na aprendizagem dos alunos, fortalecimento pedagógico para
aquela creche e desenvolvimento profissional para o estagiário.

Os alunos ficaram muito contentes durante o desenvolvimento do


projeto, estavam muito satisfeitos quando nos aplicávamos o assunto
EDITADO POR: JAMES PEREIRA DOS SANTOS

relacionado com os nossos sentidos, se preocupavam muito em saber


qual era a função do tato, olfato, visão, paladar e audição. Sempre
faziam as atividades e avaliações com o maior interesse e satisfação.

A prática alicerçada foi na teoria do Apriorismo. Baseado em Piaget e


Kant, e o mesmo se refere, que o nosso conhecimento provém de duas
fontes fundamentais do espírito, das quais a primeira consiste em
receber as representações (a receptividade das impressões) e a segunda
é a capacidade de conhecer um objeto mediante estas representações
(espontaneidade dos conceitos). Com base em Piaget, que afirma que os
conhecimentos são construídos através da ação do sujeito cognoscente
com o meio e não apenas através do conceito ou da percepção, o sujeito
é caracterizado e analisado como um ser, as manifestações dos
interesses individuais são crucias para a formação de uma
personalidade.

A execução do projeto foi por meio da transversalidade das disciplinas e


no conteúdo que estava em projeto pedagógico. Demonstramos que na
creche com ambiente altamente estimulante propiciando a exploração
dos sentidos: imitar, olhar, escutar, expressar-se através de sua fala e
em contato com crianças da mesma faixa etária, tendo a professora
como facilitadora de aprendizagem de alunos com idade de 04 anos,
que desenvolveram sua inteligência de forma surpreendente durante o
referido estágio. Portanto, é possível comentar que as professoras eram
comprometidas com a aprendizagem dos alunos, exploram o assunto de
forma, a deixá-los bem aprendizados dos conteúdos inseridos em sala
de aula.

Aos 14 de abril de 2009, por volta das 10h00min foi finalizado o estagio
II na creche municipal Jose Arlindo Almeida Dias, na sala da professora e
sua auxiliar. Foi encerrado com uma dramatização sobre os órgãos dos
sentidos, onde as crianças participaram com muito entusiasmo. Posso
relatar consciente que o meu trabalho foi bem desenvolvido e
enriqueceu bastante a aprendizagem dos alunos e os meus
conhecimentos, foi adquirido mais experiência para trabalhar com
crianças em series infantis, foi um estagio muito proveitoso, no qual
professores, auxiliares e diretoras estavam presentes no encerramento e
as mesmas me agradeceram de forma a desejar mais sucesso para
minha carreira.