P. 1
RELATORIO DE ESTAGIO - TECNICO AGRICOLA - ZOOTECNIA

RELATORIO DE ESTAGIO - TECNICO AGRICOLA - ZOOTECNIA

|Views: 13.388|Likes:
Publicado porjames_jps8979
RELATORIO DE ESTÁGIO TECNICO AGRÍCOLA EM ZOOTECNIA. 2000 - PRATICAS REALIZADAS.
RELATORIO DE ESTÁGIO TECNICO AGRÍCOLA EM ZOOTECNIA. 2000 - PRATICAS REALIZADAS.

More info:

Published by: james_jps8979 on Jun 04, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/16/2013

pdf

text

original

SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNONOLÓGICA ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE CATU-BA DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL CORDENADORIA GERAL DE ENSINO CIEC

- CORDENADORIA DE INTEGRAÇÃO ESC. COMUNIDADE

ades desenvolvidas no Centro Federal De Ensino T?cnico(CEFET) de Petrolina-PE constituind

MÓDULO DE PRODUÇÃO

JAMES PEREIRA DOS SANTOS Catu, 22 de março de 2001 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNONOLÓGICA ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE CATU-BA DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL CORDENADORIA GERAL DE ENSINO CIEC- CORDENADORIA DE INTEGRAÇÃO ESC. COMUNIDADE

RELATÓRIO

DE ESTÁGIO
JAMES PEREIRA DOS SANTOS

CEFET- PETROLINA 03 DE JANEIRO A 09 DE FEVEREIRO DE 2001 PETROLINA-PE

ÍNDICE

1- INTRODUÇÃO/ CARACTERIZAÇÃO...........................05 2- JUSTIFICATIVA................................................................06 3- OBJETIVO.........................................................................07 4- CONTEÚDO......................................................................08 5- PROC. TÉCNICO PEDAGÓGICO....................................10 6- CONCLUSÃO....................................................................17 7- AGRADECIMENTOS........................................................18 8- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...............................19 9- ANEXO...............................................................................20 10- LEMBRETES...................................................................24

05 1-INTRODUÇÃO/CARACTERIZAÇÃO

Realizado no CEFET de Petrolina-(PE) , estágio este com a meta de realizar “300h” no mínimo no período de 03 de janeiro a 09 de fevereiro de 2001. A Escola Agrotécnica Federal Dom Avelar Brandão Vilela foi fundada em 1988 (no município de Petrolina - PE), na gestão do presidente José Sarney e através de forças maiores do prefeito da cidade (Osvaldo Coelho). Somente em 1999 passou a ser CEFET de reconhecimento do Ministério da Educação. Está localizado no km 022 da rodovia 235 que liga Petrolina(PE) a Remanso(BA). Sua fundamentação é de ensino voltado para as áreas de Agricultura, Agroindústria e z Zootecnia, nesta é adotado os seguintes setores: bovinocultura, suinocultura, caprino, ovinos, apicultura, cunicultura e avicultura(corte e postura).

06 2-JUSTIFICATIVA
O explicativo de realizar o estágio foi de consumar todo o assunto que foi explorado perante o curso e expor em prática o aprendizado para que o indivíduo conclua o curso com experiência no ramo e porque é uma exigência da EAF -Catu (BA) .

07

3-OBJETIVO

A idéia principal de estagiar é de desenvolver tarefas no campo que irá ser aproveitada para o desenvolver técnico , daí com o conhecimento teórico é preciso transformar em prática , pois com o subsídio que foi oferecido no estágio, pois somos capazes para a concorrência de empregos , desempenhar situações quaisquer numa gerência de empregos.

17

08 4- CONTEÚDO
5.1- AVICULTURA DE CORTE ATIVIDADES ROTINEIRA • • • • • MANEJO NA FASE PRÉ-INICIAL MANEJO NA FASE INICIAL MANEJO NA FASE CRESCIMENTO MANEJO NA FASE FINAL UMIDADE NA CAMA 10 10 11 11 11

• •

ILUMINAÇÃO LIMPEZA EXTERNA

11 12

ATIVIDADES DIVERSIFICADAS • • • • • • CONTROLE ZOOTÉCNICO PREPARAÇÃO DO GALPÃO PARA RECEPÇÃO DE PINTOS AQUISIÇÃO DE MARAVALHA ARMAZENAMENTO DE RAÇÃO RECEPÇÃO DE PINTOS PESAGEM DE PINTOS 12 12 12 12 12 13

5.2- AVICULTURA- POSTURA ATIVIDADES ROTINEIRA • • • • • • • ARRAÇOAMENTO REMOVER RAÇÃO COLETA DE OVOS CLASSIFICAÇÃO DOS OVOS ILUMINAÇÃO MORTALIDADE LIMPEZA EXTERNA E INTERNA 13 13 13. 13 13 13 14

ATIVIDADES DIVERSIFICADA • • • PULVERIZAÇÃO LIMPEZA DOS COMEDOUROS LIMPEZA DA CAIXA D’ ÁGUA 14 14 14

5.3 – CUNICULTURA ATIVIDADES ROTINEIRAS • LIMPEZA DA CALHA 14

• • • • •

ARRAÇOAMENTO ABASTECIMENTO DE ÁGUA LIMPEZA EXTERNA E INTERNA

14 14 15

ATIVIDADES DIVERSIFICADAS APLICAÇÀO DE REPELENTES APLICAÇÀO DE SARNICIDA 15 15

5.4 SUINOCULTURA ATIVIDADES ROTINEIRAS • • • • • ARRAÇOAMENTO COLETA DAS FEZES LAVAGEM DAS BAIAS LAVAGEM DA MATERNIDADE APLICAÇÀO DE REPELENTE 15 15 15 16 16

ATIVIDADES DIVERSIFICADAS • • • VERMIGAÇÃO ORAL VERMIFUGAÇÃO INJETÁVEL CASTRAÇÃO -------------16 16 16

10

5- PROCEDIMENTOS TÉCNICO PEDAGÓGICO
Linhagem: “RUBBARDH-Y ‘ 5.1Avicultura de corte: Apresentação dos galpões de corte O Aviário situa-se numa região inclinada, propícia para a cultura, com 8 galpões para frango de corte com espaçamento de 30m distante um do outro, existem 7X14m de comprimento e 4m de altura de base, construído de bloco e telha de cerâmica. Cada galpão tem capacidade para 1000 frangos de corte com densidade aproximada de 10 aves/m2. Onde há finalidade é o abate com 45 dias. Atividades rotineiras MANEJO NA FASE PRÉ-INICIAL (01-07 DIAS): Com o recurso de 1.000 pintos, foi preciso que as cortinas estivessem colocadas em toda as laterais do galpão para as aves, já que precisam de calor e também foram protegidos por dois círculos de proteção, onde havia existência de maravalha espalhada com espessura de 08 cm de altura e também há cada 1campânula foi favorável para o aquecimento de 1000 pintos acesa 24 h durante até o seu sétimo dia de vida . O manejo foi em torno de observações durante todo dia no lote dos pintinhos, sendo também feito o abastecimento de água em bebedouros tubulares térreo, também foi fornecida com vitaminas e antibióticos para o desempenho de carcaça e maior resistência as doenças. A bandeja(térreo). MANEJO NA FASE INICIAL(08-21 DIAS) ração foi abastecida em Comedouro tipo Objetivo: abate aos 45 dias.

Após 10 dias foi espalhada a maravalha a 1/3 do galpão, em seguida fez a ampliação placa de proteção, cercando a área onde os pintos irá se abranger. Pois os comedouros e bebedouros foram aumentando a cada semana a quantidade de peças sendo que o n.º era 2 vez maior que o n.º de bebedouro proporcionalmente de um comedouro para um bebedouro, bem como a quantidade de água e ração que era distribuída de forma crescente até 100kg de ração/dia(inicial) para 1000 frangos aproximadamente nesta fase. Compreendido entre o 8.º ao 21º dia de vida dos pintos, Fase também que ocorreu canibalismo, fenômeno quando as aves picam uma as outras nas costas até iniciar uma hemorragia que pode determinar a morte da ave. As causas de canibalismo são: super lotação (acima de 10 aves/m2), calor excessivo, falta de ração, rações deficientes em aminoácidos, minerais ou sal e mal empenamento. Este problema foi resolvido em etapas com a aplicação do repelente, retirando as aves feridas do cercado(placa de proteção) e aumentando a quantidade da ração . Observação: houve mortalidade representante de quase 7% pintinhos, aonde o milho foi o ingrediente acusado por conter uma quantidade superior de carrapicho, por conta disso os pintos ficaram com seu sistema digestivo altamente agravado e por isso morreram vários pintos.

11 MANEJO NA FASE DE CRESCIMENTO: Foi iniciado ao 22º dia de vida da ave. O espaço ocupado foi a metade do galpão , onde o n.º de bebedouro e comedouro aéreo(tubular) foi aumentando proporcionalmente e seu ajuste foi de acordo com a altura de 5 cm acima do dorso lombar da ave, assim aumentando o nível da água na borda do bebedouro. Em um galpão em crescimento foi colocado 100kg de ração (Crescimento) em 1/3 do comedouro diariamente para 1000 frangos, quanto aos bebedouros foram lavados diariamente com bucha e água corrente, para não ocorrer a proliferação de microorganismo que danificaria a saúde da ave, via oral.. Esta fase também tinha incidência de cama molhada ou muito úmida onde seria retirado para não ocorrer

doenças que comprometeria a saúde da ave, sendo substituída e levada para muito longe do aviário, tinha a finalidade . Um fato importante é a encomendação da ração de crescimento em toda esta fase. A mortalidade representou menos de 1% do rebanho, pois quando havia animal morto no plantél era retirado para que não houvesse focos de doença sendo os cadáveres enterrados longe do galpão. MANEJO NA FASE FINAL: foi a fase de preparação da ave para o abate, pois o galpão estaria 100% liberado, porque os frangos estariam grandes e com precisão de espaço, os bebedouros e comedouros estariam ajustados ao seu dorso, aos 37 dias foi aplicado a ração final, na base decrescente de 100kg, pois iria diminuindo com a captura parcial de frangos exigido pelo abatedouro. A mortalidade encontrava-se por o fator de umidade na cama ou estresse, quando mortas tiradas do galpão e em seguida enterradas, a mortalidade não chegava a representar 1% do lote. Quando o lote foi 100% retirado(abatido) foi preciso retirar toda a cama e colocar distante de mais ou menos 5km de distância do aviário para que não ocorresse possíveis proliferação de doença no local e ainda lavar e guardar os equipamentos e ficando o galpão em vazio sanitário com duração de 18 dias. UMIDADE NA CAMA: Foi verificado diariamente quando havia cama molhada ou úmida com excesso, foi preciso retirar e substituir. Materiais: • • Pá; carro de mão.

Este material retirado(cama molhada) era colocado distante dos galpões, se não fosse retirado havia possibilidade de que poderia prejudicar a respiração das aves e levá-las a morte. ILUMINAÇÃO : Em fase iniciante foi preciso que tenha a campânula ligada 24h até o 7.º dia em médio e lâmpadas durante toda noite, com o objetivo de fonte de calor, nas outras fases somente das 18 ás 06h da manhã com finalidade que as aves consumam a ração restante.

12 LIMPEZA EXTERNA-(UTILIZANDO VASSOURA) Foi realizado diariamente para que o local sempre limpo. Atividades diversificadas CONTROLE ZOOTÉCNICO: obtinha objetivo de organizar a situação técnica para que controlasse o plantel afim de identificar problemas e determinar suas causas, onde tenha finalidade principal de sobreviver e procurar a diminuir custo e aumentar a produção, em conseqüência em lucro. Entre os mais importante estão: 1-mortalidade; 2-quantidade de ração consumida; 3-entrada e saída de materiais(medicamentos e limpeza). 4-observações. PREPARAÇÃO DO GALPÃO PARA RECEPÇÃO DE PINTOS: É o primeiro passo após a retirada da maravalha velha( do lote anterior), foi preciso deixar o galpão em vazio sanitário onde lavado com produtos químicos como; formol e creolina ou sabões, quando secava seria montadas as instalações necessárias, como montagem de círculo de proteção , reparação de cortinas, solicitação de maravalha , bebedouro e comedouro(ambos térreos) e ainda a solicitação de ração. obteve como objetivo organizar o galpão para o próximo lote. REQUISIÇÃO DE MARAVALHA(MATERIAL DE CAMA): Programada para ser realizada antes da necessidade era obtida através de serrarias. Pois foi a cama de frangos onde iria obter proteção do piso frio e úmido. exterior do galpão ficasse conservado

Materiais: • • Pá; Sacos nylon;

• •

Transporte Gandanho (garfo)

ARMAZENAMENTO DE RAÇÃO(DEPÓSITO DO GALPÃO) Foram armazenados em estrados e afastados das paredes para que também não ocorresse contato com o piso, que poderia ocorrer rancificações, assim prejudicaria a ração. RECEPÇÃO DE PINTOS: Feito no 1.º dia de vida dos pintos , foram recebidos já com as instalações (círculo de proteção e maravalha) e equipamentos(campânulas a gás ou eletricidade e ainda comedouro e bebedouro nos seus devidos lugares na seqüência 1:1 do tipo tubular térreo)quando foram para dentro do círculo de proteção, antes foi preciso preparar a solução de água com açúcar e colocar nos seus bicos ensinando a um a beber em seguida os outros iriam através dos que foram ensinados. Observação: não foi preciso vaciná-los porque não são castigados de doenças contagiosas e porém, já são vacinados em laboratório contra gumboro. o fato de recepcioná-los é de ambientá-los num local que seria adequado para seu manejo e até a finalidade comercial. 13 PESAGEM DOS PINTOS: Foram pesados pintos de 20 dias de vida, para verificar o nível de conversão alimentar que deveria atender a exigência recomendada. Portanto, coletou-se uma amostra de 10 pintos e pesou juntamente com a grade. O peso da grade foi descontado em relação ao peso dos pintos, sendo o peso médio de 500g/ pinto.

5.2 Avicultura- postura
Características: Linhagem: “IZA BROWN” Período Produtivo: 22.º A 82.ºSemana De Vida

Sistema Intensivo: Gaiolas Atividades rotineiras ARRAÇOAMENTO:

Individuais (Bateria)

Realizado no período da manhã diariamente, foram distribuído 100kg de ração nos comedouros lineares, onde havia existência de 770 poedeiras, deveriam consumir 120g diariamente, deste consumo produz ovos até com 60g, significando o retorno com 50% em produtividade. Material: balde, para fazer a distribuição da ração. REMOVER RAÇÃO: Como o comedouro era do tipo linear, foi preciso remover a ração dos cantos para o meio, manualmente, fazendo promover a estimulação do consumo ideal de ração. ILUMINAÇÃO: Casualmente as aves não dispõe de visão aprimorada, á noite não conseguem enxergar a ração, foi preciso fazer o programa de luz no plantel, que no qual, é das 18 ás 06h da manhã, isto fez esclarecer, aquecer o ambiente e estimular as aves a consumir mais e produzir mais com facilidade. COLETA DOS OVOS: Realizado diariamente onde a média de placas de ovos/ galpão de 770 poedeiras é de produção de 20 placas de ovos ou mesmo 600 ovos diariamente em média, pois a coleta tem objetivo de vender a produção diária. CLASSIFICAÇÃO DOS OVOS: Foram classificados para que não estraguem quando transportados, são selecionados em pequeno, médio e grande através de selecionadores, tem como finalidade vende-los por preços diferentes. MORTALIDADE: No período estagiado a mortalidade das poedeiras foi quase 0% em representação do

plantel. Pois quando existiam mortes seriam por causa do fator nutricional da ração ou doenças como coccidiose ou bouba e por baixa produtividade o piolho ou estes citados acima. Quando havia casos de cadáveres foram enterrados e queimados. 14 LIMPEZA EXTERNA E INTERNA: Realizada todos os dias dentro e fora do galpão na parte das calçadas., utilizando vassouras, assim eram varrida a área diariamente. Atividades diversificadas PULVERIZAÇÃO: Combate a piolhos com a solução de piolhicida preparado com 0,5 ml(triatox)para cada 5L de água, utilizando máscara de proteção. Pulverizou-se as poedeiras até que elas estivessem molhadas. Tem venha diminuir a produção. LIMPEZA DOS COMEDOUROS: Quando havia um grande n.º de rações fermentadas no comedouro linear, daí as galinhas recusavam a ingerir a ração, pois foi preciso fazer a limpeza do comedouro retirando todo o resto e colocando em sacos. A partir disso a ração iria obter mais palatabilidade e menor prejuízo com a alimentação. LAVAGEM DA CAIXA D’ ÁGUA: Realizado quando estava com sujeira excessiva e impedindo a passagem da água para os bebedouros automáticos, sendo feita a lavagem de esgotamento, colocando o esgosto que caia em um balde e após isso, enxaguava e fechava a caixa. Pois seria possível e eficaz o aproveitamento da água e medicamentos aplicado nas aves via oral. 3.4 –CUNICULTURA CALIFÓRNIA- NOVA ZEILÂNDIA- BORBOLETA- CHINCHILA como objetivo o combate de piolhos para que não

Atividades rotineiras LAVAGEM DA CALHA: Retirava-se as fezes usando uma vassoura e em seguida coletava-se os detritos e seguida colocava no lixeiro. Tinha dias que era lavada com água e depois aplicava creolina, estes dejeto coletados na calha(resíduo de urina e fezes) eram levados diariamente para o solo(utilizados como adubo orgânico na agricultura). ARRAÇOAMENTO: Verde: foi fornecido duas vezes por dia aos coelhos, entre esses eram fornecido: alface, folha de leucena e rama de batata doce, para que suprisse suas necessidades alimentares e complementasse a ração granulada. Ração granulada: fornecida no turno matutino a quantidade média de 60g/animal, não foi viável fornecer á tarde, porque assim o rato comeria e deixaria suas fezes, fazendo com que os animais ficassem doentes. ABASTECIMENTO DE ÁGUA: O fornecimento de água era realizado pela manhã e tarde, usava-se diariamente 1ml de Vitagold para cada litro de água e sempre que necessário uma dosagem pequena de Terramicina, com o objetivo de deixar sempre sadia os animais. 15 LIMPEZA EXTERNA E INTERNA: Era feita diariamente, utilizando vassoura, com isso era varrido a área interna e externa. Atividades diversificadas APLICAÇÀO DE REPELENTE: Fazia-se o uso de repelente tipo Spray Mata Bicheira para traramento de feridas ou bicheiras sempre que necessária.

APLICAÇÃO DE SARNICIDA: Foi aplicado o sarnicida tipo spray nos ouvidos e patas dos animais para que controlasse ou eliminasse os ectoparasitas. 5.4 SUINOCULTURA DUROC- LARGE WHITE- LANDRACE Atividades rotineiras ARRAÇOAMENTO: Feito em dois turnos::(manhã e tarde). Os tipos de ração usadas foram (farelada).: inicial, crescimento, final, gestação, lactação e mantença. A pocilga trabalhava-se com animais para a finalidade de reprodução e terminação. Na distribuição matutina as quantidades de rações eram iguais, quando ração inicial, foi quando os leitões tinham menos de 70 dias e que a quantidade por turno variava de 300g a 500g. Crescimento foi dado aos leitões que tinham de 70 a 100 dias de vida na quantidade de 700g a 01kg de ração/turno. Final para cachaços e leitoas(porcas) com mais de 100 dias de vida, foi distribuído 02kg/dia. Gestação para matrizes que estiverem prenhes de 05 a 06kg/dia. Lactação de 2,5 a 3,5 kg/dia e para reprodutores e matrizes 02kg/dia de ração mantença. COLETA DAS FEZES: Era feita duas vezes durante ao dia com o auxilio de carro de mão, vassouro e rodo , pois tinha o objetivo de conservar as baias sempre limpas, toda coleta era jogado na piscicultura. LAVAGEM DAS BAIAS: Foi realizado duas vezes por semana, para não comprometer os cascos dos suínos, através do piso que é inadequado, quando era feito toda baia era lavada coma a ajuda de água em jato, vassoura e creolina, esta última deixava-se durante 5 minutos no local, logo após enxaguava-se. Tinha o objetivo de desinfetar o ambiente e lavar os animais

livrando-os um pouco do calor.

16 LAVAGEM DA MATERNIDADE: Realizado todos os dias, era preciso transferir os leitões para u outro boxe limpo que exista água e ração. No momento da lavagem do boxe foi utilizado após este período enxaguava com água a vontade. APLICAÇÃO DE REPELENTE: Foi utilizado diariamente Mata Bicheira em animais que tinham ferimentos e que a meta seria que não ocasionasse maiores danos. Atividades diversificadas VERMÍFUGAÇÃO ORAL: Suspendeu-se alimentação dos suínos no período de 10 a 12hs e em seguida misturouse o vermífugo a cada 2kg de ração com o objetivo de controlar nematóides e oxyurus spp. Esta prática teve a finalidade de combater a pneumonia e repetida a cada 25 dias, sendo excluídos animais febris ou doentes. água em abundância, vassoura esfregava-se o piso juntamente com a creoliana, após 5 minutos

VERMÍFUGAÇÃO INJETÁVEL: Foi Realizado através dos seguintes métodos de contenção: Leitões: segurando-os com a mão; Cachaços e reprodutores(a): cachimbo;

O vermífugo foi utilizado 1ml para cada 10kg do peso vivo do animal. O local é o que existe mais carne(traseiro e o pescoço). juntamente com a seringa, logo após endoparasitas. CASTRAÇÃO Materiais utilizados: Desinfetante (BIOCID); Antiflamatório (TERRA-CONTRIL); Lâminas. Repelente (MATA BICHEIRA); Balde. Objetivo: foi de preparar animais de 6 meses com 120kg para abate, retirando assim o odor na carne do macho que foi castrado. Antes da aplicação intramuscular, foi preciso foi preciso fazer uma rápida massagem. O fazer uma acepsia no local com álcool e algodão, após isso introduziu-se a agulha objetivo desta vermifugação foi para que os animais ficassem a mais resistentes a

Aplicação de soro
Colocou-se o animal no bret e com a ajuda do cachimbo inseriu-se na boca do animal, sendo possível a partir daí fazer a acepsia(álcool e algodão), logo foi introduzida a agulha com aplicação do soro em uma veia da orelha direita, colocando a equipe contendo: 500ml de STIMOVIT(ENERGÉTICO)+10ML DE VITAMINA B12. Após a absorção retirou-se a equipe e fez uma outra acepsia, soltando assim o animal. Objetivo: recuperar a porca, devido a extrapolação de tempo com sua leitegada(50 dias).

6- CONCLUSÃO

O bom estágio é aquele que fornece ao estudante estimulo por sua função no estudo cursado, pois é o requisito mais interessante e decisivo para o indivíduo se fixar no ramo. Entretanto, quando o ato foi realizado, o estagiário fica estruturado, concretizados e decidido para concorrer com o mercado de trabalho.

18 7- AGRADECIMENTOS
A Deus, aos meus pais e irmãos que me deram o maior esforço e estimulação pelo o estudo e todos que ajudaram de modo direto e indiretamente em todas as etapas do meu estudo, pois se não fosse essa estrutura seria difícil alcançar este padrão de estudo que está sendo contemplando o curso de Zootecnia e também ao pessoal da CEFET que tanto ofereceu apoio.

8- REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA;
ENGLERT, Sérgio Inácio. Avicultura. 6ª ed. Guaíba. Leal, 1.991.

MEC-SEMTEC ESCOLA AGROT?CNICA FEDERAL DE CATU-BA CGE-SER
EXEMPLAR DA ESCOLA

RELAT?RIO DE

EST?GIO
JAMES PEREIRA DOS SANTOS EMPRESA: CEFET-PETROLINA PER?ODO: 03 DE JANEIRO A 9 DE FEVEREIRO CIDADE: PETROLINA- PE Catu, 21 de Mar?o de 2001

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->