Você está na página 1de 99

Higiene, Saúde e

Segurança no Trabalho
Introdução ao Módulo
Conteúdos programáticos
PARTE I

- O que é e porquê a Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho?

- Noção de acidente de trabalho, perigo, risco prevenção e doença profissional

- Custos indiretos e diretos dos acidentes de trabalho

- Como prevenir um acidente de trabalho

- Fatores de risco associados ao ambiente de trabalho: agentes físicos, biológicos e


químicos, associados ao posto
Conteúdos programáticos
PARTE II

- Fatores de risco e medidas de prevenção de riscos, acidentes e


doenças profissionais na hotelaria e restauração

- Medidas para controlo de perigos biológicos associados à restauração:


programa de pré-requisitos do sistema HACCP
Avaliação
Avaliação continua (30%)
• Assiduidade
• Participação nas aulas
• Comportamento

Trabalho (20%)

Ficha de avaliação final (50%)


Enquadramento
• Desenvolvimento científico
• Expansão das empresas
• Múltiplos postos de trabalho
• Ampliação das áreas profissionais

• Aumento da poluição
• Risco de doenças profissionais
Porquê a Higiene e
Segurança no trabalho?

• Cerca de 10 milhões dos 150 milhões de trabalhadores são vitimas de


acidentes ou incidentes de trabalho.

• Anualmente são gastos cerca de 20 000 milhões de euros em


indemnizações.
Porquê a Higiene e
Segurança no trabalho?

• Razão Moral

• Razão Legal

• Razão Económica
Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho:

• Promover formação aos trabalhadores

• Prevenir riscos profissionais

• Promover saúde aos consumidores


Higiene no trabalho

“Conjunto de medidas
Ergonomia
indispensáveis à
prevenção das
Fatores Higiene no Riscos
doenças Psicossociais Trabalho Ambientais

profissionais”
Medicina
no
Trabalho
Segurança no trabalho

“Conjunto de
metodologias para
prevenção de
acidentes de trabalho
e para minimizar riscos
das operações”
Higiene e Segurança no Trabalho

Objetivos:

• Redução a sinistralidade

• Reduzir taxas de absentismo


Saúde no Trabalho

Visa o controlo dos riscos físicos, químicos


e psicológicos que afetem a saúde dos
Trabalhadores

“Bem Estar Físico, Mental e Social”


Organização Mundial de Saúde
Saúde no Trabalho

Objetivos:

• Garantir condições de trabalho que não prejudiquem a saúde dos


consumidores.

• Garantir que o trabalho seja, o mais possível, adequadas a cada um.


Lei n.º 102/2009

Regulamenta o regime jurídico da promoção e prevenção da segurança


e da saúde no trabalho, de acordo com o previsto no artigo 284º do
código do trabalho, no que respeita à prevenção.
Lei n.º 102/2009 de 10 de Setembro
Princípios gerais:

- Direito à prestação de trabalho em condições que respeitem a


segurança e a sua saúde.

- Deve assegurar que o desenvolvimento económico promove a


humanização do trabalho em condições de segurança e saúde.

- A prevenção dos riscos profissionais deve assentar numa correta e


permanente avaliação do risco segundo normas e princípios.
Conceitos
Acidente de trabalho

• É acidente de trabalho aquele que se verifique no local e no tempo de


trabalho e produza direta ou indiretamente lesão corporal,
perturbação funcional ou doença de que resulte redução na
capacidade de trabalho ou a morte.

Art.º 6 do Capitulo II da Lei n.º100/97


Conceitos
Local de Trabalho

• Lugar em que o trabalhador se encontra ou de onde ou para onde deva


dirigir-se em virtude do seu trabalho, no qual esteja direta ou
indiretamente sujeito ao controlo do empregador.

Art.º 4 da secção I do Capitulo I da Lei n.º102/2009


Conceitos
Incidente de trabalho

• É todo o evento que afeta determinado trabalhador, no decurso do


trabalho ou com ele relacionado, de que não resulta lesões corporais
ou em que estas só necessitam de primeiros socorros.

Art.º 6 do Capitulo II da Lei n.º100/97


Conceitos
Perigo

• Propriedade intrínseca de uma instalação, atividade, equipamento,


um agente ou outro componente material do trabalho com potencial
para provocar dano.

Art.º 4 da secção I do Capitulo I da Lei n.º102/2009


Conceitos
Risco

• Probabilidade de concretização do dano em função das condições de


utilização, exposição ou interação do componente material do
trabalho que apresente perigo.

Art.º 4 da secção I do Capitulo I da Lei n.º102/2009


Conceitos
Prevenção

• Conjunto de políticas e programas (…) do estabelecimento ou do


serviço, que visem eliminar ou diminuir os riscos profissionais a que
estão potencialmente expostos os trabalhadores”

Art.º 4 da secção I do Capitulo I da Lei n.º102/2009


Conceitos
Doença profissional

• É aquela que resulta das condições de trabalho e que constam na


Lista de Doenças Profissionais e que causa incapacidade para o
exercício da profissão ou morte.

Decreto Regulamentar n.º 76/2007


Conceitos
As doenças incluem:

• D. provocadas por agentes químicos, físicos


• D. do aparelho respiratório
• D. cutâneas
• D. infeciosas e parasitárias
• Tumores
• Manifestações alérgicas das mucosas

Decreto Regulamentar n.º 76/2007


Fonte: Agência
Europeia para a
Segurança e Saúde no
Trabalho - Observatório
Europeu dos Riscos
(2009)
Causas de um acidente de trabalho?
Humanas: mais de 80%

• Maus hábitos de trabalho


• Falta de experiência
• Falta de formação profissional
• Fadiga
• Stress
Causas de um acidente de trabalho?

Materiais:

• Defeitos nos materiais

• Equipamentos em más condições


Causas de um acidente de trabalho?

Diretas: condição que resultou no acidente

Causa indireta: fatores que resultam numa prevenção de incidentes


similares
Causas de um acidente de trabalho?
Causas indiretas:

• Falta de formação
• Não cumprimento de regras de segurança
• Defeitos de engenharia
• Processos de manutenção e inspeção inadequados
• Métodos inseguros
Causas de um acidente de trabalho?
Causas de um acidente de trabalho?
Consequências de um acidente de
trabalho?

Para o país:

• Diminuição da produção
• Perda de produção
• Maiores despesas
• Diminuição do poder de compra
Consequências de um acidente de
trabalho?
Para a empresa:

• Desmotivação de colaboradores
• Publicidade negativa
• Estragos nos equipamentos
• Perda de qualidade
• Perdas comerciais
• Indemnizações
Custos de um acidente de trabalho?
Custos diretos:

• Indemnizações
• Médicos
• Terapêutica
• Baixas
• Seguros
• Equipamentos
Custos de um acidente de trabalho?
Custos indiretos:

• Tempo perdido
• Pelo acidentado
• Para investigar a causa
• Para selecionar e formar um substituto

• Perda na produção
• Perda da eficiência
• Perdas comerciais por não cumprimento de prazos
Como minimizar os custos?
Acidentes de Trabalho:
Fatores de Risco Associados ao
Ambiente de
Trabalho
Prevenir um acidente de trabalho
Deveres do trabalhador:

• Cumprir as instruções de segurança e normas de higiene


• Proteger a sua segurança e a dos colegas
• Utilizar corretamente máquinas, aparelhos, instrumentos e
substâncias de trabalho
• Colaborar ativamente em todas as ações de prevenção e proteção
contra acidentes
Prevenir um acidente de trabalho
Deveres do trabalhador:

Informar o superior hierárquico de qualquer situação que represente


um risco grave para a segurança, saúde do trabalhador e imagem da
empresa.
Prevenir um acidente de trabalho
Deveres do empregador:

• Definir normas para os trabalhadores


• Atribuir responsabilidades
• Fornecer instalações seguras
• Estabelecer procedimentos de segurança
• Evitar os perigos e avaliar os que não podem ser evitados
• Aplicar medidas de proteção coletiva e individual
• Informar os trabalhadores sobre questões de segurança
Prevenir um acidente de trabalho
EMPRESA:

• Identificação dos perigos


• Avaliação dos riscos
• Controlo dos riscos
• Avaliação da eficácia das medidas
Eliminação do risco

1. Prevenir o risco (erradicar o risco)

2. Eliminar fontes de perigo (envolver o risco)

3. Proteção contra as fontes de risco (afastar o homem)

4. Proteção individual do trabalhador (proteger o homem)


Sinalização do risco
Sinalização do risco
• Sinalização de proibição:
Sinalização do risco
• Sinalização de obrigação:
Sinalização do risco
• Sinalização de emergência
Proteção individual
• EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual):
Fatores psicossociais
• Stress relacionado com o trabalho

- Organização e gestão do trabalho


- Elevado ritmo de trabalho
- Prazos apertados
- Discrepância entre as qualificações e as exigências profissionais
- Progressão na carreira
- As relações interpessoais
Jovens trabalhadores

- Estão mais expostos aos fatores de risco: ruído, vibrações, calor/frio e


manuseamento de substâncias perigosas

- No sector da hotelaria e restauração têm elevados riscos de ruído,


exposição ao calor

- Trabalhos fisicamente mais exigentes


Riscos Físicos
Riscos associados ao manuseamento de equipamentos, aparelhos ou
instalações que utilizem algum tipo de energia.

• Ambiente térmico (frio e calor)


• Ruído e vibrações
• Radiações
• Iluminação
Ambiente Sonoro
Atividades ruidosas

• “Atividades suscetíveis de produzir ruído nocivo ou incomodativo, para os


que habitem, trabalhem ou permaneçam nas imediações do local onde
decorrem.”

• “Em Portugal, a exposição permanente ao ruído afeta 10,7% da globalidade


dos trabalhadores”.

• A surdez é a segunda doença profissional com maior incidência em


Portugal.
Ambiente Sonoro
Medidas para controlo do ambiente sonoro:

- Avaliar periodicamente ambiente sonoro


- Vigilância médica anual aos trabalhadores
- Acesso limitado às zonas de risco
- Rotatividade de postos de trabalho
- Limitação da duração do trabalho em ambientes muito ruidosos
- Proteção individual (protetores de ouvido)
- Formação e informação aos trabalhadores
Ambiente Térmico
• Ambientes quentes • Riscos:

- Secos: pastelarias, industrias, - Desidratação


fábricas - Erupção
- Queimaduras na pele,
- Húmidos: cozinhas, fábricas de - Irritação e mal-estar
conserva
- Fadiga
Ambiente Térmico
Ambientes quentes

Medidas pessoais para minimizar o stress térmico:


• Evitar alimentação rica em gorduras
• Ingestão de elevada quantidade de água (à temperatura ambiente)
• Não ingestão de bebidas alcoólicas
• Moderação do consumo de cafeína
Ambiente Térmico
Ambientes frios

Exemplo: câmaras frigorificas

Riscos:
• Transtornos na pele (frieiras nos pés e mãos)
• Mal-estar
• Alterações comportamentais
• Alteração da circulação sanguínea
Ambiente Térmico
Ambientes frios

Medidas a adotar para minimizar os efeitos do stress térmico por frio:

• Alimentação para fortalecer o organismo


• Implementação de turnos com menor carga horária
• Não ingestão de álcool
• Proteção individual (luvas, vestuário térmico, etc)
Ambiente Térmico
Medidas para controlo do ambiente térmico:

- Ventilação
- Climatização
- Proteção com paredes opacas
- Proteção com janelas isolantes
Vibrações
• “São efeitos físicos produzidos por equipamentos/máquinas e que
atuam por transmissão de energia mecânica, originando oscilações
com amplitudes percetíveis pelos seres humanos”

• Afetam as mãos e braços, geralmente


Vibrações
Consequências:

• Adormecimento de partes do corpo interferindo nas atividades do


trabalho
• Náuseas
• Redução visual
• Perturbações musculares
• Perturbações na coluna
• Complicações nas articulações
Vibrações
Medidas preventivas:

• Melhoria do equipamento
• Criar períodos de repouso e rotatividade para evitar exposições
contínuas
• Limitar duração e intensidade da exposição
• Vigilância médica
Fatores de Risco Associados ao Ambiente
de
Trabalho:

Agentes Biológicos e Agentes Químicos


Riscos associados a Agentes Biológicos
“Riscos associados a amostras provenientes de seres vivos, com potenciais
agentes microbianos, capazes de provocar infeções, alergias ou
intoxicações.”

• Bactérias
• Vírus
• Fungos
• Parasitas
• Biotoxinas

Portaria n.º 1036/98


Bactérias
• Organismos simples que conseguem sobreviver sem um hospedeiro,
desde que o meio ambiente lhe seja favorável.

• Capacidade de formar esporos.


Vírus
• São as formas de vida mais simples constituídos por material
genéticos que precisam sempre de um hospedeiro.

• Replicam‐se à custa de outra célula, levando à sua destruição.


Fungos
• Formas complexas de vida cujo habitat é o solo.

• Reproduzem‐se a partir de esporos.

• Os hospedeiros podem ser o homem, os animais e as plantas.


Parasitas
Protozoários:
– Necessitam de hospedeiro
– Transmissão por insetos

Vermes:
– Necessitam de hospedeiro
– Ciclo: ovo‐larva‐adulto

Artrópodes:
– Necessitam de vários hospedeiros
– Podem inocular toxinas no hospedeiro
Riscos associados a Agentes Biológicos
Atividades que apresentam risco biológico:

• Unidades de produção alimentar


• Unidades agrícolas
• Atividades em contato com animais/produtos de origem animal
• Laboratórios de análises
• Unidades de recolha, transporte e eliminação de resíduos
• Instalações de tratamento de águas residuais
Riscos associados a Agentes Biológicos: Via respiratória

Risco de inalação quando:

• Não existe sistema de ventilação nas áreas de trabalho com agentes


de risco.

• O sistema de ventilação fica contaminado com por deficiente


qualidade das fontes de ar.

Exemplo: Legionella
Riscos associados a Agentes Biológicos: Via digestiva

• Não é muito frequente.

• Pode ocorrer por ingestão de comida e água contaminadas.

• Principal fator: falta de boas práticas de higiene.

Exemplo: Salmonella, E. Coli, Listéria


Riscos associados a Agentes Biológicos: Via cutâneo-mucosa

• Ocorre por penetração direta através da pele e mucosas.

• Acidentes com instrumentos cortantes, picadas, etc.

• Exemplo: Vírus da hepatite B, febre amarela (mosquito).


Riscos associados a Agentes Biológicos
Meios de transmissão:

• Água
• Ar
• Solo
• Animais
• Matérias‐primas
Riscos associados a Agentes Biológicos
Os agentes biológicos podem ser responsáveis por:

• Doenças profissionais
• Infeções intestinais
• Gripes
• Hepatite
• Meningite
• Sida
Riscos associados a Agentes Biológicos
Medidas preventivas:

• Correta higienização dos trabalhadores


• Limpeza dos locais de trabalho, ventilação e equipamentos
• Destruição do material contaminado
• Desinfeção (lixiviação)
• Esterilização (autoclavagem)
• Sinalização adequada dos locais onde há perigo
Riscos associados a Agentes Biológicos
Medidas preventivas:

• Ventilação regular e adequada


• Controlo médico regular
• Vacinação em dia
• Formação aos trabalhadores
• Uso de EPI’s
• Devidamente higienizados e adequados (podem ser uma fonte de
contaminação)
Riscos associados a Agentes Biológicos
Medidas higiénicas preventivas (individuais):

• Proibição de comer, fumar e beber em locais de trabalho


• Uso de vestuário e proteção adequado (muito importante na cozinha)
• Mudar e higienizar o vestuário, regularmente
• Não levar para casa vestuário e EPI’s contaminados
Riscos associados a Agentes Químicos
Poluentes ou contaminantes químicos

Consistem em substâncias orgânicas, inorgânicas, naturais ou sintéticas


que durante a fabricação, manuseamento e uso pode incorporar‐se no
ambiente e originar dano na saúde das pessoas:

‐ Ar
‐ Água
‐ Alimentação
Riscos associados a Agentes Químicos
A entrada no organismo humano pode ser por via:

• Digestiva
• Respiratória (principal via de entrada dos contaminantes químicos)
• Dérmica
• Parental (via corrente sanguínea)
• Ocular
Efeitos dos Poluentes Químicos
Sensibilizantes:

• Originam reações alérgicas

• Manifestam‐se por lesões na pele e problemas respiratórios

Ex.: Iso cianatos usados no fabrico de espumas


Efeitos dos Poluentes Químicos
Irritantes:

• Originam inflamação dos tecidos onde atuam

• Também pode ocorrer por inalação

Mais preocupantes: ácido clorídrico, óxido de azoto


Efeitos dos Poluentes Químicos
Anestésicos:

• Atuam sobre o sistema nervoso central

Ex.: Acetato de butilo, Hexano, Toluol, etc.


Efeitos dos Poluentes Químicos
Asfixiantes:

• Produtos que dificultam o transporte de oxigénio no sangue

Ex.: Monóxido de carbono

Cancerígenos:

• Substâncias que podem provocar o cancro


Efeitos dos Poluentes Químicos
Corrosivas:

• Substâncias que atuam quimicamente sobre os tecidos quando em


contato com eles.

Ex.: metais alcalinos, ácidos, oxidantes


Efeitos dos Poluentes Químicos
Medidas gerais de prevenção:

• Utilização de EPI’s, sempre que possível


• Formação e informação dos trabalhadores
• Organização da vigilância física e médica
• Organização e manutenção de processos e registos adequados
• Sinalização de segurança
• Limitação da duração e da intensidade de exposição
• Planificação da eliminação e armazenamento dos resíduos radioativos
Riscos associados a Agentes Químicos
Medidas gerais de prevenção:

• Leitura dos Rótulos:

• Informa sobre o Tipo de produto


• Evitar erros de manipulação
• Ajuda a organização o armazenamento
• Cuidados a ter em caso de acidente
• Alerta para a gestão de resíduos
• Alerta para problemas ambientais
Riscos associados a Agentes Químicos
Medidas gerais de prevenção:

• Conhecer a Ficha de Segurança:


• Identificação da substância
• Composição dos componentes da substância
• Identificação dos perigos
• Primeiros socorros
• Manuseamento e Armazenamento
• Proteção individual
Transportes de cargas.

Ergonomia.
Transporte manual de cargas
Transporte e suspensão de uma carga com condições ergonómicas
desfavoráveis e que comportam riscos, nomeadamente para a região
lombar.

Principais lesões:
• Entorses
• Esmagamento
• Cortes
Como se transportam cargas manualmente?
1º Olhar para a carga e verificar:

• Para onde a tenho de levar?


‐ Desimpedir o caminho
‐ Verificar locais de descanso se forem grandes distâncias

• Preciso de ajuda?
Como se transportam cargas manualmente?
2º Posicionar os pés de forma correta:

• Afastar os pés à largura dos ombros


• Colocar um dos pés mais avançado em relação ao outro
• Atenção: nunca fazer força com as costas, mas sim com as pernas
Como se transportam cargas manualmente?
3º Adotar a postura correta:

• Dobrar os joelho (mantendo costas direitas)


• Juntar o queixo ao peito
• Inclinar o corpo ligeiramente sobre a carga
• Fazer a força (nas pernas!)
Como se transportam cargas manualmente?
4º Levantar a carga:

• Manter os braços no alinhamento das pernas


• Se necessário ajustar a pega sobre a carga de forma suave
Como se transportam cargas manualmente?
5º Transportar a carga:

• Manter a carga junto ao tronco (colocando o lado mais pesado junto


ao corpo)
• Mexer os pés, evitando rodar o tronco
Como se transportam cargas manualmente?
6º Apoiar para ajustar a carga:

• Dever‐se‐á apoiar a carga, preferencialmente à altura da cintura, para


a ajustar
Como se transportam cargas manualmente?
7º Poisar a carga no local destinado:

• Dobrar os joelhos
• Manter as costas direitas (queixo junto ao peito)
• Não esquecer: as força é sempre feita com as pernas e não com as
costas...
Como se transportam cargas manualmente?
EVITAR:

• Dobrar a coluna
• Ficar a uma grande distância da carga
• Rodar o tronco com a carga ao invés de rodar as pernas
• Apoiar a carga nas pernas ou joelhos
Como se transportam cargas manualmente?
Medidas para eliminar/minimizar os riscos:

‐ Substituir o transporte manual pelo transporte mecânico


‐ Introduzir medidas de organização adequadas
‐ Possibilitar espaço suficiente para o trabalhador trabalhar
‐ Pavimentos seguros, regulares e não escorregadios
‐ Pontos de apoio estáveis
‐ Dar ao trabalhador períodos de descanso suficientes e recuperação
fisiológica
‐ Formação e informação
Riscos associados à Ergonomia
“Riscos associados a elementos físicos e organizacionais que interferem
no conforto e na saúde”.

‐ Postura
‐ Manipulação de cargas
‐ Movimentos repetidos
‐ Atividades monótonas
Riscos associados à Ergonomia
Problemas associados a posturas:

‐ Hiperflexão da coluna vertebral


‐ Sobrecargas musculares
‐ Pressão sobre os nervos
Riscos associados à Ergonomia
Problemas associados a atividades repetidas e monótonas:

‐ Dores
‐ Tendinites
‐ Lesões musculares
‐ Problemas nos ligamentos
‐ Patologias nos membros superiores e inferiores
‐ Lombalgias