Você está na página 1de 15

ET720 – Sistemas de Energia Elétrica I

Apêndice
Revisão de circuitos de corrente alternada e sistema por unidade

A.1 Circuitos de corrente alternada

◮ Circuito de corrente alternada genérico:

Fonte Carga

+ i (t) +

∼ vf (t) vc (t) Z
− −

◮ Tensão alternada da fonte aplicada sobre a carga:

vf (t) = Vp sen (ωt + α)

em que Vp é o valor de pico da tensão, α é o ângulo de fase e ω é a freqüência


angular dada por:

ω = 2π f

– 1–
No Brasil, f = 60Hz → ω = 377rad/s. O valor eficaz da tensão é:


Vef = Vp / 2

◮ Corrente elétrica que circula pela fonte e pela carga:

i (t) = Ip sen (ωt + β)



em que Ip é o valor de pico da corrente e β é o ângulo de fase. Ief = Ip / 2 é o
valor eficaz da corrente.

◮ As formas de onda de tensão e corrente podem ser representadas na forma fasorial,


em que as expressões no tempo são substituı́das por números complexos (fasores):


v (t) = 2 Vef sen (ωt + α)
n√ o
j(ωt+α)
=ℑ 2 Vef e
 
√ 
jα jωt
=ℑ 2 V| ef{ze } e
 
V~

em que o fasor V~ é um número complexo com módulo igual ao valor eficaz da


tensão Vef e ângulo igual ao ângulo de fase da tensão α. Pode-se escrever:

V~ = Vef e jα = Vef ∠α V

Para a corrente:

~
I = Ief e jβ = Ief ∠β A

– 2–
◮ Diagrama fasorial:

V~

~
I

◮ A relação entre os fasores de tensão na carga e corrente pela carga é definida como
a impedância da carga:

V~ Vef
Z= = ∠ (α − β) =| Z | ∠φ = R + jX Ω
~
I Ief

em que R é a resistência e X é a reatância. Se a carga tiver caracterı́stica indutiva X


e φ serão positivos. Se a carga tiver caracterı́stica capacitiva X e φ serão negativos.

◮ A potência entregue à carga pela fonte é:

p (t) = v (t) · i (t)


= Vef Ief cos (φ) [1 − cos (2ωt)] − Vef Ief sen (φ) sen (2ωt)
= P [1 − cos (2ωt)] −Q sen (2ωt)
| {z }| {z }
A B

– 3–
Observações:

 −π/2 ≤ φ ≤ π/2

 A → potência ativa instantânea

 P = Vef Ief cos φ = valor médio de p (t) = valor médio de A

 P só existe quando há elementos resistivos no circuito (φ 6= ±π/2)

 P ≥ 0, para qualquer φ

 B → potência reativa instantânea

 Q = Vef Ief sen φ = valor de pico de B

 Q só existe quando há elementos reativos no circuito (φ 6= 0)

 Q ≥ 0 para 0 ≤ φ ≤ π/2 (carga indutiva → consome potência reativa)

 Q ≤ 0 para −π/2 ≤ φ ≤ 0 (carga capacitiva → fornece potência reativa)

◮ Definição – potência complexa:

S = V~ ~
I∗
= Vef ∠α Ief ∠ − β = Vef Ief ∠ (α − β) =| S | ∠φ
= Vef Ief cos φ + j Vef Ief sen φ
= P + j Q VA

P – potência ativa (W)


Q – potência reativa (var)
| S | – potência aparente (VA)

– 4–
 Exemplo

Considere o circuito a seguir e mostre que a potência instantânea entregue ao resistor é


igual ao termo A e a potência instantânea entregue ao indutor é igual ao termo B na
expressão da potência instantânea.

i (t)

+
ir (t) ix (t)

v (t) = 2 Vef sen (ωt) V R X

Fasor de tensão:

V~ = Vef ∠0◦ V

Corrente pelo resistor:

~ V~ Vef
Ir = = ∠0◦ = Ir ∠0◦ A
R R

Corrente pelo indutor:

~ V~ Vef
Ix = = ∠ − 90◦ = Ix ∠ − 90◦ A
jωL X

– 5–
Diagrama fasorial:

~
Ir V~

~
Ix ~
I

Formas de onda das correntes no domı́nio do tempo:


ir (t) = 2 Ir sen (ωt)

ix (t) = 2 Ix sen (ωt − 90◦)

Potência instantânea no resistor:

pr (t) = v (t) ir (t)


= 2 Vef Ir sen2 (ωt)
= Vef Ir [1 − cos (2ωt)]

Pelo diagrama fasorial, Ir é a projeção de I no eixo real:

pr (t) = Vef I cos φ [1 − cos (2ωt)]

que é igual ao termo A da expressão geral da potência instantânea.

– 6–
Para o indutor:

px (t) = v (t) ix (t)


= 2 Vef Ix sen (ωt) sen (ωt − 90◦ )
= −2 Vef Ix sen (ωt) cos (ωt)
= −Vef Ix sen (2ωt)
= −Vef I sen φ sen (2ωt)

que é igual ao termo B da expressão geral da potência instantânea.

◮ Circuitos trifásicos:

 em condições normais de operação → equilibrado (fontes e cargas)

 cargas monofásicas são distribuı́das de forma a manter o equilı́brio

 tensões têm mesmo valor eficaz e são defasadas de 120◦

 correntes têm mesmo valor eficaz e são defasadas de 120◦

 pode-se calcular as grandezas de interesse somente para uma fase (em função
das observações anteriores) → diagrama unifilar

– 7–
◮ Potências em circuitos trifásicos:


P = 3 Vf If cos φ = 3 Vl Il cos φ

Q = 3 Vf If sen φ = 3 Vl Il sen φ

em que φ é o ângulo da impedância e os subscritos f e l indicam valores de fase e


de linha, respectivamente. As expressões acima independem da forma como a carga
e a fonte estão conectadas.

 Exercı́cio

Um motor, modelado como uma carga em Y equilibrada com impedância 10∠20◦ Ω por
fase é alimentado por uma fonte cuja tensão de linha é de 173 V. Calcular a corrente
fornecida à carga, o fator de potência da carga e as potências aparente, ativa e reativa
consumidas pela carga.

(Resposta: 10 A; 0,94; 3 kVA; 2,82 kW; 1,03 kvar).

 Exercı́cio

Uma tensão de linha de 4,4 kV é aplicada sobre uma carga conectada em Y consistindo
de três impedâncias iguais de 20∠30◦ Ω. A impedância de cada uma das três linhas que
conectam a carga ao barramento da subestação é 1, 4∠75◦ Ω. Determinar a tensão de
linha no barramento da subestação. Determinar também o fator de potência visto pela
fonte e a potência aparente fornecida pela fonte.

(Resposta: 4,62 kV; 0,84; 1,02 MVA).

– 8–
A.2 Sistema por unidade (pu) – revisão

◮ Quatro grandezas fundamentais: tensão, corrente, potência e impedância.

◮ Sempre que duas forem definidas, as outras duas podem ser obtidas.

◮ Idéia básica: exprimir as grandezas fundamentais de forma normalizada, ou seja,


exprimir cada grandeza como uma fração de grandezas fixadas arbitrariamente,
chamadas de grandezas de base:

grandeza na unidade apropriada


grandeza em pu =
valor de base

◮ Os valores de base são números reais → os módulos de números complexos são


expressos em pu e os ângulos de fase não são alterados.

– 9–
A.2.1 Circuitos monofásicos em pu

 Exemplo

Considere o circuito a seguir.

0,024 Ω 0,08 Ω

I 100 kVA
∼ E 200 V
fp = 80% atrasado

Os seguintes valores de base são definidos arbitrariamente:

Sb = 100 kVA
Vb = 200 V

As outras duas grandezas fundamentais (corrente e impedância) ficam automaticamente


determinadas:

Sb
Ib = = 500 A
Vb
Vb
Zb = = 0,4 Ω
Ib

– 10–
Basta dividir cada grandeza do circuito pela sua respectiva grandeza de base e obter o
circuito em pu:

0,06 pu 0,2 pu

i sc = 1 pu
∼ e vc = 1 pu
fp = 80% atrasado

Os cálculos são realizados em pu. Como a carga tem fator de potência 80% (atrasado,
carga indutiva), a potência complexa em pu é definida como:

sc = 1 ∠36, 87◦ pu

Assumindo a tensão na carga como nominal (200 V) e também como referência angular
do circuito:

vc = 1 ∠0◦ pu

A corrente pelo circuito é dada por:

 ∗
sc
i= = 1 ∠ − 36,87◦ pu
vc

– 11–
A tensão da fonte é dada por:

e = vc + z i = 1,1746 ∠6,06◦ pu

em que z é a impedância que conecta a carga à fonte. A tensão da fonte é portanto de


234,9127 V (multiplicando o valor em pu pela tensão de base).

As grandezas também são normalmente expressas em valores percentuais → a


resistência do circuito vale 0,024 Ω, 0,06 pu ou 6%.

A.2.2 Circuitos trifásicos em pu

◮ Para circuitos trifásicos equilibrados utiliza-se o modelo por fase

◮ Componente em Y → tomar uma fase do Y

Componente em ∆ → transformar em um Y equivalente e tomar uma fase do Y


equivalente

◮ Especialmente em estudos de geração e transmissão → assume-se circuito


equilibrado → modelo por fase → é como se fosse um circuito monofásico

◮ Em estudos relacionados com sistemas de distribuição, algumas vezes considera-se


como equilibrado. Em outras, o desequilı́brio é importante e não pode ser desprezado

◮ Escolha das bases → escolher valores adequados de tensão de fase e de linha de base

– 12–
 Exemplo

Uma fonte trifásica equilibrada de 220 V de linha alimenta uma carga conectada em Y
com impedância Z = 32,2 ∠60◦ Ω. Escolha as bases adequadas e calcular a impedância
da carga em pu.

Com relação à potência de base, pode-se arbitrar os valores:

Sbf = 1000 VA e Sbl = 3000 VA

em que Sbf é a potência de base por fase e Sbl é a potência de base total (3Sbf ).

Para as tensões, tem-se:

Vbf = 127 V e Vbl = 220 V

A escolha destes valores de base fazem com que em pu não haja diferença entre os
valores de fase e de linha, evitando as usuais confusões de cálculo.

A partir dos valores de base arbitrados, pode-se obter os outros valores de base:

Sbf
Ibf =
Vbf
Sbl /3
= √
Vbl / 3
Sbl
=√ = 7,8740 A
3Vbl

– 13–
Vbf
Zbf =
Ibf

Vbl / 3
= √
Sbl / 3Vbl
Vbl2
= = 16,13 Ω
Sbl

A impedância da carga em pu fica:

Z 32,2 ∠60◦
z= = = 2 ∠60◦ pu
Zbf 16,13

O modelo em pu é idêntico a um circuito monofásico com uma fonte de 1 pu


alimentando uma carga da impedância z , resultando em uma corrente:

1
i= = 0,5 ∠ − 60◦ pu
z

que transformada em unidades de corrente resulta em:

I = i Ibf = 3,94 ∠ − 60◦ A

– 14–
A.3 Material de apoio

◮ http://www.fee.unicamp.br/cursos/et720 – material de apoio do Apêndice

A.4 Referências

◮ G. Barreto, C.A. Castro, C.A.F. Murari, F. Sato, Circuitos de Corrente Alternada:


Fundamentos e Prática, Oficina de Textos, 2012.

◮ J.J. Grainger, W.D. Stevenson, Power System Analysis, McGraw-Hill, 1994.

◮ A.J. Monticelli, A.V. Garcia, Introdução a sistemas de energia elétrica, Unicamp,


1999.

– 15–