Você está na página 1de 17

NORMAS REGULAMENTADORAS

NR 5 – Prevenção de acidentes

Quem deve obedecer a NR?

- Empresas Públicas e Privadas


- Órgãos de Adm. Pública direta (Executivo, Legislativo e Judiciário) ou
indireta (Autarquias, fundações públicas, EP e SEM)
- Qualquer instituição que possuam empregados

Quando possuir CIPA?

Quadro de empregados com 20 ou mais trabalhadores

CIPA = Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

 Composto de representante de empregados e empregadores (não deve


haver representação sindical, ou seja, sem sindicatos)

 Mandato dos membros eleitos = 1 ano + permissão de 1 ano de


reeleição

 Empregador  Designa o Presidente da CIPA

 Empregados  Designam o Vice

IMPORTANTE: A CIPA jamais pode ser desativada ou ter efetivo reduzido. Ela
só pode ser fechada, caso a empresa feche
ATRIBUIÇÕES DA CIPA

 Identificar riscos e elaborar mapas de riscos


 Elaborar planos de trabalho
 Avaliação das condições de trabalho
 Avaliação do cumprimento de metas
 Divulgar informações
 Requerer ao SESMT ou ao Empregador a paralisação da produção em
casos de riscos de acidentes
 Promover a SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de
Trabalho)

ATRIBUÇÃO DOS EMPREGADOS

 Participar das eleições para escolha dos representantes


 Colaborar com a CIPA
 Sinalizar a CIPA ou ao SESMT situações de risco
 Sugerir melhorias
 Aplicar as recomendações

ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE DA CIPA

 Convocar membros
 Coordenar reuniões
 Manter o trabalhador informado
 Supervisionar atividades

PROCESSO ELEITORAL

 Liberdade de inscrição, ou seja, qualquer setor pode participar


 Garantia de emprego a todos os inscritos, até a eleição
 Em caso de empate  Vencedor é o que tem mais tempo de firma
 Os membros da CIPA eleitos e designados serão empossados no primeiro
dia útil após o término do mandato anterior

ITENS DA NR 18 SOBRE A CIPA


 Empresa que possui 1+ canteiros de obra com menos de 70 trabalhadores
deve ter CIPA centralizada

 Menos de 70 trabalhadores ------> CIPA centralizada


 70+ trabalhadores ---------> CIPA por estabelecimento

Para CANTEIROS DE OBRA cuja construção não exceda 180


dias não há obrigatoriedade para constituição de CIPA

COR RISCOS OCUPACIONAIS

Riscos Físicos

Riscos Químicos

Riscos Biológicos

Riscos Ergonômicos

Riscos de Acidentes

NR 6 – EPI

Diferença entre Equipamento de Proteção Individual (EPI) x Equipamento


Conjugado de Proteção Individual:

O EPI refere-se a 1 equipamento em específico


O Conjugado refere-se ao equipamento composto por vários dispositivos de
proteção simultânea (conjunto)

Obrigação da empresa o fornecimento do EPI de maneira gratuita, em perfeito


estado de uso e conservação.

 O EPI deve ser fornecido sempre que as medidas de ordem não forem
suficientes para proteção

 Enquanto as medidas de proteção coletivas estiverem em implantação


 Em situações emergenciais compete ao SESMT ouvir a CIPA e aos
trabalhadores e recomendar ao empregador adquirir os EPIs necessários

 Em empresas onde não há obrigação de constituição do SESMT (NR 4), a


empresa deve consultar a CIPA ou profissionais adequados

ATRIBUIÇÕES DO CHEFE (EMPREGADOR)

 Fornecer o EPI adequado


 Exigir o uso do mesmo
 Orientar o uso e conservação
 Realizar manutenções e substituições quando necessário
 Comunicar ao MTE sobre irregularidades observadas

ATRIBUIÇÕES DO TRABALHADOR

 Usar o EPI
 Guardar e conservar o mesmo
 Comunicar problemas com o EPI
 Cumprir determinações de uso

ATRIBUIÇÕES DO MTE

 Cadastrar fabricantes ou importadores do EPI


 Fiscalizar uso (empresas) e a qualidade dos EPIs
 Emitir certificados de aprovação
 Punições

TODO EPI DEVE POSSUIR DE MANEIRA VISÍVEL OS DADOS DA EMPRESA


FABRICANTE, LOTE E NÚMERO DO CERTIFICADO DE APROVAÇÃO
JUNTO AO MTE

NR 9 – PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS


AMBIENTAIS (PPRA)
 Dados de monitoramento devem ser mantidos no mínimo por 20 anos

 Limite diário p/ vibração e mãos  5 m/s²

 Limite diário para corpo inteiro  1,1 m/s² ou 21 m/s1,75

NR 11 – MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM....

 Inclinação longitudinal do piso: 5%

 Acima dos 5% é considerado RAMPA e deve ser calculado assim:

NR 18 – CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE


TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

Informações obrigatórias à delegacia regional de trabalho:

 Endereço da bora
 Endereço do contratante
 Tipo de obra
 Dados de início e término
 Nº máximo de trabalhadores da obra (implica na obrigação ou não do
PCMAT)
O que é PCMAT?

Programa de condições e meio ambiente de trabalho na indústria da


construção

20+ Trabalhadores  PCMAT obrigatório

Só pode elaborar o PCMAT profissionais da área de segurança


O PCMAT deve ser mantido no estabelecimento (canteiro de obras no caso) e
a disposição do MTE (caso o mesmo resolva bater na porta)

Como é composto o PCMAT?

 Memorial sobre as condições de trabalho/ambiente


 Projeto de execução de proteção coletiva
 Especificações sobre as proteções
 Cronograma de implantação
 Layout inicial do canteiro (incluso área de vivência)

Composição do canteiro de obras

 Instalações sanitárias
 Vestiário
 Local para refeições
 Alojamento*
 Lavanderia*
 Área de lazer*
 Cozinha**
 Ambulatório***

(*) Obrigatório caso haja trabalhadores alojados na obra


(**) Obrigatório quando houver preparo de comida na obra
(***) Obrigatório para obras com 50+ trabalhadores
Posso alojar os trabalhadores em contêineres?

Sim, desde que:

 Possua área de ventilação de 15% do piso e 2 aberturas p/ ventilação


 Tenha pé direito mínimo de 2,4 m
 Caso possua beliche, altura livre entre camas de 0,9 m

Tenho um contêiner que antes era usado para armazenar


cargas ou transportar coisas, posso usar como contêiner de
alojamento agora?

Sim, desde que possua um laudo técnico

Para instalações sanitárias:

 Só pode ser usado para usos sanitários


 Tem que ter porta de acesso para evitar bisbilhoteiros
 Paredes de material lavável e resistente (pode ser de madeira inclusive)
 Pisos impermeáveis e antiderrapantes
 JAMAIS estar ligados diretamente ao local das refeições
 Pé direito mínimo de 2,5 m
 Estar a no máximo 150 m do posto de trabalho

Composição

Lavatório + V. Sanitário + Mictório  1 para 20 trabalhadores ou fração


Chuveiro  1 para 10 trabalhadores ou fração
Lavatórios:

 Individuais/Coletivos, tipo calha


 Altura de 0,9 m
 Espaçamento de 0,6 m entre torneiras

Gabinete do sanitário:

 Área min de 1 m²
 Porta com trinco interno (0,15m a altura)
 Divisórias com altura min de 1,8 m

Chuveiros:

 Área min: 0,8 m²


 Altura do chuveiro: 2,10 m

Alojamentos:

 Área min: 3 m²
 Pé direito mín: 2,5 m (em cama simples) e 3 m
(beliche)
 Não podem estar situados em locais não
ventilados como subsolos ou porões

 Área de ventilação: 10% da área do piso

 Proibido aquecer comida dentro do alojamento

 1 Bebedouro para cada 25 trabalhadores ou fração

 Bebedouro a no máximo 100 m (plano horizontal) e 15 m (plano vertical)


Local para refeições:

 Paredes desses locais devem permitir isolamento


 Piso de concreto ou outro material lavável
 Assentos suficientes
 Não pode estar em subsolos ou porões
 Pé direito mínimo: 2,8 m
 Não podem se ligar diretamente às instalações sanitárias

Cozinha:

OBS: Existindo ou não cozinha (não é


obrigatório existir, somente se houver
preparo de comida no canteiro) e
independente do número de trabalhadores,
deve haver um local para pelo menos poder
aquecer os alimentos.

 Pé direito mínimo: 2,8 m


 Parede em alvenaria, madeira ou material equivalente
 Resistente ao fogo
 Ter pia
 Possuir instalações sanitárias que não se comuniquem diretamente
com a cozinha, para USO EXCLUSIVO dos trabalhadores da cozinha.
 Possuir refrigeração
 Em caso de GLP, o mesmo deve ficar fora do ambiente de acesso
 Cozinhas próximas dos locais de refeições

OBS: Obrigatório o uso de aventais e gorros para quem trabalha na


cozinha

Outras generalidades:

 Áreas de vivência devem dispor de locais abertos e ventilados para


lavagem e secagem de roupas
 Deve possuir tanques individuais ou coletivos
 Deve haver lazer nas áreas de vivência, podendo ser o local para refeição
utilizado para esse fim

RESUMO DOS PÉS DIRETO

AMBIENTE PÉ DIREITO MÍN (m)

Alojamento com beliche 3

Refeitório 2,8

Cozinha 2,8

Vestiários 2,5

Instalaçoes sanitárias 2,5

Alojamento cama simples 2,5

DEMOLIÇÃO

 Antes do processo, retirar ou isolar qualquer tipo de instalação (elétrica,


gás, hidrossanitárias)

 Consultar edificações vizinhas

 Objetos pesados devem ser removidos mecanicamente, nunca em queda


livre

 Devem ser instalados a no máximo 2 pavimentos abaixo, plataformas para


retenção do entulho

 Remoção por gravidade deve ter calhas fechadas (tubos para colocação do
entulho)

ESCAVAÇÕES, FUNDAÇÕES E DESMONTE DE ROCHAS

 Escavações com profundidade superior a 1,25 m devem dispor de


escadas/rampas
 Realizar monitoramento em casos de infiltração ou vazamento de gás

 Sempre sinalizar escavações em vias públicas ou em canteiros com


barreiras de isolamento, sinalização noturna ou qualquer outra

 Obrigatório em caso de detonações, uso de alarme sonoro

ARMAÇÕES DE AÇO

 Dobra e corte devem ser executados em locais apropriados (ex: bancadas


estáveis)

 Não devem haver pontas verticais de vergalhão desprotegido

 Durante a descarga dos vergalhões, deve-se isolar a área

ESTRUTURAS EM CONCRETO

 Armação de pilares devem ser estaiadas ou escoradas antes do


cimbramento

 Durante a etapa de protensão, proibido a permanência dos trabalhadores


atrás ou sobre os macacos

ESTRUTURAS METÁLICAS

 Piso provisório sob serviços de rebitagem, parafusagem ou soldagem

 Piso provisório montado sem frestas

 Elementos não podem possuir rebarbas

 Proibido o uso de grua para arrastar peças

ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS


 Proibido uso de escada de mão com montante único

 Não é permitido usar pintura para encobrir imperfeições nas madeiras

 Inclinação máxima para rampa provisória entre pisos: 30º

 Largura mínima para escadas provisórias: 80 cm

MEDIDAS DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS DE ALTURA


(IMPORTANTE)

 Obrigatório a instalação de proteção coletiva em situações onde haja risco de


queda
 Vão de acesso as caixas dos elevadores devem ter fechamento mínimo de
1,20 m
 Em todo o perímetro da construção de edifícios com mais de 4
pavimentos ou altura equivalente é OBRIGATÓRIO a instalação de
plataforma de proteção na altura da primeira laje que esteja no nível 1
pé direito acima do nível do terreno
As dimensões da plataforma de proteção principais devem ter as dimensões:

 Projeção horizontal: 2,5 m

 Extensão: 0,8 m

 Inclinação: 45º

Acima das plataforma de proteção principal, hás as secundarias, que devem


ser instaladas de 3 em 3 lajes a partir da proteção principal
Dimensões das plataformas secundárias:

 Projeção horizontal: 1,4 m

 Extensão: 0,8 m

 Inclinação: 45º

 Em edifícios com pavimentos no subsolo, devem haver plataformas


terciárias de 2 em 2 lajes

 O perímetro da edificação deve ser fechado com tela de proteção. A tela


deve ser instalada entre as extremidades de 2 plataformas consecutivas
ELEVADORES

 Proibido transportar pessoas por guindastes ou


pelo elevador de materiais

 Todos os acessos de entrada à torre do elevador deve ter barreira, esse


com altura de no mínimo 1,8m

 Os vão de acesso às caixas dos elevadores devem ter fechamento


provisório de no mínimo 1,2 m.

 Nos elevadores de materiais, caso haja fechamento com painéis fixos de 2


m de altura, não é necessário entelamento (revestir com a tela)

 Elevadores de serviço e de passageiros devem conter cancela

 Em edifício com 12 ou mais pavimentos é obrigatório ter elevador de


passageiros

 Caso a obra tenha 30+ trabalhadores, deve haver elevadores a partir da 7ª


laje

 Proibido transporte simultâneo de pessoas e cargas

 Proibido o transporte de pessoas no elevador de materiais, porém pode-se


transportar cargas ou materiais no elevador de passageiros, desde que não
haja transporte simultâneo. Nesse caso, deve haver no interior do elevador
um cartaz que diga: "É PERMITIDO O USO DESTE ELEVADOR PARA TRANSPORTE
DE MATERIAL, DESDE QUE NÃO REALIZADO SIMULTÂNEO COM O TRANSPORTE
DE PESSOAS."
ANDAIMES

 Não se pode utilizar escadas apoiadas em andaimes


 Andaimes de madeira = limitação de obras com até 3 pavimentos
 Largura mínima de andaimes suspensos mecânicos = 1,5m
 Andaimes suspensos leves só podem ser usados em serviços secundários
como limpeza, manutenção e com no máximo 2 trabalhadores
 Caso não seja possível usar andaimes – adotar cadeira suspensa
 COLETE SALVA VIDAS ----> COR LARANJA

LOCAIS CONFINADOS

 Em locais com risco de asfixia ou intoxicação, devem ser adotadas medidas


como: treinamento do pessoal, inspeção prévia, monitoramento constante

 PROIBIDO O USO DE OXIGÊNIO PARA VENTILAÇÃO DE LOCAIS


CONFINADOS

 A cada grupo de 20 trabalhadores, 2 devem ser treinados para resgate

 Proibida a utilização de ferramentas elétricas manuais sem duplo


isolamento

 Deve sempre haver treinamento admissional e periódico (ocorrem em


mudanças de fase na obra)

 Carga horária mínima de 6 horas

TAPUMES

 Obrigatória a colocação

 Altura mínima = 2,2 m

 Construções com mais de 2 pavimentos, executadas no alinhamento do


logradouro, obrigatório a construção de galerias sobre o passeio com
altura interna livre de 3 m no mínimo
TALUDES

 Taludes instáveis: 1,25 m


 Outros taludes: 1,75 m

EM CASO DE ACIDENTE FATAL

 Deve-se comunicar a autoridade policial competente de imediato e ao órgão


do MTE

 Em seguida deve-se isolar o local do acidente, mantendo as características


até a liberação via autoridade policial e pelo órgão do MTE

 A liberação do local poderá ser concedida após investigação após o MTE


dentro de 72 horas.

 Até 10 dias após o acidente, o empregador deve encaminhar a


FUNDACENTRO a ficha do acidente, mantendo consigo uma cópia durante
3 anos.