Você está na página 1de 17

A influência da Escola do Recife na produção residencial

arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina

O conteúdo deste trabalho diz respeito ao estudo de dois projetos de


habitação coletiva/multifamiliar produzidos pelo arquiteto pernambucano
Ricardo Roque na cidade de Teresina-PI.

A análise dessas obras mostra como a participação do arquiteto contribuiu


no processo de transformação e modernização do cenário urbano da
cidade nas décadas de 1970 e 1980.

Além disso, esse estudo, afirma a difusão e a concretização de projetos


influenciados pela modernidade da Escola do Recife na capital do Piauí,
expondo projetos pioneiros que fizeram parte do início da verticalização na
cidade.

O material de pesquisa foi coletado em arquivo privado do arquiteto.


Foram realizadas entrevistas, visitas aos locais e levantamento de material
fotográfico.

Projetos estudados: Ed. Marquês de Paranaguá (1° edifício residencial de


Teresina) e Ed. Ville de France (3° edifício residencial de Teresina).
Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
1. O ARQUITETO RICARDO ROQUE E
SUA PRODUÇÃO EM TERESINA

Ricardo José Roque Baracho (09/03/1948,


Goiana, Pernambuco) concluiu seu curso de
Arquitetura em 1974, na Universidade
Federal de Pernambuco-UFPE.

Tornou-se responsável por uma grande


revolução em Teresina na década de 70, com
a construção do primeiro edifício de
apartamentos, “Marquês de Paranaguá”.
Logo em seguida, o edifício “Raimundo
Portela” e ,então, o “Ville de France”.

Professores e mestres: Acácio Gil Borsoi,


Delfim Amorim Reginaldo, Esteves, Frank
Svenson, Glauco Campelo, Armando
Holanda.

Edifício Raimundo Portela


Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2. ANÁLISE DA OBRA: EDIFÍCIO MARQUÊS DE PARANAGUÁ

 Endereço: Rua Coelho Rodrigues, 2149. Centro. N


 Cidade e Estado: Teresina, Piauí
 Tipologia: Residencial
 Estado de proteção: Não protegido

2.1 Contexto

 O edifício se encontra no centro da


cidade, próximo à Avenida Frei Serafim
(principal via de acesso ao centro da
cidade). Inicialmente, o entorno era
composto, em sua maior parte, por
residências. Atualmente, seu entorno é
basicamente comercial.

Localização
Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2.2 Descrição N

 Data do projeto: 1976


 Autor: Ricardo Roque

 Partido: Emprego de características


marcantes difundidas pelos mestres da
“Escola de Recife”, como: edificação
centralizada no lote, bloco único sobre
pilotis, com volume compacto,
aplicação de elementos construtivos
que contribuem para o conforto
térmico.

 Ocupa um terreno plano de 750m²,


sendo guarita, acesso à circulação
Programa de necessidades: 03 quartos
vertical e garagem, no térreo mais seis
(02 suítes, sendo 01 reversível), sala ampla
pavimentos tipo e caixa de circulação com varanda, cozinha, área de serviço,
central. garagem (01 carro).

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2.2 Descrição

 A solução racional adotada (malha


estrutural), tipicamente moderna,
resultou em um volume prismático que
permitiu a distribuição de 4
apartamentos de 145m² por andar.

 Volumetricamente moderno, possui


ritmo, traçado regular, proporção e rigor
geométrico.

 As fachadas com maior insolação


apresentam pequenas aberturas dos
banheiros e proteção das janelas
maxim-ar de um dos quartos com
brises verticais.

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2.3 Construção

 As aberturas dos quartos e das salas


localizam-se nas fachadas que
recebem menor insolação e maior
ventilação em favor do conforto.

 A fachada sudoeste (Rua Coelho de


Rezende) tem a área de pilotis
protegida da insolação por um pequeno
jardim de convivência, que oferece
privacidade aos moradores.

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2.3 Construção

 Estrutura em concreto armado.

 Externamente, é revestido com


massa e pintura para exteriores,
indicando a mudança de material: a
tonalidade mais clara marca o
fechamento em alvenaria e a mais
escura destaca as vigas, evidenciando
a modulação na fachada.

 Outra influência da escola recifense


são as esquadrias do tipo maxim-ar,
com venezianas, que permitem o
controle da circulação de ar e da
luminosidade.

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2.4 Avaliação

 Técnica: assim como em Recife, essa


arquitetura possibilitou um caráter
inovador, com o emprego inédito de
elevadores em edifício residencial e o
uso de um sistema de portas e janelas,
estruturadas em alumínio, com folhas
em vidro, e bandeira com persianas
móveis.

 Emprego de parapeito ventilado nas


varandas, caracteristico dos edificios
projetos pelos mestres recifenses.

 Cultural e estética: marca a


arquitetura produzida no período de
urbanização e crescimento da cidade
nas décadas de 1970 e 1980.

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
2.4 Avaliação

 Valor de referência: Segundo seus


construtores, esse foi o primeiro
edifício residencial da cidade,
encontrando-se próximo aos primeiros
edifícios comerciais construídos.

Tem como referência os


ensinamentos da Escola do Recife:
uso de trama ordenadora como
solução de projeto, preocupação com
a orientação solar, emprego de
materiais compatíveis à região e ao
clima, elevação do solo e controle da
ventilação.

Pilotis

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
3. ANÁLISE DA OBRA: EDIFÍCIO VILLE DE FRANCE

 Endereço: Rua Primeiro de Maio. Praça Marechal Floriano Peixoto, Centro.


 Cidade e Estado: Teresina, Piauí N
 Tipologia: Residencial
 Estado de proteção: Não protegido

3.1 Contexto

 O edifício se encontra no centro da


cidade, próximo à Avenida Miguel Rosa
(principal via de ligação entre zona sul e
zona norte da cidade). Anteriormente, o
entorno era composto por residências.
A partir da década de 1980, com a
transferência da região nobre para a zona
leste da cidade, seu entorno passou a se
configurar numa área de uso misto.
.
Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
3.2 Descrição N

 Data do projeto: 1976


 Autor: Ricardo Roque

 Partido : Emprego de características


da “Escola de Recife”, adaptadas à
realidade sócio-cultural da cidade e do
empreendimento. Por exemplo, houve
a substituição de cobogós de cerâmica
(elemento largamente utilizado pelo
arquitetos do Movimento Moderno em
Recife) por cobogós de vidro.

 Ocupa um terreno plano de 510m².


Possuindo no térreo (guarita, circulação
Programa de necessidades funcional e
vertical, serviços e garagem) mais 12 bem zoneado: 03 quartos sendo 02 suítes,
pavimentos, sendo um apartamento por 01 closet, escritório, sala estar/jantar, w.c
andar e o último duplex. Há ainda uma social, varanda, cozinha, área de serviço, D.
área comum com mezanino e piscina. C.E, 02 vagas de garagem.
Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
3.2 Descrição

 O traçado do projeto é marcado pela


horizontalidade, proporcionada pelos
frisos e jardineiras. O emprego de
trama ordenadora na fachada
evidencia a adoção da solução
racional.
Fachada Leste
As aberturas das esquadrias
corridas estão recuadas e orientadas
para leste (garantindo o conforto
térmico) o que permitiu à fachada ter
um traçado regular, caracterizando o
ritmo e rigor geométrico dos
ensinamentos recifenses.

 Predominância da função sobre a


forma permitiu uma distribuição
funcional em planta.
Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
3.3 Construção

 Estrutura em concreto armado permite o


emprego de volumes em balanço das
varandas das salas.

 Revestimento: alvenaria revestida com


massa e pintura para exteriores. O volume
da escada é revestido com pastilhas
cerâmicas na cor verde musgo.

 As varandas são em concreto aparente,


com efeito liso e texturado criado pelo seixo
na parte frontal. Há um segundo detalhe em
concreto liso no parapeito das janelas dos
quartos.

 Cobogós de vidro formam planos de


fechamentos (áreas de serviço e áreas
comuns no térreo) independentes da
estrutura. Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
3.4 Avaliação

 Foi o terceiro edifício residencial de


Teresina.

 Destacou-se em seu entorno,


composto por casas, uma praça e o 25
°Batalhão de Caçadores do Exército, que
possui uma arquitetura eclética.

O jogo de volumes prismáticos, dá


dinamicidade ao volume e protege as
esquadrias da insolação.

Inovação no programa: cobertura com


piscina e área de lazer.

 Uso dos ensinamentos da Escola do


Recife abordando uma linguagem mais
contemporânea.
Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio
Teresina, março 2010
A influência da Escola do Recife na produção residencial
arquitetônica do arquiteto Ricardo Roque em Teresina
4. Referências Bibliográficas

AFONSO, Alcília. La consolidación de la arquitectura moderna en Recife en los años 50.Barcelona:


tese doutoral apresentada para o departamento de projetos arquitetônicos da ETSAB/ UPC, 2006.

AFONSO, Alcília. Arquitetura em Teresina: 150 anos; da origem à contemporaneidade. Teresina:


Halley, 2002.

AMORIM, Luiz Manuel Eirado. Modernismo recifense: uma escola de arquitetura, três paradigmas,
e alguns paradoxos. São Paulo: Vitruvius, 2001b. Disponível em:
http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq012/arq012_03.asp. Acesso em 01 mar. 2010.

BENEVOLO, Leonardo. História da Arquitetura Moderna. São Paulo: Perspectiva. 4ª edição.2006.

BRUAND, Yves. Arquitetura contemporânea no Brasil. São Paulo: Ed. Perspectiva.1979.

GLANCEY, Jonathan. A História da Arquitetura. Tradução de Luís Carlos Borges; Marcos


Marcionilo. São Paulo: Edições Loyola, 2001.

Vistas aéreas: Google Earth, 2010.


Fotos: Nelcia Beatriz Fortes da Costa, 2010.
Redesenho dos projetos: Henrique Gomes, 2010.

Nelcia Fortes, Henrique Gomes, Arianna Hidd, Lara Eulálio


Teresina, março 2010
Realização:

Apoio: