Você está na página 1de 13

A RADIESTESIA

TÉCNICAS RADIESTÉSICAS OPERACIONAIS


A radiestesia, ou movimento pendular, se processa por contato físico ou
mental, acontecendo uma interação mente-matéria.
Processos operacionais: sensores do corpo humano do radiestesista
detectam, por toque físico ou psíquico mental, a informação procurada,
que flui primeiro para um nível de processamento do sistema nervoso e
dessa via se manifesta através do sistema nervoso autônomo e atividades
motoras, ou seja: o cérebro decodifica a mensagem e envia por ação
reflexa ao sistema neuromuscular, chegando a informação às miofibrilas
dos dedos, movimentando o pêndulo. Na forma mental e a distância, a
mente entra em ressonância com a forma mentalizada para a pesquisa. O
processo descrito acima se repete, ou seja, há uma conexão entre o
radiestesista e a forma pesquisada. São necessários treinamentos
específicos para reduzir as margens de erros, chegando aos índices de
acertos aceitáveis.
O radiestesista deve ter uma postura de indiferença e neutralidade diante
do trabalho a ser executado. É muito importante e definitiva a postura
neutra. A radiestesia não necessita de nenhum tipo de meditação, oração,
rituais, etc., qualquer pessoa pode praticá-la.

CONDIÇÕES PARA PRÁTICA RADIESTÉSICA


 Pratique pelo menos 20 minutos por dia.
 Inclua na prática alguns minutos de relaxamento e concentração.
 Evite trabalhar após refeições.
 Procure ficar em perfeita postura física.
 Não trabalhe sob ação de fadiga, procure estar descansado e sem
estados psicológicos negativos.
 Proteja-se de influências psíquicas ou espirituais de pessoas hostis,
doentes, negativas ou desequilibradas.
 Faça seu treinamento sem pressa, sem a presença de outras
pessoas, sem calmantes.
 Não trabalhe em ambientes perturbados ou hostis.
 Retire materiais eletro-eletrônicos das proximidades.
 Posicione-se de frente para o norte.
 Esteja com os pés no chão e mãos livres.
 Use um tecido preto para remover energias remanentes dos
instrumentos utilizados, como gráficos, réguas, varetas, etc.
 Porte-se com humildade e prudência.
 Verifique a legitimidade do objeto de pesquisa.
 Metodize seu trabalho.
 Se possível, pratique trabalhando sempre no mesmo local.
 Mantenha sempre atitude receptiva e neutra.
 Seja imparcial, mesmo que o tema contrarie o operador.
 Mantenha uma atitude receptiva;
 Tenha uma espera passiva da resposta do pêndulo.
 Isole-se, em silêncio, e mantenha a respiração cadenciada.
 Formule perguntas claras e objetivas.
 Apenas uma pergunta de cada vez.
 Não questione as respostas.
 Convencione uma sistemática de respostas simplificadas.
 Use um pequeno intervalo entre respostas e perguntas novas.
 Encurte o período de trabalho para não causar exaustão.
Colocamos acima uma forma ideal para se praticar radiestesia, porém
sabemos que poderão surgir prospecções em locais não favoráveis, então
é preciso redobrar a atenção e refazer perguntas para obter respostas
confiáveis.

TEORIAS E FUNDAMENTOS EM RADIESTESIA


Tudo o que se opera no planeta com movimentos, ondas, ressonâncias,
atração, repulsão, polaridades, caráter, tem fundamentos em princípios
da física mecanicista ou espacial. O abade Mermet criou métodos em cima
de fundamentos e explica: "Todos os corpos, com vidas ou não, emitem
ondas e radiações que tocam a outros, produzindo uma reação no corpo
humano. Essa reação pode ser decodificada pelo sistema nervoso
emitindo um sinal característico até as mãos. O fluxo dessa energia é que
movimenta o pêndulo ou varetas de pesquisas".
A) OS FLUXOS INVISÍVEIS
 Ondas - forma de propagação de ondas através do éter.
 Amplitude de ondas - altura da crista e profundidade do cavado
tendo como referência uma superfície.
 Ciclo - é o vai-vem para se avançar um comprimento de onda.
 Frequência - é o número de cristas ou cavados de ondas por
segundos. A propagação depende da natureza.

B) CONCEITOS ESTABELECIDOS POR MERMET


 Raio Mental - que vai do objeto em prospecção até o cérebro do
operador, é através dele que o operador detecta a presença do
objeto procurado, tipificando-o.
 Raio Fundamental - todo corpo emite um raio cuja emissão forma
um ângulo invariável com a origem na linha norte/sul. O ângulo
horizontal é constante. O comprimento da onda emitida é
proporcional ao corpo emitente.
 Raio Testemunho - todo corpo emite um raio conectando-se a outro
da mesma natureza. Esse raio permite a detecção de dois iguais, a
distância, que sempre se unem. Nessa condição é produzido o
testemunho, fazendo uso desse para prospectar a distância.
 Raio Vertical - todo corpo emite um raio Vertical, porém anomalias
magnéticas podem alterar suas condições específicas. É por esse
raio que trabalhamos quando pendulamos sobre gráfico
radiestésico.
 Linhas Magnéticas ou Zona de Influência - todo corpo possui o
envolvimento de um número de camadas magnéticas igual ao seu
número de série. É dessa forma que encontramos o número de
série, quando queremos identificar uma forma. Em um corpo
pequeno, o número das linhas assume a forma de círculos
concêntricos.
 Número de Série - Todo corpo produz um número certo de
oscilações seguidas do mesmo número de rotações. Cada corpo ou
forma possui seu número de série específico. Dois corpos que
possuem o mesmo número de série podem ser confirmados
exatamente iguais, se os Raios Fundamentais forem exatamente
iguais em seus graus.
 Imagem Radiestésica Fantasma - são radiações reflexas que
circundam a forma de modo anômalo, mais contundentes em dias
tempestuosos ou com sol forte. São de intensidades frágeis. As
imagens verdadeiras são fortes e constantes; as imagens fantasmas
desaparecem como algo pontiagudo próximo da forma; ex: uma
agulha numa rolha ou um lápis na vertical.

C) FENÔMENOS QUE DIFICULTAM O TRABALHO RADIESTÉSICO


 Remanência - impregnação energética de um corpo que
permaneceu num certo local por um tempo. O período de duração
da remanência é proporcional ao tempo em que o corpo ocupou o
espaço em questão: horas ou anos. Para saber se uma radiação é
remanência ou real, coloca-se uma folha de papel em branco entre
o local em medição e o pêndulo. Se o pêndulo girar, a energia é
real; se o pêndulo parar de girar, então é energia remanente. A
remanência pode afetar locais, objetos, paredes, metais, pedras,
pêndulos e o próprio radiestesista. A matéria trabalhada produz
uma maior remanência que as brutas, principalmente metais e
materiais orgânicos.
 Fading (desvanecimento) - fenômeno provocado por radiações e
suas variações de intensidade. Na radiestesia ocorre quando as
radiações em observações desvanecem e o pêndulo paralisa. São
alterações geomagnéticas, perturbações radioelétricas, alterações
atmosféricas, cósmicas, telurismo, etc. Quando esse fenômeno
ocorre é salutar paralisar os trabalhos e reiniciar posteriormente,
após horas ou dias.

D) RESSONÂNCIA
Transferência de energia de um sistema energético oscilante para outro,
quando a frequência do primeiro coincide com uma das frequências
próprias do segundo. É por ressonância que trabalhos radiestésicos
operam, há uma sintonia do receptor com o emissor. Quando produzimos
um testemunho lexical, artificial, ou seja, escrevemos num pedaço de
papel os dados de uma pessoa ou o nome de uma pedra, ex: Rubi, e
colocamos esse papel dentro de um decágono, por meio do raio de ligação
ou raio testemunho, o papel com a inscrição liga-se à forma pessoa ou à
pedra, potencializando o testemunho e tornando-o energeticamente
como o próprio original.
Os PÊNDULOS

O pêndulo pode ser considerado como uma extensão do nosso cérebro.


Por analogia, pode-se dizer que ele é o sentido seguinte em continuidade
aos cinco sentidos. Nosso cérebro está em constante contato com todas
as energias existentes, somos a antena de maior alcance que se possa
imaginar, temos milhões de circuitos, somos transmissores e receptores,
simultaneamente de longo alcance e infinita potência. Todas as
informações podem ser detectadas através dessa antena que possuímos,
e, para transformar essas informações em sinais decodificados e exaltados
numa bonita dança pendular, basta saber ler esses movimentos. Tudo é
possível com exaustivos treinamentos.
Por teoria, qualquer peça pendurada por um fio flexível e de movimentos
livres pode ser considerada um pêndulo. Para uso nas técnicas
radiestésicas, porém, é necessário um pêndulo próprio, confiável para os
trabalhos de pesquisas. Para uso em radiestesia, o pêndulo deve ser
simétrico, isso porque seus movimentos devem ser livres e sem
tendências para um lado mais pesado ou mais leve.
Na família de pêndulos utilizados em radiestesia, há modelos diferentes
para aplicações diversas ou específicas. Os pêndulos de madeiras,
construídos de formas simétricas, são os mais comuns e com bons
resultados em pesquisas. Há outros construídos a partir de cristais e
metálicos, falaremos deles a seguir.

PÊNDULOS DE MADEIRAS

Existem em diversos formatos, tais como: Pião, Esférico, Osíris (for-mato


de pilha radiestésica).
O mais conhecido e aplicado, devido às suas particularidades e
confiabilidade, é o Pêndulo Egípcio -Vale dos Reis - Extremamente sensível
e, por isso, bastante útil em biometria e radiestesia mental. Possui um
lastro interno de chumbo e, quando girado intencionalmente no sentido
horário, produz a onda desejada (psicotrônica).

PÊNDULOS DE METAL

1 -Pião-agulha - Ótimo para prospectarem gráficos e plantas de


edificações; Prumo de uso geral, especialmente em locais externos.
2 -Cilíndrico - Graças a seu peso, esse formato é adequado para uso
comum e em campo aberto. Cilíndrico testemunho - possui uma cavidade
para que se introduza um testemunho procurado na pesquisa (cabelo,
água, mineral, saliva, gotas de sangue, foto, etc.).
3 -Testemunho Mermet - Modelo muito conhecido, também com
cavidade e muito utilizado para pesquisar sobre plantas e gráficos.
4 -Pêndulo de polaridade - Permite detectar polaridades em todos os
corpos, orgânicas e inorgânicas. São dois modelos: o de espiral anti-
saca-rolha detecta polaridade positiva e fase elétrica; o de espiral tipo
saca-rolha detecta polaridade negativa e fase magnética. Diferencia dois
corpos com o mesmo número de séries, mas com polaridades diferentes.
Polaridades nas pessoas: nos homens, a palma da mão esquerda e dorso
da direita provocam oscilações do pêndulo anti-saca-rolha ou positivo.
Também nos homens, gira-se no dorso da mão esquerda e na palma da
mão direita o pêndulo sentido saca-rolha; na mulher, os movimentos
pendulares são opostos aos dos homens. A polaridade considerada em
radiestesia é a do corpo etério e de natureza biomagnética. A polaridade
física é de natureza bioelétiica.
Pêndulos para radiestesia magnética devem ser metálicos, tipos cilíndricos
ou modelo Mermet, porém com uma carga magnética dentro de suas
cavidades. O pêndulo específico para radiestesia magnética de maior
confiabilidade é o de metal revestido com prata.

Os PÊNDULOS ESPECIAIS

A - Pêndulo de Cone Virtual / B - Cromático virtual - Permite detectar


todas as vibrações, tanto do espectro visível como do invisível. É
constituído de um bastão de madeira no qual estão gravados todos os
espectros de cores; um disco de madeira perfurado no centro permite
correr pelo bastão em busca das vibrações e de acordo com três pontos,
em nós, prefixados do cordão. Em cada um dos pontos detecta-se na
respectiva cor: biometria, ondas de forma e cor visível.
C - Pêndulo Equatorial - Unidade - É um pêndulo baseado na palavra
hebraica "unidade". Sua forma é esférica com uma cinta móvel, um cursor
no centro horizontal ( como a linha do Equador). Sintoniza cores visíveis e
invisíveis nas fases elétrica e magnética. Esse pêndulo está detalhado no
livro Ondas de Vida, Ondas de Morte, de Jean de La Foye, e é ideal para
aqueles que necessitam de um bom instrumento para ser usado em
laboratório de pesquisas.
D - Pêndulo Universal Chaumery-Bélizal - Detecta as ondas de forma de
espectro diferenciado e também emissor. Complexo para manusear, exige
treinamento específico para conhecê-lo em todo o seu potencial.
Confeccionado em esfera de madeira escolhida, nele estão gravados, em
relevo, dois meridianos e um equador. Instrumento para pesquisa
avançada.

As VARETAS
Varetas são consideradas uma continuidade avançada daqueles objetos
usados em rabdomancia na antiguidade. Usava-se forquilha de madeira,
ossos de animais, barbatanas de baleias. Hoje se usam varetas metálicas,
plásticas ou de fibra de vidro. Todas flexíveis a ponto de sinalizar o que se
prospecta conforme convenção mental e, também, a que cada uma das
variedades se presta.
Os modelos mais conhecidos:

DUAL Rod

Normalmente com duas hastes metálicas em tamanhos iguais, mas


modelos variados, em forma de L, sendo que a haste menor gira no centro
de um cabo de madeira ou metal. Esse instrumento tem grande uso para
medir fluxo de energias, pós-convenção mental do radiestesista.
Normalmente por convenção mental se entende que, quando há o
cruzamento das varetas, neste existe um fluxo de energia, sua
identificação está na busca proposta pelo radiestesista. Após uma
convenção mentalizada caminha-se com ela lentamente na busca de uma
resposta ao objetivo procurado. Quando se busca a Rede Hartmann, as
varetas se cruzam ao contatar a energia da rede. A vareta também sinaliza
diante de chakras humanos ou pesquisas hidrominerais, sempre o
convencionado mentalmente.

Lobo ANTENA

Confeccionada em arame, serve exclusivamente para detectar a Rede


Hartamnn. Seu desenho está baseado em um harmônico da rede. Quando
a antena toca a rede, ela sinaliza instantaneamente. Esse ponto tocado é o
muro energético. Encontrando-se dois pontos em linha norte/sul e dois
pontos em linha leste/oeste, estabelece-se um cruzamento da Rede
Hartmann.
AURÍMETRO OU AURA METER

Instrumento desenvolvido para detectar e medir energias abstratas. Mede


comprimento e densidade do corpo energético, além da forma.
Circunscreve a forma energética emanada do corpo ou corpos. Onde não
há energia, deduz-se que esse local é um ponto propício para doenças,
onde há eflúvios e, de acordo com o comprimento, considera-se a
vitalidade ou não. Pode ser usado para animais e plantas. De grande
utilidade para avaliação dos chakras.
PRÁTICA COM PÊNDULOS

MOVIMENTOS RADIESTÉSICOS

PREPARAÇÃO DO PÊNDULO
O pêndulo atenderá a um trabalho após treinamentos incansáveis e
constantes, e qualquer pessoa pode tornar-se radiestesista. A prática não
exige qualquer cerimonial místico, devendo seguir uma ordem inicial,
sugerida nas "Técnicas Radiestésicas Operacionais", já descritas
anteriormente, e a sequência conforme segue:
a) Segure o fio de sustentação do pêndulo pelos dedos indicador e polegar
bem próximo ao mesmo.
b) A sobra do fio enrole e concentre na palma da mão.
c) Vá soltando o fio puxado pelo peso do pêndulo em direção à palma da
outra mão ou sobre o ápice de uma pirâmide.
d) Soltando devagar e com calma, num determinado momento o pêndulo
apresentará um movimento.
e) Continue soltando, mas agora você vai sentir que, num ponto exato,
seu movimento é mais expressivo. Para algumas pessoas,
aproximadamente a quatro dedos do pêndulo.
f) Não é importante agora a posição do giro.
g) No ponto exato onde os dedos prendem o fio, dê um nó, ali é o ponto
ideal para aquele radiestesista, uma espécie de tamanho de onda.
h) Seguro do movimento, o radiestesista vai para um treinamento de
adequação convencional e procedimentos mentais de comando;
i) Tenha em mãos um modelo para treinamentos, uma folha com círculos
e traços indicando direções que o pêndulo deve seguir para treinos
incansáveis.
j) Círculo sentido horário convenciona-se: sim, verdade, bom, favorável,
positivo, sintonia, harmonia.
k) Círculo sentido anti-horário convenciona-se: mau, desequilíbrio,
negativo, não, sem sintonia, desfavorável, desarmonia.
l) Com dois objetivos ou figuras nas pontas de um traço horizontal, treina-
se com o objetivo de: se o pêndulo seguir o traço unindo os pontos
laterais convenciona-se que: há união, sintonia, ligação, com afinidade,
favorável. Com dois objetivos ainda, mas convencionar com um traço
vertical entre eles: sem ligação, sem afinidade, sem sintonia, mau, sem
união ...
A seguir uma indicação do que foi descrito acima; serve de orientação
para treinamentos: