Você está na página 1de 7

Discurso do Orador Luiz Carlos Coppolo na Formatura da Turma de Missiologia do CIEM em

22/11/2014

(fonte da foto e de dados deste evento: vide aqui )

Digníssima Diretora Executiva da União Feminina Batista do Brasil, Professora Lucia Margarida
Pereira de Brito;

Digníssima Presidente do Conselho Administrativo do Centro Integrado de Educação e


Missões, Irmã Roseli Martins Xavier Pinto;

Digníssima Diretora Executiva do Centro Integrado de Educação e Missões, Dr° Maria


Bernadete da Silva;

Ilustríssimo Paraninfo da Turma 2014, Professor Odimar Gomes Junior;

Ilustríssima Coordenadora do Curso de Graduação: Professora Sarita Montiel Rodrigues


Gonçalves;

Ilustríssima Professora Jilza Feitosa de Araújo;

Aos nossos queridos professores;

Nossos familiares;

Nossos amigos;
Nossos Irmãos em Cristo;

Formandos de 2014.

Hoje iremos refletir acerca de três pontos, diferenciando-as, para que todos possam
compreender a nossa alegria de estarmos aqui, neste exato momento.

A primeira diferenciação é: Aluno x Estudante.

Um dia li um texto interessante, que mostrava a diferença entre alunos e estudantes.

No texto dizia que aluno é aquele que está regularmente num curso, de qualquer nível,
duração ou especialidade, com a suposta finalidade de adquirir conhecimento ou ter direito a
um título.

Já o estudante, é um ser autônomo que busca uma nova competência e pretende exercê-la
paro seu benefício e benefício da sociedade.

O aluno recebe. O estudante, busca.

No texto diz que quando o sistema funciona, todos os alunos tendem a se tornar estudantes.
Quando o sistema não funciona, todos os alunos se divorciam. Com isso cresce o número de
alunos, porém diminui o número de estudantes no meio da massa discente.

Alunos entram e saem de sala de aula em bandos malemolentes, sentam-se nas carteiras
como se fosse o sofá de suas casas, diante de uma TV aguardando o show a começar. Após 20
minutos, se tanto, vem o tédio e o sono. Incapazes de se concentrar, eles espreguiçam e
bocejam.

Especialistas advogam que os estudantes estão em extinção porque a própria escola tornou-se
anacrônica, tentando ainda domesticar um público do século XXI, com métodos e conteúdo do
século XIX.

Outros especialistas apontam um fenômeno que pode ser a causa-raiz do processo de extinção
dos estudantes: trata-se da dificuldade que os jovens de hoje enfrentam para amadurecer e
desenvolver-se intelectualmente.
Tomam como argumentos o que copiam e colam de entradas da Wikipédia e do que mais
encontram nas primeiras linhas do Google. E criticam seus mestres, por serem incapazes de
fazê-los (alunos) se sentir bem com eles próprios.

Aprender cansa. Pensar dói.

Posso me considerar, hoje, como um estudante, mas posso te garantir que quando entrei era
um mero aluno. Obrigado a todos os professores e amigos que me ensinaram o caminho de
como alcançar conhecimento e entusiasmo para conhecer mais à Deus, estudando sua Palavra.

A segunda diferenciação é entre: fé x expectativa.

A expectativa quem tem é o mundo.

Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser
comparados com a glória a ser revelada em nós. A ardente expectativa da criação aguarda a
revelação dos filhos de Deus. (Romanos 8:18 e 19).

Nós cristãos temos fé.

Então, qual a diferença entre expectativa e fé? Vamos ler Hebreus 11:1 a 3

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.

Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho.

Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível
veio a existir das coisas que não aparecem.

Por que eles alcançaram bom testemunho? Porque eles entenderam, pela fé, que as coisas são
criadas pela Palavra de Deus, de modo de que o que é visível, não é feito à partir de outra coisa
visível, o que é visível é feito à partir de uma realidade INVISÍVEL da parte de Deus, por isso no
versículo 6 diz:
De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se
aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.

Isso quer dizer que sem fé não é difícil, que sem fé não é proibido, mas que sem fé é
IMPOSSÍVEL agradar à Deus. A pessoa pode se esforçar, tentar, fazer o que for, mas se ela NÂO
estiver movida de fé, ela nunca vai ter uma relação agradável com Deus, porque a fé tem que
ser na nossa vida, a certeza e a convicção de quem Deus É, e a forma de como Deus trata as
coisas a partir de quem ELE É.

A nossa fé não está apoiada na expectativa de achismo em se Deus vai ou não fazer, mas a
nossa fé foi gerada a partir daquilo que nós vimos Deus fazer, nós conhecemos a Deus a partir
daquilo que Ele FEZ por nós, quando em João 3:16, Ele ofertou seu Filho a nosso favor, aí então
nós começamos a CONHECER quem Deus É.

Essa fé então, não é uma confiança que eu tenho no que Deus fará... é uma convicção que se
forma na minha vida a partir do que Deus fez.

Porque tem gente achando que que fé é uma expectativa no que Deus... FARÁ, e fé não é
EXPECTATIVA no que Deus fará, fé é A CONVICÇÃO, É A CONSCIÊNCIA, É A FORMA CORRETA
DE PENSAR, sabendo que Deus já fez.

Tem gente achando que a fé está mais para uma paixão alucinada, por uma coisa cega, para
uma entrega irracional do que pra inteligência, consciência e entendimento.

A fé meus irmãos, não é uma forma “burra”, não é uma forma apaixonada, alucinada ou cega.

Fé é a forma mais sublime de inteligência.

Ela é racional, por isso foi dada aos homens e não aos animais. Fé é a forma mais elevada de
entendimento, é quando finalmente toda a minha maneira de pensar e de agir está orientada,
está balizada, está determinada pelo conhecimento que eu tenho de Deus. Fé é
CONHECIMENTO e não CONFIANÇA, pois, como posso confiar em quem não conheço?

Esse conhecimento que tenho EM Deus, gera em mim uma tamanha convicção que resulta em:
PAZ, SEGURANÇA, E A ESTABILIDADE que eu preciso.
Então é pelo conhecimento de Deus que eu não sou ansioso quanto ao dia de amanhã. É pelo
conhecimento do AMOR de Deus e da GRAÇA de Deus que foi manifesta a mim, que a minha
vida está calcada em FÉ (Esperança) e não em EXPECTATIVA.

Com toda a certeza, posso dizer que assim como eu deixei de ser aluno e passei a ser
estudante, deixei de viver na mera expectativa de que se Deus fará algo ou não para viver a
convicção de que Ele já FEZ e foi pela fé que nesses 4 anos que passamos aqui, tivemos nosso
caráter forjado e um preparo para lá fora não fazer errado.

A terceira e última diferenciação é entre: Discípulos x Religiosos

Há uma diferença enorme entre estes dois.

Os dois apontam para Cristo, os dois têm essência religiosa, os dois soam bem, porém, um
parte de Cristo para o homem e outro do homem para Cristo.

O religioso é aquele que acredita, ou seja, ele dá crédito aquilo que ele crê na intenção de
obter de volta algo que seja de acordo com o que foi investido. Ele crê em Deus a fim de não
ser assaltado ou não ter uma enfermidade. É uma partida do homem para com Deus. Eu creio,
logo eu tenho que obter algo em troca! O religioso está sempre disposto a fazer por Deus e
para Deus, mas nunca COM Deus. A diferença é sutil, porém muito verdadeira.

Vamos ler Marcos 10: 17 a 22:

E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-


lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?

Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus.

Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso
testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe.

Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude.

E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos
pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me.
Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas
propriedades.

Aqui está a figura do religioso! Uma pessoa que está disposta a ir correndo ao encontro de
Jesus, que está disposta a se ajoelhar e chama-lo de Mestre em reconhecimento de sua
inferioridade diante de Jesus, além da preocupação acerca de sua salvação...

O interessante é que Jesus, cita os 6 dos 10 mandamentos, os quais esta pessoa garante que se
preocupava em guardá-los cuidadosamente, porém havia um mandamento que Jesus não
tinha destacado, o qual esta pessoa estava quebrando, que é o 1° mandamento: Êxodo 20:3 a
6:

Não terás outros deuses diante de mim.

Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus,
nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que
visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me
aborrecem

e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus
mandamentos.

Este 1° mandamento estava sendo quebrado, negligenciado por este jovem religioso e rico, e
Jesus, como sempre amando a todos os que se achegam a Ele propõe um concerto dessa
quebra de mandamento, livrando-o desse peso ao dizer para o jovem rico... Vende tudo, dá
aos pobres e terás um tesouro no céu e então SEGUE-ME...

Esta expressão: SEGUE-ME... é a expressão que diferencia um DISCIPULO DE UM RELIGIOSO. O


discípulo ATENDE ao chamado, o religioso não, por estar preso as COISAS.

Eu nunca vi um grupo tão convicto de seu chamado do que este! Um grupo disposto a servir à
Deus independente do lugar, pois compreenderam que o chamado não é geográfico e sim ao
serviço ao próximo!
Hoje é um dia de muita alegria para todos nós, pois um ciclo se fecha para abertura de outro...

Talvez tenhamos entrado aqui como simples alunos, mas fomos transformados em
ESTUDANTES;

Talvez tenhamos entrado aqui cheios de expectativas, achando que era aqui a moradia de
Deus... De expectativas frustradas, passamos a ter FÉ INABALÁVEL;

Talvez tenhamos entrado aqui como religiosos querendo obter coisas de Deus... mas quero
declarar convicto do que estou dizendo... Estamos saindo verdadeiros DISCÍPULOS de CRISTO
que atendemos ao convite: SIGA-ME.

Obrigado a todos os que, direta ou indiretamente contribuíram para o nosso crescimento,


OBRIGADO JESUS CRISTO POR TER DITO A NÓS... SEGUE-ME