Você está na página 1de 8

QUARTA-FEIRA, 8 DE ABRIL 2020

O SEU IMÓVEL
SUPLEMENTO COMERCIAL ESCOLHIDO
Não pode ser vendido separadamente
A DEDO

PUBLICIDADE

imobiliário
Imobiliário
poderá aceder
a nova linha
de mil milhões
planeada pelo
Governo
O Governo está a trabalhar na criação de uma nova
linha de apoio específica para o setor do comércio e
serviços à qual as atividades imobiliárias vão poder
recorrer. É o que garante Luís Lima, presidente da
APEMIP, perspetivando que no futuro, o papel do
mediador imobiliário vai voltar a ser fulcral P02

Reativação do
mercado em três
meses pode gerar
‘boom’ de transações
em Portugal
A vontade de investir no mercado imobiliário
português não se dissipou com o atual cenário
de instabilidade gerado pelo novo coronavírus.
Continua tão presente que se a atividade recomeçar
dentro de 3 meses, o número de transações
imobiliárias poderá dar o salto P06
DR

PUBLICIDADE
02 | A Abrir | imobiliário | Quarta-feira, 8 de Abril 2020

Imobiliário poderá aceder a nova linha


de mil milhões planeada pelo Governo
O Governo está a trabalhar na criação de uma nova linha de apoio específica para o setor do comércio
e serviços à qual as atividades imobiliárias vão poder recorrer. É o que garante Luís Lima, presidente
da APEMIP, perspetivando que no futuro, o papel do mediador imobiliário vai voltar a ser fulcral.

O setor do imobiliário tem passa- da realidade. As empresas que con-


do, nos últimos anos, por uma fa- seguirem aguentar, no futuro vão
se “extremamente positiva”, re- ser mais necessárias, vão ser im-
lembra Luís Lima, presidente da prescindíveis. Qualquer promotor
APEMIP – Associação dos Profissio- ou particular que pensava que con-
nais e Empresas de Mediação Imo- seguia fazer um negócio sozinho es-
biliária de Portugal. E apesar de ain- tá errado. Cada vez mais vai preci-
da não existirem dados oficiais do sar de uma boa mediadora que o
mercado referentes a 2019, o presi- ajude a colocar o imóvel no merca-
dente garante que o crescimento foi do”, garantiu.
positivo. Mesmo em 2020, janeiro e
fevereiro foram meses igualmen- Apoios não são suficientes
te pautados por bons resultados. “É Relativamente ao novo panorama,
verdade que agora estamos a pas- Luís Lima é perentório ao afirmar
sar por uma circunstância que nos que os apoios atuais não são os su-
ultrapassou, sendo difícil neste mo- ficientes. “Temos estado em conver-
mento prever o futuro”. sações com o Governo sobre esse te-
Luís Lima salienta, no entanto, ma. A única linha de crédito à qual
a resiliência do setor da mediação poderíamos aceder, dos 200 milhões
imobiliária, que na altura da Troika de euros, já está completamente es-
“foi essencial na recuperação econó- gotada. Já não há dinheiro”, aler-
mica do país” e igualmente essen- tou. “Felizmente, através da CCP, e
cial para o setor imobiliário em ge- em negociação com o Governo, con-
ral. “Qual era o promotor que não seguimos inserir a mediação numa
precisava de trabalhar com uma nova linha específica para o setor
mediadora imobiliária? Qual era do comércio e serviços, que inclui o
o particular que não precisava de CAE da mediação imobiliária, uma
uma mediadora? O número de tran- linha de cerca de mil milhões de
sações mediadas nessa chegou a ser euros, com condições semelhantes
de 74%”. Nos últimos tempos, esta às do turismo e da restauração, que
percentagem veio a decair, admi- nos vai ajudar imenso”.
te o presidente da APM. “À medida Nos últimos anos, o setor imo-
que diminuiu o stock, o peso e a im- biliário, no entender deste respon-
portância dos mediadores no negó- sável, foi uma âncora segura, com
cio deixou de ser tanta”, explicou o muita gente a investir as suas pou-
responsável, no Conversas Diárias panças neste mercado, algo que vai
– Especial Covid-19, uma colabora- continuar a acontecer, diz. “Nos pró-
ção entre o Público Imobiliário e a ximos dois ou três meses vamos
Vida Imobiliária. “No futuro, o pa- preocupar-nos mais com a saúde,
pel do mediador imobiliário vai vol- mas depois disso sim, vai continuar
tar a ser fulcral. Isto não é dar fal- a ser uma opção. O imobiliário já
sas esperanças, é uma constatação mostrou no passado que pode ter
um papel preponderante na recupe-
ração do país. Pedimos que as pes-
soas não reajam emocionalmente.
Quem tiver capacidade financeira e
puder aguentar, teremos no futuro
uma estabilização de preços”. O líder
associativo é da opinião que o imo-
biliário vai recuperar até mais ra-
pidamente que o setor do turismo.
Luís Lima “Vai ajudar a captar investimento
estrangeiro”.
é perentório Aliás, Luís Lima admite que a re-
cuperação vai ser difícil, mas num
tempo mais longínquo Portugal po-
ao afirmar derá até recuperar mais rápido que
outros países. “Nos últimos três me-
que os apoios ses do ano vamos trabalhar noite e
dia para tentar recuperar o que for
atuais não possível, com eventos atrás de even-
tos. Acredito que no fim do Estado
são os de Emergência saia um decreto com
duração de três meses a proibir a or-
suficientes ganização de eventos”.
04 | Oportunidades | imobiliário | Quarta-feira, 8 de Abril 2020

Negócio imobiliário reinventa-se


face a nova realidade
Visitas virtuais, teletrabalho e formações online são algumas das ferramentas que o negócio imobiliário tem vindo
a adotar para a promoção e venda dos seus ativos. Millennium bcp lança nova fase do Faça a sua Oferta, uma ação digital.

MILLENNIUM BCP

A nova realidade que nos foi impos- dental, o tráfego tenha aumenta- também poderá ser um teste-pilo-
ta levou-nos a reinventar a forma de do em até 70%. No entanto, os ope- to para o futuro. Num mundo ca- Segmento /descrição Áreas (m2) Preços (€)
atuar a vários níveis. Quer em ter- radores têm garantido a sustenta- da vez mais digitalizado e globali-
mos pessoais, quer em termos pro- bilidade dos serviços com níveis de zado, com clientes de toda a par- Residencial Apartamentos T1 a T4 59 a 277 40.000 a 133.000
fissionais, foi necessária toda uma qualidade elevados. te do planeta, esta poderá ser uma
adaptação que nos permita ultra- Outro aspeto que tem sido di- solução a utilizar com maior fre- Moradias V1 a V5 59 a 405 127.000 a 365.000
passar, com o mínimo de impacto namizado são as formações onli- quência em alguns momentos da
possível estes desafiantes meses. ne, com várias empresas do setor a negociação. Isso permitirá poupar Terrenos com ruínas 2.085 e 4.344 25.000 e 52.000
A pandemia provocada pelo no- apresentarem um aumento de 115% tempo aos nossos clientes e investi-
vo Coronavírus apresentou grandes nas ações de formação em forma- dores, além de otimizar o trabalho Armazéns 100 a 645 68.000 a 250.000
desafios para o mercado, nomeada- to Live Training e um aumento de das equipas e tornar mais eficien-
mente o imobiliário, que levaram 288% na sua atividade formativa te todo o processo, quer da negocia- Lojas e escritórios 36 a 240 3.900 a 160.000
inevitavelmente à criação de res- em e-Learning, comparativamen- ção, quer da conclusão dos negócios.
postas inovadoras. As estratégias te a 2019, com especial incidência no Terrenos 1.620 a 11.000 1.900 a 90.000
comerciais tiveram, por isso, de ser mês de março, altura que se verifi- Ação ‘Faça a sua oferta’
reformuladas para fomentar a re- cou a evolução da pandemia. Atento à evolução do mercado
cuperação económica e um fluxo Outra das novidades no processo e às suas atuais contingências, cluindo ilhas. “A abrangência terri- hoje cada vez mais, atribuindo um
estável de receitas do parque imo- de venda online, e neste caso mais o Millennium bcp reforçou a co- torial é ainda mais extensa quan- benefício efetivo ao cliente caso o
biliário. Inovações que poderão as- direcionado ao mercado imobiliá- municação da ação comercial ‘Fa- do falamos em 42 freguesias de Banco aceite a proposta feita. A ação
sumir-se como cruciais no regres- rio, têm sido as visitas aos ativos ça a sua oferta’, digital e já online, 37 concelhos como pano de fundo comercial já não é nova, já existe há
so ao crescimento. em live streaming, permitindo aos que pode ser consultada em “Cam- para armazéns, espaços comer- cerca de seis anos, “mas dado o va-
Uma delas é claramente o teletra- clientes um contacto mais próxi- panhas” no site do Imobiliário ciais e escritórios, terrenos e habi- lor que os clientes lhe têm atribuí-
balho, com os profissionais a ado- mo e personalizado com os imóveis, www.millenniumbcp.pt – este por- tação (moradias e apartamentos) do e as suas caraterísticas digitais,
tarem várias ferramentas de pro- sem deixar de garantir as necessi- tal funciona como canal de venda, e para os quais os clientes, caso acreditamos ser um formato a re-
dutividade e comunicação, aliadas dades de afastamento social impos- com receção de propostas. não concordem com o preço anun- novar, pelo menos num futuro pró-
a uma forte componente de segu- tas pela pandemia. Aliás, são vários Segundo o Banco, neste segun- ciado, poderão fazer a sua propos- ximo. No entanto, e no processo glo-
rança, para manterem a sua ativi- os players que admitem que recor- do trimestre, que já iniciou, são ta de preço de aquisição”, explica o bal desta ação, não podemos des-
dade profissional. Ferramentas ob- rer a este tipo de processos, trata-se mais de 40 imóveis envolvidos na Millennium bcp. curar o papel dos nossos parceiros
viamente sustentadas na Internet, não só de criar uma oportunidade ação comercial, distribuídos por 18 Trata-se de uma campanha que mediadores, atualmente também
o que levou a que, na Europa Oci- no atual momento de crise, como distritos de norte a sul do país, in- utiliza um canal diferenciador, e mais reinventado”.
Quarta-feira, 8 de Abril 2020 | imobiliário | Oportunidades | 05

IMOBILIÁRIO Oportunidades
Preço da habitação em Mais Oportunidades Millennium na área de imobiliário de millenniumbcp.pt
Portugal atinge 1.706€/m2 Marque as suas visitas através da linha M Imóveis 707 91 20 20 (atendimento personalizado das 10h-22h)
Custo máximo por minuto: 0,10€ para chamadas a partir da rede fixa e 0,25€ para chamadas a partir da rede móvel. Acresce IVA.
em fevereiro
CONHEÇA TODOS OS IMÓVEIS DA AÇÃO COMERCIAL FAÇA A SUA OFERTA EM WWW.MILLENNIUMBCP.PT
De acordo com os mais recentes da-
dos do SIR-Sistema de Informação
Residencial, o preço médio de venda Apartamento T2, com arrecadação no sótão Moradia V5, com 3 pisos e arquitetura típica madeirense,
da habitação em fevereiro (acumulado
Ref.: 108625 ∙ Distrito: Évora ∙ Concelho: Vendas Novas ∙ Morada: Rua dos Bombeiros para habitação e com potencial para Hotel de cidade
Voluntários 24 – r/ch Esq, 7080-091 Vendas Novas ∙ Área: 78 m2 ∙ Preço: 78.000 € Ref.: 106943 ∙ Distrito: Madeira ∙ Concelho: Funchal
de 12 meses) atingiu os 1.706€/m2 em
Morada: Rua da Torrinha 58, 9050-429 ∙ Área: 420 m2 ∙ Preço: 365.000 €
Portugal Continental. Tal valor atinge
os 1.840€/m2 nos apartamentos e os
1.217€/m2 nas moradias.
A Área Metropolitana (AM) de Lisboa
apresenta o valor mais elevado, de
2.093€/m2, seguida pela região do
Algarve, em 1.749€/m2. Na AM Porto,
o preço médio de venda da habitação
ascende a 1.418€/m2, destacando-se
ainda o Alentejo, com um preço de
1.081€/m2. As regiões Norte e Centro
apresentam em fevereiro preços mé-
dios de venda de, respetivamente,
847€/m2 e 956€/m2.
Em termos do tempo médio de
venda, o país situa tal indicador em Moradia V4, com 3 pisos, aspiração central, estacionamento Moradia V5, com logradouro, cave e sub-cave
6 meses, impulsionado pelos 5 meses em cave, logradouro e com serviços e comércio próximos Ref.: 101771 ∙ Distrito: Santarém ∙ Concelho: Abrantes ∙ Morada: Rua 5 de Outubro,
registados nas Áreas Metropolitanas Ref.: 108454 ∙ Distrito: Portalegre ∙ Concelho: Elvas ∙ Morada: Rua Dra. Adelaide EN 489, 2200-371 Abrantes ∙ Área: 275 m2 ∙ Preço: 184.000
de Lisboa e Porto. No Norte, este Cabette 25, 7350-314 Funchal ∙ Área: 238 m2 ∙ Preço: 235.000 €
indicador está em 6 meses, no Algarve
em 7 meses, enquanto que no Centro
e Alentejo está, em respetivamente,
8 e 9 meses.

1.840€/m2 Espaço comercial com armazém na cave e logradouro, Espaço comercial amplo, inserido no rés do chão de um edifício
Preço médio de venda com boa visibilidade e localização central com 4 pisos residenciais, bem localizado
Ref.: 723 ∙ Distrito: Aveiro ∙ Concelho: Santa Maria da Feira ∙ Morada: Av. Monte Ref.: 36180 ∙ Distrito: Lisboa ∙ Concelho: Vila Franca de Xira ∙ Morada: Rua Dr. Miguel
dos apartamentos de Cima 22- r/ch, 4535-268 Paços Brandão ∙ Área: 136 m2 ∙ Preço: 98.000 € Bombarda 248 A – r/ch, 2600-197 Vila Franca de Xira ∙ Área: 59 m2 ∙ Preço: 72.000 €
em Portugal (Fev2020)

1.217€/m2
Preço médio de venda
das moradias em Portugal
Escritório composto por 2 espaços amplos, 4 gabinetes e 2 wc Armazém com estacionamento amplo, bem localizado,
(Fev2020) Ref.: 107522 ∙ Distrito: Vila Real ∙ Concelho: Mondim de Basto ∙ Morada: Rua do alto com potencial para ginásio, comércio retalhista,
do Casabril, Bloco A r/ch, 4880-161 Mondim de Basto ∙ Área: 175 m2 ∙ Preço: 96.000 € grossista ou supermercado
Ref.: 84397 ∙ Distrito: Aveiro ∙ Concelho: O. Azeméis, Riba-Ul, Ul, Macinhata
Seixa e Madail ∙ Área: 1.060 m2 ∙ Preço: 610.000 €

6 meses
Tempo médio de venda
da habitação em Portugal
(Fev. 2020)
06 | Atualidade | imobiliário | Quarta-feira, 8 de Abril 2020

Reativação do mercado Investimento: serenidade


em três meses pode cautelosa deve imperar
gerar ‘boom’ de transações Dirigimo-nos a todos os que
investem ou pensam investir
em Portugal.
aguentar alguns meses sem gerar
influxos de caixa significativo
– e aqui ficamos orgulhosos de

em Portugal Muito se tem falado, com


algum alarmismo, da descida
dos preços e da consequente
poder dizer que são a maioria das
empresas associadas da APPII,
estando prontos para aguentar
quebra do mercado imobiliário. este período com pouca receita
A vontade de investir no mercado imobiliário português Hugo Santos Julgamos que devemos abordar (com as tais vendas diretas
não se dissipou com o atual cenário de instabilidade Ferreira o tema serena e cautelosamente. online e as operações futuras que
gerado pelo novo coronavírus. Continua tão presente que Vice-Presidente Para já constatamos o evidente preparam em conjunto com os
Executivo, de que vivemos uma das piores seus investidores/acionistas),
se a atividade recomeçar dentro de 3 meses, o número APPII-Associação paralisações dos últimos mas tendo capacidade de
de transações imobiliárias poderá dar o salto. Portuguesa tempos e que a economia global assegurar, no imediato, o
de Promotores irá, naturalmente, abrandar. pagamento a trabalhadores e
e Investidores Acontecerá na indústria, no a fornecedores de uma fileira
Imobiliários comércio, no turismo e, de inteira que deles depende.
www.appii.pt forma honesta, há que dizer Por outro lado, como diz o
também no imobiliário. ditado “quem anda à chuva
Sucede que no nosso setor molha-se” e neste momento
se prevê um abrandamento só terá de “andar chuva” quem
temporário e contextual, tem de se “molhar”. Ou seja,
antecipando os investidores um só aqueles que necessitem de
pouco por todo o mundo que a gerar o tal influxo de caixa para
recuperação será relativamente fazer face a despesa corrente é
rápida e que pode vir a acontecer, que terão de ir neste momento
pese embora a incerteza de algo ao mercado em situação de
que é novo e com consequências necessidade, colocando os seus
imprevistas, em 6-12 meses. ativos em comercialização a
Adicionalmente diríamos preços mais baixos ou a desconto.
que os “fundamentals”, que Há que ser perentório nesta fase
permitiram ao nosso mercado de incertezas: não acreditamos e
consolidar-se como um dos não temos visto os promotores e
destinos preferenciais dos investidores associados da APPII a
investidores de todo o mundo, fazer nem uma coisa nem outra,
se manterão (à exceção do não andando “à chuva”, não
DR
turismo). Isto se o Governo tendo assim de se “molhar”. Têm
assim o permitir, pensando por preferido resguardar-se, precaver-
Esta é a previsão de Cristina Arou- levante ter sido registada em mar- exemplo que será necessário se no sentido de poderem não
ca, head of research na CBRE Portu- ço e de se assistir a "uma suspensão arrepiar caminho das propostas gerar receita ou gerar muito
gal, que no seu relatório mais recen- quase completa de novos processos de de revisão que existem para pouca, tentando manter a
te “The Impact of Covid-19 on Real vendas no mercado", há vários atores os programas de captação de atividade possível e então
Estate in Portugal” avança ainda que com capital disponível a mostrar in- investimento estrangeiro, depois da tempestade, quando
o investimento comercial total no fi- teresse em investir na aquisição de Golden Visa e RNH. chegar a bonança, regressarem
nal do ano deverá situa-se em torno ativos mesmo nesta fase. Ainda as- Diga-se ainda, em prol da ao mercado em força, com a
dos dois biliões de euros. sim, dadas as circunstâncias, a con- confiança dos que apostam no consequência dos seus ativos
Este é um valor inferior ao inicial- clusão de alguns negócios pode esten- sector e que nele acreditam não terem depreciado ou terem
mente esperado de 3 biliões de euros der-se até 2021. (imobiliário=confiança), que depreciado pouco e poderem
– o registado nos últimos dois anos. Por outro lado, "a maioria dos in- a informação que nos chega retomar a sua atividade normal,
Mas Cristina Arouca sublinha que vestidores continua interessada nas dos promotores e investidores encontrando um mercado,
"a rotatividade de investimentos foi negociações que já estavam em cur- imobiliários é a de que, mesmo em matéria de preços e valor
muito alta nos primeiros dois meses so", pelo que a CBRE tem agido de for- com todas as contingências dos ativos, parecido com o que
de 2020, atingindo aproximadamen- ma a acelerar os processos e fechar e abrandamentos, a maioria deixaram antes da Pandemia.
te 800 milhões de euros no final do as operações, na expectativa de o país tem conseguido, com muita Em resumo, há que, serena
primeiro trimestre", levando assim voltar à sua atividade normal no cur- perseverança, determinação e de forma cautelosa em prol
a CBRE a esperar pelo menos um va- to-médio prazo. e uso de todas as possíveis e da manutenção da necessária
lor "muito superior ao 1,3 biliões de Ainda assim, Cristina Arouca não inimagináveis tecnologias, confiança no nosso mercado,
euros registados em 2007, o melhor esconde que as restrições nas viagens manter a atividade, desdramatizar a descida de preços
ano antes da crise financeira global". têm um "impacto significativo nos continuando a existir a procura que os gráficos de amanhã vão
Apesar de nenhuma transação re- processos de transação e na conclu- dos investidores internacionais, mostrar no sector. Será normal
são dos negócios", já que a maioria estando a fechar vendas diretas e esperado para este momento
dos investidores que hoje está a apos- online e conseguindo manter, de paralisação, dela tendo de
tar em Portugal são estrangeiros (88% na medida do possível, os sofrer os que infelizmente
A maioria dos em 2019). Este cenário obriga a adiar projetos de construção. tiverem de ir agora ao mercado,
visitas às propriedades e a prolongar Dito isto, acreditamos que mas prevendo-se que tal seja
investidores continua os processos de due diligence. a maioria desses promotores provisório e de rápida inversão,
Sobre o futuro do mercado imobi- e investidores imobiliários para uma recuperação célere,
interessada nas liário português, a head of research se profissionalizaram muito devendo o sector do investimento
na CBRE Portugal não tem dúvidas: e souberam precaver as suas imobiliário encontrar-se então
negociações que já "Quanto mais tempo a incerteza per- tesourarias para imprevistos nessa altura capaz e preparado
manecer no mercado, mais signifi- desta natureza, tendo as suas para, mais uma vez, estar à altura
estavam em curso cativo será o seu impacto". “caixas” preparadas para de ajudar todo o País.
Quarta-feira, 8 de Abril 2020 | imobiliário | Opinião | 07

A ligeireza não trava O efeito multiplicador


o tsunami na retoma da economia
Através de diversas fontes, agora as pessoas. Neste momento, não é uma tarefa Banca, a suspensão do pagamento
tenho tomado conhecimento Felizmente, cada banco fácil falar de futuro e de retoma dos impostos, incluindo-se aqui o
que são aos milhares pode ir mais longe em termos económica. A propagação do vírus IMI e o AIMI, o pagamento imediato
os pedidos de acesso às da flexibilidade daquilo que é, ainda, uma realidade dura, de todas as dívidas do Estado a
moratórias de crédito. se dispõe a oferecer aos seus não só em Portugal, mas também fornecedores, a disponibilização de
Diariamente os bancos têm clientes, como o fazem já dois na generalidade do mundo e orientações técnicas que permitam
sido inundados com pedidos bancos que apresentaram é compreensível que todas as impedir a penalização das empresas
Luís Lima de ajuda sobre as soluções que moratórias próprias que vão Manuel atenções estejam voltadas para pela impossibilidade de realizar
Presidente pretendem a suspensão do além da regulamentação Reis Campos mitigar o surto pandémico e, no as obras e o apoio ao Setor na
da APEMIP crédito à habitação, o que é exigida, e dão um verdadeiro Presidente da CPCI plano económico, para suster os manutenção da sua atividade,
luislima@apemip.pt verdadeiramente revelador das exemplo ao sector financeiro e da AICCOPN impactos imediatos junto do tecido tendo sido apresentado ao Governo
dificuldades que as famílias ao revelar preocupação com empresarial. Porém, é necessário o projeto "Criar Resiliência na
estão a viver, e que por vezes as pessoas e empresas, para começar a preparar a reconstrução Indústria da Construção - Um plano
chegam a refletir uma quebra que possam conseguir ter da nossa economia, o que passa, para a Continuidade no âmbito do
total de rendimentos. algum alívio orçamental, desde já, pela resolução das COVID-19”.
O decreto do Governo evitando que entrem em dificuldades que as empresas estão São soluções indispensáveis e que
que visa regulamentar a incumprimento o que, no a enfrentar no seu dia-a-dia, mas, queremos ver implementadas com
atribuição das moratórias final de contas, será mau simultaneamente, pelo planeamento celeridade, cujo objetivo é mitigar
pelo sector financeiro deveria para todas as partes: para as do próximo ciclo, que terá se ser os danos desta crise a ajudar as
ter ido muito mais além, famílias e empresas, entrar de recuperação de uma crise sem empresas a manter a sua atividade
pois medidas tomadas são na “lista negra” do Banco de precedentes e, consequentemente, e o emprego e, consequentemente,
insuficientes perante a nossa Portugal é uma machadada precisará de uma resposta rápida e a responder ao repto que foi feito,
realidade. A situação seria que poderá levar a um colapso sem precedentes. tanto pelo Governo, como pelo
mais simples se a medida do inimaginável, e para a banca E se, no passado, coube sempre à Presidente da República: o País não
Estado fosse mais abrangente, pela necessidade de aumento Construção e Imobiliário o papel de pode parar. E, às obras em curso,
quer nos empréstimos a de provisões. motor da economia e do emprego, tanto públicas como privadas, que
incluir, quer nos critérios de É este o papel que se espera desta vez não será diferente. têm de ser concretizadas, terão de
admissibilidade. da banca, para que se evite Recordo que, no seu conjunto, esta se juntar todos aqueles projetos que
Não se compreende que o colapso das pessoas e das fileira representa 600 mil postos Portugal vai precisar para reiniciar
nem todas as pessoas ou empresas, sobretudo as micro de trabalho, 17,4% do PIB e 50,5% a sua economia e emergir mais
empresas possam aceder a e PME’s, que se suportam do Investimento. No nosso País, a competitivo e coeso, tanto no plano
esta moratória. Não se percebe muitas vezes nas entradas de declaração de Estado de Emergência social, como no plano territorial.
porque é que não foi estendida caixa para gerir as suas contas. e a sua posterior renovação, não Cumprir o planeamento do
a outros tipos de crédito, O momento que vivemos decretaram a suspensão das investimento público, aproveitar
como ao crédito ao consumo, exige bom senso e que sejam obras. Tal como na generalidade todos os recursos comunitários que
automóvel ou para segunda tomadas medidas disruptivas da Europa, foi pedido ao Setor um vão ser postos à nossa disposição
habitação que têm um peso e céleres para que se possa esforço muito significativo para porque, recordo, é na Construção
bastante considerável nas evitar que sejam destruídas continuar a trabalhar, ainda que e no Imobiliário e no seu efeito
contas das famílias. Não se empresas e postos de trabalho. com todos os constrangimentos multiplicador na economia e
entende porque é que não foi Se este bom senso não vem que conhecemos. É necessário no emprego que a Europa está a
considerado um prazo mais de quem deveria ser o primeiro proteger os trabalhadores, cumprir apostar, e manter a atratividade
alargado, por exemplo 12 a alinhar-se para o ter, o as orientações da DGS e demais para o investimento privado
meses em vez de seis, que Governo deve ir mais longe Autoridades, fazer face a inúmeros nacional e estrangeiro, são fatores
permita um maior alívio do nas suas exigências, sobretudo problemas, como a falta de materiais determinantes. Trata-se de um
orçamento familiar. quando estas não afetam o e equipamentos e, não menos Setor decisivo para muitas outras
Para o Governo esta saldo orçamental. importante, lidar com o medo que se atividades como o turismo, o
regulamentação teria custo Apesar de bem- foi instalando na nossa sociedade. comércio e a indústria. É necessário,
zero, e para muitas famílias intencionadas, as medidas É certo que continuamos a mais do que nunca, capacidade
e empresas seria uma apresentadas até agora têm aguardar as medidas excecionais e para avançar com rapidez e, como
verdadeira salvação do sido excessivamente ligeiras orientadas para a nossa atividade, é evidente, com a participação
colapso que se adivinha. perante o tsunami que se que não nos temos cansado de das empresas e dos trabalhadores
Perante este cenário, deveria aproxima, e que exigem uma repetir. Refiro-me a questões como portugueses que, uma vez mais, não
ser o sector financeiro, que maior firmeza na defesa da o acesso simplificado e generalizado deixarão de corresponder ao desafio
tanto tem sido ajudado por economia, e em particular das a linhas de crédito vantajosas e ao que é voltar a colocar Portugal numa
todos os portugueses, a ajudar micro e pequenas empresas. lay-off, a moratória dos créditos à rota de crescimento.

PUBLICIDADE

EXCLUSIVO
ASSINANTES

Assine VI Digital por apenas

vidaimobiliaria.com/conversas-diarias
19,99€