Você está na página 1de 8

Guia Completo dos Padrões de Linguagem

Guia Completo dos Padrões de Linguagem


Os sete mandamentos para se usar os temidos Padrões hipnóticos do tio
Ross

Padrões de Linguagem é uma técnica de HIPNOSE cujo único intuito é


ELICIAR as respostas românticas intensas que uma pessoa já POSSUI e
ASSOCIAS-LA a você.

Qual o pré-requisito básico para se criar e usar os Padrões de


Linguagem?

Só existe um requisito para se usar os Padrões de Linguagem em seu


arsenal, sem o qual você pode esquecer para sempre de usar os
Padrões (e a maioria das outras técnicas de sedução...).

É a CRIATIVIDADE. Só isso, criatividade!!! Esse é o fator que faltou ser


enfatizado em Rafael BC e que contribuiu para um grande desserviço
em relação aos aspirantes a Puas.
Você não precisa seguir porra nenhuma de script, memorizar porra
nenhuma de nada, mas apenas CONHECER A LÓGICA E ESTRUTURA do
que se chama de Padrões de Linguagem e trabalhar a sua inteligência
e criatividade em cima dela.

Grave isso na sua mente: CRIATIVIDADE!... CRIATIVIDADE!!...


CRIATIVIDADE!!!.

Como usar os Padrões de Linguagem?

Acredito que os Padrões de Linguagem se encaixe naquilo que os Puas


chama de Jogo Indireto, sendo que não é necessário, e até mesmo
dispensável – devido ao fator Resistência – você se apresentar como
candidato a ficar/namorar/transar com uma fêmea. Ademais, os
Padrões de Linguagem podem ser embutidos em qualquer
conversação, desde que vocês ofereçam um contexto para que ele
possa ser usado.

Segundo Ron Louis e David Copeland, no livro Como se dar bem com as
mulheres, você deve dar uma “desculpa” para embutir os Padrões de
Linguagem. Já o lastimoso Rafael B. Correa, chama essa desculpa de
“Frase Evasiva”. Seja como for, essa desculpa pode ser:
• Vi um programa de TV outro dia e isso me fez pensar sobre a idéia de
atração...
• Estava conversando com uma amiga sobre isto e quis saber qual era a
sua opinião...
• Ultimamente, tenho me divertido muito perguntando às pessoas sobre
um romance...
• Qualquer um que você queira inventar.

Então, lance os Padrões de Linguagem!!!

Quando usar os Padrões de Linguagem?

Você pode usar os Padrões de Linguagem como um openner, para abrir


a interação, chamando a atenção para uma coisa engraçada, uma
curiosidade, etc. Pode usar durante o processo de sedução também,
rapport, etc., sendo que os Padrões de Linguagem jamais podem ser
considerada a única técnica a ser usada. Você também pode usa-la no
kiss close e, até mesmo, para o Fuck Close.

Nos diversos posts que tenho lido, venho reparando que os kras que
mais criticam os Padrões de Linguagem são aqueles que, no momento
de aperto, mais o usam. Já perdi a conta de quantos já usaram neste
contexto. Você está lá com a gata, a atração já foi criada, mas falta
uma razão, pretexto ou “clima” para você finalizar com um beijo.
Mesmo sentindo atração, a gata pode fazer c* doce e, assim, os
Padrões de Linguagem são um ótimo meio para burlar este obstáculo.
Lembre-se: se não for para alienar as pessoas, utilize um Padrão “Light”,
algo leve, nada de comandos, truísmos, essas coisas. No caso do Kiss e
Fuck, os Padrões são mais que úteis e necessários, se você não
consegue alcançar estes fins por outros meios.

Como criar os Padrões de Linguagem?

Para se criar os Padrões de Linguagem é necessário que você faça os


seguintes requisitos:

1. Voz pausada

É essencialmente falar lentamente, com pausas e num ritmo apenas.


Vantagem: Irá lhe dar tempo para pensar sobre o que acrescentar
• Tem que ser melodiosa, com tonalidade sensual
• Ser congruente com o que fala, ou seja, se falar de amor, incorpore o
amor em seu espírito e deixe isso transparecer em seu olhar, gostos e
voz.
2. Captação de estado anterior

Segundo Grinder e Bandler, o modo mais fácil de se hipnotizar uma


pessoa é perguntando a ela se ela já entrou em transe alguma vez e
pedir que ela conte com detalhes como ocorreu. Segundo eles, no
momento em que elas fazem isso, já começam a entrar em transe.

Este é o mesmo principio usado no livro Como se dar bem com as


mulheres, de Ron Louis e David Copeland. Eles afirmam: “Se você
perguntar a uma mulher qual foi a primeira vez que ela se sentiu
completamente encantada por um homem, ela recordará
automaticamente essa experiência. Ela começará a REVIVER o
sentimento daquele momento”.

Assim, você pode:


• Perguntar coisas do tipo: “Você já sentiu um impulso irresistível por
alguém, ainda que não soubesse a causa?”
Ou
• Ir direto as descrições românticas.

3. Truísmo (dispensável na maioria dos casos...)

Se consiste em fazer afirmações que possuam embasamento na


experiência sensorial (percepção) ATUAL da pessoa, para calibrar, ao
mesmo tempo em que a tire da passividade diante dos Padrões. Tais
como:

• Ficar consciente do som de sua voz... (já que voce estará falando
com ela)
• Ouvir os outros sons das pessoas/algo na sala...
• Ficar consciente do aumento e diminuição da respiração do seu peito
• Ficar consciente do leve balançar de sua cabeça enquanto ela ouvia
...

A isso chamamos de Espelhamento verbal. O próximo passo é dar


comandos. Truísmo serve exatamente para isso: malear a mente da
pessoa para faze-la ficar vulnerável a comandos.
Você pode fazer três afirmações sensoriais, e uma última QUE VOCE
QUISER que ela sinta. Ex.:
“... e ela podia ficar consciente do som de sua voz... e enquanto ela
ouvia o som de sua voz, ela podia ouvir também os outros sons das
pessoas na sala... e ela podia ficar consciente... do aumento e
diminuição da respiração do seu peito... e o leve balançar de sua
cabeça enquanto ela ouvia... e A PENETRANTE, E PROFUNDA RIQUEZA DA
VOZ DELE...” (Exemplo do Ross Jeffries, em uma Storytelling sobre sua
amiga ...).

Obs.: não é obrigatório usar isto, pois serve mais para aqueles scripts
mais longos, nos quais você quer mesmo é alienar a mente da coitada!

4. Transições

As transições são uma grande arma no uso dos Padrões, pois permite
que você passe de uma idéia a outra, mesmo que as duas não tenham
nada a ver com a outra. Se consistem em simplesmente usar as
palavras “E”, “ENQUANTO”, “QUANDO” e “PORQUE”.

Como o Overruner certa vez disse:


“Quando usarmos as palavras E, ENQUANTO, QUANDO e PORQUE na
sedução, elas também servirão como espécies de pontes que ligarão
nossas idéias às dela e poderemos então, conforme ela vai
acompanhando seu raciocínio, prendê-la nele e enfim sugerir
sensações que a mente dela irá reproduzir como se fossem reais, até
que voce torne aquilo algo agradável... e enquanto voce sente que ela
começa a viajar nas suas palavras, voce poderá se aproximar mais e
mais dela, até que ela não apresente mais barreira nenhuma para voce
e voce possa realizar aquilo que voce colocou na cabeça dela, porque
aquilo trouxe ótimas sensações nela e enquanto voce falava, voce
deixou-a com vontade de senti-las... então você ve um rinoceronte
vindo em sua direção (sentiu como o pulo entre as frases pode ser
doloroso e pode fazer voce perder totalmente o raciocionio enquanto
falo?? rsrs)”

Exemplo na sedução:

“ENQUANTO estamos aqui, voce pode nao ter percebido ainda, mas
estamos cada vez mais próximos, E ENQUANTO você me olha desta
forma, pode sentir seus lábios ficarem mais secos E voce sente a
necessidade de passar a lingua entre eles PORQUE voce se sente cada
vez mais necessidade se aproximar mais, E ENQUANTO esta vontade
aumenta, pode sentir seus olhos ficando pesados E uma leve inclinação
no pescoço ENQUANTO se prepara para ser beijada” (Overrunner).

5. Descrições de experiências românticas

Esta parte segue a parte Captação de estado anterior, e o intuito é


aprofundar a experiência romântica que quer que ela sinta estando
com você.
Aqui você deve fazer descrições das experiências sensoriais
relacionadas às experiências internas românticas. Para isso, você deve
conhecer algumas dessas experiências. Se você já se apaixonou, você
pode usar o ESTADO que você ficou para comunicar isso a ela. Se não,
atente-se aos seguintes:
Ex.: Corporais:
• Respiração mudando,
• Batimentos do coração acelerando ...
• Frio na barriga, ou “borboletas” (Ross Jeffries, em The Game)
• Tremedeira pelo corpo
• Arrepio
• Olhar intenso
• Movimentos involuntários
• Etc. e etc.

Ex.: Mentais
• Ficar encantada
• Fascinada
• Sentir atraída
• Química
• Apaixonada
• Sentir o tem parar
• Sentir o mundo girar ao seu redor
• Sentir uma louca vontade de beijar
• Etc.

Com o tempo você vai ver como é fácil descrever experiências


românticas, e vai ainda descobrir mais e mais fáceis de serem usadas.

6. Ambigüidade de referências

As vezes nas conversas é possível usar índices de referencia que ponha,


o interlocutor e o público, em uma dinâmica ativa, sem que eles
realmente se relacionem no diálogo. Isso ocorre naturalmente, mas no
caso dos Padrões de Linguagem, isso intensifica o processo de
associação dos sentimentos que você quer que uma pessoa sinta por
você.

• Uso de “Nós” e seus derivados, sem especificar de quem está falando

Exemplo tirado o Rafael BC, que plagiou de nao sei quem...


“Quer dizer, é estranho... Primeiro ESTAMOS muito apaixonados.
Sentimos como se o mundo girasse em torno de NÓS... Você sabe como
é se sentir totalmente apaixonado, certo? NÓS nos olhávamos nos olhos
(olhe ela nos olhos) e PODÍAMOS ver a alma um do outro... ver e sentir...
aquele amor... queimando dentro de NÓS... tão perto que dava para
tocar (toque no braço dela ou um gesto sem contato físico em direção
ao peitodela)... Lembro desse laço entre nós... tão forte.... tão
poderoso... às vezes é assim, não é?”

Note que o ESTAMOS e derivados PODERIAM fazer referencia a


namorada de quem está pronunciando os Padrões de Linguagem, ou a
toda a raça humana em geral, etc. Em todo caso, isso cria uma
dinamica, tirando a mulher da passividade e a envolvendo na
experiencia.

• Uso de “Você” e seus derivados, sem especificar de quem está


falando

Exemplo do Overrunner:
“Eu nao quero mais falar disso... até porque falar de beijar alguém é tao
estranho... VOCE começa a passar um filme na sua cabeça de todas as
vezes que VOCE beijou alguem e como se sentia feliz... comigo... isso
acontece com frequencia... muita felicidade... PODE (quem?) até sentir
os labios secarem... e VOCE sente a necessidade inclusive de passar a
lingua para molha-los... e VOCE fica querendo beijar mais esse
alguem... alguem que pudesse TE tornar especial... alguem que TE
proporcionaria um estado de prazer... e... e simplesmente esta pessoa TE
olha de uma forma que nao existem meios para nao beija-la...”.

• “...COMIGO ... AGORA...”: se consiste num tipo de ambiguidade dupla,


tanto de pontuação quanto de referencia, pois faz com que ela “pense
em toda aquela experiencia... com voce... agora... acontece deste
modo...”. Causa uma leve confusão, que fará com que ela acabe
associando os sentimentos a você.

• Point to yourself – ou seja: “apontar para si mesmo”, enquanto estiver


falando de “alguém” que está diretamente relacionado aos sentimentos
que você está eliciando nela.

Ex.: “Não é muito melhor quando você apenas se entrega a emoção da


atração” — ele ergueu suas mãos como um elevador novamente e os
olhos começaram a ficar vidrados de novo – “imediatamente por
ALGUÉM?”. ELE APONTOU PARA SI MESMO, o que eu assumi que fosse um
truque de PNL para fazê-la pensar que ele era esse alguém. “É incrível,
não é?” (Style, sargeando com Ross Jeffries – extraido do livro The
Game, de Neil Strauss).
7. Comandos embutidos

Comandos embutidos são úteis porque fazem com que a pessoa sinta
aquele sentimento sem perceber que está fazendo isso por obedecer a
uma ordem. Na hipnose ericksoniana existem mais ou menos uns 6 tipos
de comandos, mas os principais que podem ser usados na sedução
são:
• Ordens embutidas – embutir verbos no modo IMPERATIVO dentro de
sentenças mais amplas, ao invés de chegar e mandar;
• Ordens negativas (negative-tags) – declarar o que você quer que
aconteça fazendo preceder essa sentença a expressão NÃO. Ex. do
Overrunner: “É bom que voce NAO perca noites de sono pensando em
mim... e quando colocar sua cabeça no travesseiro, é certo que NAO
virá a minha imagem na sua cabeça e voce ficaria noites acordada
pensando em quando iria me encontrar denovo...
• Assinalamento de análogos – é meramente você mudar de
tonalidade ao pronunciar um comando. Ex.: “É como se uma voz na sua
cabeça te falasse: SE APAIXONE POR ESTA PESSOA, SE ENTREGUE
TOTALMENTE A ELA...
• Ambigüidade – qualquer ambigüidade que possa ganhar um caráter
imperativo. Ex.: “Voce pode sentir vontade de entrar em TRANSE
COMIGO...” (transe pode se referir a hipnose ou a sexo). “Pai, afasta de
mim este CALICE!” – Chico Buarque (Cálice pode significar a taça de
vinho em que Jesus bebeu, ou um imperativo para que se CALE A
BOCA).

Obs.: É aconselhável que as frases estejam no IMPERATIVO. Varias


expressões inglesas como RELAX, etc. possuem dois modos: o particípio
e o imperativo já juntas. O mesmo não ocorre na língua portuguesa. Por
isso a Hipnose Ericksoniana é mais rica nos EUA. No entanto, os
brasileiros acabaram usando o Principio antena, da hipnoterapeuta
ericksoniana Sofia Bauer, que se consistem em apenas você pronunciar
as descrições e dos Padrões, que as pessoas vão por si só respondendo
aos mesmos.

Vejam um Padrão de Linguagem proferido pelo Overrunner, e que


fulminou um beijo quente com uma gata:

“Eu nao quero mais falar disso... até porque falar de beijar alguém é tao
estranho... voce começa a passar um filme na sua cabeça de todas as
vezes que voce beijou alguem e como se sentia feliz... comigo... isso
acontece com frequencia... muita felicidade... pode até sentir os labios
secarem... e voce sente a necessidade inclusive de passar a lingua
para molha-los... (ela passou a lingua nos labios nessa hora... percebi
que o feedback estava bom) e voce fica querendo beijar mais esse
alguem... alguem que pudesse te tornar especial... (nisso estacionei o
carro)... alguem que te proporcionaria um estado de prazer... e (passei
a mao no rosto dela... ela olhava pra mim e estava gelada e com o
olhar paralisado)... e simplesmente esta pessoa te olha de uma forma
que nao existem meios para nao beija-la... Entao eu a beijei, sem que
ela negasse...” – Experiencia de campo do nosso parceiro OVERRUNER,
citada no post “Pedindo Chupeta p/ Paty e ficando com Batatinha e
Couve-flor”, 03 de Junho de 2006. * A maior parte dos exemplos de
Padrões, C&F, etc. contidas neste texto foram tiradas da experiencia do
Overrunner, que as domina com maestria...

Bem, espero que tenham gostado, principalmente aqueles que USAM


Padrões de Linguagem, de forma simples ou complexa, em sua sarge.

Mais uma coisa: Nunca subestime o poder que um Padrão de


Linguagem possui na mente das pessoas.

Um abraço.
_________________
Ross jeffries afirmou que deveríamos construir uma torre em
homenagem a Erickson: “pois por causa deste homem qualquer um
poderá conquistar mais mulheres do que se tivesse o corpo de Arnold
Schwaznnegger e 1 milhão de dólares”.