Você está na página 1de 2

Fórum

1) Refletir sobre a missão da teologia como instrumento da Igreja na ação


evangelizadora no mundo da tecnologia digital. Debater sobre as ações
evangelizadoras afirmativas na catequese dos nativos digitais. A cultura
digital pode ser um meio de transmissão da fé para as novas gerações?
R: A cultura digital é aquela nascida pela era digital, originária do ciberespaço e
da linguagem da internet que busca integrar a realidade com o mundo virtual.
Sabemos que não existe evangelização sem comunicação. Evangelizar
implica necessariamente em comunicar. Com às mudanças advindas do
avanço tecnológico e do crescente acesso a elas pela facilidade de dispositivos
como computadores, telefones celulares, tablets e outros, a religião precisa se
adequar as novas realidades, observando que as contínuas mudanças de
nossa época produzem tanto fortalecimento quanto vulnerabilidade. Novas
tecnologias aproximam e distanciam, conectam e isolam. O Documento de
Aparecida alerta que "nossas tradições culturais já não se transmitem de uma
geração à outra com a mesma fluidez que no passado", afetando em cheio a
experiência religiosa e consequentemente a família, que até então era o veiculo
mais importante na transmissão da fé. Assim, muitos catequistas encontram
crianças batizadas, mas que chegam à catequese sem conhecer sequer o sinal
da cruz e as demais orações que outrora a família se encarregava de ensinar.
A Igreja, em sua missão evangelizadora, tem que comunicar Jesus Cristo,
Senhor da Vida, nosso Salvador! É a Igreja e sua missão que falam por si
mesmas há dois mil anos e que tendem a ocupar um espaço muito maior no
terceiro milênio. Esse fato tem relevância quando percebemos que estamos
inseridos nesse meio e fazemos parte dessa história. Essa é a história que nos
compete. Somos chamados a atuar e a ser “instrumentos de salvação” na
história vivida de nossa cotidianidade. Esta sociedade midiática é o “lugar
teológico” para cada um de nós, cristãos!
Ao transmitir a fé para as novas gerações a igreja precisa levar em
consideração que não é apenas a existência de novos aparatos tecnológicos
(estamos na era digital!), que nos fazem diferentes nessa transmissão, mas
como bem ressalta nosso arcebispo Dom Orani João Tempesta “trata-se
também de conhecer, compreender a revolução de linguagem que estamos
vivendo nesse início do terceiro milênio. Mudam os paradigmas, sobretudo os
métodos para explicitar a fé. Daí a importância e o convite para a Teologia
conhecer, refletir e “iluminar” esse revolucionário “lugar teológico”, que sempre
mais provoca a mudança de referências, linguagens e métodos pastorais na
evangelização atual”.
Precisamos de uma nova iniciação cristã, formando verdadeiros discípulos
de Jesus Cristo entre as crianças, jovens e suas famílias. Comunicar é dever
do cristão, um compromisso que assumimos com a Igreja de Cristo em
anunciar o amor de Deus a todas as pessoas, seja em qualquer tempo ou meio
de comunicação.
Conteúdo
1) Quais valores éticos e morais que o cristão não pode abrir mão? Isto é,
quais valores são inegociáveis para o cristianismo do ponto de vista moral?

2) Maquiavel afirma que "os fins justificam os meios". É possível superar esse
pensamento no cotidiano de nossa sociedade? Como?