Você está na página 1de 6

LEANDRO FERNANDO NGALE

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA
(1º ANO)

RESUMO DOS TÓPICOS DA SEMANA 04:


Importância da planificação;
Condições ambientais e psicológicas para o estudo;
Gestão do tempo/ horários de estudo

UniSave - Massinga
2020
Importância da planificação
De um modo geral, sempre foi importante planificar as atividades para garantir melhor
implementação das mesmas e evitar erros ou falhas indesejadas.
Não podemos falar da planificação sem referir sua tamanha importância no processo de ensino
e aprendizagem.
No processo de ensino-aprendizagem, a planificação do PEA é importante devido ao facto de
que:
• Assegura a racionalização, organização e coordenação do trabalho docente, de modo que a
previsão das acções docentes possibilite ao professor a realização de um ensino de qualidade
e evite a improvisação e a rotina.
• Permite a previsão dos objectivos, dos conteúdos e dos métodos, a partir da consideração
das exigências postas pela realidade social, do nível de preparação e das condições sócio-
culturais e individuais dos alunos.
• Assegura a unidade e coerência do trabalho docente, ou seja, inter-relacionar os elementos
que compõem o processo de ensino: os objectivos (o que ensinar); os alunos e suas
possibilidades (a quem ensinar); os métodos e técnicas (como ensinar); e a avaliação, o que
permite verificar em que medida as actividades inicialmente propostas estão a ser bem
sucedidas ou não.
• Facilita a preparação das aulas, através da selecção do material didáctico em tempo útil;
saber que tarefas o professor e os alunos devem executar; replanificar o trabalho perante
novas situações que aparecem no decorrer do Processo de Ensino-Aprendizagem (PEA),
em geral e, das aulas, em particular.
• Contribui para a realização dos objectivos visados.
• Promove a eficiência do ensino.
• Garante maior segurança na direcção do ensino e também na economia do tempo e energia.
Estando claro sobre o conceito e a importância da planificação, importa clarificar que, ao
planificar, se recomenda o seguimento das seguintes características de plano de ensino:
• O plano é um guia de orientação, pois nele estão estabelecidas as directrizes e os meios de
realização do trabalho docente.
• O plano deve ter uma ordem sequencial e progressiva. Para que se alcancem os objectivos
são necessários vários passos, de modo que a acção docente obedeça a uma sequência
lógica.
• Deve-se considerar a objectividade. Por objectividade entende-se a correspondência do
plano com a realidade a que se vai aplicar (currículo local), o tipo de alunos, as
possibilidades de se ter/produzir meios didácticos locais (ou com materiais locais),
experiências dos alunos e da comunidade, etc).
• Deve haver coerência entre os objectivos gerais, os objectivos específicos, conteúdos,
métodos e avaliação. Deve existir coerência entre as ideias e a prática.
• O plano deve ter flexibilidade. No decorrer do ano lectivo, o professor está sempre
organizando e reorganizando o seu trabalho. O plano não constitui um guia inflexível, ou
uma receita médica que não pode ser alterada. A relação pedagógica está sempre sujeita às
condições concretas. A realidade está sempre em movimento, de forma que o plano é sujeito
às alterações ou modificações.

Condições ambientais e psicológicas para o estudo


Não existe um consenso sobre a melhor forma de organizar o local de estudo, existe, no entanto,
quanto à necessidade de o local ser um espaço tranquilo, sem ruídos, de modo a que seja fácil
para o aluno concentrar-se nas suas tarefas. Por outro lado, existe concordância sobre o facto
de este espaço ser sempre o mesmo, de modo a que o aluno não seja sujeito a novos estímulos
que poderiam levar a sua distracção da tarefa (Carita, Silva, Monteiro & Diniz, 1998).
Poucos são os alunos que se interessam com o ambiente em que estudam e com os estímulos
que gerem as suas distracções durante as aulas. Deste modo, deve haver por parte dos alunos
uma maior consciencialização sobre a importância que as condições de trabalho têm na
capacidade de se concentrarem e de organizarem melhor o trabalho, de modo a que o seu
rendimento escolar seja beneficiado (Carita et. al, 1998).
É então importante que o aluno consiga controlar os estímulos ambientais que impedem a sua
concentração e atenção, aprendendo a preparar um espaço de trabalho de acordo com as suas
necessidades pessoais e que o incentive a estudar (Silva & Sá, 1997).
Cada aluno é diferente e, portanto, cada estudante tem o seu próprio espaço e método de
trabalho. Alguns alunos estudam em cima da cama e na sala de convívio, outros preferem
estudar noutros locais.
Porém, apesar de haver esta divergência quanto ao local de trabalho, este para ser considerado
adequado, deverá reunir quatro aspectos fundamentais: boa iluminação, temperatura agradável,
ventilação e mobiliário adequados (Carita et. al, 1998).
Por outro lado, existem ainda outros aspectos essenciais para criar um ambiente o mais
favorável possível ao trabalho escolar: ter um local apenas destinado ao estudo, ter todo o
material necessário nesse local (livros, dicionários, canetas, etc) antes de começar a estudar com
o objetivo de se evitar a interrupção do estudo e, assim como a concentração do aluno no estudo.
Pôr fora do local de trabalho tudo o que poderá servir de distracção para o estudante (rádio,
televisão, etc) e evitar que seja interrompido por outras pessoas ao colocar um aviso na porta.

Gestão do tempo/ horários de estudo


Ninguém gere o tempo: gerimos a nossa energia A forma como gere o seu tempo e o planeia é
muito importante na vida de qualquer estudante, sendo uma competência central também para
uma vida profissional de sucesso. Não gerimos o tempo, gerimos antes as nossas prioridades,
esforço e dedicação em função do tempo disponível.
Todo o estudante precisa de ponderar os objetivos que precisa de atingir na elaboração de um
exame ou de um trabalho, de um projeto ou de uma tese, sobretudo porque todos devem ser
concluídos em períodos de tempo limitados. Enquanto no Ensino Secundário gerir o tempo face
aos objetivos a alcançar podia ser razoavelmente acessível, no Ensino Superior é frequente
sentir dificuldade em alcançar os objetivos a que se propôs no tempo que tem disponível para
o fazer, o que vai obrigá-lo a fazer escolhas. Assim, a um nível superior de autonomia
corresponde também uma maior exigência em termos de responsabilidade. Organizar o tempo,
fazer escolhas em função do tempo disponível e estruturar a aprendizagem em função das
prioridades e do que é possível em cada momento são exigências próprias do quotidiano de
qualquer estudante, exigências que se podem tornar excessivas em momentos de maior pressão,
em que o cansaço limita a rentabilidade que o estudante tira do estudo. Não estamos sempre a
trabalhar a 100%, na verdade o nosso máximo esforço deve ser reservado para as tarefas que
consideramos prioritárias e as que não são devem ser eliminadas ou realizadas no menor tempo
possível.
“Para além da nobre arte de fazer com que as coisas sejam feitas, existe a nobre arte de deixar
as coisas por fazer. A sabedoria de vida está na eliminação do não-essencial.” - Provérbio
chinês.
Um bom plano de gestão e organização do tempo de estudo deve ser elaborado tendo em conta
as suas prioridades. Estabelecer prioridades não é mais do que distinguir o que é importante do
que é urgente. Tarefa importante: atividade útil e essencial para atingir objetivos; Tarefa
Urgente: atividade com prazo de finalização imediato.
Para uma boa gestão de tempo é muito importante ser-se eficaz, ou seja, ter a capacidade de
atingir os objetivos inicialmente definidos. Tendo em conta o esquema acima representado, as
pessoas eficazes caracterizam-se por…
• Não gastarem tempo nos quadrantes III e IV porque a situação não é importante;
• Reduzirem ao máximo o quadrante I, para evitar o enfoque excessivo na gestão de crises;
• Concentrarem a sua energia no quadrante II, o qual é muitas vezes deixado para segundo plano
devido ao fator pressão da urgência.
Referências
Importância da planificação. Disponível em:
http://ead.mined.gov.mz/manuais/Psicopedagogia/aula4-1.html
Condições ambientais e psicológicas para o estudo. Disponível em:
https://encantado.pt/condicooes-ambientais-e-psicologicas-para-o-estudo/
Gestão do tempo e organização do estudo. Disponível em:
http://tutorado.unidades.tecnico.ulisboa.pt/files/sites/40/GestaoTempo_VersaoFinal1.pdf