Você está na página 1de 6

Síndrome de Burnout: trabalhadores de saúde Artigo de Pesquisa

Original Research
Artículo de Investigación

SÍNDROME DE BURNOUT EM TRABALHADORES DE SAÚDE


EM UM HOSPITAL DE MÉDIA COMPLEXIDADE

BURNOUT SYNDROME AMONG HEALTH WORKERS IN A MEDIUM-


COMPLEXITY HOSPITAL
SINDROME DE BURNOT EN TRABAJADORES DE SALUD EN UN HOSPITAL
DE MEDIA COMPLEJIDAD

Gabriela Machado Ezaias I


Pollyana Bortholazzi Gouvea I I
Maria do Carmo Lourenço Haddad I I I
Marli Terezinha Oliveira Vannuchi IV
Denise da Silva Scaneiro SardinhaV

 
RESUMO: Burnout é definida como uma síndrome característica do meio laboral, que surge como resposta ao estresse
ocupacional crônico. Este estudo teve como objetivo identificar sinais e sintomas da síndrome de Burnout em trabalhadores
de saúde de um hospital público de média complexidade de Londrina-PR, no período de julho de 2008 a março de 2009.
Para a coleta de dados foi utilizado um instrumento autoaplicável, estruturado e constituído das principais variáveis
dependentes da síndrome de Burnout, criado por Christine Maslach, Califórnia – EUA, e validado para uso no Brasil por
Benevides-Pereira, em 1986. A amostra foi composta por 160 trabalhadores, sendo que 33,8% e 26,9% destes apresenta-
ram, respectivamente, alto grau de exaustão emocional e despersonalização e 30% manifestaram baixa realização
profissional. Os resultados obtidos revelam uma porcentagem significativa de trabalhadores que apresentaram sinais e
sintomas da síndrome de Burnout, contribuindo para uma queda na qualidade de vida e saúde do trabalhador.
Palavras-Chave: Burnout; saúde do trabalhador; risco ocupacional; trabalhadores.

ABSTRACT: Burnout is defined as a typical workplace syndrome that appears in response to chronic occupational stress.
This study aimed to identify signs and symptoms of burnout in health personnel at a medium-complexity public hospital in
Londrina, Paraná State, Brazil, from July 2008 to March 2009. Data were collected using a self-administered, structured
instrument contemplating the main dependent variables of burnout syndrome, created by Christine Maslach, California,
USA, and validated for use in Brazil by Benevides-Pereira in 1986. The sample consisted of 160 health workers, 33.8% and
26.9% of whom, respectively, displayed a high degree of emotional exhaustion and depersonalization, and 30%, low job
satisfaction. These results show that a significant percentage of workers had signs and symptoms of burnout, contributing to
a decline in their quality of life and health.
Keywords: Occupational Burnout; occupational health; occupational risks; workers.

RESUMEN: Burnout es definida como un síndrome característico del medio laboral, que surge como respuesta al estrés
ocupacional crónico. Se tuvo como objetivo identificar señales y síntomas del síndrome de Burnout en trabajadores de
salud de un hospital público de media complejidad de Londrina, PR, Brasil, entre julio de 2008 y marzo de 2009. Para
colecta de datos fue utilizado un instrumento autoaplicable, constituido de las principales variables dependientes del
síndrome de Burnout, creado por Christine Maslach, Califórnia – EUA, y validado para uso en Brasil por Benevides-Pereira,
en 1986. La muestra fue compuesta por 160 trabajadores, de los cuales 33,8% y 26,9% tenían, respectivamente, un alto
grado de agotamiento emocional y despersonalización y 30% tenían baja satisfacción laboral. Los resultados obtenidos
revelan un porcentual significativo de trabajadores que presentaron señales y síntomas del síndrome de Burnout, contribuyendo
para una caída en la calidad de vida y salud del trabajador.
Palabras Clave: Bournout; salud del trabajador; riesgo laboral; trabajadores.

I
Enfermeira. Mestranda em Enfermagem Fundamental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, São Paulo,
Brasil. Email: gabimez@usp.br.
II
Enfermeira. Mestranda em Enfermagem Fundamental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil.
Email: pollyana_bortholazzi@yahoo.com.br.
III
Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina. Londrina, Paraná, Brasil. Email:
haddad@sercomtel.com.br.
IV
Doutora em Saúde Pública. Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina. Londrina, Paraná, Brasil. Email:
vannuchi@sercomtel.com.br.
V
Enfermeira. Especialista em Enfermagem. Coordenadora de Enfermagem do Hospital Dr. Anísio Figueiredo. Londrina, Paraná, Brasil. Email:
denisesardinha@uol.com.br.

p.524 • Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):524-9. Recebido em: 08/07/2010 – Aprovado em: 12/11/2010
Artigo de Pesquisa Ezaias GM, Gouvea PB, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Sardinha DSS
Original Research
Artículo de Investigación

INTRODUÇÃO profissional em relação à população por ele assistida, à


organização e ao seu processo de trabalho; assim como
Os avanços tecnológicos introduzidos no proces- também engloba atitudes e sentimentos que geram
so de produção possibilitaram às empresas o aumento problemas de ordem prática e emocional ao trabalha-
da produtividade e dos lucros, assim como causaram dor e à instituição. Já o estresse não envolve atitudes e
impacto na saúde dos trabalhadores. Tal impacto condutas, pois se refere ao esgotamento pessoal, que
advém, principalmente, da crescente instabilidade so- interferem na vida do indivíduo, mas não necessaria-
cial e econômica, precarização das relações de produ- mente em sua relação com o trabalho3.
ção, desemprego crescente, mudanças nos hábitos e As definições mais aceitas sobre a Síndrome de
estilos de vida dos trabalhadores; sendo assim o traba- Burnout baseiam-se na sua perspectiva socio-psico-
lho passou a ser visto como um agente etiológico1. lógica, que considera tal transtorno como uma rea-
O trabalho, como ação humana social, engloba ção à tensão emocional crônica causada pelo contato
a capacidade do indivíduo de produzir o meio em que excessivo com pessoas4.
vive, e nesse processo de interação com a natureza, o É um conceito multidimensional que envolve
homem também acaba por ser modificado. Entre es- três componentes relacionados, porém independen-
sas modificações encontram-se aquelas que têm im- tes: a exaustão emocional (carência de energia, senti-
pacto sobre o psíquico do trabalhador1. mento de esgotamento dos recursos para lidar com os
Nesse contexto, uma das possíveis consequências estressores somado a frustração e tensão), a desper-
é a ocorrência da Síndrome de Burnout, definida como sonalização (desenvolvimento de uma insensibilida-
uma síndrome característica do meio laboral, que se cons- de emocional levando a um tratamento desumanizado
titui em um processo de resposta ao estresse ocupacional dos clientes, colegas e organização) e baixa realização
crônico, e traz consigo consequências negativas em ní- no trabalho (caracterizada pela insatisfação com o de-
vel individual, profissional, familiar e social2. senvolvimento profissional levando a uma tendência
Diante deste contexto, como Enfermeiras Resi- de se autoavaliar de forma negativa)4.
dentes atuando em um hospital de média complexida- No âmbito institucional, os efeitos da Síndrome de
de e vivenciando e refletindo sobre tais aspectos do Burnout refletem-se na diminuição da produtividade, na
processo de trabalho, observamos que os trabalhado- qualidade do trabalho, no aumento do absenteísmo, na
res apresentavam acentuados quadros de estresse, alta rotatividade, no incremento de acidentes
desmotivação, insegurança e até mesmo sentimentos ocupacionais, na visão negativa da instituição; tendo
de angústia, ansiedade e medo relacionados ao fato de como resultado importantes prejuízos financeiros para as
se lidar com a vida humana constantemente, mas tam- organizações2 e constituindo-se em um evento com re-
bém relacionados a problemas estruturais desta orga- percussões no processo de trabalho em saúde.
nização. Por ser um hospital de média complexidade,
ele não é destinado ao atendimento de pacientes gra- METODOLOGIA
ves, porém em decorrência da situação de elevada de-
manda e superlotação enfrentadas pelas instituições Trata-se de um estudo descritivo de natureza quan-
de alta complexidade do município, vem-se realizan- titativa, realizado no período de julho de 2008 a março
do atendimento a pacientes com maior grau de depen- de 2009 e que teve como população os 281 trabalhado-
dência e necessidades de saúde de maior complexida- res das diversas categorias profissionais que atuam em um
de. Soma-se a isso o fato de a instituição encontrar-se hospital de média complexidade de Londrina-PR; uma
em processo de reforma de sua estrutura física e, ainda, instituição pública, localizada na região norte do mu-
o aumento da demanda de pacientes devido ao fecha- nicípio, que se constitui em referência para o atendi-
mento, também para reforma, de uma das maiores mento de uma população de aproximadamente 106
Unidades Básica de Saúde da região onde a instituição mil pessoas e que conta com uma unidade de emergên-
está situada, impondo aos trabalhadores a necessidade cia, centro cirúrgico e setores de internação clínica e
de realização do trabalho em ambiente improvisado. cirúrgica, com capacidade de internação para 37 paci-
Portanto, este estudo teve como objetivo iden- entes adultos e 17 pacientes infantis.
tificar sinais e sintomas da Síndrome de Burnout em Para a coleta de dados, em amostra de 160 profissi-
trabalhadores de saúde de um hospital público de onais, foi utilizado um instrumento autoaplicável com-
média complexidade. posto por questões de caracterização sociodemográfica e
pelo Maslach Burnout Inventor (MBI), um questionário
REFERENCIAL TEÓRICO estruturado constituído das principais variáveis depen-
dentes da Síndrome de Burnout, criado por Christine
Há a necessidade de correta diferenciação entre a Maslach, professora universitária de psicologia da
Síndrome de Burnout e o estresse comum, uma vez que Califórnia – EUA, e validado para uso no Brasil por
a síndrome envolve atitudes e condutas negativas do Benevides-Pereira, em 1986. Este instrumento avalia o

Recebido em: 08/07/2010 – Aprovado em: 12/11/2010 Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):524-9. • p.525
Síndrome de Burnout: trabalhadores de saúde Artigo de Pesquisa
Original Research
Artículo de Investigación

modo como o indivíduo vivencia seu processo de traba- (CCIH), 1(0,6%) ao setor de costura, 2(1,3%) ao setor
lho, e possui consistência interna nas suas três dimensões de almoxarifado, 2(1,3%) faziam parte do serviço de
e estabilidade em sua estrutura e natureza dos três fatores apoio à diretoria, 10(6,3%) eram funcionários da cozi-
em amostra multifuncional, o que demonstra a efetividade nha, 1(0,6%) era funcionário do centro de
na mensuração da Síndrome de Burnout. A adaptação processamento de dados (CPD), 2(1,3%) pertenciam
brasileira do instrumento também demonstra consistên- ao departamento pessoal, 4(2,5%) trabalhavam na di-
cia interna e validade fatorial para que possa ser utilizada retoria, 4(2,5%) eram funcionários da farmácia,
na avaliação da Síndrome de Burnout em profissionais 2(1,3%) faziam parte do setor de faturamento, 16(10%)
que atuam no cuidado com pessoas5. trabalhavam no laboratório, 3(1,9%) trabalhavam no
Os dados foram tabulados pelo sistema EpiInfo setor de internação, 5(3,2%) na portaria, 6(3,8%) no
versão 3.3.2 de 2005, analisados através do programa setor de Raio X, 4(2,5%) no serviço de registro, 2(1,3%)
Statistical Package for Social Science for Windows versão eram secretários de enfermagem, 3(1,9%) pertenciam
13.0 (SPSS) e organizados em duas tabelas, destacan- ao serviço social, 3(1,9%) eram telefonistas, 6(3,8%)
eram vigilantes e 20(12,5%) trabalhavam nos serviços
do, na segunda, as três dimensões da Síndrome de
gerais.
Burnout: exaustão emocional, despersonalização e
baixa realização no trabalho. A maioria dos entrevistados, 88(55%), encon-
trava-se na faixa etária de 30 a 50 anos, 38(23,8%)
O projeto de pesquisa segue todas as orienta- tinham entre 51 e 65 anos e apenas 3(1,8%) estavam
ções da Resolução no 196/96, tendo sido obtido Con- com mais de 65 anos, revelando um quadro de enve-
sentimento Livre e Esclarecido por escrito dos parti- lhecimento dos profissionais atuantes na instituição,
cipantes da pesquisa, assim como também a aprova- com consequente diminuição da capacidade funcio-
ção pelo Comitê de Ética em Pesquisa Envolvendo nal para o trabalho e produtividade. Houve
Seres Humanos da Universidade Estadual de Londri- prevalência de indivíduos do sexo feminino -
na/Hospital Universitário Regional Norte do Paraná, 108(67,7%), casados - 104(65%) e com filhos -
registrado no parecer no 278/07. 123(76,9%). Do total dos entrevistados, 84(52,5%)
possuíam vínculo empregatício com o Consórcio
RESULTADOS E DISCUSSÃO Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema
(Cismepar), 74(46,3%) com o Estado do Paraná
Foram convidados a participar do estudo os 281 (estatutário) e 2(1,3%) possuíam outro tipo de vín-
culo. A maioria, 81(50,7%), possui apenas o ensino
profissionais que atuam na instituição, com uma taxa
de resposta de 160(56,9%) profissionais. As perdas médio e 132(76,3%) não possuíam outro emprego,
foram relacionadas à recusa e licenças médicas. Como conforme pode ser visto na Tabela 1.
limitação da pesquisa, encontrou-se entre as recusas, Um estudo bibliográfico realizado em 2007 iden-
um conjunto de 55(19,6%) médicos da população tificou fatores individuais que estão associados à
total. Tal dificuldade não é inédita na literatura; em Síndrome de Burnout, como, por exemplo, o gênero,
estudo realizado com médicos cancerologistas cadas- uma vez que as mulheres demonstraram maiores pon-
trados na Sociedade Brasileira de Cancerologia, ob- tuações para exaustão emocional enquanto que os ho-
teve-se uma taxa de resposta de apenas 21,1%. Neste mens para despersonalização. Levantou também a in-
mesmo estudo encontrou-se uma taxa de 55,8% de formação que indivíduos com grandes expectativas e
níveis moderados ou altos para exaustão emocional e idealismo, como profissionais jovens e recém-formados,
96,1% para despersonalização6. Outro estudo realiza- também apresentam índices mais baixos de realização e
do com médicos pediatras, em Buenos Aires, tam- altos de exaustão. O nível educacional elevado, ser sol-
bém encontrou um índice de 34,1% para baixa reali- teiro, viúvo ou divorciado também aumentam o risco
zação profissional, 47,1% para alta exaustão emocio- para o desenvolvimento da Síndrome de Burnout8,9.
nal e 22,8% para alta despersonalização7. Tais dados Entretanto a Síndrome de Burnout não é um pro-
levam à reflexão sobre a motivação para que profissi- blema somente vinculado a fatores individuais, mas
onais, que comprovadamente apresentam maiores também ao ambiente social no qual o indivíduo atua.
índices desta síndrome, se recusem a participar de Muitas mudanças no mundo do trabalho vêm ocor-
pesquisas sobre sua incidência. rendo, construindo novas formas de organização e de
relações do indivíduo com o trabalho. Tem-se cargos
Os 160 profissionais da amostra foram subdivi-
com atribuições mais complexas, menos níveis hierár-
didos em seus setores de trabalho para análise dos da-
quicos e, consequentemente, maior acúmulo de res-
dos. Somente na área da enfermagem foram divididos
ponsabilidades para um mesmo indivíduo9-11.
grupos de profissionais com nível superior (enfermei-
ros) e nível técnico (auxiliares e técnicos de enferma- A análise dos dados demonstrou que 54(33,8%)
gem). Sendo assim, 8(5%) eram enfermeiros, 53(33,2%) trabalhadores da amostra possuem um alto grau de
auxiliares/técnicos de enfermagem, 3(1,9%) pertenci- exaustão emocional, 43(26,9%) possuem alto grau de
am à Comissão de Controle de Infecção Hospitalar despersonalização e 48(30%) demonstraram baixa reali-

p.526 • Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):524-9. Recebido em: 08/07/2010 – Aprovado em: 12/11/2010
Artigo de Pesquisa Ezaias GM, Gouvea PB, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Sardinha DSS
Original Research
Artículo de Investigación

TABE LA 1: Caracterização sociodemográfica dos sujeitos O estresse encontra-se presente no dia a dia das
entrevistados. Londrina-PR, 2009. (N=160)
pessoas e não raramente vem associado ao trabalho e às
Variáveis f % condições de vida, porém é no trabalho que se ressaltam
Idade os sinais de exaustão emocional5. A exaustão psicológi-
Entre 20 a 30 anos 31 19,4 ca pode ser consequência do trabalho, e a percepção de
Entre 31 a 50 anos 88 55 desgaste pode ser definida como uma sensação de que o
Entre 51 a 65 anos 38 23,8 indivíduo está sendo exigido além dos seus limites de
Mais de 65 anos 3 1,8
resistência13.
Estado civil
Casado 104 65 Os trabalhadores de enfermagem são os que per-
Solteiro 36 22,5 manecem por maior tempo junto ao paciente e seus
União estável 1 0,6 familiares, vivendo diversas situações de estresse junto
Divorciado 13 8,1 aos mesmos, porém, nem sempre estão psicologica-
Viúvo 6 3,8 mente capacitados para lidar com tais situações, o
Sexo que pode transformar o trabalho em algo penoso e
Masculino 52 32,5 repercutir na vida pessoal12.
Feminino 108 67,5
Filh os A Síndrome de Burnout não é apenas um pro-
Sim 123 76,9 blema do indivíduo, mas também do ambiente social
Não 37 23,1 no qual ele trabalha9. Um levantamento bibliográfi-
Tipo de Vínculo Empregatício co realizado em 2007 encontrou como fatores
Estatutário 74 46,3 organizacionais relacionados a elevados índices de
Consórcio Intermunicipal de Burnout: a burocracia dentro das instituições; a falta
Saúde do Médio Paranapenema 84 52,5 de autonomia e as mudanças organizacionais frequen-
Outros 2 1,2 tes; a falta de consideração, confiança e respeito en-
Titulação
tre os membros da equipe; a comunicação ineficiente;
Ensino fundamental 39 24,4
Ensino médio 81 50,7
a impossibilidade de ascender na carreira, de melho-
Graduação 21 13,1 rar sua remuneração e de reconhecimento de seu tra-
Especialização 17 10,6 balho; inadequação do ambiente físico e riscos
Mestrado 1 0,6 ocupacionais no processo de trabalho8.
Doutorado 1 0,6 Outro estudo também encontrou como fatores
Outro emprego organizacionais determinantes da Síndrome de
Sim 28 23,7 Burnout a sobrecarga de trabalho, a insegurança no
Não 132 76,3
que se refere à realização das tarefas, a falta de condi-
ções para a execução do trabalho, a instabilidade no
zação profissional, dado potencialmente significativo ao emprego, a falta de suporte por parte da equipe e che-
se aplicar o teste Qui-quadrado, com valores de p de 0,02 fia, o sentimento de desmoralização pessoal no ambi-
e 0,00 para despersonalização e realização profissional, ente de trabalho e o sentimento de injustiça14.
respectivamente. Para a dimensão exaustão emocional, Tais fatores também são responsáveis pelas al-
não foi encontrado um valor de p significativo, porém a terações nas demais dimensões da Síndrome de
vivência do processo de trabalho na instituição possibili- Burnout, como a despersonalização, que ocorre devi-
ta encontrar sinais e sintomas referentes à exaustão emo- do à cronicidade desse processo que culmina na in-
cional condizentes com a literatura. sensibilidade emocional frente ao paciente/cliente,
Também pode-se observar a relação dos funcio- equipe e organização.
nários, de acordo com o setor/ocupação em que traba- Pode ser observado também que, quando avalia-
lham, e a tríade exaustão emocional, despersonalização do o grau de despersonalização da amostra, encontrou-
e realização profissional, lembrando que se considera o se novamente os profissionais auxiliares/técnicos de
indivíduo com Burnout aquele que apresentar alta enfermagem como maiores representantes de indiví-
exaustão emocional e despersonalização e baixa realiza- duos com alta despersonalização, sendo eles 17(39,5%),
ção profissional12. seguidos pela equipe de serviços gerais com 4 (9,3%)
Dos trabalhadores que possuem um alto grau de representantes do total. Dos que apresentaram alta
exaustão emocional, 18(33,3%) são auxiliares/técnicos despersonalização, 3 (7,0%) eram enfermeiros, e para
de enfermagem, 3(5,5%) são enfermeiros e 6(11,1%) tra- as demais categorias houve uma distribuição homogê-
balham no laboratório da instituição. Um número signi- nea, conforme pode ser visto na Tabela 2.
ficativo também foi encontrado nos serviços de apoio, Não é raro que um indivíduo que tenha optado
como a equipe de serviços gerais com 5(9,2%) e cozinha por uma profissão de ajuda e cuidado, quando se vê
com 4(7,4%), conforme pode ser visto na Tabela 2. frente a restrições em seu trabalho, como falta de es-

Recebido em: 08/07/2010 – Aprovado em: 12/11/2010 Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):524-9. • p.527
Síndrome de Burnout: trabalhadores de saúde Artigo de Pesquisa
Original Research
Artículo de Investigación

trutura, recursos materiais e até mesmo recursos pes- encontradas na instituição onde o estudo foi realiza-
soais, passe a encontrar dificuldades relacionadas às do. Tais fatores causam impacto significativo na saú-
suas possibilidades de atuação5, tendo como uma re- de do trabalhador10.
ação específica o estresse ocupacional crônico, atitu- Existem também fatores laborais associados à ocor-
des e comportamentos negativos em relação aos cli- rência do Burnout, entre eles pode-se citar o baixo ní-
entes, ao trabalho e à organização11. vel de controle das atividades ou até mesmo a baixa
O trabalho constitui-se em atividade essencial para participação nas tomadas de decisão, que provocam pou-
a sobrevivência do homem e é gerador de expectativas, ca ou nenhuma satisfação no trabalhador. As expectati-
frustrações e conquistas, assim como também desperta e vas profissionais, o sentimento de injustiça e iniquidade
define interesse e identidade pessoal. As alternâncias de nas relações de trabalho, o suporte organizacional
situações ou emoções no ambiente de trabalho podem ineficiente e os conflitos organizacionais também cor-
levar o indivíduo a um desgaste emocional, contribuindo roboram para a baixa realização8. Relacionadas à per-
para o estresse, comprometendo a qualidade de vida do cepção de suporte organizacional estão as crenças e ex-
trabalhador e a qualidade de seu trabalho12. pectativas de um indivíduo em relação ao reconheci-
Na Síndrome de Burnout, a existência de um mento e retribuição por parte da organização em que
componente pode levar ao desenvolvimento dos ou- trabalha13.
tros, assim como também tais componentes podem É de grande importância a realização do diag-
desenvolver-se ao mesmo tempo, já que se constitu- nóstico e avaliação da síndrome de Burnout para se
em em diversas reações a diferentes aspectos do am- identificar quando, onde e em quem deve-se inter-
biente de trabalho12. vir, buscando minimizar as consequências para o in-
Finalmente, ao se avaliar o nível de realização divíduo, a equipe, os clientes e organização. O diag-
profissional, também encontramos os profissionais nóstico adequado necessita de avaliação correta dos
da enfermagem como os maiores representantes da- sintomas, sua intensidade e frequência7; e as inter-
queles que apresentam a baixa realização como ca- venções para o Burnout e/ou sua prevenção devem
racterística da Síndrome de Burnout, com 10(20,4%) focalizar tanto o trabalhador quanto o ambiente de
da amostra; e novamente os trabalhadores do labora- trabalho, para que ocorram mudanças no processo de
tório representam parte significativa desse grupo, com trabalho e consequente equilíbrio entre as expecta-
8(16,3%) indivíduos. tivas do individuo e as exigências da organização13.
Constituem-se em fatores que contribuem para Outro aspecto que pode proporcionar melhorias na
a baixa realização profissional as precárias condições qualidade dos serviços prestados pelos trabalhadores
de trabalho, tais como estrutura física inadequada e de saúde é a convergência em uma mesma direção de
escassez de recursos materiais e humanos, condições temáticas como qualidade de vida e saúde do traba-

TABELA 2: Distribuição dos trabalhadores de acordo com grau de exaustão emocional, despersonalização e realização profissional.
Londrina-PR, 2009.

Exaustão Emocional Despersonalizaçao Realização


Setor/Ocupação Alta Alta Baixa
f % f % f %
Enfermeiro 3 5,5 3 7 4 8,3
Auxiliar/técnico enfermagem 18 33,3 17 39,5 10 20,8
Comissão de controle de
infecção hospitalar 2 3,7 1 2,3 3 6,2
Costura - - - - - -
Diretoria 1 1,9 1 2,3 1 2,1
Farmácia 2 3,7 - - 1 2,1
Faturamento 1 1,9 - - - -
Laboratório 6 11,1 2 4,7 8 16,7
Internação 2 3,7 2 4,7 3 6,2
Portaria 1 1,9 2 4,7 2 4,2
Raio X - - 1 2,3 1 2,1
Registro 2 3,7 2 4,7 2 4,2
Secretário enfermagem - - 2 4,7 1 2,1
Serviço social 1 1,9 - - - -
Telefonia 1 1,9 1 2,3 - -
Vigilância - - 2 4,7 3 6,2
Serviços gerais 5 9,2 4 9,3 4 8,3
TO TA L 54 100 43 100 48 100

p.528 • Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):524-9. Recebido em: 08/07/2010 – Aprovado em: 12/11/2010
Artigo de Pesquisa Ezaias GM, Gouvea PB, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Sardinha DSS
Original Research
Artículo de Investigación

lhador; uma vez que o profissional da área de saúde al de Procedimentos para Serviços de Saúde. Brasília (DF):
muitas vezes atua em favor do bem-estar de seus cli- Ministério da Saúde; 2001.
entes negligenciando o seu próprio estado de saúde15. 4.Maslach C, Jackson SE. The measurement of expe-
rienced burnout. Journal of Occupational Behaviour. 1981;
2:99-113.
CONCLUSÃO 5.Carlotto MS, Câmara SG. Propriedades psicométricas do
maslach burnout inventory em uma amostra multifuncional.
A importância deste estudo deu-se de forma a Estudos de Psicologia. 2007; 24(3):325-32.
mensurar as dimensões do Burnout, relacionando-o a 6.Tucunduva LTCM, Garcia AP, Prudente FVB,
questões da saúde do trabalhador. Diante deste contex- Centofanti G, Souza CM, Monteiro TA et al. A síndrome
to, observou-se que, entre os trabalhadores envolvidos da estafa profissional em médicos cancerologistas brasilei-
diretamente com a assistência ao paciente, foram os da ros. Rev Assoc Med Bras. 2006; 52(2):108-12.
7.Gil-Monte PR, Marucco MA. Prevalência del “síndrome
enfermagem que demonstraram os maiores índices de
de quemarse por el trabajo” (burnout) em pediatras de
exaustão emocional, despersonalização e baixo nível de hospitales generales. Rev Saúde Pública. 2008; 42(3):450-6.
realização profissional; lembrando que estes são maio- 8.Trigo TR, Teng CT, Hallak JEC. Síndrome de burnout
ria na instituição. Percebeu-se também que funcionári- ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Rev
os lotados no laboratório, nos serviços gerais e na cozi- Psiquiatria Clínica. 2007; 34(5):223-33.
nha apresentaram índices significativos no que se refe- 9.Carlotto MS, Palazzo LS. Síndrome de burnout e fatores
re às três dimensões da síndrome de Burnout. associados: um estudo epidemiológico com professores.
Ressalta-se que esta síndrome constitui-se num Cad Saúde Pública. 2006; 22(5):1017-26.
10.Rebouças D, Legay LF, Abelha L. Satisfação com o
processo multicausal, com repercussões individuais,
trabalho e impacto causado nos profissionais de saúde
sociais e organizacionais. A detecção precoce permi-
mental. Rev Saúde Pública. 2007; 41(2):244-50.
te a realização de intervenções que visem tanto a pre- 11.Borges LO, Argolo JCT, Pereira ALS, Machado EAP, Silva
venção quanto a terapêutica; sendo a prevenção, ain- WS. A Síndrome de burnout e os valores organizacionais:
da, a melhor forma de preservar a saúde do trabalha- um estudo comparativo em hospitais universitários. Psicolo-
dor. Contudo, são necessários estudos mais aprofun- gia: Reflexão e Crítica. 2002; 15(1):189-200.
dados com o objetivo de ampliar os conhecimentos e 12.Campos RG. Burnout: uma revisão integrativa na en-
esclarecer o processo específico de desenvolvimento fermagem oncológica [tese de mestrado]. Ribeirão
desta síndrome. Preto(SP): Universidade de São Paulo; 2005.
13.Tamayo MR, Tróccoli BT. Exaustão emocional: rela-
ções com a percepção de suporte organizacional e com as
REFERÊNCIAS estratégias de coping no trabalho. Estudos de Psicologia.
2002; 7(1):37-46.
1.Murofuse NT; Abranches SS; Napoleão AA. Reflexões 14.Vieira I, Ramos A, Martins D, Bucasio E, Benevides-
sobre estresse e burnout e a relação com a enfermagem. Pereira AM, Figueira I et al. Burnout na clínica psiquiátri-
Rev Latino-Am Enferm. 2005; 13(2):255-61. ca: relato de caso. Rev Psiquiatria RS. 2006; 28(3):352-6.
2.Benevides-Pereira A. O estado da arte do burnout no 15.Neves MJAO, Branquinho NCSS, Paranaguá TTB,
Brasil. Revista Eletrônica Interação Psy.2003; 1(1):04-11. Barbosa MA, Siqueira KM. Influência do trabalho notur-
3.Ministério da Saúde(Br). Representação no Brasil da no na qualidade de vida do enfermeiro. Rev enferm UERJ.
OPAS/OMS. Doenças Relacionadas ao Trabalho: Manu- 2010; 18:42-7.

Recebido em: 08/07/2010 – Aprovado em: 12/11/2010 Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):524-9. • p.529