Você está na página 1de 11

1

PTC 2307 Sistemas e Sinais I (arquivo D:\AFK\SSI\Revisão_complexos.doc)

REVISÃO DE NÚMEROS COMPLEXOS E FUNÇÃO


COMPLEXA DA VARIÁVEL REAL ω

Números Complexos

c = a + jb a, b ∈ ℜ

j = −1

Imaginário

b c
r
θ
Real
0 a

Módulo de c = a + jb :
c = a2 + b2

Fase de c = a + jb :
⎡b ⎤
∠c = arctan ⎢ ⎥
⎣a⎦

Identidade de Euler:

e jθ = cosθ + j sen θ

Obs:
e jθ = cos 2 θ + sen 2 θ = 1
⎡ sen θ ⎤
∠e jθ = arctan ⎢ =θ
⎣ cosθ ⎥⎦
2

Da identidade de Euler vem:

e jθ + e − jθ
• cosθ =
2
e − e − jθ

• sen θ =
2j

Da identidade de Euler (com r>0):

c = r.e jθ = r cosθ + j r sen θ

parte real parte imaginária

temos c = r 2 cos 2 θ + r 2 sen 2 θ = r


e ∠c = θ

∴ c = re jθ = a + jb

forma polar forma cartesiana

com a = r cosθ e b = r sen θ

onde a = Re{c} e b = Im{c}


3

Operações com Números Complexos

• Adição e Subtração:

c = a1 + jb1 d = a 2 + jb2

c ± d = a1 ± a 2 + j (b1 ± b2 )

• Conjugação:

Se c = a + jb → c* = a − jb
2
com c.c* = a 2 + b 2 = c

• Soma e subtração de dois números complexo-conjugados:

Se c=a+jb Æ c + c* = 2a = 2·Re{c} número real


e c - c* = j2b = j·2·Im{c} número imaginário

• Multiplicação:

c1 = a1 + jb1 c 2 = a 2 + jb2

d = c1 .c 2 = a1 .a 2 − b1 .b2 + j (b1 a 2 + b2 a1 )

parte real parte imaginária

Na forma polar fica:


jθ c1 jθ c 2 j (θ c 1 +θ c 2 )
d = c1.c2 = c1 e . c2 e = c1 . c2 e

∴ d = c1 .c2

∠d = ∠c1 + ∠c2 = θ c1 + θ c 2

Obs: d * = c1 * .c2 *
4

• Divisão:
c1 = a1 + jb1 c2 = a2 + jb2

c1 a1 + jb1 (a1 + jb1 )(a2 − jb2 )


d= = =
c2 a2 + jb2 (a2 + jb2 )(a2 − jb2 )

a1a2 + b1b2 + j(b1a2 − b2a1)


∴ d= 2 2
a2 + b2

a1a2 + b1b2 a1a2 + b1b2


∴ Re{d } = 2 2
= 2
a2 + b2 c2

b1a2 − b2 a1
Im{d } = 2
c2
O mais útil
p/ nós é a
forma polar
Na forma polar fica:

c1 c1 e jθc1 c
d= = jθc 2
= 1 e j (θc1−θc 2)
c2 c2 e c2

∴ d = c1 / c2

e ∠d = θ c1 − θ c 2

Obs:
c1 *
d* =
c2 *
5

Função complexa da variável real ω

Exemplo 1:
H(j ω) = a+jb.ω ;a,b, ω ∈ ℜ

Na forma polar:

|H(j ω)| = a 2 + b 2ω 2

∠H ( jω ) = arctan( )
a

|H(j ω)|

|a|

ω
0

∠ H(jω)

π /2

ω
0

−π /2
6

Exemplo 2:

a + jbω
H(j ω) =
c + jdω

a + jbω a 2 + b 2ω 2
|H(j ω)| = =
c + jdω c 2 + d 2ω 2

⎛ bω ⎞ ⎛ dω ⎞
∠H ( jω ) = arctan⎜ ⎟ − arctan⎜ ⎟
⎝ a ⎠ ⎝ c ⎠

∠numerador − ∠deno min ador

Notar que a curva de fase ou defasagem pode descer ao invés de subir (como na figura
acima) para as freqüências positivas, dependendo da relação entre o pólo e o zero.
7

Exemplo 3:

H(j ω ) = ea ω +jb ω ;a,b, ω ∈ ℜ

∴ H(j ω ) = ea ω . ejb ω

|H(j ω )| = |ea ω |.| ejb ω | = ea ω (Pois é ≥ 0 )

=1

∠H ( jω ) = ∠e aω + ∠e jbω = 0 + bω

pois ea ω
∈R+ ∪ {0}

Exemplo 4: Ou - π
H(j ω ) = - ejb ω
|H(j ω )| = 1; ∠ H(j ω ) = π + bω
pois, - ejb ω = ej π .ejb ω

Exemplo 5:

(a + jbω )(α + jβω )


H ( jω ) =
(c + jdω )(γ + jθω
| a + jbω | . | α + jβω |
| H ( jω ) |=
| c + jdω | . | γ + jθω |
a 2 + b 2ω 2 . α 2 + β 2ω 2
∴| H ( jω ) |=
c 2 + d 2ω 2 . γ 2 + θ 2ω 2
⎛ bω ⎞ ⎛ βω ⎞ ⎛ dω ⎞ ⎛ θω ⎞
∠H ( jω ) = arctan⎜ ⎟ + arctan⎜ ⎟ − arctan⎜ ⎟ − arctan⎜⎜ ⎟⎟
⎝ a ⎠ ⎝ α ⎠ ⎝ c ⎠ ⎝ γ ⎠
8

Exemplo 6:

Mesmo H ( jω ) acima, mas sem o agrupamento em monômios:

− ω 2bβ + aα + j (αbω + aβω )


H ( jω ) =
− ω 2 dθ + cγ + j (γdω + cθω )
(aα − ω 2bβ ) 2 + (αbω + aβω ) 2
∴| H ( jω ) |=
(cγ − ω 2 dθ ) 2 + (γdω + cθω ) 2
⎡αbω + aβω ⎤ ⎡ γdω + cθω ⎤
∠H ( jω ) = arctan ⎢ ⎥ − arctan ⎢ ⎥
⎣ aα − ω b β ⎦ ⎣ cγ − ω dθ ⎦
2 2

Exemplo 7:
(os exemplos de 7 em diante são mais voltados para S.S. II)

H(j ω ) = a+ be-j ω +ce-j2 ω

∴ H(j ω ) = a+ b.cos ω +c.cos2 ω + j(-b.sen ω -csen2 ω )

parte real A( ω ) parte imaginária B( ω )

∴ |H(j ω )| = A 2 ( ω ) + B 2 (ω ) (não vamos fazer a álgebra aqui)

⎛ B(ω ) ⎞
∠H ( jω ) = arctan⎜⎜ ⎟⎟
⎝ A(ω ) ⎠

Exemplo 8:

H(j ω ) = 6+6e-j ω

Truque: Como podemos por 6 em evidência, ficamos com [1+e-j ω ].6, o que pode nos
e jω / 2
dar um co-seno caso multipliquemos por jω / 2 , ou seja:
e

2cos( ω / 2 )
e jω / 2 + e − jω / 2
H(j ω ) = 6.
e jω / 2

⎛ω ⎞
∴ H(j ω ) = 6.2.cos ⎜ ⎟ . e − jω / 2
⎝2⎠
9

⎛ω ⎞
∴ H(j ω ) = 12.cos ⎜ ⎟ . e − jω / 2
⎝2⎠

⎛ω ⎞
|H(j ω )| = 12. cos⎜ ⎟ .1
⎝2⎠

cos(ω/2)

-2 π -π π 2π ω
-4 π 4π

-1

|H(jω)|

12

ω
-4 π -2 π -π π 2π 4π

⎧− ω Quando cos(ω/2) > 0


⎪⎪
∠H ( jω ) = ⎨ 2
⎪± π − ω Quando cos(ω /2) < 0
⎪⎩ 2
10

∠H ( jω )
Obs: Os “saltos” são de π
π
2

ω
-3 π -2 π -π π π 2π 4π
2

−π
2

Exemplo 9

H ( jω ) = −3 + 3e − jω

[
∴ H ( jω ) = −3 1 − e − jω
] =
( )
− 3 1 − e − jω e jω / 2 .2 j
2j e jω / 2

e jω / 2 − e − jω / 2 − jω / 2
∴ H ( jω ) = −3 e .2 j ej π/2
2j

sen( ω/2)
e±j π

∴ H ( jω ) = −3 ⋅ sen(ω / 2) ⋅ e − jω / 2 ⋅ 2 ⋅ e jπ / 2
∴ H ( jω ) = e ± jπ .6sen(ω / 2).e j (π / 2−ω / 2 )

∴ H ( jω ) = 6sen(ω / 2).e j (±π +π / 2−ω / 2 )

∴ H ( jω ) = 6 sen(ω / 2)

⎧± π + π / 2 − ω / 2 onde sen(ω/2) >0


∴ ∠H ( jω ) = ⎨
⎩π / 2 − ω / 2 onde sen(ω/2) <0

Os esboços de |H(jω)| e de ∠ H(jω) ficam como exercício.


11

Exemplo 10:

1
H ( jω ) =
1 + a ⋅ e − jω

1
∴ H ( jω ) =
1 + a cos ω − ja sen ω

1
H ( jω ) =
1 + 2a. cos ω + a cos 2 ω + a 2 .sen 2 ω
2

1
H ( jω ) =
1 + 2a. cos ω + a 2

⎛ − a.sen ω ⎞
∠H ( jω ) = 0 − arctan⎜ ⎟
⎝ 1 + a. cos ω ⎠

⎡ a.sen ω ⎤
∴ ∠H ( jω ) = arctan ⎢
⎣1 + a. cos ω ⎥⎦

Os gráficos de |H| e ∠H podem ser obtidos com o auxílio de um computador ou


calculadora programável.