Você está na página 1de 23

Sistema Financeiro Nacional

Prof. Carolina Motta –


carolfontmotta@yahoo.com.br
O sistema financeiro é composto de um conjunto de
instituições financeiras que, com a utilização dos
instrumentos financeiros, operacionaliza as
atividades do sistema, transferindo recursos dos
aplicadores (ou poupadores) para aqueles que
necessitam de recursos por uma razão qualquer
(inclusive investidores). As instituições financeiras
são responsáveis, ainda, por criar condições para
que diferentes títulos financeiros tenham liquidez no
mercado.
Evolução do Sistema:
• as captações das firmas tenham um
custo reduzido;
• instituições financeiras, especializadas
em determinados setores, possam atender
de forma mais eficiente a determinados e
complexos setores da atividade
• haja diversificação das alternativas de
aplicação de poupanças;
• se verifique uma diminuição dos riscos e
dos custos das transações com recursos
financeiros;
• se aumente a liquidez dos títulos de crédito
existentes no mercado.
As instituições financeiras que operam no sistema
financeiro são classificadas em dois grupos distintos:
• instituições financeiras bancárias;
• instituições financeiras não bancárias.

As instituições financeiras bancárias (ou instituições financeiras monetárias), como o


próprio nome diz, têm a faculdade de criar moedas ou meios de pagamento.
Os bancos comerciais tornam os meios de pagamento várias vezes
superior ao saldo de papel-moeda emitido.

Porque o BNDES não é uma instituição bancária?

As instituições financeiras não-bancárias, ou não-monetárias, por sua vez, não


possuem a faculdade de criar moeda, pois não têm autorização para acolher
depósitos à vista.
Os instrumentos financeiros são classificados em:
• ativos financeiros monetários;
• ativos financeiros não-monetários.

No caso brasileiro, fazem parte dos ativos financeiros monetários o


papel moeda em poder do público e os depósitos à vista nos bancos
comerciais, tanto públicos como privados, e nas caixas econômicas.

Todos os depósitos à prazo

Compreendem os ativos financeiros não-monetários todos os demais ativos


como depósitos de poupança, letras de câmbio, certificados de depósitos
bancários, etc.
As operações do mercado financeiro, de acordo com suas características, podem
ser classificadas em um dos quatro mercados relacionados abaixo:
• mercado de crédito – Classificamos nesse mercado todas as operações de
financiamento e empréstimo de curto e médio prazo, para a aquisição de bens de
consumo corrente e de bens duráveis, bem como para o capital de giro das
empresas. As instituições financeiras que atuam nesse segmento são os bancos
comerciais, os bancos de investimentos e financeiras, que são instituições
especializadas no fornecimento de crédito ao consumidor e no financiamento de bens
duráveis.

• mercado de capitais – É onde está concentrada toda a rede de bolsa de valores e


instituições financeiras que operam com a compra e venda de ações e títulos de
dívidas em geral, sempre a longo prazo. Esse mercado atua no financiamento do
capital de giro e do capital fixo das sociedades anônimas de capital aberto. A maior
parte das operações das instituições financeiras não monetárias está centrada neste
mercado. O mercado de capitais tem a função de canalizar as poupanças da
sociedade para a indústria, o comércio e outras atividades econômicas, e até mesmo
para o governo.
• mercado monetário – É neste mercado
que são realizadas as operações
financeiras de curto e curtíssimo prazo. Dele
fazem parte órgãos financeiros que negociam
títulos e valores, concedendo empréstimos a firmas ou
particulares a curto e curtíssimo prazo,
contra o pagamento de juros. Nele são financiados, também os
desencaixes momentâneos de caixa dos bancos comerciais e do
Tesouro Nacional. É nesse mercado que são realizadas as
operações de mercado aberto. Esse mercado serve também como
instrumento de política monetária, sobre a qual o Banco Central atua
para controlar o nível de liquidez da economia.
• mercado cambial – Nesse mercado realizam-se as operações de compra e
venda de moedas estrangeiras, cujas transações determinam as cotações diárias
dessas moedas. As operações normalmente são de curto prazo e as instituições
que nele atuam são os bancos comerciais e as firmas em geral, com a
intermediação das corretoras de câmbio ou de bancos múltiplos com esse tipo de
carteira.
Os planos previdenciários podem oferecer, juntos ou separadamente, os seguintes tipos
básicos de benefício:

* RENDA POR SOBREVIVÊNCIA: renda a ser paga ao participante do plano que


sobreviver ao prazo de diferimento contratado, geralmente denominada de
aposentadoria.
* RENDA POR INVALIDEZ: renda a ser paga ao participante, em decorrência de sua
invalidez total e permanente ocorrida durante o período de cobertura e após cumprido o
período de carência estabelecido no Plano.
* PENSÃO POR MORTE: renda a ser paga ao(s) beneficiário(s) indicado(s) na proposta
de inscrição, em decorrência da morte do Participante ocorrida durante o período de
cobertura e após cumprido o período de carência estabelecido no Plano.
* PECÚLIO POR MORTE: importância em dinheiro, pagável de uma só vez ao(s)
beneficiário(s) indicado(s) na proposta de inscrição, em decorrência da morte do
participante ocorrida durante o período de cobertura e após cumprido o período de
carência estabelecido no Plano.
* PECÚLIO POR INVALIDEZ: importância em dinheiro, pagável de uma só vez ao
próprio participante, em decorrência de sua invalidez total e permanente ocorrida
durante o período de cobertura e após cumprido o período de carência estabelecido no
Plano.
PGBL - PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE
Os planos denominados (sob a sigla) PGBL, durante o período de diferimento, terão
como critério de remuneração da provisão matemática de benefícios a conceder, a
rentabilidade da carteira de investimentos do FIE instituído para o plano, ou seja,

DURANTE O PERÍODO DE DIFERIMENTO NÃO HÁ GARANTIA DE REMUNERAÇÃO


MÍNIMA.

O Plano PGBL, poderá ter sua carteira de investimentos estruturada sob as seguintes
MODALIDADES: SOBERANO, RENDA FIXA OU COMPOSTO (ver definições básicas).
O objetivo do Plano é a concessão de benefícios de previdência aberta complementar
(não confundir com fundos de investimento de mercado financeiro).
O valor do benefício será calculado em função da provisão matemática de benefícios a
conceder na data da concessão do benefício e do tipo de benefício contratado, de
acordo com os fatores de renda apresentados na Proposta de Inscrição.
PGBL - PLANOS PADRÕES
O participante contratará um dos seguintes tipos de renda mensal:
•RENDA MENSAL VITALÍCIA: consiste em uma renda paga vitaliciamente ao
Participante a partir da data de concessão do benefício.
•RENDA MENSAL TEMPORÁRIA: consiste na renda paga temporária e
exclusivamente ao participante.
• RENDA MENSAL VITALÍCIA COM PRAZO MÍNIMO GARANTIDO: consiste em uma
renda paga vitaliciamente ao Participante a partir da data da concessão do benefício.
• RENDA MENSAL VITALÍCIA REVERSÍVEL AO BENEFICIÁRIO INDICADO: consiste
em uma renda paga vitaliciamente ao participante a partir da data de concessão do
benefício escolhida.
• RENDA MENSAL VITALÍCIA REVERSÍVEL AO CÔNJUGE COM CONTINUIDADE
AOS MENORES: consiste em uma renda paga vitaliciamente ao participante a partir da
data de concessão do benefício escolhida.

Além das modalidades de Rendas mencionadas no item anterior, teremos:


* PAGAMENTO ÚNICO: No primeiro dia útil seguinte à data prevista para o término do
período de diferimento, será concedido ao participante benefício sob a forma de
pagamento único, calculado com base no saldo de Provisão Matemática de Benefícios
a Conceder verificado ao término daquele período.
* RENDA MENSAL POR PRAZO CERTO: consiste em uma renda mensal a ser paga
por um prazo pré-estabelecido ao participante/assistido. O PAGAMENTO DA RENDA
CESSARÁ COM O TÉRMINO DO PRAZO ESTABELECIDO.
PRGP - PLANO COM REMUNERAÇÃO GARANTIDA E PERFORMANCE

Os planos denominados (sob a sigla) PRGP garantirão, durante o período de


diferimento, remuneração dos recursos da Provisão Matemática de Benefícios a
Conceder, POR TAXA DE JUROS EFETIVA ANUAL E ÍNDICE DE ATUALIZAÇÃO DE
VALORES, os quais deverão estar previstos em seu Regulamento.

DURANTE O PERÍODO DE DIFERIMENTO, HAVERÁ APURAÇÃO DE RESULTADOS


FINANCEIROS. O PERCENTUAL DE REVERSÃO DE RESULTADOS FINANCEIROS
ESTARÁ PREVISTO NO REGULAMENTO.

A apuração de resultados financeiros à época de concessão do benefício é facultativa,


podendo ser utilizado o mesmo FIE do período de diferimento. O percentual de
reversão de resultados financeiros estará previsto no Regulamento.
O objetivo do Plano é a concessão de benefícios de previdência complementar aberta
(não confundir com fundos de investimento de mercado financeiro). A Proposta de
Inscrição indicará a data de concessão de benefícios escolhida pelo participante.
O valor do benefício será calculado em função da provisão matemática de benefícios a
conceder na data da concessão do benefício e do tipo de benefício contratado, de
acordo com os fatores de renda apresentados na Proposta de Inscrição.
PAGP - PLANO COM ATUALIZAÇÃO GARANTIDA E PERFORMANCE

Os planos denominados (sob a sigla) PAGP, garantirão, durante o período de


diferimento, atualização dos recursos da Provisão Matemática de Benefícios a
Conceder, POR ÍNDICE DE ATUALIZAÇÃO DE VALORES, o qual estará previsto em
Regulamento.

DURANTE O PERÍODO DE DIFERIMENTO, HAVERÁ APURAÇÃO DE RESULTADOS


FINANCEIROS. O PERCENTUAL DE REVERSÃO DE RESULTADOS FINANCEIROS
ESTARÁ PREVISTO EM REGULAMENTO.

A apuração de resultados financeiros à época de concessão do benefício é facultativa,


podendo ser utilizado o mesmo FIE do período de diferimento. O percentual de
reversão de resultados financeiros estará previsto em Regulamento.
O objetivo do Plano é a concessão de benefícios de previdência complementar aberta
(não confundir com fundos de investimento de mercado financeiro). A Proposta de
Inscrição indicará a data de concessão de benefícios escolhida pelo participante.
O valor do benefício será calculado em função da provisão matemática de benefícios a
conceder na data da concessão do benefício e do tipo de benefício contratado, de
acordo com os fatores de renda apresentados na Proposta de Inscrição.
PRI - PLANO DE RENDA IMEDIATA

Os planos denominados (sob a sigla) PRI garantirão, mediante contribuição única, o


pagamento de benefício por sobrevivência sob a forma de renda imediata.
A apuração de resultados financeiros é facultativa. O percentual de reversão de
resultados financeiros estará previsto em Regulamento.

O objetivo do Plano é a concessão de benefícios de previdência complementar aberta


(não confundir com fundos de investimento de mercado financeiro). O valor do benefício
será calculado em função da contribuição única na data de subscrição do plano e do
tipo de benefício contratado, de acordo com os fatores de renda apresentados na
Proposta de Inscrição.
O que representam as Quotas que compõem um Título?
· As Quotas de Capitalização representam o percentual de cada pagamento que será
destinado à constituição do Capital. Elas deverão ser apresentadas sempre em
destaque nas Condições Gerais do título de capitalização Em geral, não representam
a totalidade do pagamento, pois, como foi dito acima, há também uma parcela
destinada a custear os sorteios e uma outra destinada aos Carregamentos da
Sociedade de Capitalização.
Nos títulos com Pagamento Único (PU), a Quota de Capitalização mínima varia de
acordo com o prazo de vigência, segundo a tabela abaixo:
O que acontece se houver atraso nos pagamentos?
Cada título define o procedimento em relação aos pagamentos em atraso. Alguns
estipulam multa moratória e atualização monetária para pagamentos após a data de
vencimento. Outros só atualização monetária. Já alguns simplesmente prorrogam a
vigência em razão de atrasos. Porém, em qualquer hipótese anteriormente citada, os
títulos que estão em atraso são suspensos, não possuindo direito aos sorteios durante
o prazo de suspensão. Além disso, na ocorrência de um determinado número
consecutivo (definido em cada título) de pagamentos em atraso, o título será
automaticamente cancelado. Porém, mesmo assim, o titular terá direito ao capital
formado para resgate, após encerrado o prazo de carência.
Como é formado o capital a ser resgatado?
O capital a ser resgatado origina-se do valor que é constituído pelo título com o decorrer
do tempo a partir dos percentuais dos pagamentos efetuados, com base nos
parâmetros estabelecidos nas Condições Gerais. Ele, mensalmente e obrigatoriamente,
é atualizado pela TR, que é a mesma taxa utilizada para atualizar as contas de
caderneta de poupança, e sofre a aplicação da taxa de juros definida nas condições
gerais, que pode inclusive ser variável, porém limitada ao mínimo de 20% da taxa de
juros mensal aplicada à caderneta de poupança (atualmente, então, a taxa mínima de
juros seria de 0,1% ao mês). A Sociedade de Capitalização em hipótese alguma poderá
se apossar do capital, podendo apenas estabelecer um percentual de desconto
(penalidade), não superior a 10%, nos casos de resgate antecipado. Na hipótese de
resgate após o prazo de vigência, ou se for previsto obrigatoriamente quando o título for
sorteado, o capital resgatado corresponderá a integralidade (100%) da reserva
matemática.