Você está na página 1de 1

ATIVIDADES PROGRAMADAS À DISTÂNCIA DURANTE

PERÍODO DE SUSPENSÃO DAS AULAS PRESENCIAIS

Ano/Turma: 2ºNC DATA:15/04/2021


PROFESSOR: Jaqueline COMPONENTE: Didática
Graciela Schneider Goulart Geral

ESTUDANTE: Igor Eduardo Werner

1º Vídeo- O professor é o profissional do sentido, considerando que a educação é introduzir


nossa vida de sentido; além disso este profissional é muito mais animador e organizador do trabalho do
que realmente lecionador, uma vez que o quê este aluno realmente precisa é da autonomia intelectual e
consiga “andar com as próprias pernas”;

2º Vídeo- O papel da educação não é realmente ensinar as coisas, porque estas coisas já estão
disponíveis em vários espaços de aprendizagem que não a escola, mas sim criar na criança a
curiosidade e “fome” do conhecimento: ensiná-la a pensar; por sua vez, a missão do professor não é
dar as respostas prontas, já que essas respostas estão nos livros, na internet, nos filmes e
documentários, a missão do professor é provocar a inteligência, o espanto, a curiosidade. Um sinal de
que a escola e o processo de ensino não são do gosto das crianças, é quando se faz necessário o uso da
palavra “silêncio”. O conceito de nota é muito raso para tamanha a complexidade da educação,
reduzir o que ele acerta numa prova a um número, tentando representar o que ele sabe ou não é
errado, pois aquilo que um aluno produz numa prova não revela o que ele pensa. Deveríamos ter uma
educação mais ligada à vida real, e não apenas a um conteúdo programático pré-definido. A educação
brasileira é orientada quase que em sua totalidade no sentido de passar no vestibular, basta olhar as
fontes de perguntas nas provas e trabalhos. O terror do vestibular é que ele lança uma sombra negra
sobre tudo que vem antes.

3º Vídeo- Cada aluno, em sua individualidade, vem de uma realidade diferente das outras,
portanto não se pode pensar que ele vem “vazio”. O professor autoritário sufoca a liberdade, prende a
mente a ideias pré-estabelecidas; já o professor que realmente caminha para uma educação melhor,
sabe que é necessário respeitar os conhecimentos e saberes de cada criança, além de suas diferenças e
usá-las para crescer, ele também é capaz de cativar, motivar e despertar curiosidade em seus alunos.
Educar é também lutar por uma educação melhor, e estar sempre em defesa dos direitos dos alunos,
acreditando sempre numa educação melhor.