Você está na página 1de 2

CAPÍTULO I – HISTÓRIA GERAL DA CONTABILIDADE

A historia da Contabilidade foi retratada de forma artística, antes mesmo que o homem soubesse
escrever e calcular. Há mais de 20.000 anos o homem começou a observar os bens que possuía, e
mantendo reservas como caça, pesca e colheita, pois se preocupava com sua subsistência, porém,
não sabia ainda, racionalmente, o que fazer com as informações que possuía.
Os principais períodos da historia da Contabilidade são classificados em:
- PERÍODO INTUITIVO PRIMITIVO: Vivido na pré-história, e dedicado à memória dos bens
que possuíam. O homem buscava registrar o que possuía, porém à altura de seus conhecimentos.
Faziam esses registros através de pinturas gravadas em ossos, onde identificavam os objetos
através de figuras, geralmente animais, e a quantidade através de riscos e sulcos.
Na idade da Pedra Polida o homem começou a constituir aldeias e cidades, passando a criar
animais e cultivar a agricultura, surgindo assim a necessidade de controlar e registrar seus bens.
Na era Neolítica, o homem já foi disciplinando os registros, identificando até os proprietários dos
bens.
- PERÍODO RACIONAL-MNEMÔNICO: É um período de organização das informações que
possuíam à respeito de seus bens. Estudos indicam que a evolução dos registros contábeis foi
bastante influenciada pelo desenvolvimento de sociedades, Estados e até mesmo a Igreja. Com o
avanço das civilizações, surgiu então os primeiros registros contábeis em placas de barro, sendo
conhecido hoje por livro Diário. Surgiu no século IV, na Mesopotâmia, a escrita Cuneiforme,
onde os desenhos foram substituídos por símbolos. Os registros eram feitos em placas de argila
fresca, sulcadas por estiletes. Nessa época começava-se a utilizar prata e moedas para realização
dos negócios. Surgiram então as escolas de escrituração contábil. Há 100 a.C no Egito houve a
elaboração dos primeiros livros de escrituração, através de papiros. Foi na Grécia que houve a
iniciativa da doutrina patrimonialista e as primeiras instituições cientificas de Contabilidade. A
contabilidade pública era exposta para que todos tivessem acesso às informações. A contabilidade
dos Romanos é considerada de grande qualidade, com a criação do Contador Geral do Estado,
responsável pela administração das riquezas do Império.
- PERÍODO LÓGICO-RACIONAL: No Oriente começou a se desenvolver o método das Partidas
Dobradas, que consiste na idéia de que todo o débito corresponde a um crédito e vice-versa,
mostrando a causa e o efeito de um fato registrado. Após a Revolução Industrial essa técnica se
difundiu devido à necessidade de registros eficazes das movimentações financeiras. No século XIV
era muito utilizado o método das Partidas Dobradas, com livros específicos, onde tudo era
acompanhado em todas as fases. Passou-se a diferenciar valores quando a custos por atividade,
localidade, empreendimentos...
- PERÍODO DA LITERATURA: Surge a necessidade de escrever em livros as formas corretas de
escrituração contábil, para que com o passar do tempo os métodos não fossem alterados. Tudo era
escrito de forma lógica. Em1458 Benedetto Cotrugli explicou o método das partidas dobradas
através de manuscritos, porém a obra não foi publicada, e somente em Novembro de 1494 Luca
Pacioli publicou o primeiro livro. Mais tarde surgiram outras obras como Livro de Caixa;
Contabilidade Pública; entre outros.
- PERIODO PRÉ-CIENTÍFICO: Nesse período a Contabilidade era considerada o braço direito da
matemática, e somente mais tarde foi sendo considerada como disciplina autônoma.
Desenvolveram-se as primeiras teorias empíricas e o Contismo, onde tudo era centrado na conta.
Em 1586 Ângelo Pietra lançou um livro com explicações e justificativas referente aos lançamentos
contábeis. Giovanni Moschetti estava voltado para a Contabilidade Industrial, com a necessidade
de controlar as mercadorias. Ludovico Flori tinha a idéia do Princípio Contábil da Prudência, onde
deveria haver uma previsão dos gastos, pois não se gasta mais do que se arrecada. Bastiano
Venturi escrevia normas para detectar fraudes e desperdícios. Edmond Degranges, em 1795 editou
sua obra, que foi traduzida para diversos países, o que ocasionou mais acesso às informações
contábeis. Sua obra foi baseada em: mercadorias; caixa; efeitos a receber/pagar; lucros e perdas.
- PERÍODO CIENTIFICO: Nessa fase houve uma grande disputa entre Itália e França, pois
queriam definir quem doutrinaria a contabilidade no mundo. Buscavam entender o que ocorria
com o patrimônio das empresas, famílias, feudo, naquela época. Passava-se então q se dizer que
somente a conta e o registro não bastavam, devia-se analisar o patrimônio da célula social. Surgem
então algumas Escolas Cientificas, como Personalismo, o Aziendalismo, entre outros.
PERÍODO FILOSÓFICO-NORMATIVO: Nessa fase pretendia-se que todos tivessem um
entendimento dos fatos contábeis.