Você está na página 1de 20

INFORMÁTICA BÁSICA1

SISTEMAS COMPUTACIONAIS
APRESEN TAÇÃO
A tecnologia da informação nos apresenta várias formas de interagir
com o universo da informática. Podemos utilizar a informática em casa, no
trabalho, no lazer e principalmente na universidade.

Em casa, a informática está presente não só no computador, mas também


no forno de micro-ondas, na televisão, no controle de segurança, no portão
eletrônico, na geladeira e em muitos outros itens que precisam de controle
e processamento da informação.

No lazer podemos encontrar a informática nos jogos eletrônicos, parque


de diversões, na internet, no celular e em tantas outras formas de utilização.

No trabalho, encontramos a infor mática nas diversas for mas de


comunicação, no suporte às nossas atividades, no apoio aos serviços de
produção e, principalmente, no controle de todas as atividades envolvidas.

Já na universidade, a informática vem com o princípio de ensino-


aprendizagem, trazendo todos os objetos que abarcam diversas áreas, para
que, então, possam estar envolvidos de uma forma a propiciar o entendimento
e o funcionamento dessas áreas.

Seja bem-vindo ao mundo da informática! Para que você possa


entender este universo, é preciso compreender como cada parte funciona e,
principalmente, detalhar seu funcionamento de forma a integrar o hardware
e o software. Para isto, vamos discutir nesta etapa os conceitos básicos de
informática, bem como o funcionamento do computador e o uso de softwares
aplicativos e utilitários.

Coordenação Reitor da Pró-Reitora do EAD Edição Gráfica Autora


UNIASSELVI e Revisão
Greisse Moser Prof.ª Francieli Stano Greisse Moser
Badalotti Prof. Hermínio Kloch Torres UNIASSELVI Badalotti
.01
SISTEMAS
COMPUTACIONAIS
1 PROCESSAMENTO DE DADOS
Para compreendermos o processamento de dados, precisamos conhecer
duas expressões importantes: dados e informação.

• Dado: é tudo aquilo que temos em razão da apresentação ou manifestação dos estados
do universo que queremos compreender antes de serem organizados em formatos
que as pessoas possam entender e utilizar. O dado consiste em um fato bruto ou suas
representações, que podem ou não ser úteis para um processo em particular (ANDRADE et
al., 2005). Um dado é uma sequência de símbolos, é algo totalmente sintático, não envolve
semântica, como na informação. Os dados podem ser representados por áudio (sons, ruídos
ou tons), vídeos (imagens em movimento ou filmes), imagens (gráficos ou figuras), textos,
números e estruturas (formatos e definições).

• Informação: a informação é a expressão de valores compreendidos a partir da organização


ou transformação dos dados. É tudo o que provê conhecimento ou inteligência. A informação
é uma coleção de fatos organizados de forma a possuir um valor adicional aos fatos em si
(ANDRADE et al., 2005).

Como exemplo podemos dizer que o nome e a nota de um aluno são os


dados (João Carlos, 5,0) e que a informação é o que pode ser gerado a partir destes
dados (João Carlos está reprovado, pois não obteve nota suficiente para aprovação).

Portanto, processamento de dados significa transformar os dados em


informações.

2 HARDWARE
A e v o l u ç ã o d o s c o m p u t a d o r e s t o r n o u - s e p o s s í v e l g ra ç a s a o
desenvolvimento da eletrônica, proporcionando a colocação de ideias teóricas
em prática. Os computadores, em geral, são compostos pelas seguintes partes:

• unidades de entrada: teclado, mouse, microfone, scanner, leitoras ópticas,


câmeras digitais;

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


• unidade central de processamento: CPU;
• unidades de saída: monitor de vídeo, impressora, alto-falante, plotter.

Portanto, hardware é a parte física de um computador. A seguir, vamos


conhecer um pouco mais sobre cada um dos principais elementos que
compõem os computadores.

2.1 UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO


O cérebro de um computador é o que chamamos de processador ou
CPU (Central Process Unit). O processador nada mais é que um chip, formado
de silício, em que uma combinação de circuitos permite controlar o fluxo de
funcionamento de toda a máquina. Quando solicitamos ao computador a
impressão de uma página de algum documento, por exemplo, é o processador
que irá receber esta ordem, interpretá-la, enviar os comandos para que a
impressora realize o seu trabalho (MORIMOTO, 2001).

No chip do processador estão as instruções de como ele deve se


comunicar com os programas. O processador principal fica localizado em uma
placa denominada placa-mãe, junto aos circuitos elétricos que interligam a
placa ao conjunto de componentes do computador.

2.2 MEMÓRIAS
Memórias são dispositivos eletrônicos ou magnéticos utilizados para
retenção da informação. Existem quatro tipos de memória:

• principal (eletrônica, temporária, volátil): a memória RAM (Random Access


Memory) permite leitura e gravação de dados. Apaga-se quando o computador é
desligado. São circuitos eletrônicos representados por chips (placas de memória);
• secundária (magnética, externa, de massa): também chamada de dispositivo
de armazenamento permanente, utilizado para gravar e guardar dados de
processamento. As mais conhecidas são: pen drive e HD externo;
• ROM (Read Only Memory): memória apenas de leitura. É incorporada ao
equipamento com informações necessárias ao funcionamento do computador
ou com dados e programas especiais;
• intermediária ou memória cache: usada para acelerar o processamento, pela
retenção de dados da memória principal que são utilizados com mais frequência
pela CPU. Mais rápida que a memória principal.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


2.3 DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA
Na informática, dispositivos de entrada e saída são aqueles que permitem
a comunicação do computador com o meio externo.

A rigor, os dispositivos de entrada e saída não são considerados parte


integrante do computador. Existem vários dispositivos de entrada e saída,
como leitores de cartão, mouse, impressora, teclado, monitor de vídeo etc.

2.3.1 Dispositivos de entrada


São os utilizados para introduzir no computador a informação que vai
ser objeto de tratamento. Alguns exemplos são:

• teclado: conjunto de teclas de máquina de escrever e teclas de funções especiais;


• scanner: pode digitalizar texto ou imagem (figuras, mapas, fotos);
• leitor de código de barras: pode ler símbolos de barras e transmitir para a
memória na forma de códigos;
• microfone: permite captar sons para transferência ao computador;
• mouse: permite ao usuário enviar informações, clicando em partes especiais
apontadas no monitor. Existem três tipos: mecânico (esfera de metal); opto-
mecânico (usa sensor para detectar o movimento) e óptico (utiliza laser
para detectar os movimentos);
• câmera de vídeo: pode captar imagem do ambiente e transferir para a
memória do computador;
• touchpad: é um outro dispositivo de mouse muito popular em notebooks.
O usuário desliza o dedo sobre a superfície do dispositivo.
• gamepads e joysticks: são dispositivos que servem para enviar dados de
posicionamento para o computador. Comum em jogos, eles servem para
mover objetos, gerar animação ou ativar ações.
• touchscreen: estas telas permitem a seleção de várias opções exibidas
no monitor através do toque de um dedo. Tornaram-se populares em
smartphones e caixas eletrônicos.

2.3.2 Dispositivos de saída


Os dispositivos de saída convertem sinais elétricos internamente
armazenados no computador e os transformam em informações úteis ao mundo
exterior. Por exemplo, são dispositivos de saída:

• impressora: as impressoras podem ser divididas em impressoras de impacto


(matricial etc.) e de não impacto (jato de tinta, térmica, laser etc.).

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


• plotter: capazes de gerar como saída de um processo um gráfico ou
desenho. A impressão pode ser feita em uma ou várias cores, utilizando-
se canetas ou jato de tinta como elemento de impressão.

3 SOFTWARE
Para que um computador execute determinada tarefa é necessário
carregar na sua memória um conjunto de comandos que denominamos
programa (software). Os comandos devem ser escritos numa linguagem
própria que possa ser entendida pela máquina.

Pode-se definir software como a parte lógica capaz de dotar o


equipamento físico para realizar as mais variadas tarefas.

3.1 TIPOS DE SOFTWARE


Há vários tipos de softwares, que podem ser classificados como:

• softwares básicos: são os sistemas operacionais que têm a finalidade de


assegurar o funcionamento da máquina, por meio da execução de funções
ou comandos aceitos pelo computador. Dentre estas funções, destacam-se:
administrar os recursos do computador (impressoras e demais periféricos)
e prover recursos para a execução de programas do usuário.
• softwares aplicativos: são programas que visam à automatização de um
determinado processo, possibilitando a operação por pessoas com ou sem
conhecimento em informática. Subdividem-se em:
ᵒ aplicativos de uso geral: desenvolvidos para atender tarefas comuns,
de rotina (por exemplo, editores de textos e planilhas eletrônicas);
ᵒ aplicativos de uso específico: desenvolvidos para atender tarefas
específicas (por exemplo, folha de pagamento e controle de estoques);
ᵒ Softwares utilitários: também conhecidos como programas auxiliares,
complementam as funções básicas do sistema operacional com
ações específicas do ambiente em que atuam. Servem para melhorar a
produtividade do sistema de computação instalado (por exemplo, antivírus
e desfragmentador de discos).

4 SISTEMAS OPERACIONAIS
Para entender melhor a maneira como o microcomputador opera, torna-
se necessário ter alguns conhecimentos sobre o sistema operacional desse
micro. O sistema operacional é o primeiro programa com o qual o usuário

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


interage logo após o micro ser ligado. É ele que irá fornecer os meios para se
iniciar este ou aquele programa, atribuir uma letra a uma tecla pressionada
no teclado, realizar operações com arquivos de dados (criação, arquivamento,
apagamento, impressão, cópia para um outro meio de armazenamento),
conexão a periféricos (drivers de discos, CD-ROMs, scanners etc.) e redes e
reinicialização/desligamento do micro (MINK, 1998).
Podemos dizer, numa analogia, que se o micro é um conjunto de
arquivos, o sistema operacional é o secretário que irá abrir o fichário, colocar
novas fichas, fotocopiar, fazer chamadas telefônicas etc., e depois guardar
tudo em seus devidos lugares (ALMEIDA, 1999).

Existem diversos sistemas operacionais que vão desde os mais antigos,


como CP/M, MS-DOS, System e OS/2, até os mais conhecidos e utilizados
atualmente, como Windows, Linux, Mac OS, Solaris e Java OS. A seguir, iremos
conhecer um pouco de alguns destes.

4.1 WINDOWS
A empresa criadora do Windows é a Microsoft. A Microsoft foi fundada
em 1975 por Bill Gates. Seu primeiro sistema operacional comercializado foi
o MS-DOS, o qual era um sistema baseado em comandos que deveriam ser
digitados para executar determinadas funções. A diferença deste sistema
operacional com os sistemas operacionais atuais é o ambiente gráfico.

Uma revolução dos sistemas foi ocasionada quando se apresentou ao


mercado a primeira versão de um sistema baseado em interface gráfica,
que para ser utilizado exigia o auxílio do mouse. Assim surgia o Windows.
(CAIÇARA; WILDAUER, 2013). Conforme Caiçara e Wildauer (2013), vejamos
a evolução do sistema operacional Windows:

• Windows 3.0 – lançado em 1985, explodiu no mercado em 1990 e eliminou


a necessidade de digitação manual de comandos. O usuário passou a
acessar janelas contendo ícones (botões), as quais permitiram a operação
do sistema operacional, com uma janela, na qual surgiu o nome Windows,
que em inglês significa “janela”;
• Windows 3.1 – lançado em 1991 nos Estados Unidos e em 1992 no Brasil,
apresentou melhoria na interface visual;
• Windows 3.11 – com recursos adicionais para trabalhar em ambiente de rede,
surgiu em 1993. Permitia a interação entre os softwares, como Word e Excel;
• Windows NT – foi uma versão lançada em 1993, denominada de versão para
servidores, com a principal funcionalidade de trabalhar em ambiente de rede;
• Windows 95 – introduziu o conceito de desktop, que permitia arrastar arquivos
usando o mouse. Apresentou uma tecnologia que permite instalar e atualizar
softwares ao ligar a máquina, eliminando a necessidade de conhecimento
avançado em informática;
CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS
• Windows 98 – foi a versão que permitiu a integração do Sistema Operacional
à internet, sendo lançada juntamente com o navegador Windows Explorer;
• Windows ME – versão Millenium Edition, integrou diversos recursos multimídia,
mas não obteve sucesso, em virtude dos inúmeros problemas que apresentava;
• Windows 2000 – evolução da versão Windows NT, era mais estável e tinha
novas funcionalidades;
• Windows XP – lançado em 2001, introduziu uma nova versão interface gráfica
e alguns recursos adicionais para atividades multimídia. Foi abandonada
totalmente a plataforma DOS;
• Windows Vista – nova evolução do Windows NT, lançada no final de 2006, onde
lançou novidades visuais, como os recursos de transparência e visualização
de miniaturas na barra de ferramentas ao se passar o mouse;
• Windows 7 – esta versão aprofundou as mudanças visuais preconizadas pela
versão anterior, progrediu também no software de reconhecimento de voz;
• Windows 8 – acompanhando o mercado crescente de smartphones, tablets e
dispositivos móveis, a Microsoft lançou um Sistema Operacional para aparelhos
portáteis, este lançamento foi no ano de 2011;
• Windows 8.1 – uma atualização do Windows 8 na qual o usuário pode
personalizar a interface.

4.2 LINUX
O Linux é um sistema operacional em que sua licença de software é
livre, ou seja, quem tiver interesse, inclusive você, pode usá-lo e distribuí-lo.
Por este motivo, existem diversas distribuições de Linux no mundo, como
Red Hat, SUSE, Mandriva, Debian, Ubuntu, Gentoo e Slackware.

No princípio, o Linux funcionava somente com linhas de comando, o que


dificultava muito a sua utilização. A falta de uma interface gráfica fazia com que
somente pessoas com bom conhecimento de informática pudessem utilizar
o sistema operacional, entretanto, não demorou para que as distribuições
Linux passassem a adotar interfaces intuitivas e muito similares ao Windows.

Com isso usuários comuns começaram a utilizar o sistema, porém


c o n t i n u o u s e n d o u m s i s te m a m u i to a p re c i a d o p o r e s p e c i a l i s ta s e m
computação, principalmente por ser um sistema com fortes características de
segurança e estabilidade, tornando o Linux um excelente sistema operacional
para servidores.

4.3 MAC OS
O sistema operacional Mac OS (Macintosh Operating System), criado pela
Apple, é o padrão para computadores Macintosh, tendo a primeira versão lançada

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


em 1984, com o nome de System, comercializado com este nome até a versão
7.6, passando a ser chamado de Mac OS.

A versão Mac OS X, também chamada de Mac OS Ten, tem como


característica o grande desempenho, principalmente quando utilizado nos
computadores Macintosh. A rapidez no uso desse sistema operacional é conhecida
há muito tempo e nas versões anteriores, tanto que as pessoas que precisam de
computadores muito rápidos em termos de processamento acabam escolhendo
este sistema operacional. Se você precisa do computador para mexer com grande
quantidade de imagens, com animações ou cálculos extremamente complexos
e astronômicos, o sistema operacional Mac OS é, sem dúvida, recomendável.

4.4 SISTEMAS OPERACIONAIS PARA TABLETS E SMARTPHONES


Além do Windows 8.1, também é utilizado o sistema operacional Android e
o sistema operacional IOS.

O sistema operacional Android é utilizado em equipamentos de diversas


marcas. Ele foi desenvolvido por um conjunto de empresas de tecnologia
denominado Open Handset Alliance, em 2012.

O sistema operacional IOS é desenvolvido pela Apple e é utilizado apenas


nos aparelhos da marca.

5 DESKTOP
Como você pode perceber, existem diversos sistemas operacionais no
mercado, cada um com suas particularidades. A decisão de qual deles utilizar
depende de cada um de nós ou das instituições em que trabalhamos.

Aqui você vai encontrar uma descrição genérica, ou seja, os pontos


em comum entre os sistemas operacionais, possibilitando que você tenha
conhecimento básico suficiente para utilizar qualquer um deles, independente,
inclusive, da versão de cada sistema operacional.

O termo desktop, também chamado de área de trabalho ou mesa, foi


idealizado imaginando-se uma mesa real de escritório. Assim como em uma
mesa real, em que você pode ter vários objetos como papel, caneta e livros, no
desktop você pode ter acesso ao editor de texto, calculadora e demais programas.

Portanto, após a carga completa do sistema operacional, você estará no


desktop, um ambiente gráfico que permite a abertura de janelas de programas,
facilitando a sua utilização e organização. A seguir, é apresentado o desktop
do Windows.
CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS
FIGURA 1 – DESKTOP WINDOWS

FONTE: A autora

No Linux não existe um só ambiente gráfico, porém, na maioria das


distribuições, utiliza-se o KDE (K Desktop Environment) e o GNOME.

Já o Mac OS apresenta uma barra de menu na parte superior, sendo que


no início desta barra existe um ícone em forma de maçã, que é o símbolo da
Apple, empresa criadora do hardware Macintosh e do sistema operacional
Mac OS. Quando clica-se no símbolo, aparecem opções de configuração do
ambiente. Na parte inferior da tela são mostrados ícones que servem como
atalhos para acessar programas.

5.1 BARRA DE TAREFAS

Em todos os três sistemas operacionais existe uma barra horizontal longa


na parte inferior da tela, chamada de barra de tarefas ou dock. Normalmente,
a barra de tarefas fica visível durante todo o tempo e na parte inferior da tela,
facilitando o acesso aos programas, no entanto, ela pode ser configurada para
se adaptar de acordo com o gosto de cada usuário.

A barra de tarefas é muito útil no dia a dia. Imagine que você esteja
criando um texto em um editor de texto e um de seus colegas lhe pede para
você imprimir uma determinada planilha que está em seu micro. Você não
precisa fechar o editor de texto. Apenas salve o arquivo que está trabalhando,
abra a planilha e mande imprimir; enquanto imprime, você não precisa esperar
que a planilha seja totalmente impressa, deixe a impressora trabalhando e
volte para o editor de texto, dando um clique no botão correspondente na
barra de tarefas e volte a trabalhar.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


Cada sistema operacional possui uma barra de tarefas com características
um pouco diferentes, porém, em geral, serve para acesso rápido a pastas, arquivos
e programas, uma vez que, com apenas um clique, podemos acessá-los.

5.2 BARRA DE MENU


Em certos sistemas operacionais, como o Mac OS e algumas distribuições
Linux, fica disponível uma barra de menu na parte superior da tela, apontando
quais são os programas em uso no momento.

No caso do Windows, também existe um menu de opções, que pode ser


acessado com um clique na opção Iniciar da barra de tarefas. O botão Iniciar
é o principal elemento da barra de tarefas. Ele dá acesso ao menu Iniciar, de
onde você pode acessar outros menus que, por sua vez, acionam programas
do Windows. Ao ser acionado, o botão Iniciar mostra um menu vertical com
várias opções. No Windows, o botão Iniciar é a maneira mais fácil de iniciar
um programa que estiver instalado no computador, ou fazer alterações nas
configurações do computador, localizar um arquivo ou abrir um documento.

5.3 OS ÍCONES
As pequenas figuras na área de trabalho chamam-se ícones. Imagine-os
como entradas de acesso a arquivos e programas armazenados no computador.
Coloque o mouse sobre um ícone. Um texto identificando o nome ou o
conteúdo é exibido. Para abrir o arquivo ou o programa, clique sobre o ícone.

5.4 JANELAS
As janelas, quadros na área de trabalho, exibem o conteúdo dos arquivos
e programas, mensagens ou diálogo entre o usuário e o computador. É fácil
trabalhar com janelas tendo noção de alguns dos seus conceitos.

Em geral o nome de cada janela é exibido na parte superior, em uma


barra de título. Mova uma janela arrastando-a. Clique na barra de título e,
enquanto pressiona o botão do mouse, mova o seu ponteiro pela tela do
computador. Reduza uma janela clicando no botão Minimizar, localizado à
direita da barra de título.

Esse procedimento reduz a janela a um botão na barra de tarefas. Maximize


a janela clicando no botão Maximizar, localizado à direita do botão Minimizar.
Esse procedimento amplia a janela até ocupar toda a área de trabalho. Clique
no botão novamente para restaurar a janela ao seu tamanho original.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


Em uma janela, percorra os menus para ver os diferentes tipos de comandos
e ferramentas que você pode usar. Ao localizar o comando desejado, clique nele.

Você pode verificar na próxima figura um exemplo de janela, contando com


textos explicativos apontando cada objeto, além de um breve relato na sequência.
Utilizou-se uma janela do Windows como modelo, entretanto, no Linux, Mac OS
e em vários outros sistemas operacionais a semelhança é muito grande.

FIGURA 2 – EXEMPLO DE JANELA

FONTE: A autora

• Menu de Serviços: é o ícone que representa o aplicativo. Lá encontramos os


serviços que podem ser executados com a janela: restaurar, mover, tamanho,
minimizar, maximizar e fechar.
• Barra de Título: esta barra mostra o nome do arquivo (Uniasselvi) e o nome do
aplicativo (bloco de notas) que está sendo executado na janela. Através desta barra,
conseguimos mover a janela quando a mesma não está maximizada. Para isso,
clique na barra de título, mantenha o clique, arraste e solte o mouse. Assim, você
estará movendo a janela para a posição desejada. Depois é só soltar o clique.
• Barra de Menus: nesta barra são apresentados os menus com os respectivos
serviços que podem ser executados no aplicativo.
• Botão Minimizar: reduz uma janela de documento ou aplicativo para um ícone.
Para restaurar a janela para seu tamanho e posição anteriores, clique nesse botão,
ou clique duas vezes na barra de títulos.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


• Botão Maximizar: aumenta uma janela de documento ou aplicativo para preencher
a tela. Para restaurar a janela para seu tamanho e posição anteriores, clique
nesse botão ou clique duas vezes na barra de títulos.
• Botão Restaurar: restaura uma janela para seu tamanho e posição anteriores.
• Botão Fechar: fecha o aplicativo ou documento. Solicita que você salve
quaisquer alterações não salvas antes de fechar.
• Barra de rolagem: são as barras sombreadas ao longo do lado direito e inferior
de uma janela de documento. Para deslocar-se para outra parte do documento,
arraste a caixa ou clique nas setas na barra de rolagem.
• Área de Trabalho: este é o ambiente em que são feitas as atividades do aplicativo,
geralmente apresentada como área de texto que servirá para editoração.

6 PASTA E ARQUIVOS
Cada parte do trabalho, ou arquivo, pode ser armazenada em uma pasta.
Imaginando que seu desktop seja sua mesa de trabalho, as pastas são como
se fossem as gavetas desta mesa. Dentro de cada gaveta (pasta) você tem
várias folhas, documentos ou fotos, que equivalem aos arquivos que estão
dentro das pastas.

6.1 ORGANIZAÇÃO DE PASTAS E ARQUIVOS


As pastas podem conter diferentes tipos de arquivos, como documentos,
músicas, imagens, vídeos e programas. Você pode copiar e mover os arquivos
de outros locais, como de outra pasta, computador ou da internet, para pastas
criadas por você. E pode até criar pastas dentro de pastas.

Isso significa que, se você estiver criando e armazenando os arquivos em


uma pasta, poderá criar uma nova pasta dentro dela para copiar os arquivos.
Se decidir que deseja mover a nova pasta para um local diferente, você poderá
movê-la, facilmente, selecionando a pasta e arrastando-a para o novo local.

Os sistemas operacionais facilitam o armazenamento de arquivos nos


lugares que fazem mais sentido. Alguns sistemas operacionais trazem como
padrão pastas previamente criadas para guardar músicas, documentos ou
imagens, geralmente encontradas com facilidade no desktop, mas você
mesmo pode criar suas próprias pastas com o nome que desejar.

Portanto, quando você cria pastas e subpastas, está criando uma estrutura
hierárquica de pastas, auxiliando, assim, a localização futura dos seus arquivos.
A tendência é que quanto maior for a sua quantidade de dados, melhor precisa
ser a sua organização de pastas.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


A próxima figura mostra um exemplo de pastas no sistema operacional
Windows. No lado esquerdo da tela aparece uma lista de pastas e subpastas
hierarquizada em forma de árvore. Observe que a pasta “documentos” está
selecionada, listando logo abaixo uma série de subpastas. No lado direito é
mostrado o conteúdo da pasta selecionada, no caso “documentos”, porém com
ícones que identificam cada arquivo e subpasta. A maneira como as pastas são
visualizadas pode ser modificada de acordo com o gosto de cada usuário.

FIGURA 3 – EXEMPLO DE PASTA

FONTE: A autora

É possível criar pastas clicando com o botão direito do mouse sobre o


desktop ou mesmo dentro de alguma pasta, e, em seguida, escolher a opção
NOVO - PASTA, por fim deve ser dado um nome a ela. Em geral, em todos os
sistemas operacionais, esta é a forma mais rápida para criação de pastas.

Em todos os sistemas operacionais, você pode elaborar sua própria


organização de pastas, sendo que as semelhanças entre eles são grandes, ou
seja, o conceito de pastas serve para qualquer sistema. A principal diferença está
na forma como são apresentadas, com visual e temas diversos.

6.2 SELEÇÃO DE PASTAS OU ARQUIVOS


Para selecionar as pastas ou arquivos desejados, basta marcar os mesmos
com um clique do mouse. Uma vez estando selecionados, você poderá efetuar
as ações desejadas com estes arquivos, tais como excluir, compactar, abrir etc.

Caso você utilize o botão direito do mouse, poderá abrir o arquivo ou


pasta selecionada, como também poderá escolher uma ferramenta para abri-lo.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


• arquivos consecutivos: para selecionar um conjunto de arquivos consecutivos,
basta manter a tecla Shift pressionada e selecionar os arquivos com as setas.
• arquivos não consecutivos: para selecionar um conjunto de arquivos não
consecutivos, basta manter a tecla CTRL pressionada e clicar com o ponteiro do
mouse nos arquivos a serem selecionados.

6.3 COPIAR OU MOVER


Para copiar um arquivo ou uma pasta, clique sobre o objeto que se deseja
copiar. Para efetuar a seleção do mesmo, clique em seguida no botão Copiar,
situado na barra de ferramentas, dependendo do sistema operacional, ou então
pressione a tecla CRTL com a letra C (CTRL+C). Isto fará com que o objeto
seja inserido em uma área auxiliar, conhecida como área de transferência. Para
efetivar a cópia, clique no botão Colar, também situado na barra de ferramentas,
ou então pressione a tecla CRTL e a letra V simultaneamente (CTRL+V).

6.4 VISÃO GERAL SOBRE A LIXEIRA


A Lixeira é uma pasta especial que normalmente se encontra no desktop,
mas pode ser acessada por outros caminhos. Se você estiver trabalhando com
janelas maximizadas, não conseguirá ver a lixeira. Portanto, clique em Minimizar,
clicando com o botão direito sobre a lixeira, você pode executar a opção que
esvazia a lixeira. Esta opção irá remover fisicamente todos os arquivos e pastas
que anteriormente foram excluídos.

Clicando com o botão direito sobre um arquivo que ali se encontra por
ter sido excluído anteriormente, este arquivo poderá ser recuperado para seu
local de origem.

6.5 MODOS DE EXIBIÇÕES DAS PASTAS


A maioria dos sistemas operacionais apresenta opções de exibição
diferenciadas, buscando auxiliar o usuário e facilitar a visualização das pastas
e dos arquivos. As opções mais comuns são as seguintes:

• modo ícones: este modo de visualização apresenta os arquivos e pastas em


forma de ícones;
• modo lista: os arquivos e pastas são apresentados em forma de uma lista corrida;
• detalhes: nesta opção é possível verificar os detalhes dos arquivos e pastas
(nome, tamanho, tipo e data de modificação).

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


6.6 PROPRIEDADES DE ARQUIVOS E PASTAS
Arquivos e pastas possuem folhas de propriedades que exibem informações,
como o tamanho, o local e a data de criação da pasta ou arquivo.

Ao exibir as propriedades de um arquivo ou pasta, você também pode obter


informações sobre:

• os atributos do arquivo ou da pasta;


• o tipo de arquivo;
• o nome do programa que abre o arquivo;
• o número de arquivos e subpastas contidos na pasta;
• a última vez em que o arquivo foi modificado ou acessado.

7 TRABALHANDO COM PROGRAMAS


Vimos anteriormente que no computador existem vários programas instalados
para serem utilizados pelos usuários. Estes programas podem ser executados a
partir de uma barra de tarefa, menus ou de atalhos existentes no desktop.

Dependendo do sistema operacional, este acesso ativa automaticamente


outros submenus, onde aparecem todas as opções de programas. Através do
mouse ou até mesmo do teclado, você poderá selecionar o aplicativo desejado.

Para executar, por exemplo, o Paint, que é um programa de edição de


imagens do Windows, basta posicionar o ponteiro do mouse sobre a opção
Acessórios. O submenu Acessórios será aberto. Então aponte para o Paint e
dê um clique com o botão esquerdo do mouse. Lembre-se: isso também vai
depender da versão do Windows que você tem instalada em seu computador.

Vejamos na figura a seguir a execução de programas na versão Windows 8.1.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


FIGURA 4 – PROGRAMAS WINDOWS 8.1

FONTE: A autora

7.1 INICIAR E ENCERRAR PROGRAMAS


Muitas vezes, você deve ter se perguntado: onde está instalado o
programa tal? Bem, existem várias formas de você verificar isto, algumas delas
estão listadas a seguir:

• Verificar se o seu sistema operacional tem opções de Menu na barra de


ferramentas. Este menu armazena os atalhos para os programas. Se um
programa foi removido total ou em parte de seu computador sem o uso
da opção correta de remover, então ele pode executar com problemas ou
nem executar.
• Utilize a opção que permite localizar arquivos ou pastas e informe o
programa desejado.
• Verifique nos atalhos (ícones) no Desktop, Barra de Tarefas ou Dock (no
caso do Mac OS).
• Algumas vezes você ficou aguardando para encerrar um programa que
simplesmente parou de executar e não dá para fazer mais nada? Pois é neste
momento que você pode encerrar este programa apenas pressionando
CTRL + ALT + DEL, finalizando o programa.

8 ACESSÓRIOS
Comumente os sistemas operacionais trazem como padrão uma série
de acessórios para auxiliar-nos nas diversas atividades. Estes acessórios
normalmente estão separados dos programas e podem ser acessados a partir
de menus, atalhos ou barras de ferramentas do próprio sistema.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


No Windows, aponte para Acessórios e serão apresentadas todas as
ferramentas. Algumas você pode conferir a seguir:

• Calculadora: você pode utilizar a calculadora para fazer qualquer operação


padrão na qual usaria uma calculadora de mão. A calculadora serve para
aritmética básica, como adição e subtração, e para funções encontradas
em uma calculadora científica, como logaritmos e fatoriais. Para acessar a
calculadora, entre no menu Iniciar, aponte para Programas, para Acessórios
e clique em Calculadora.

FIGURA 5 – CALCULADORA WINDOWS

FONTE: A autora

• Bloco de Notas: o Bloco de Notas é um editor de texto básico que pode


ser utilizado para documentos simples ou para criar páginas da Web. Esta
ferramenta serve para editar textos sem nenhuma formatação. Para abrir o
Bloco de Notas, clique em Iniciar, aponte para Programas, para Acessórios
e clique em Bloco de Notas.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


FIGURA 6 – BLOCO DE NOTAS

FONTE: A autora

• Windows Media Player: você pode tocar e exibir diversos tipos de arquivos
de áudio e vídeo usando o Windows Media Player. Você pode também
escutar e fazer cópias dos seus CDs, passar DVDs (caso tenha hardware de
DVD), ouvir estações de rádio da internet, exibir clipes de um filme ou um
vídeo de música em um site da Web.

FIGURA 7 – MEDIA PLAYER

FONTE: A autora

• WordPad: você pode utilizar o WordPad para criar ou editar arquivos de texto
que contenham formatação ou elementos gráficos. Este editor de texto faz

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS


parte dos acessórios do Windows, dispensando outros editores, porém ele
possui menos recursos que o editor Microsoft Word.

Como o Linux possui muitas distribuições, vamos utilizar o KDE como


exemplo de interface gráfica, pois ele tem uma gama de acessórios nativos do
próprio sistema. Esses acessórios são guardados em geral no menu Ferramentas,
dentro do menu K, e incluem várias ferramentas para atividades básicas, entre elas:
visualização de fotos, processamento de texto, reprodução de áudio, entre outras.
A seguir são listadas as principais ferramentas nativas do KDE:

• KCalc: calculadora que permite realizar desde cálculos simples até funções
científicas mais complexas.
• KWrite: é similar ao bloco de notas do Windows e permite guardar arquivos
de texto puro ou visualizar o código-fonte de um arquivo específico.
• KAlarm: realiza notificações com base em horários e eventos, podendo servir
como lembrete ou como despertador.
• KNotes: permite colocar uma anotação no desktop, funcionando como uma
versão eletrônica daqueles pequenos papéis de recado, como o post-it;
• K3b: serve para gravar CDs e DVDs.

CURSO LIVRE - INFORMÁTICA BÁSICA 1 - SISTEMAS COMPUTACIONAIS