Você está na página 1de 2

O NOVO PROFISSIONAL

O que torna hoje um profissional integrado às exigências da nova era é a competência. O


mercado de trabalho busca com enorme interesse por profissionais que já se deram conta
disso e que, portanto, se destacam dos demais. Esse sucesso tem origem num
desenvolvimento global e na capacidade de adquirir as novas habilidades, de forma que elas
expressem uma coerência interior do profissional, isto é, a correspondência entre
pensamento e ação. Veremos quais são e como esses requisitos estão interligados em mais
de uma área do saber, formando um conjunto equilibrado, harmonioso, reflexos de um
profissional completo.

CARACTERÍSTICAS ÁREA DO CONHECIMENTO PREDOMINANTE

O novo profissional tem iniciativa, não espera que ninguém tome as decisões por ele,
responsável pelo crescimento do seu setor e de si mesmo. Esse profissional é questionador,
não aceita passivamente nenhuma idéia imposta, sabe expressar de maneira lúcida as suas
opiniões, e sugere novas possibilidades para os negócios. As atitudes do novo profissional
devem levar em conta um sistema, pois nas empresas modernas todos os setores estão
interligados, podendo desencadear efeitos globais benéficos ou negativos, se ele mantiver
uma atitude egoísta e fora de contexto. Outras características ultrapassadas e que podem
adiantar uma aposentaria, podem se expressar nos profissionais que trabalham por
obrigação, terminando assim por exercer a função com má vontade. Isso não quer dizer eu
se deva vestir a camisa da empresa, algo que também já saiu de moda, e sim, ser
independente, ter respeito pela empresa, não deixando de cultivar uma postura crítica que
identifica uma pessoa ativa, que é muito mais necessária do que aquela apática, que não
contribui em nada. Não se deve também, esperar uma atitude paternalista da empresa,
pensar que ela vai promover seu plano de carreira, promovendo na "hora certa", restando ao
funcionário apenas esperar pela aposentadoria. Esse tipo de "atitude profissional" é
temerária, pois o profissional fica defasado, cai no esquecimento, e não se torna necessário
na hora da tomada de decisões, além de perder o emprego sem ter condições de encontrar
outro. O mercado de trabalho está em constante mudança, pleno de novidades e requisitos,
exigindo uma adaptação e qualificações constantes. A atualização requer leitura de revistas
especializadas, cursos sobre as mais diversas áreas de atuação possíveis, além de uma
bagagem cultural extensa. Vejamos agora qual é o novo perfil ou modelo procurado pelas
empresas.

Em primeiro lugar é o empreendedor. É aquele que aceita desafios, que não tem medo de
propor novas idéias e de resolver problemas, em outras palavras, aquele que sente prazer na
sua função sendo capaz e de dar uma contribuição real e efetiva para a empresa. Esse
profissional também se preocupa com o seu marketing pessoal, planejando a sua carreira
passo a passo, se atualizando e buscando a qualidade de vida. Esta é fundamental e
consiste numa vida saudável, conservando o equilíbrio da mente e do corpo. Flexibilidade e
poder de abstração para não ficar preso a detalhes técnicos em detrimento da totalidade
do problema, é outra característica. Por exemplo, o advogado não pode ser um simples
aplicador de leis, mas tem que conhecer o lado financeiro da empresa. Criatividade é outro
fator importante do profissional moderno. Deixar a mente livre para pensar é o que vai
permitir que a sua criatividade apareça. Depois, basta usá-la com critério e bom senso, tendo
a convicção de que ela vai ajudar muito a sua empresa, além de manter o seu equilíbrio
mental e emocional em dia. Também deve aprender a administrar o seu próprio tempo.
Muitas pessoas vivem reclamando que não têm tempo para nada.

Finalmente, desenvolver sua inteligência emocional, saber administrar suas emoções, ou


seja, todos os sentimentos têm o seu valor, isto quer dizer que nenhum deles deve ser
reprimido e sim, ser expresso com equilíbrio.
Concluindo, o novo profissional precisa integrar tudo isso em si mesmo para ser coerente e
ter sucesso. Porque não adianta ter uma grande performance se ela não estiver integrada ao
todo e não se fizer de forma contínua. As empresas não se impressionam com profissionais
talentosos, mas imprevisíveis. Terminaremos com uma frase de Sêneca, filósofo do século I
d.C:

" A vida é como uma peça de teatro: não é o tempo de duração que importa, mas sim a
atuação e o desempenho”