Você está na página 1de 34

Caderno de Subsídios – Carteira de Cultura

Viagem técnica de Capacitação para Barcelona


SEBRAE

22 a 27 de setembro de 2008
ESPANHA

Por sua história, arquitetura, sua cozinha, suas belezas naturais e o calor humano de seu
povo, a Espanha é um destino inimaginável para pessoas de todo o mundo.
Entre os inumeráveis lugares dignos de menção por ser de interesse cultural encontram-se:
a cidade de Sevilha, capital da Andaluzia, que abriga em sua parte histórica numerosas
construções declaradas “Patrimônio da Humanidade” pela UNESCO; as Muralhas de Lugo,
na Comunidade Autônoma da Galícia, consideradas como um “exemplo único e
excepcional das fortificações militares romanas”; o Castelo de Penhíscola, na comunidade
autônoma Valenciana, construído pelos templários sobre os restos de uma edificação árabe;
e o Museu Arqueológico, Etnográfico e Histórico Vasco de Bilbao, no País Vasco. Mas a
Espanha também é muito rica em paisagens naturais, entre as quais estão: o Parque
Nacional de Ordesa e Monte Perdido, na comunidade autônoma de Aragão, com seus picos
elevados e íngremes declives; o Parque Nacional de Aigüestortes, na Catalunha, com seus
bosques, cascatas, lagos e picos agrestes, e o Parque Nacional dos Picos da Europa, no
Principado de Astúrias, com seus desníveis que superam os 2.300 metros.

DADOS GERAIS

A Espanha é um país europeu localizado na Península Ibérica. Faz fronteira, a norte com o
Mar Cantábrico, a França e Andorra, a leste e a sul com o Mar Mediterrâneo, a sul com o
território britânico de Gibraltar a oeste com Portugal e a sul e oeste com o Oceano
Atlântico. Além da porção ibérica, a Espanha possui também os arquipélagos das Baleares
no Mediterrâneo e das Canárias no Atlântico e as cidades de Ceuta e Melilla (além de várias
ilhotas e rochedos junto à costa africana), e o enclave de Llívia, rodeado por França. A
capital é Madrid.
O país está dividido em comunidades autônomas. Algumas destas comunidades, como a
Galiza (Galicia), o País Basco (Pais Vasco ou Euskadi) e a Catalunha (Catalunya em
catalão e Cataluña em espanhol), têm identidade nacional própria.Desde o seu ingresso na
União Européia em 1986, a Espanha tornou-se um país altamente industrializado e uma das
10 maiores economias mundiais.
Capital Madri (Madri)
Maior cidade Madri (Madri)
Chefe de Estado S. M. Juan Carlos I
Moeda Euro (moedas de euro espanholas)
Fusos horários 3 horas para mais
TLD (Internet) .es
Código telefônico 34
Fonte – Enciclopédia Wikipédia

População
A população residente na Espanha em 1º de janeiro de 2005 alcança a cifra de 43,97
milhões de habilitantes, segundo as cifras antecipadas do Registro Municipal que, pela
primeira vez, o Instituto Nacional de Estatística publica. Segundo essa antecipação de
dados, provisória até que o governo aprove as cifras oficiais, prévio informe do Conselho
de Registro, do total dessa cifra, 40,28 milhões de pessoas são de nacionalidade
espanhola e 3,69 milhões são estrangeiras (o que supõe 8,4% do total dos registrados).
Conforme essas estimativas provisórias de 1º de janeiro de 2005, a população da Espanha
cresceu umas 770.000 pessoas durante o ano de 2004. Esse aumento se deve
principalmente as mais de 650.000 novas inscrições de cidadãos estrangeiros.
Por outro lado, os registrados que declaram nacionalidade espanhola somam em torno a
120.000. A 1º de janeiro de 2004 os dados definitivos da população são de 43.197.684, dos
quais 3.034.326 são estrangeiros (7,02% do total).

Superfície
A Espanha ocupa o lugar de terceiro país em extensão na Europa com um total de 504.750
Km2 de superfície. Tem como países fronteiriços ao nordeste Andorra e França, ao oeste
Portugal e ao sul Gibraltar. Ceuta e Melilha estão situadas no continente africano. Quanto à
região costeira é um dos principais destinos turísticos, possui 4.964 Km, destacando-se o
Mar Cantábrico e o Mar Mediterrâneo, assim como as costas correspondentes às ilhas
Baleares e as Ilhas Canárias.

Clima
Apesar de que a Espanha se encontra em uma zona temperada, seu acidentado relevo dá
lugar a uma grande diversidade de Climas.
As Montanhas do Cantábrico marcam a primeira zona de divisão climática bem definida.
Ao norte dessa cadeia, na estreita faixa do norte, onde se situam o País Basco, Cantábria,
Astúrias e Galicia, encontra-se o que podíamos chamar: a Espanha chuvosa, com um clima
marítimo por excelência, somente com ligeiras variações de temperatura, suaves invernos e
verões frescos, um céu quase totalmente nublado e freqüentes chuvas, ainda que menores
durante o verão. Esse clima, que é típico na Europa ocidental, favorece o tipo de vegetação
do norte da Europa. Ao sul da cadeia Cantábrica encontra-se a Espanha seca, com um
clima extremamente variável, sempre caracterizado por escassas chuvas e um implacável
sol ardente e um céu intensamente azul, ocasionalmente cruzado por ferozes tormentas
locais de curta duração.
Em termos de superfície a Espanha chuvosa ocupa um terço do país, enquanto que os
outros dois terços correspondem à Espanha seca.
BARCELONA

- População 1.593.075 , sendo que a população da área metropolitana é de 4.686.701


(estimativas de 2005).

- Atividades culturais 45 museus /205 cinemas / 40 teatros

09 edifícios históricos/culturais tombados pela Unesco


Barcelona, capital da Catalunha, é uma cidade mediterrânea e
cosmopolita que integra em seu traçado urbano restos romanos, bairros
medievais e os mais belos exemplos do Modernismo e as vanguardas do
século XX. Não em vão, a UNESCO declarou Patrimônio da Humanidade
construções emblemáticas dos arquitetos catalães Antonio Gaudí e Lluís
Doménech i Montaner.

De origem romana, sua longa historia e seu dinamismo econômico proporcionaram a


Barcelona um impressionante acervo cultural, patente na conservação de seu rico
patrimônio histórico-artístico e no fomento das mais novas correntes artísticas. Uma
amplíssima agenda cultural conduzirá ao visitante a museus, exposições, esculturas ao ar
livre... e, a uma repleta programação de música, teatro e dança.

A cultura popular também tem suas manifestações nessa cidade, que


não esquece tradições profundamente arraigadas como as Festas da Mercè
ou as dos bairros da Gràcia, Sants ou Poblenou, excelentes
oportunidades para conhecer o lado mais festivo da cidade.

Tradição e modernidade configuram uma gastronomia inovadora e imaginativa baseada nos


produtos da horta, pescados frescos, embutidos e azeite de oliva. Despensa artesã e vinhos
espumosos completam uma aproximação à cultura gastronômica barcelonesa.

Passear pelas calçadas de Barcelona é surpreender-se a cada momento.


Ruas para pedestres nos bairros antigos, espaços verdes e uma
esplêndida fachada marítima com modernas instalações são reflexo de seu
caráter integrador. Barcelona soube engrandecer seu passado sem
esquecer suas apostas no futuro. A cidade é dotada por uma
extraordinária infra-estrutura dedicada a realização de seminários,
simpósios e competições internacionais. Suas excepcionais redes de
comunicação, clima mediterrâneo e grande número de atrativos
turísticos convertem Barcelona em uma importante cidade de negócios.
Parques empresariais e centros de exposições e congressos acolherão as
mais variadas iniciativas.

Novas Experiências
A experiência de um país como a Espanha contribuirá para que possamos conhecer e
adquirir experiências e tecnologias para melhor prepararmos nossos projetos. O país é
conceituado como um dos cinco mais importantes destinos turísticos do mundo, com uma
diversidade de atrativos e serviços, principalmente no setor de cultura, com um grande
número de cidades Patrimônio da Humanidade declaradas pela Unesco e com uma vivência
de grandes projetos e planos para o desenvolvimento do setor turístico.

Esta viagem proporcionará o conhecimento e a vivência com experiências internacionais


que hoje trabalham de forma moderna e sustentável, abrangendo todos os conceitos
necessários para o pleno aproveitamento das imensas potencialidades da Economia da
Cultura no Brasil. Este trabalho fomentará ações de desenvolvimento sustentável, entre
elas:

1) A criação de uma rede com a participação dos gestores dos estados;


2) A promoção da integração da cultura a diferentes carteiras;
3) A promoção de novos modelos, métodos e processos;
4) Fomentar ações para a capacitação sobre economia da cultura;
5) Apoiar a criação de novos projetos;
6) Identificar ações que promovam o produto cultural relacionando-o com a
diversidade baseado em sua autenticidade e originalidade.

ROTEIRO DE VIAGEM

Espanha Capacitação em Cultura


Período: 22 a 27 de setembro de 2008

Objetivo Geral

Realizar capacitação dos gestores dos projetos de cultura do SEBRAE através desta
viagem técnica para aprendizado e observação das melhores práticas culturais,
reconhecidas internacionalmente, visando:
- o aprimoramento dos projetos e da qualificação do corpo técnico;
- a qualidade e competitividade dos produtos culturais brasileiros.

LISTA DOS PARTICIPANTES

Participante Estado
Fundación Barcelona Media

PRESENTACIÓN
El Laboratori de Cultura de la Fundación Barcelona Media (www.barcelonamedia.org),
atendiendo la petición de la Sra. Valéria Barros, coordinador nacional de proyectos de turis-
mo, cultura y entretenimiento de SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Peque-
nas Empresas), formula una propuesta de plan de trabajo que, creemos, se ajusta a las nece-
sidades capacitación técnica para un grupo de 30 profesionales de la institución brasileña.
Barcelona Media entiende que la iniciativa de Sebrae tiene como objetivo principal contri-
buir al perfeccionamiento de su equipo de colaboradores y por ello va a orientar sus esfuer-
zos a ofrecer, durante la semana del 21 al 27 de septiembre, las mejores condiciones de
aprendizaje en sus diversos campos de actuación.

PROPUESTA DE SEMINARIO DE TRABAJO


El planteamiento de las sesiones incorporará en el orden de cada día cuatro apartados: una
introducción teórica y conceptos básicos, ilustración y análisis de proyectos concretos, un
coloquio y un “Taller de proyectos brasileños”.
El apartado “Taller de proyectos brasileños” se concibe como un tiempo dedicado a conec-
tar los aprendizajes de la sesión con los proyectos, competencias o responsabilidades de los
participantes en su territorio de trabajo. Creemos que de esta forma, los asistentes al semi-
nario podrán conectar las reflexiones y técnicas presentes en el seminario con su realidad
profesional de manera que superen la petición de SEBRAE.
Ofrecemos la posibilidad de sesiones de 4-5 h. empezando a las nueve de la mañana (incor-
porando un descanso). Asimismo, se proponen unas visitas de trabajo comentadas y, tenien-
do en cuenta que el día 24 de septiembre será festivo en Barcelona, dediquemos todo el día
a una visita de trabajo a una zona concreta de Catalunya. Esta visita se realizará con el
acompañamiento guiado del personal del Laboratorio de cultura y durará todo el día.

El seminario será desarrollado por las siguientes personas:

Jordi Pardo, director del Laboratorio de Cultura y responsable del seminario para SE-
BRAE.

Dra. Mar Llorens, coordinadora general del Laboratorio de Cultura. Directora del proyec-
to de declaración de la fiesta popular tradicional de la Patum como Patrimonio Mundial por
la UNESCO.

Dra. Ana Requejo, responsable de proyectos de patrimonio cultural del Laboratorio de


Cultura.

Damián Moragues, experto en turismo y cultura. Consultor internacional.

Àngels Miralles, técnica del Laboratorio de Cultura.


Fiorela Bugatti, colaboradora brasileña del Laboratorio de Cultura.

Con la colaboración de Agustí H. Navarro, Mireia Zapata y Jelena Vico, técnicos del Labo-
ratorio de cultura.
El seminario se desarrollará en español y los participantes se expresarán en portugués, o en
español o en inglés si lo desean.
Al final del seminario, el Laboratorio de Cultura de la Fundación Barcelona Media expedirá
una certificación nominal, como acreditación de la participación en el seminario de Barce-
lona.

CONTATOS:

Fundação Barcelona Media , endereço : Barcelona Media – Centre d’Innovació |


c/Ocata 1, 08003 Barcelona | Tel: +34 93 542 11 00 | Fax : +34 93 542 28 96 |

PROPUESTA DE PROGRAMA

Lunes 22
Sede de Barcelona Media
Bienvenida. BARCELONA EN EL CONTEXTO DE LA ECONOMÍA CREATIVA:
A. Sesión introductoria de Presentación: la ciudad, Catalunya, el 1h.
Laboratorio de la Fundación Barcelona Media y el proyecto
22@bcn:

B. CULTURA Y ECONOMÍA CREATIVA. La dimensión econó- 1:45


mica de la cultura, mercado cultura e industrias creativas. h.

Pausa - Café.
C. LOS PROFESIONALES DE LA CULTURA EN EL DESA- 1:45
RROLLO DE LAS COMUNIDADES. El papel del mediador cul- h.
tural en la gestión de proyectos de desarrollo cultural.

Fin de la sesión de trabajo.


Almuerzo y descubrimiento de Barcelona desde el Bus Turístico.
Tiempo libre para visitar la ciudad
Martes 23
11. CONCEPTOS Y MARCO TEÓRICO

LA VISIÓN ESTRATÉGICA DE UN PROYECTO: FINANCIACIÓN Y GES-


TIÓN
GESTIÓN Y DESARROLLO DE PROYECTOS CULTURALES
12. EJEMPLOS CONCRETOS

1• El Centro-Museo del Diseño de Barcelona, y el impulso de la creativi-


dad e innovación en los sectores del diseño de objeto, moda, diseño gráfico y
comunicación visual, arquitectura y nuevos media.
2• El parque Cultural de Zerain. País Vasco.
3• El proyecto de Tacaruna, en Recife-Olinda y la estrategia de desarrollo
territorial de Pernambuco.

13. COLOQUIO Y DEBATE

14. TALLER DE PROYECTOS BRASILEÑOS.

Almuerzo
Se proponen dos visitas:
Visita al "Poble Español" de Montjuïc.
Visita al Museo de Història de Barcelona.
Noche: tiempo libre, Fiestas de la Mercè.

A saída para deslocamento nas tardes está prevista ser direto da Fundação Barcelona
Media , endereço : Barcelona Media – Centre d’Innovació | c/Ocata 1, 08003 Barcelona |
Tel: +34 93 542 11 00 | Fax : +34 93 542 28 96 |

Miércoles 24

Salida a las 8:00 h en autocar.


(Día festivo en Barcelona "Fiesta de Santa Mercè", patrona de la ciudad). Dia dedicado a la
visita - excursión exterior. (Monasterio de Santes Creus - Museu Pau Casals - Can Caban-
yes) o Montserrat, o (Girona - Empúries). Visita guiada por el personal de Barcelona Me-
dia. Vuelta a Barcelona hacia las 19:00 h.
Por la noche, espectáculo piromusical de finalización de las fiestas de la Mercè.
Jueves 25

11. CONCEPTOS Y MARCO TEÓRICO

PROYECTOS CULTURALES Y DESARROLLO TERRITORIAL


1• METODOLOGÍA PARA EL DESARROLLO DE PROYEC-
TOS

1• SISTEMAS DE EVALUACIÓN

1• FORMACIÓN Y CREACIÓN DE REDES CULTURALES

CULTURA Y TECNOLOGÍA
1• TECNOLOGÍA PARA LA GESTIÓN

1• TECNOLOGÍA PARA LA PUESTA EN VALOR DE LOS RE-


CURSOS CULTURALES

12. EJEMPLOS CONCRETOS


1• Los proyectos de desarrollo rural en zonas de montaña: recuperación del
"Tren del Ciment"
2• Proyectos rurales en el Pirineo catalán

13. COLOQUIO

14. TALLER DE PROYECTOS BRASILEÑOS

Almuerzo

Visita guiada a Barcelona Activa

Viernes 26

11. CONCEPTOS Y MARCO TEÓRICO

LA GESTIÓN DEL PATRIMONIO TANGIBLE E INTANGIBLE COMO MO-


TOR DE DESARROLLO
1• METODOLOGÍA PARA LA PUESTA EN VALOR DEL PATRIMONIO
TANGIBLE E INTANGIBLE

1• METODOLOGÍA PARA LA CREACIÓN DE PRODUCTOR Y SERVI-


CIOS A PARTIR DE LOS RECURSOS CULTURALES

10
12. EJEMPLOS CONCRETOS

Ejemplos de patrimonio intangible:


1• Gestión de la fiesta popular “La Patum” de Berga, Patrimonio Mundial de
la UNESCO.
2• “Territori Remença”

Ejemplos de patrimonio tangible:


1• Empúries
2• El Born
3• Santes Creus
4• Gaudí (presentación espacífica para preparar la visita de trabajo)

13. COLOQUIOS

14. TALLER DE PROYECTOS BRASILEÑOS

Almuerzo
Visita guiada al Park Güell (Barcelona)

Sábado 27

Sesión de despedida en la sede de Barcelona Media (en función del calendario de vuelta)

Domingo 28 (Salida hacia Brasil. En función del calendario)

Comentarios sobre las posibles visitas:

Primeras ideas para las visitas.


Existen muchas posibilidades de visitas. A modo de primeras ideas, podríamos seleccionar
algunas de estas opciones:
1. Visita al Parque Güell. Patrimonio de la Humanidad, ideado y diseñado por Antoni
Gaudí para un proyecto residencial impulsado por el mecenas Eusebi Güell. Es un buen
ejemplo de la necesidad de planificar y organizar la demanda turística basada en la cultura.
Esta visita podría ir precedida de la presentación del proyecto de desarrollo del plan de ac-
tuaciones en el que está trabajando el Laboratorio de Cultura de Barcelona Media.
2. El poble Espanyol. Recinto del Pueblo Español (ejemplo de la Exposición Internacional
de 1929 en Barcelona em el contexto de lãs ideas monumentalistas, para la creación de un
pueblo que reproduce plazas, calles y los principales monumentos de España, con el objeti-
vo de promover la artesania local. Actualmente es una de las actracciones turísticas tradi-
cionales de la montaña de Montjuïc.

11
Esta visita podría ir acompañada de la presentación del Museo del Diseño de Barcelona y
del museo de las artes decorativas.
3. Excursión (un dia entero) de análisi de un caso concreto relacionado con el impulso del
turismo en zonas rurales: opciones: a/ Montserrat (montaña y monasterio de Montserrat.
Presentación del proyecto) b/ Visita al monasterio de Santes Creus (Aiguamúrcia) y Museo
Pablo Casals (El Vendrell), en Tarragona.
El Laboratorio de Cultura puede gestionar para SEBRAE diferentes visitas a centros de
instituciones públicas o privadas:
Barcelona Activa: un importante proyecto con una dilatada trayectoria impulsado por el
ayuntamiento de Barcelona dedicado a la formación y soporte para la creación de pequeñas
empresas (micro empresas, y Pequeñas y medianas empresas). Es una "incubadora" de em-
presas . Creo que puede ser muy interesante conocer su metodología de trabajo y funciona-
miento.
Museo de Historia de Barcelona. Un buen ejemplo de museo de ciudad, con espacios e
instalaciones dispersos que se ha constituido en un recurso cultural y turístico fundamental
para comprender la historia urbana de Barcelona, y es un ejemplo de lo mucho que se po-
dría hacer en Brasil en las ciudades con patrimonio disperso en la trama urbana y núcleos
antiguos: Bahía, Olinda, Recife, Fortaleza, Rio, y en muchos otras ciudades, así como estra-
tégias de desarrollo de redes y ofertas turísticas de ámbito territorial.
Esta visita podría ir también precedida de una presentación en Barcelona Media.

Observação: esta programação poderá sofrer modificações de horários e atividades


Poble Espanyol
www.poble-espanyol.com

Fonte: www.poble-espanyol.com

O Poble Espanyol foi construído em 1929 também para a Exposição Internacional de Barcelona. Lá dentro
existe um conjunto de 117 réplicas de edifícios da arquitetura popular espanhola e abriga os museus de Artes,
Indústria e Tradições Populares e o museu de Artes Gráficas. É gerenciado pela PEMSAU, uma empresa
privada que ganhou uma concorrência municipal em 1986 para coordenar o espaço por 30 anos.
Recentemente este contrato foi renovado e é válido até 2036.

La Fundación Fútbol Club Barcelona e Visita Técnica ao Estádio


www.fcbarcelona.com

12
Fonte: www.fcbarcelona.com

Uma fundação beneficente de tipo cultural que exerce suas funções principalmente na Catalunha e que tem
como finalidade principal a difusão e a promoção, sem fins lucrativos, cultural e social do Fútbol Club
Barcelona dentro da comunidade desportiva e cultural da sociedade em geral.

A fundação utiliza a realização de eventos corporativos associativos e de incentivo como forma de aumento
de receita e possui política e departamentos exclusivos para esta finalidade, inclusive auxiliando o cliente na
criação e organização dos eventos lá realizados. Também possui um programa de estímulo de
acompanhamento dos jogos do Barcelona pelos torcedores, por meio de uma agência de turismo que cria
pacotes específicos para os jogos, nacionais e internacionais.

Port Olímpic de Barcelona


www.pobasa.es

Fonte: www.pobasa.es

O Porto Olímpico é um ponto de encontro badalado de Barcelona. A região conta com restaurantes, praias,
bares e áreas verdes que deixam a zona com um pouco da atmosfera festiva e alegre da cidade.

Desde a inauguração do Porto Olímpico, no ano de 1992, a sociedade POBASA (Port Olímpic de Barcelona,
SA) é responsável pela sua administração e gestão. Quatro quilômetros de novas praias e 25 hectares de
terrenos foram criados com o aterramento feito para receber o empreendimento, projetado pela equipe dirigida
pelo engenheiro Joan Ramón de Clascá. É um porto desportivo e urbano com capacidade para 740
embarcações e foi sede das competições de vela das olimpíadas de 1992.

DICAS IMPORTANTES

Clima:

13
Durante o mês de Setembro temos alguns dias chuvosos (6), quantia média de
precipitação (85 mm), temperaturas agradáveis durante o dia (25.5 °C / 77.9 °F),
noites não muito frias (16.7 °C / 62.1 °F).

Vestuário:
Roupas confortáveis
Roupas para Chuvas
Bagagem prática

Avaliação Final
Solicitamos que avalie o desenvolvimento e execução do Projeto, levando em consideração
os tópicos descritos abaixo:

14
Considere:
1 – Ruim • 2 – Médio • 3 – Bom • 4 – Muito Bom • 5 – Excelente

Divulgação do Projeto Ruim Médio Bom Muito Excelente


bom
Qualidade e acesso à
informação
Antecedência

Contatos e Visitas Ruim Médio Bom Muito Excelente


bom
Seleção de Roteiro:
Produtos Visitados

Capacitação Ruim Médio Bom Muito Excelente


Internacional bom
Metodologia de Trabalho
Conhecimento transmitido
Interação com o grupo

A partir das suas Ruim Médio Bom Muito Excelente


expectativas bom
Como considera o resultado da
viagem?

Conhecimento adquirido na Ruim Médio Bom Muito Excelente


viagem bom
Como considera a
possibilidade de adaptação e
implementação em seus
negócios?

Projeto
Pontos Fortes Pontos a Melhorar

Críticas, sugestões e comentário finais.

ANEXOS:

Olha o mico! O que não fazer em Barcelona

15
Adriana Setti - 22/10/2007

Você iria a um show de mulatas em Porto Alegre? Pediria feijoada enlatada em um restaurante? Tomaria
caipirinha de álcool Zulu? Pois aqui vai uma listinha esperta para escapar dos programas de índio em
que, bobeou, você acaba se metendo.

Restaurantes das Ramblas


Costumo dizer aos amigos que me visitam: não coma, não beba e não compre nada nas Ramblas. Ou
você acha que aqueles bandos de ingleses deglutindo baldes de cerveja com chapéu de mexicano
(ãããnnn?) são muito descolados? Os restaurantes com mesas na Ramblas parecem uma tentação à
primeira vista. Mas tudo é muito mais caro do que o normal e nunca ouvi falar de algum lugar que seja
realmente bom. Neste último sábado entrei na porcaria da Baguetina Catalana (um mini-mercado que
vende sanduíches de quinta categoria e algumas bebidas) e comecei a rir quando a vendedora me disse o
preço de uma reles cerveja de litro San Miguel: 4 euros, o quádruplo do preço de um supermercado
normal. Anote aí as exceções: o Viena (do lado esquerdo para quem vem do Colón, quase chegando na
Plaza Catalunya), uma lanchonete deliciosa e ultra tradicional ideal para matar a larica noturna, e o
Mercado de la Boquería, o mais lindo e famoso da cidade.

Poble Espanyol
Quando vim a Barcelona pela primeira vez, senti que merecia estar usando um nariz de palhaço ao entrar
no Poble Espanyol. A idéia é até simpática: uma espécie de parque temático com prédios representando
os estilos arquitetônicos dos pueblos (cidadezinhas) da Espanha. O problema é que esse estilo Epcot
Center não tem nada a ver com Europa. Por que diabos você precisa de alguma coisa fake se o original
está logo ali?? Para conhecer um legítimo pueblo español, basta pegar um trem e ir para qualquer um dos
milhares de vilarejos que existem por aí. De quebra, você economizará o preço da entrada: 8 euros. Se
você quiser conhecer o lugar mesmo assim, espere um dia em que haja algum show por lá (no verão
muita coisa boa costuma pintar) ou caia em uma das baladinhas que rolam ali dentro: Discotheque, no
inverno, La Terrazza, no verão (as outras, como Torres de Alava, são um mega mico!).

Paellas congeladas (foto)


Elas são fáceis de identificar: têm marcas como “El Paellador”, são escolhidas de folhetinhos impressos

16
(ao invés de cardápios normais de restaurantes) e ficam prontas em cinco minutos. Para garantir, porém,
sempre vale a pena perguntar se a paella é feita na hora, já que o povo aqui costuma ser honesto . As
paellas prontas são secas, têm gosto de caldo knorr e vêm com uma mixaria de frutos do mar. Fuja como
o diabo da cruz. É o tal negócio... você comeria feijoada congelada em um restaurante? Para comer uma
paella decente, vá ao Los Caracoles, ao 7 Portes, ao Envalira (Plaza del Sol, 13) ou ao Mesón David
(super econômico).

Sangria
Logo que cheguei aqui, trabalhei em vários bares e restaurantes. E não me lembro de ter servido uma
sangria para alguém que não fosse loiro e estivesse com o nariz vermelho. A bebida oficial do turista
definitivamente não é algo que faz parte do dia-a-dia catalão. E, talvez por isso, não seja tratada com
muito carinho por aqui. Se você acha que sangria é simplesmente vinho com frutinha, prepare o seu
fígado. Fico de ressaca só de pensar na receita: vinho (da pior estirpe: geralmente aqueles de caixa que já
deveriam ser vendidos com uma Neosaldina), açúcar a dar com o pau, gin (de tão má qualidade que
geralmente é usado para lustrar talheres nos restaurantes), refrigerante de limão, cointreau (aquele licor
de laranja) e as tais das frutas (obviamente sem lavar). O gostinho final pode até ser bom (vai
entender...), mas definitivamente não vale o envenenamento.

Tourada
Eu adoro tourada (vai, pode me xingar! Porque nada me convence que a vida do frango da granja
nao seja mil vezes pior do que a do touro até o momento fatal). Mas Barcelona se auto proclamou uma
cidade anti-taurina. Então acho que vale a pena respeitar e extravasar os ímpetos taurinos em Madri ou
Sevilha. Mesmo porque, o ambiente da tourada aqui não é lá essas coisas. Nos últimos tempos, os
empresários da Plaza Monumental de Barcelona têm caprichado nos carteles (a programação). Um dos
toureiros do momento, José Tomas, fez a sua reaparição na cidade depois de anos afastado e lotou a
praça em maio, ao lado do bonitón (meninas... una cosa!) Cayetano Rivera, outro toureiro do momento.
Na Fiesta de La Mercé, outros feras como El Fandi e o próprio José Tomás empolgaram o público. Mas
foram (raros) dias de glória. O mais comum é que as apresentações sejam mixurucas, que a arena esteja
vazia e que os poucos espectadores sejam recebidos a tomatadas por manifestantes. Ou seja, não é como
ir a um show de mulatas em Porto Alegre. É pior.

Show de flamenco
E aqui voltamos ao show de mulatas em Porto Alegre... O flamenco é uma coisa altamente espanhola,
como todo mundo sabe. Mas a cultura catalã é bastante particular. E passa longe de flamenco,
castanholas e, como já disse, touros. Por isso, aqui não se escuta flamenco de qualidade em cada
esquina. E os shows dos folhetos distribuídos em hotéis correm sério risco de ser um mico. Você só deve
se preocupar com flamenco em Barcelona se alguma companhia de dança conceituada estiver pela

17
cidade, o que acontece com certa freqüência. Anote esses nomes: Rafael Amargo, Sara Baras, El Ballet
Flamenco de Andalucía, Joaquín Cortés, etc etc.

Pans and Company


É um maldito fast food de bocadillos (sanduíches na baguete) que tem uma filial em cada esquina. Fuja!
O serviço é péssimo e a comida é ruim. Lembre-se: fast food (e a rapidez em geral... hehe) não combina
com Espanha. Bocadillos deliciosos são servidos em TODO e QUALQUER boteco. Não há motivos
para submeter-se ao Pans. Caso eu não tenha conseguido convencê-lo, vá pelo menos ao Bocatta, o
“concorrente” (pertence à mesma empresa), que é muito melhor.

Baladas e restaurantes do Puerto Olímpico


A idéia, na teoria, é ótima. E bem que funcionou nos anos pós Olimpíadas de 92. Hoje em dia, porém, é
o mico mais assustador da cidade. O Porto Olímpico tem vários restaurantes, bares e boites, um ao lado
do outro. Durante o dia, algumas simpáticas figuras plantam-se diante de cada estabelecimento e pulam
no pescoço dos turistas na tentativa desesperada de arrastá-los para as suas mesas. Durante a noite, a
coisa fica ainda melhor. Uma cambada de desavisados curtem go-go dancers com celulite ao som de
Shakira, salsa e, se bobear, uma lambaeróbica animada por professores de capoeira dominicanos. Isso
sem contar na quantidade de garotas de ocupação não revelada e batedores de carteira em geral, que
rondam como moscas os gringos que já estão no oitavo mojito de 10 euros. Passe longe, pelo amor de
deus!
Mais próximo às duas “torres gêmeas”, porém, o Porto Olímpico dá uma melhorada e até tem alguns
lugares razoáveis, como o Shoko, o CDLC e os restaurantes Água e Bestial. Só tome cuidado para não
se confundir e acabar no Baja Beach, onde garotões besuntados em chantilly rebolam no balcão
enquanto hordas de meninas histéricas com orelhinhas de coelho comemoram a sua despedida de
solteira.

Passeio nas Golondrinas


O litoral de Barcelona definitivamente não é a Polinésia Francesa no quesito beleza natural. Mas o Port
Vell e as praias são bacanas por seu “material humano”. Ou seja, são legais para ver gente, tomar uma
cervejinha aqui e um café ali, paquerar, etc. Qual é a graça de ver tudo isso de longe em um barco lotado
de turistas e que, ainda por cima, custa 10,50 euros por pessoa por uma hora e meia de passeio?
Miiiiiiiiiiico!

Barcelona pela primeira vez: o que ver em dois, três ou cinco dias
Adriana Setti - 01/05/2008

18
Foto: Sergio Scripilliti

1o dia:
Para entrar no espírito da cidade, mergulhe na obra de Gaudí. Para escapar da multidão de turistas, vá
cedinho ao Parc Guell. Depois, desça de metrô até o Passeig de Gràcia, a avenida mais linda e chique da
cidade, e visite as duas louquíssimas casas La Pedrera e Batlló. Preste atenção nas outras casas da Illa de
la Discòrdia (o nome foi dado porque não há uma unanimidade sobre qual é a mais bonita). A Casa Lleó
Morera, na esquina com a Carrer Consell de Cent, é obra do arquiteto Domènich Montaner, tão
prestigiado quanto Gaudí. Em seguida caminhe até a Sagrada Família (uns 15 minutos), a igreja obra
prima de Gaudí que ainda está em construção. No fim da tarde, sente-se em um dos cafés da Rambla
Catalunya (a irmã chique das Ramblas) para descansar as pernas e olhar o vai e vem.

2o dia:
Suba e desça as Ramblas até cansar curtindo as estátuas vivas, os pintores, as bancas de flores e a fauna
humana. Dê uma volta pela Plaça Catalunya, o marco zero. Explore o mercado da Boqueria, o mais
lindo e colorido da cidade. Almoçar por ali, no tradicional Pinotxo ou algum dos outros bares, é um
programaço. Depois entre na Carrer Ferran e embrenhe-se no Bairro Gótico. Perca-se sem pressa por
suas vielas e bibocas, entre na catedral, curta cada pracinha. O bairro é cheio de segredos e história. E
você não se arrependerá se pegar um Walking Tour para entendê-lo melhor. Os tour da Barcelona Walks
saem todos os dias às 10 da manhã da Oficina de Turismo, na Plaça Catalunya, e custam 11 euros.
Continue o passeio pelo Born, o filé mignon da Cidade Velha, cheio de restaurantes fofos, bares
badalados, galerias e lojinhas originais. Entre na Catedral del Mar, ande pelo Pesseig del Born, delicie-se
nos restaurantes da Calle Comerç e vá ao Museu Picasso. Para um relax, vá ao Parc de la Ciutadella, ali
ao lado, belíssimo.

3o dia:
Vá de metrô até a Plaça de Espanya e suba as escadas rolantes em direção ao Palau Nacional, onde

19
funciona o MNAC (Museu Nacional de Arte da Catalunya). Se arte gótica e românica não forem a sua
praia, passe reto e vá ao CaixaForum, um centro cultural de primeiríssima, grátis. Depois, suba para
espiar a arena Olímpica, com a famosa pira das Olimpíadas de 92. Siga para a Fundació Miró, outro
museu imperdível. E termine o passeio no Castelo do Montjuic. Na descida, atravesse a Avinguda Paral-
lel e conheça o bairro do Raval, o Soho de Barcelona. Gaste a sola do sapato nas lojinhas, bares,
restaurante e galerias dos arredores do Macba, o Museu de Arte Contemporânea.

4o dia
Pegue uma praia. Ou pelo menos dê uma volta pela beira-mar, saindo da estátua do Colón (no final das
Ramblas) e indo até as pernas agüentarem. Passeie pelo Port Vell, coma umas tapitas em um dos botecos
da Barceloneta, formule uma opinião a respeito do peixe metálico de Frank O. Gehry, babe com os
corpos bem torneados de Bogatell e divirta-se com os peladões da Playa de la Mar Bella. Se quiser
conhecer a “nova Barcelona” onde está o Parc del Fórum, aproveite que você já está perto e dê uma
olhada.

5o dia
Circule pelo Bairro de Gràcia, que antigamente era um município vizinho a Barcelona e acabou sendo
incorporado pela cidade. Suas ruazinhas estreitas são um charme e suas praças estão entre as mais
bonitas e animadas da cidade. Não deixe de conhecer a Plaça del Sol e a Plaça de la Virreina. Depois, dê
uma andada pela Avenida Diagonal para conhecer a parte mais moderna e rica da cidade.

Quatro noites perfeitas em Barcelona


Adriana Setti - 05/05/2008

20
Para sair arrumadinho
A noite pode começar com um jantarzinho em um dos restaurantes do bairro do Borne, o bairro mais
cool da cidade. Tente o Sikkim (um dos meus favoritos na cidade), o Gente de Pasta ou o Repla.
Depois, dê uma esticadinha em um dos incontáveis bares bacanas das redondezas. O agito é garantido no
branquíssimo The White Bar e no La Fianna. Lá pelas duas e meia da matina, pegue um táxi e
despenque para Pedralbes, o Morumbi de Barcelona, e sacuda o esqueleto ao lados dos pijos (los
Mauricitos españoles) mais cheirosos da cidade no Elephant Club. Para uma balada mais pop – e lotada
de brasileiros – vá na Pachá.

Para sair desencanado


Comece traçando uma comidinha boa e barata nos N restaurantes libaneses de Gràcia. A carrer Verdi tem
uma meia dúzia de opções. O Equinox é o que faz mais sucesso. Se tabule não for a sua praia,
experimente os maravilhosos sushis do Kibuka. Depois faça um esquenta em algum boteco da Plaça del
Sol (o Café del Sol é uma delícia e vive lotado), da Plaça Virreina ou da Plaça de la Revolució (o Canigó
tem uma das cervejas mais baratas da cidade). Tomar um mojito no cubano Raim também pode ser uma
ótima. Quando tudo fechar, ainda rola uma cervejinha comprada dos paquistaneses no banco da praça.
Mas para embalar de vez, vá até o Born e encare o Magic, um inferninho onde toca musica dos 80 e o
povo enlouquece até de manhã.

Para sair moderninho


Prove a comidinha fusion dos restaurantes badaladinhos do Raval: La Reina del Raval, a filial ravalera
do La Verónica, na Rambla del Raval, o mexicano Dos Trece e o Carmelitas são algumas das opções.
Na seqüência, se jogue num dos infinitos bares do bairro. O mais tradicional de todos é o Marsella (na
Carrer Sant Pau, quase esquina com a Rambla del Raval), de onde até Picasso já saiu torto de absinto.
Mais moderno e animadíssimo é o Sifó(onde bato cartão), lá perto. Para engrenar até o sol raiar, arraste-
se até o Fellini (foto). Mas, se for verão, melhor uma balada ao ar livre na La Terrrazza (a eterna

21
melhor balada da cidade), que reabrirá no próximo dia 23.

Para sair num esquema mais tranqüilo


Experimente o bom, bonito e barato Senyor Parrellada (Carrer Argentera, 37), no Borne. Ou caia de boca
em uma paella no tradicionalíssimo Los Caracoles, no Barrio Gótico. Depois, tome uma cervejinha no
lindíssimo La Confitería (o preferido de John Malkovich quando está na cidade), na Carrer Sant Pau
quase esquina com o Paral-lel, no Raval, de preferência na parte da frente do bar, em estilo modernista.
Se restar empolgação, pegue uma musiquinha ao vivo no esfumaçado London Bar (Carrer Nou de la
Rambla, 34), no próprio Raval, ou volte ao Gótico e vá no Harlem.

Descontos em Barcelona
Adriana Setti - 11/12/2007

Assim como quase todas as grandes cidades européias, Barcelona também tem um “passaporte da
alegria” para facilitar a vida do turista. O Barcelona Card dá o direito a utilizar o transporte público sem
limites (com a exceção do Bicing) e mais 100 descontos e entradas grátis para museus, espetáculos,
baladas, lojas, restaurantes, etc. Há passes para 2 (24 €), 3 (29 €), 4 (33 €) e 5 (36 €) dias. Os cartões são
vendidos nas Oficinas de Turismo da Cidade (a mais central é a da Plaça Catalunya), no El Corte Inglés
e mais alguns lugares. Mais informações no site do Turismo de Barcelona. O passe vem com um
livrinho explicativo em catalão/castelhano/inglês.

Vale a pena? Depende das suas intenções. Se você é daqueles que adoram flanar pelas ruas sem o
compromisso e só está a fim de entrar em um ou outro lugar (por exemplo, a Sagrada Família, da foto
acima), de repente não vale a pena, não. Agora, se você quer conhecer todas as atrações da cidade, usar e
abusar do metrô e programar a sua visita com base nos descontos do guia, não pense duas vezes.

O pacotão do Barcelona Card tem coisas bem legais. Dois dos museus imperdíveis são grátis: o Cosmo
Caixa (um museu de ciências ultra high tech) e o fantástico Museu d’História de la Ciutat. Para o
Museu Picasso, também obrigatório, o desconto é de 50%. Na categoria dos 20% estão as sublimes
Fundació Miró e Antoni Tàpies e o MNAC (Museu Nacional d’Art de Catalunya). E, de lambuja,
também rola 12% na Sagrada Família e 10% no Museu do Barça.

Os descontos para espetáculos e outros passeios culturais também são bico fino. Incluem o Barcelona
Walking Tours (tours guiados a pé), o Gran Teatre Liceu e o Palau de la Música Catalana, os dois
espaços mais gloriosos de shows, ballets e etc.

Quem tem um interesse específico pelo modernismo também pode optar pelo Pack da Ruta del
Modernisme, um kit com um guia, talão de descontos, mapa, um guia de bares e restaurante e uma

22
bolsinha, que custa 18 € e está à venda no Centro del Modernismo (Plaça Catalunya, 17). Veja mais
detalhes no site.

Listinha esperta de preços em Barcelona


Adriana Setti - 13/12/2007

O Rafa, nosso fiel escudeiro em Nova York, postou outro dia uma listinha de preços da cidade.
Mandou bem! Muita gente me faz a mesma pergunta sobre minha home sweet home Barcelona.
Portanto, aqui vai uma listinha esperta:

COMES E BEBES
Um almoço em um restaurante com menu de preço fixo de almoço: de 8 a 15 euros por pessoa
Um jantar em um restaurante barato: de 15 a 25 euros por pessoa
Um jantar em um restaurante bacaninha (com vinho da casa): de 25 a 50 euros por pessoa
Um jantar em um restaurante bacanudo: de 50 euros ao infinito por pessoa
Uma conta de bar de tapas normalzinho: de 15 a 25 euros
Um bocadillo (sanduíche na baguete) no boteco da esquina: de 3 a 6 euros
Uma garrafinha de água de máquina: 1 a 2 euros
Uma coca-cola no bar: de 2 a 4 euros (argh!)
Uma cerveja long neck no bar: 2 a 4 euros
Uma lata de cerveja no supermercado: 30 a 40 centavos
Uma cerveja long neck na disco: 4 a 8 euros (argh!)
Um destilado com refrigerante ou energético na balada: de 7 a 12 euros

TRANSPORTE (preços válidos até o fim do ano)


Um bilhete simples ônibus e metrô: 1,25 euros
Um passe para 10 viagens (T-10): 6,90 euros
Um bilhete turístico para dois dias de metrô e ônibus livre: 9,60 euros
Um dia de ônibus turístico de dois andares (sou contra!): 19 euros
Táxi aeroporto-centro: média de 20 euros
Corridas pela região central da cidade: de 4 a 10 euros

DIVERSÃO E ARTE
Entrada para Sagrada Família: 8 euros
Entrada para uma discoteca badalada: 15 a 25 euros
Ingresso de cinema: 5 a 8 euros
Entrada para o Museu Picasso: 8 euros
Entrada para exposição no CCCB: 4,40

23
ALOJAMENTO
Cama em albergue (quarto coletivo): 20 euros
Quarto sem banheiro em hostal (para duas pessoas): 40 a 50 euros
Quarto com banheiro em hostal ajeitadinho (para duas pessoas): 50 a 80 euros
Quarto em hotel tipo 3 estrelas: 60 a 100 euros
Quarto em hotel 4 estralas para mais: de 100 euros ao infinito

O melhor museu de Barcelona para crianças (e pais)


Adriana Setti - 02/05/2008

Aberto em 2004, o CosmoCaixa já é o museu mais disputado da cidade, com 2,45 milhões de visitantes
no ano passado (quase a mesma cifra que o Museu do Prado, de Madri!). Além disso, foi considerado o
museu do ano de 2006 pelo European Museum Fórum (Fórum Europeu de Museus). Merecidíssimo.

Este museu da ciência é um raro caso onde pais e filhos parecem ter a mesma idade. Para alcançar esse
objetivo quase utópico, não se poupou criatividade – nem orçamento. A estrela da casa é uma
reprodução altamente realista da selva amazônica (foto) de 1000 metros quadrados. Sim, tem árvores
gigantescas, jacaré, capivara, sucuri, pássaros e chuva de verdade. Tudo dentro de um aquário gigante
digno de ficção científica onde se pode entrar, sentir na pele o calor, a umidade e o cheiro de floresta.

Outra atração fantástica é o Muro Geológico, com vários cortes que ilustram formações geológica
diferentes, acompanhadas por experimentos que mostram os processos que as originaram.

Na Sala da Matéria, vários fenômenos da natureza são explicados através de experiências científicas.
Tudo é interativo (os pequenos podem tocar, pegar e apertar muitos botões), colorido e high tech.

Também imperdível, o planetário tem sessões especiais para crianças que explicam os mistérios do céu
contam a história “El ciego de los ojos de estrellas”, sobre um tirano que conquistou a terra.

Entrada: € 3 para adultos e € 2 para os pimpolhos.

24
Shopping fever: os melhores outlets da Espanha
Adriana Setti - 14/12/2007

Ok, foi-se o tempo em que a Espanha era sinônimo de Europa barata. Mas se há algo que ainda vale a
pena é comprar roupa por aqui. Prometi a mim mesma que jamais voltaria a adquirir uma peça de roupa
no Brasil, onde as lojas perderam a noção. E ainda que, vez ou outra, recaia diante de alguns biquínis e
sandálias (isso sim não tem igual aqui!), estou convicta de que essa decisão foi altamente benigna para
minhas finanças.

E se comprar em qualquer loja já é uma delícia, os outlets são um verdadeiro êxtase. Anote a listinha a
seguir e dê uma banana para o shopping Iguatemi forever.

O La Roca Village é uma mini cidade de outlets (ao estilo americano) de marcas chiques em La Roca
Del Vallès, uma cidadezinha que fica a pouco mais de meia hora de Barcelona, à qual se tem acesso
facilmente por trem. Burberry, Cacharel, Diesel, Calvin Klein, Hugo Boss, La Perla, Nike, Levi’s,
Versace e Zegna são “apenas” algumas das lojas. Não espere encontrar lojas mais baratinhas, tipo Zara e
Mango. O negócio é para quem quer comprar roupas caras por um preço melhor. Também tem filiais –
com outros nomes – em Madri, Dulin, Frankfurt, Milão, Paris, etc. O “como chegar” está super bem
explicadinho no site.

Para encontrar outlets de tudo quanto é marca, incluindo Zara, Mango e centenas de outras, dê uma
olhadinha na lista que uma santa criatura, autora do Pandeblog, preparou. O da Zara, que funciona com
nome de Lefties, em plena Calle Pelayo (Barcelona), costuma ter pechinchas absurdas (meu namorado
comprou um super casaco de inverno por 11 euros!).

Shopping fever 2: onde comprar o que em Barcelona


Adriana Setti - 20/12/2007

ROUPA BÁSICA: As grandes veias comerciais da cidade ficam no centro. O Portal Del Angel é
uma rua largona só para pedestres ao lado do El Corte Inglés da Plaza Catalunya. E a Carrer Pelayo
liga a Plaça Catalunya à Plaça Universitat. Lá estão todas as marcas blockbuster como Zara, Mango,
Blanco, Bershka, Stradivarius, Camper, Womans Secret (I love it!), etc. O grande problema é a
muvuca, que beira o insuportável aos sábados e véspera de Natal.
A alternativa para fazer compras sem levar cotoveladas é – pasme – ir aos shoppings. O catalão,
assim como a maioria dos europeus, não curte o estilo de vida americano e, portanto, prefere as
lojas de rua. Como resultado, os shoppings são poucos, mas bons e vazios. Adoro o L'Illa Diagonal,

25
na Avinguda Diagonal. E uma alternativa perto do centro é o Maremagnum, que vive lotado de
turistas em seus bares e restaurantes (fuja!) mas tem lojas boas e transitáveis.

ALTA MODA: As Guccis e Pradas da vida ficam no eixo Passeig de Gràcia/Diagonal, que
formam o cruzamento mais chique da cidade. Um ônibus especial – Tomb Bus – circula pra
cima e pra baixo facilitando a vida da cocotagem. Entre uma loja carésima e outra, também
é possível encontrar lojas normais como Zara, Mango, Promod e H&M (a maior prechincha
européia).

ROUPA MODERNINHA: As lojinhas bacanas dos jovens estilistas ficam - adivinha – nos
bairros moderninhos do Borne e do Raval. No Borne, vale se embrenhar mesmo, porque
cada esquina reserva uma surpresa. Já no Raval, concentre-se nas redondezas do Macba, o
Museu de Arte Contemporânea de Barcelona. Outro incrível garimpo de modelitos novos e
usados é a Carrer Avignyó, no Barrio Gótico.

ELETRÔNICOS: Sempre vale dar uma olhada na Fnac (tem uma bem na Plaça Catalunya),
mas muitas pechinchas costumam aparecer no eixo formado pela Carrer Palayo e Ronda
Sant Antoni, o paraíso dos eletrônicos e também dos eletrodomésticos. Os fotógrafos
profissionais não devem ignorar a loja Casanova, a mais completa em equipamentos e ser-
viços. Também há bons preços na escondidinha Carrer de la Reina Cristina (a rua da cham-
panheria Can Paixano, na Barceloneta). Mas nesse caso a procedência das bugigangas pode
ser um pouco duvidosa, se é que você me entende.

COSMÉTICOS E PERFUMES: Os preços muito dificilmente serão melhores do que no


Free Shop do aeroporto de Guarulhos. Mas se isso não for problema, refestele-se na
Sephora (a Disneylândia dos cosméticos no prédio da Fnac da Plaça Catalunya) e no El
Corte Inglês.

BIQUINIS: Compre no Brasil. Se tiver esquecido o seu em casa, a única salvação razoável
é a Womans Secret.

CHOCOLATE: Algumas lojas espanholas desafiam a sanidade mental dos chocólatras. Não
perca a Cacao Sampaka e o Oriol Balaguer.

PEÇAS DE DECORAÇÃO: A Avinguda Diagonal é o point das lojas chiques de móveis e


design. Mas os designers jovens estão no Raval, no Gótico e no Borne, lado a lado com os
jovens estilistas. Para encontrar as maiores pechinchas da Europa, vá ao Ikea e pire com os
acessórios por menos de 10 euros. O problema vai ser carregar tudo depois...

26
Barcelona para experts: restaurantes que os locais amam
Adriana Setti - 22/05/2008

Os catalães são fãs da boa mesa. Freqüentar os lugares onde eles almoçam e jantam, portanto, é garantia
de comer bem em Barcelona. Para ajudá-lo a encontrar o mapa da mina, aqui vai uma listinha de
restaurantes preciosos que dificilmente estarão nos guias turísticos. Como muitos deles estão afastados
da rota “básica”, encontrá-los também é uma maneira de conhecer lugares bacanas da cidade onde a
maioria dos viajantes nunca chega.

Taverna Can Margarit (carrer de la Concórdia, 21, 93 441-6723): fica escondidíssimo em uma ruazinha
do Poble Sec, um bairro tranqüilo e residencial ao lado da avenida do Paral-lel. Ocupa um galpão
enorme de 1900, onde funcionava um armazém de vinhos. Decorada com antiguidades, velas e barris de
vinho (que você pode tomar grátis enquanto espera a mesa!), essa taverna é um programaço para turmas
de amigos, já que tem mesas grandes e salinhas privadas. O clima é o mais informal possível, os garçons
brincam (e dão bronca) com os clientes e a comida é ótima e barata. Um belo jantar (só abre à noite),
com vinho da casa (do Priorat, ótimo), sai por 20 euros. As especialidades são o coelho e a costela de
cordeiro, mas as entradas também são perfeitas: aspargos de Navarra, pimientos del padrón, pão com
tomate, chipirones (lulas bebê), etc etc etc.

Flash Flash (Carrer Granada del Penedès, 25, 93 237-0990): escondidinho no bairro de San Gervasi (na
zona alta de chique da cidade), este lugar é uma febre e está sempre explodindo de gente. Tem a fama de
ter a melhor tortilla (omelete espanhol) da cidade, em diversas versões. Quem é fã deste prato
espanholíssimo deve bater cartão por ali. Uma das mais originais e gostosas é a que vem com torrada,
tomate e queijo. Como a cozinha não fecha durante a tarde, e funciona até a uma da manhã, também é
ideal para fazer uma boquinha fora de hora.

Ca La Mariona (Carrer Amigó, 53, 93 201-1830): uma das melhores relações preço-qualidade da cidade,
também em San Gervasi. Tem um menu com preço fixo tanto no almoço quando no jantar (uma
raridade), com receitas sofisticadas e impecáveis. O filé com foie gras e molho de trufas (meu prato
favorito na cidade) é de chorar. É indispensável reservar. Prefira o andar de cima, muito mais

27
aconchegante.

Casa Alfonso (Carrer Roger de Llúria, 6, 93 301-9783): funciona desde os anos trinta, mas seus balcões
de madeira e vitrines estão impecavelmente conservados. Serve tanto tapas como saladas e sanduíches
deliciosos. O atendimento é simpático e o ambiente acolhedor. Funciona o dia todo, e é perfeito para
uma comidinha fora de hora.

El Rincón Maya (Carrer Valencia 183, 93 451 3946): é um cubículo com menos de dez mesas escondido
em uma esquina do bairro do Eixample. Caso haja mais de 5 mesas ocupadas, o serviço pode ficar lento
(há só uma pessoa na cozinha). Mas serve a melhor comida mexicana da cidade, e também a melhor
marguerita (a casa tem uma receita especial), em um ambiente superautêntico.

La Bella Napoli (Carrer Margarit, 14, 93 442-5056): escondido no tranqüilo Poble Sec, é considerado
por muitos italianos que vivem em Barcelona (e eles são milhares!) a melhor casa de massas e pizzas.
Não à toa, vive lotadíssimo e só faz reservas para mesas grandes. Os casais devem chegar cedíssimo para
não pegar fila.

Bilbao (Carrer Perill, 33, 93 458-9624): uma verdadeira instituição, no bairro de Gràcia. Há cinqüenta
anos, segue firme na filosofia de servir comida caseira da qualidade irretocável por um preço justo.

Can Tomás (Carrer Major de Sarrià, 49, 93 203-1077): é praticamente uma lenda no bairro de Sarriá
(chiquetérrimo), funcionando desde 1919. É um botecão de estudantes famoso por ter as melhores
patatas bravas (batata frita com molho apimentado) da cidade. A receita do molho irá com o dono para o
túmulo.

Barcelona para experts: as incríveis lojas de chocolates malucos


Adriana Setti - 23/05/2008

Na terra de Ferran Adriá, onde as cozinhas se parecem com laboratórios de ficção científica, não é de se
estranhar que a piração culinária alcançasse também outros setores da gastronomia. Chocolate com
wasabi? Milho frito? Açafrão? Sim, tudo isso existe aqui em Barcelona e, acredite, é uma delícia.
Cacao Sampaka (Rua Ferran, 43-45, 933-041-539): Pode funcionar como uma “introdução” ao mundo
dos chocolates criativos. A loja não chega a ter receitas tão escalafobéticas, mas algumas especialidades
levam ervas, flores e especiarias. Outra sacada genial são as caixas de bombons que utilizam exatamente
a mesma receita, inclusive na proporção de cacau, mas reúnem exemplares feitos com matéria prima
vindas de diferentes países e denominações de origem. Assim como a uva, o cacau também é
influenciado pelo seu terroir (as condições do solo, o clima, a temperatura...). Por isso, provando

28
chocolates similares de diferentes origens, dá pra sentir exatamente a diferença entre cada bombom. É
uma ótima maneira de exercitar o paladar. Adivinha quem está por trás dessa marca? O irmão de Ferran
Adriá, Albert, o responsável pelas sobremesas do El Bulli, considerado o melhor restaurante do mundo
(veja mais detalhes sobre o El Bulli no blog da Alexandra Forbes que, aliás, veio recentemente a
Barcelona e escreveu uma ótima reportagem sobre a nueva cocina española que será publicada no
Especial Espanha da VT, que chegará às bancas nos próximos dias).

Oriol Balaguer (Plaça Sant Gregori Taumaturg, 2, 932-011-846): este o chocolatier catalão também tem
influências do mirabolante Adriá. Balaguer trabalhou por sete anos no El Bulli. Wasabi, trufa negra,
milho frito, açafrão, azeite de oliva, curry, sal grosso e até rúcula transitam tranquilamente por seus
bombons, doces e tortas. A estrela da casa é um delírio absoluto: a torta Sete Texturas de Chocolate, com
chocolate líquido, congelado, em musse, geléia, ganache, biscoito e crocante. Eis aí algo que todo
mundo deveria experimentar antes de morrer.

Enric Rovira (Calle Josep Tarradellas, 113, 934-192-547): ainda mais radical e criativo que Oriol
Balaguer, Enric Rovira é o próprio ícone da nova geração de chocolateiros alquimistas. Além de utilizar
ingredientes improváveis ele também abusa de formas criativas para esculpir as suas criações. Sua
coleção Barcelona, por exemplo, inclui tijolos quadrados que imitam as calçadas da cidade e azulejos
que mimetizam os da La Pedrera, famosa casa de Gaudí no Passeig de Gràcia. Rovira também tem uma
criação um tanto quanto bizarra: o “bombom virtual” (foto) tem cara e cheiro de chocolate mas não é
comestível. Vai entender...

Outras guloseimas delirantes:

Papabubble (Carrer Ample, 28, 932-688-625): essa lojinha, criação do simpático inglês Tommy, já tem
filial em Tóquio e Amsterdã vale a visita mesmo que você não esteja interessado em comprar balas e
pirulitos em formatos exóticos. É que os docinhos são preparados na frente de todo mundo por
“baleiros” performáticos, com som de DJ. A loja vive lotada de curiosos. O grande barato é que as balas
e pirulitos podem ser personalizadas, tanto no sabor quando no formato.

CHECK-LIST PARA VIAGEM


DOCUMENTOS DOCUMENTOS
 Passaporte  Passagens aéreas
 Carteira de Identidade  Seguro Saúde Internacional
 Carteiras de Motorista (Nacional e Internacional)  U$600 na moeda corrente do país
 Cartão de Seguro de viagem  Porta-dinheiro (cintura)
 Certificados de vacinação  Vouchers de hotel/aluguel de carro

29
 Fotos (3x4 e 6x9)  Roteiro de viagem, guia e mapas
 Cópias de todos os documentos (em separado)  Agenda
DINHEIRO 
 Travelers checks UTILITÁRIOS e PRÁTICOS
 Cartões de crédito  Carteira de viagem
 Dinheiro em espécie  Adaptadores de Tomada
LISTA de COMPRAS Ferro elétrico de viagem
 Lista de compras pessoais  Perfex
 Lista de Presentes  Sacos Plásticos
ELETRÔNICOS  Canivete
 Celular (carregador de viagem, kit isqueiro) 
 Adaptador de tomada americana 
 Máquina fotográfica (cartões) 
 Baterias e Carregador 
 Filmadora 
MALAS e BAGAGEM USO PESSOAL
 Identificações (etiquetas) (externa e interna)  Óculos de Sol
 Cadeados (e chaves extras em separado)  Óculos de Reserva
 Mala extra  Lentes de Contato
 Frasqueira  Colírio
 Mala de Mão (avião)  Solução para Lentes
 Faixa externa de mala 
MALA DE BORDO (Avião) NÉCESSAIRE
 Necessaire (Remédios), Remédios diários, Pomadas  Escova e pasta de dentes
 Talheres e Guardanapos de papel  Desodorante
 Perfex  Barbeador elétrico (com fio)
 Casaco e Meia para avião  Lâmina de barbear
 Escova de dentes, Pasta  Xampu
  Cotonetes
  Cremes
  Sabonete
  Pentes e Escovas de cabelos
  Cortador de unhas
  Lenço de papel
  Perfumes
ROUPAS (Verão)  Hidratante
 Camisas (social/esporte)  Protetor solar
 Camisetas  Protetor labial
 Camisas de malha 
 Calças (social/esporte) ROUPAS (Inverno)
 Calças (jeans)  Casacos
 Shorts e Bermudas  Camisas de inverno
 Boné  Impermeável
 Tênis  Calça de lã/ veludo
 Bota de caminhada  Gorro
 Sapatos (social/esporte) e Cintos  Cachecol
 Pijama  Luvas
 Chinelo  Capa de chuva
 Roupa de banho  Botas

30
 Roupas intimas  Meias de lã
 Meias  Ceroulas
 Blazer ou Terno EXTRAS (especificar)
 Sapatos para noite 
Remédios receitados
 Cinto 
Receitas médicas
 

Recomendações de Viagem

Vestuário • Em função da grande variação de temperatura entre dia e


noite, recomendamos levar casacos para frio –
principalmente para as atividades noturnas- e roupas de
meia estação para as atividades diurnas.
Bagagem • A bagagem permitida para os trechos internacionais é 2
malas de até 32kg cada e 5kg para bagagem de mão.
Sugerimos levar peso inferior ao limite para prever
espaço para eventuais compras de produtos na Europa.
• A inspeção de bagagem na Europa não é tão rigorosa
quanto nos Estados Unidos, mas bem mais do que no
Brasil. Evitar colocar cremes e líquidos metais e
instrumentos cortantes na bagagem de mão.
• Vale ressaltar que essa é uma viagem técnica e não
turística. Haverão períodos muito reduzidos para
compras.
Saúde • Informar à coordenação caso haja alguma restrição a
medicamentos.
• Recomendamos levar os medicamentos usuais de
consumo de cada participante, pois a aquisição de
remédios na Europa pode ser restritiva dependendo do
tipo de medicação utilizada.
• Providenciar seguro saúde;
Alimentação • A alimentação na Espanha é bastante saudável, com
muitas opções de frutas, legumes, verduras e frutos do
mar. O tempero não é muito exótico ou picante.
• Os horários de refeições na Espanha são mais tardios do
que no Brasil. O café da manhã ocorre por volta de 10h,
almoço entre 14h-16h e jantar depois das 21-22h.
• Informar caso haja necessidade de alguma restrição
alimentar ou cuidado médico especial;
Fuso Horário • Na Espanha a diferença é de 04 horas em relação ao
Brasil.
Moedas e Valores • Câmeras (acima de 5 megas devem ser declaradas na
diversos Receita Federal no aeroporto de São Paulo) assim como
lap tops e outros produtos eletrônicos de valores alto que

31
possuam origem estrangeira.
• Levar somente EUROs – dólar não é aceito nos
estabelecimentos europeus.
• Cartões de Crédito são amplamente utilizados em todos
os estabelecimentos e hotéis.
• Os valores permitidos para compras no estrangeiro são
US$ 500.00 na lojas do Duty Free Shop no Brasil.
Outros • Não esquecer de levar cartões de visita e brochuras de
seus projetos e estados (para troca entre os participantes e
para ser entregue durante as reuniões);
• Carregar passaporte permanentemente (em várias
recepções de prédios exige-se documento de identidade
com foto para acesso).
• As tomadas são de dois pinos chatos inclinados e um furo
inferior – normalmente os equipamentos brasileiros não
conseguem ser plugados nestas tomadas, sem um
adaptador específico.
• LAN HOUSES (casas especializadas em acesso a
internet) são pouco freqüentes na Europa. Nos hotéis
sempre há ou business centers ou computadores para
acesso à Internet mediante aquisição de senhas. Preços
variáveis de 03 a 05 Euros por 15-30 min de utilização.
• As lojas da telefônica tem um custo reduzido para
utilização da internet.
• O grupo deverá permanecer sempre junto – exceto
períodos livres. Poderão haver alterações de horários e
endereços nas atividades programadas preliminarmente.

Saiba quais são os documentos necessários para viajar à Espanha


Turistas brasileiros não precisam de visto prévio.
Consulados listam o que é preciso apresentar no controle migratório.

Para viajar a turismo na Europa, entrando pela Espanha, nenhum brasileiro precisa tirar visto prévio.
Mesmo assim, é importante levar uma série de documentos que comprovem o motivo da viagem e
facilitem a liberação, permitindo passar pelo controle migratório.

Com esses documentos em mãos (veja a lista abaixo) diminui a chance de um viajante ser barrado num
aeroporto espanhol -fato que causou polêmica nesta semana, com a rejeição da entrada de vários
brasileiros em Madri.

Segundo documentos dos consulados da Espanha no Rio de Janeiro e em São Paulo, os


documentos obrigatórios são o passaporte comum válido e uma garantia de retorno, ou de saída

32
da União Européia, que podem ser bilhetes aéreos ou passagens de trem.

Os consulados avisam, entretanto, que podem ser exigidos outros documentos dos
viajantes. É aconselhável que o turista tenha esses documentos em mãos para evitar a denegação (o
termo técnico que designa ser barrado):

- Comprovação de lugar de hospedagem: uma reserva em hotel ou uma carta convite de algum
cidadão espanhol, registrada oficialmente.

- Confirmação de reserva de uma viagem organizada, com itinerário fechado.

- Bilhete de volta ao país de origem.

- Comprovação de meios econômicos de subsistência durante a estada. O controle migratório exige


que o turista disponha de pelo menos 513,54 euros para a viagem (equivalente a R$ 1.319), ou
57,06 euros (cerca e R$ 147) por dia, no caso de viagens de mais de nove dias.

Viagens profissionais

No caso de viagens de caráter profissional, político, científico, desportivo ou religioso, é bom o viajante
ter ainda consigo uma carta-convite da empresa para participar de eventos, documentos de comprovem
relações comerciais, crachás de acesso a feiras e congressos, ou qualquer outro documento que indique o
motivo da visita.

Viajantes estudantes devem ter consigo ainda certificados relativos aos cursos e seguro de saúde.

Acordos diplomáticos

O acordo de imigração do Brasil com a Espanha e a União Européia faz com que seja desnecessário
obter um visto de entrada anterior à viagem em casos de turismo, quando o passageiro que chega ao país
não vai ficar mais de 90 dias dentro de um período de seis meses (sair e voltar não renova
automaticamente o período). O visto é dispensado sempre que a viagem não incluir atividades
remuneradas.

De qualquer forma, para entrar na Espanha, mesmo que apenas de passagem para outro país, o brasileiro
está sujeito às normas de controle migratório conhecidas como Schengen, referência a um acordo dos
países da União Européia (Excluindo o Reino Unido e a Irlanda) -que não são regras exclusivas da
Espanha.

No caso de denegação, os consulados espanhóis avisam ainda que o viajante tem direito de ser notificado
da resolução, com informação sobre recursos procedentes. Segundo o documento dos consulados,
mesmo barrado o viajante tem direito a assistência legal no próprio aeroporto.

33
URL:http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL341580-5602,00.html

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA:

BRASILEIROS ESTÃO ISENTOS DE VISTO DE TURISMO E/OU


NEGÓCIOS, PARA PERMANÊNCIA MÁXIMA DE 90 DIAS.

PASSAPORTE ORIGINAL COM VALIDADE MÍNIMA DE 06


MESES.

PASSAGEM AÉREA COM IDA E VOLTA CONFIRMADAS.

FUNDOS SUFICIENTES PARA A ESTADIA (DINHEIRO, TRAVEL


CHECK, CARTÃO DE CRÉDITO).

VOUCHER DO HOTEL E SERVIÇOS ADQUIRIDOS DURANTE A


ESTADIA NA ESPANHA .

COMPROVANTE DE AQUISIÇÃO DE SEGURO DE VIAGEM


INTERNACIONAL COM COBERTURA DE
EUR30.000,00 ENGLOBANDO ASSISTÊNCIA
MÉDICO/HOSPITALAR E REPATRIAÇÃO SANITÁRIA.

A AUSÊNCIA DE UM DOS REQUISITOS PODERÁ ACARRETAR


PROBLEMAS NA ENTRADA NA ESPANHA

Sites

www.barcelonaturisme.com
home.palaumusica.org
www.poble-espanyol.com
www.fcbarcelona.com
www.pobasa.es
www.juegos-olimpicos.com
http://cmisapp.zaragoza.es/ciudad/
http://cmisapp.ayto-zaragoza.es/zcb
http://www.bcn.es/turisme/castella/turisme/llocs/02.htm#palau

34