Você está na página 1de 2

c c


  c 

ATENTADO é a criação de situação nova ou mudança de status quo, durante a tramitação do


procedimento, que compromete os fatos que fundamentam o litígio.

AÇÃO DE ATENTADO é o procedimento judicial que tem a finalidade de desfazer a situação


nova e retornar ao status quo, ou seja, visa preservar os fatos que fundamentam o litígio.

NATUREZA JURÍDICA: Há duas correntes, uma diz que o pedido de reconhecimento do


atentado tem finalidade de assegurar o desenvolvimento do processo, com o restabelecimento
do estado anterior, corrigindo-se a ilícita alteração fática ocorrida. E isso seria a cautelaridade.
A outra corrente diz que não é cautelar, poiso atentado tem caráter meramente satisfativo.
Ovídio Batista argumenta que a natureza do atentado é repressiva, além de não ser uma
medida provisória, como todas as medidas cautelares o são.

CARACTERÍSTICAS:

a   
 
        

  
   
 
.

2) 

 
proteção da eficácia de eventual decisão favorável à parte prejudicada, no
processo principal.

3) 







 

 



 
 .

! 
 
a ação de atentado pressupõe o ajuizamento da ação principal medida, em
autos apartados (art. 880,   A petição inicial será autuada em separado, observando-se,
quanto ao procedimento, o disposto nos arts. 802 e 803´), portanto, só poderá ser ajuizado no
curso da ação principal (após citação válida), ou após a sentença, se esta ainda não transitou
em julgado. Cabe incidentalmente em qualquer espécie de ação: Condenatória, Declaratória,
Constitutiva, Executiva ou Cautelar.

Antes da citação: se o ato danoso ofende a posse: interditos possessórios

se ofende a propriedade: ação reivindicatória

se causa prejuízo material: ação de indenização

OBJETIVO: Fazer prevalecer o dever que compete à parte de conservar inalterado o estado
das coisas envolvidas no litígio até a solução final do processo, para não inutilizar seus
eventuais efeitos.

REQUISITOS:

a" Art. 879. Comete atentado a parte que no curso do processo:

I ± viola penhora, arresto, sequestro ou imissão na posse.

  medidas constritivas de bens (preparatórias para satisfação em processo


executivo)"
# 
$
  
"%"&'( 

!  

$
 


"%"&)' 

*+"   
 
   
,   -
  
  
  %. 

 /. 
 


$

 
 "

)" 

 "879, II - prossegue em obra embargada.

AÇÃO DE NUNCIAÇÃO DE OBRA NOVA: ação que tem por finalidade impedir que a
edificação de obras que prejudiquem prédios vizinhos, ou que estejam em contravenção com a
lei. Comete então atentado quando o réu prossegue na obra embargada sem autorização
judicial e sem caução para o prosseguimento. (Vide arts. 934 940).
 "879, III - pratica outra qualquer inovação ilegal no estado de fato.

Todo e qualquer ato que a parte possuidora do bem litigioso pratique, sem autorização judicial,
algo que altere a estrutura física do bem, desviando-o, ocultando-o, destruindo-o, ou
inutilizando-o. Importante salientar que deve estar presente o requisito prejuízo, pois não é
qualquer alteração que configura o atentado (atividades de exploração econômica normal do
bem, como colheitas e benfeitorias necessárias).

OBS: atentado por omissão:

Câmara: impossível (depende de ato comissivo).

Marinoni, possível, porque envolve dever de evitar que haja alteração da coisa.

COMPETÊNCIA

Como ocorre com as outras cautelares, o princípio da acessoriedade vincula as ações


de atentado à causa principal, mesmo quando o processo de encontra em grau de recurso. Ao
contrario de outras modalidades de ação cautelar, porém, não comporta exceção. O juiz do
principal sempre será o competente para julgar o atentado.

LEGIMIDADE

Conforme estatui Humberto Teodoro, no que tange a legitimidade ativa, qualquer


pessoa que tenha interesse na eficácia da coisa julgada material de futura sentença, como
assistente ou terceiro interveniente. O mesmo se aplica no que tange a legitimidade passiva.

Um terceiro, agindo por si próprio não seria capaz de atentar, seu ato se resumiria em lesão.

PROCEDIMENTO

Ela segue o mesmo procedimento de outras cautelares. Segue em autos apartados e


não ocorre suspensão da ação principal, pelo menos até que se dê a sentença. A petição inicial
deve conter descrição do atentado, especificando a situação de fato antes e depois da
inovação ilícita.

Recebida a citação, terá o autor 5 dias para efetuar contestação sob pena de revelia.
Feita a contestação, far-se-á a instrução do feito, com as provas que se fizerem necessárias,
só havendo audiência de instrução e julgamento se houver necessidade de produzir prova oral.
Da sentença cabe apelação, porém não se dará à mesma, efeito suspensivo.



ACÓRDÃO
SDC/2007
GA/MEV

 cc    c c 


  c    Ação cautelar de atentado ajuizada após
julgamento da ação coletiva principal, com fundamento no disposto no art. 879, III, do Código
de Processo Civil, em razão de atos ilegais que teriam sido praticados pelo réu, a partir da
prolação da decisão normativa. Não cabimento da ação de atentado, que pressupõe a
ocorrência de inovação ilegal no estado de fato, praticada no curso da ação principal. Extinção
do processo sem resolução do mérito que se decreta, na forma do art. 267, IV do Código de
Processo Civil.
(PROC. N° TST-AAT-119.777/2003-000-00-00.3)