Você está na página 1de 16

.3 ± Conceitos de Ergonomia

O termo ergonomia é derivado das palavras gregas ergon (trabalho) e nomos (regras). De fato, na Grécia antiga o trabalho tinha um duplo sentido: ponos que designava o trabalho escravo de sofrimento e sem nenhuma criatividade e, ergon que designava o trabalho arte de criação, satisfação e motivação. Tal é o objetivo da ergonomia, transformar o trabalho ponos em trabalho ergon. Numa publicação da Organização Mundial da Saúde - OMS, W.T. SINGLETON (1972), definiu ergonomia como "uma tecnologia da concepção do trabalho baseada nas ciências da biologia humana". Para A. WISNER (1987), a "ergonomia constitui o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao ser humano e necessários para a concepção de ferramentas, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficácia". A ergonomia é definida por A. LAVILLE (1977) como "o conjunto de conhecimentos a respeito do desempenho do ser humano em atividade, afim de aplicá -los á concepção de tarefas, dos instrumentos, das máquinas e dos sistemas de produção". Distingue-se, habitualmente, segundo este autor, dois tipos de ergonomia: ergonomia de correção e ergonomia de concepção. A primeira procura melhorar as condições de trabalho existentes e é, freqüentemente, parcial e de eficácia limitada. A Segunda, ao contrário, tende a introduzir os conhecimentos sobre o ser humano desde o projeto do posto, do instrumento, da máquina ou dos sistemas de produção. De acordo com HENDRICK (1994), a ergonomia, em termos de sua tecnologia singular, pode ser definida como "o desenvolvimento e aplicação da tecnologia de interface do sistema ser humano-máquina. Ao nível micro, isso inclui a tecnol ogia de interface ser humano-máquina, ou ergonomia de hardware; tecnologia de interface ser humano ambiente, ou ergonomia ambiental, e tecnologia de interface usuário -sistema, ou ergonomia de software (também relatada como ergonomia cognitiva porque trata como as pessoas conceitualizam e processam a informação). Num nível macro temos a tecnologia de interface organizacão -máquina, ou macroergonomia, que tem sido definida como uma abordagem top-dow do sistema sócio-técnico". IIDA (1993) define a ergonomia como "o estudo da adaptação do trabalho ao ser humano". Neste contexto, o autor alerta para a importância de se considerar além das máquinas e equipamentos utilizados para transformar os materiais, também toda a situação em que ocorre o relacionamento entre o ser humano e o seu trabalho, ou seja, não apenas o ambiente físico, mas também os aspectos organizacionais de como esse trabalho é programado e controlado para produzir os resultados desejados. A Ergonomics Research Society do Reino Unido, define ergonomia como "o estudo do relacionamento entre o ser humano o seu trabalho, equipamento e ambiente, e particularmente, a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia, na solução de problemas surgidos neste rela cionamento". A International Ergonomics Association (IEA), define ergonomia como "o estudo científico da relação entre o homem e seus meios, métodos e espaços de trabalho. Seu objetivo é elaborar, mediante a contribuição de diversas disciplinas científicas que a compõem, um

como o peso dos instrumentos. o meio ambiente físico (o ruído. Segundo SANTOS e ZAMBERLAN (1992). uma pequena parte da sociologia). entre outros assuntos. sobre a organização do trabalho e a formação. O mesmo autor coloca que. a resistência dos comandos. . a dimensão do posto de trabalho. fisiol ogia. dentro de uma perspectiva de aplicação. a "ergonomia tem como finalidade conceber e/ou transformar o trabalho de maneira a manter a integridade da saúde dos operadores e atingir objetivos econômicos. na definição do mobiliário e ambiente físico de trabalho". embora os contornos da prática ergonômica variem entre países e até en tre grupos de pesquisa. quais sejam: a utilização de dados científicos sobre o ser humano. em conhecimentos no campo das ciências do ser humano (antropometria. interagindo na definição da organização do trabalho. a aplicação sobre o dispositivo técnico e. máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto. define ergonomia como o estudo da adaptação do trabalho às características fisiológicas e psicológicas do ser humano". nas modalidades de seleção e treinamento. segurança e eficiência ao trabalhador. Para WISNER (1987). ambiente térmico). sem implicar a ênfase numa rigorosa seleção. quatro aspectos são constantes. de modo complementar. mas constitui uma parte da arte do engenheiro. E. Conforme MINICUCCI (1992). a Associação Brasileira de Ergonomia (ABERGO ). a origem multidisciplinar desses dados.corpo de conhecimentos que. à medida que seu resultado se traduz no dispositivo técnico. A mesma trabalha essencialmente com duas ciências : a Psicologia e a Fisio logia. iluminação. por suas capacidades e limites. Os ergonomistas são profissionais que têm conhecimento sobre o funcionamento humano e estão prontos a atuar nos proces sos projetuais de situações de trabalho. os horários. a duração da tarefa. vibrações. deve resultar em uma melhor adaptação ao homem dos meios tecnológicos e dos ambientes de trabalho e de vida". as pausas no trabalho. a perspectiva do uso destes dispositivos técnicos pela população normal dos trabalhadores disponíveis. a ergonomia se baseia. psicologia. buscando também auxílio na Antropologia e na Sociologia". procura estudar: as características materiais do trabalho. finalmente. A ergonomia. a "ergonomia reúne conhecimentos relativos ao ser humano e necessários á concepção de instrumentos. essencialmente.

entre outros. ha de derivar -se em um menor risco no trabalho. de forma a se alcançar não apenas o aumento da produtividade. desta maneira. orientando -se apenas no sentido da seleção. Uma ampla definição é dada por VIDAL et al. como fundamento metodológico a análise do trabalho. percepção. em qualquer situação onde este é realizado e. Além disso. . procurando informações mais amplas a respeito das condições materiais necessárias para executá -lo. como disciplinas f undamentais a fisiologia do trabalho. motivação que o psicólogo. as lideranças e ordens dadas. buscando entender o lugar do ergonomista nestas ações. da melhora das condições de trabalho". de uma diminuição da probabilidade de errores. A ergonomia tem sua base centrada no ser humano e esta antropocentricidade pode resgatar o respeito ao ser humano no trabalho. atenção. mas procura colocá -los nas melhores condições de trabalho possíveis.Espanha. que a ergonomia está preocupada com os aspectos humanos do trabalho. em todos os conceitos formulados. ela busca não apenas evitar aos trabalhadores postos de trabalhos fatigantes e/ou perigosos. através . da otimização dos esforços e movimento no desenvolvimento das tarefas. Ela foge da linguagem simples das aptidões que de fine apenas as qualidades exigidas do operador para a execução do trabalho. julgamento. Desta adaptação. a antropologia cognitiva e a psicologia dinâmica. concentração. de forma a aumentar a eficácia do sistema de produção. Tem ainda como meta de base a discussão e interpretação sobre as interações entre ergonomistas e os demais atores sociais envolvidos na produção e no processo de concepção. assim como um enriquecimento dos conteúdos dos mesmos. maior conforto no posto de trabalho.o modelo de treinamento e aprendizagem. Pode-se constatar. não leva em consideração. segundo a qual a "ergonomia tem como objeto teórico a atividade de trabalho. análise do processo de tratamento das informações. a ergonomia é definida "como uma metodologia multidisplinar que tem como objetivo a adaptação da técnica e as tarefas ao ser humano. Para o Instituto de Ergonomia da General Motors . mas sobretudo uma me lhor qualidade de vida no trabalho. (1993). Todos estos aspetos são compatíveis com uma melhor produtividade. análise das informações. ás vezes. assim como formar seus princípios deontológicos". Leva em conta termos como: esforço. lógicos e organizacionais de situações de trabalho adequadas às pessoas e aos coletivos de trabalho. a ergonomia procura realizar diversos tipos de análises: análises das atividades físicas e cognitivas de trabalho. como programa tecnológico a concepção dos componentes materiais.

A terceira geração da ergonomia resulta do aumento progressivo da aut omação de sistemas em fábricas e escritórios. painéis. ou seja. interfaces ser humano-máquinas. particularmente da fisiologia e da psicologia do trabalho. dentro da ergonomia estud a-se também a macroergonomia.AET. característica do conhecimento tácito do pessoal de nível operacional. envolvendo expectativas relativamente numerosas. a metodologia empregada. arranjo do espaço e ambientes de trabalho. Segundo este autor. Como tais sistemas normalmente são complexos. A. A maioria das pesquisas referia -se à antropometria e a outras características físicas do ser humano. comentam que a maioria dos conhecimentos utilizados pela ergonomia não são próprios dela. Segundo MESHKATI (1993). em uma determinada situação de trabalho. do surgimento da robótica. mas. procura-se facilitar a avaliação sobre o desempenho global apoiando -se no princípio da análise/síntese". Esta aplicação continua a ser um aspecto extremamente importante para a prática da ergonomia em termos de contribuições para a segurança industrial e para a melhoria geral da qualidade de vida. conforme definido pela engenharia de métodos. é a de Análise Ergonômica do Trabalho . a ergonomia está na sua terceira geração: A primeira geração concentrou-se no projeto de trabalhos específicos. WISNER (op.1. em especial nas escolas de linha francesa. Uma das metodologias mais utilizadas na atualidade. "consiste em emitir juízos de valor sobre o desempenho global de determinados sistemas ser hum ano(s)-tarefa(s). considera mesmo. do desenvolvimento de sistemas informatizados (ergonomia de software). incluindo controles.). sobretudo. A segunda geração da ergonomia se inicia com à ênfase na natureza cognitiva do trabalho. em particular. a macroergonomia consiste na "análise das interfaces . esta sim. que surgiu a partir dos estudos de HENDRICK (1994). ser a metodologia o domínio preferencial das pesquisas em ergonomia. A prática da ergonomia. cit. Tal ocorreu em função das inovações tecnológicas e. na sua dimensão implícita (atividades). que procura estudar o trabalho não só na sua dimensão explícita (tarefa).4 ± As diferentes abordagens em ergonomia MARCELIN e FERREIRA (1982). e se concentra no desenvolvimento para auxiliar os controladores de processo a decidir sobre a adoção de cursos de ação que atendam aos múltiplos objetivos do mesmo. Atualmente. mas "emprestados" de outras disciplinas. é própria da ergonomia. Esta geração da ergonomia privilegia a macroergonomia ou seja a organização global em termos de máquina/sistema. A organização e a utilização desses conhecimentos. segundo SANTOS e FIALHO (1995).

Em sua evolução conceitual. isto é. antes de sua implantação. ou também. favorece não só mudanças organizacionais. de um laboratório de pesquisa para o setor empresarial. através da metodologia própria da ergonomia .a análise ergonômica do trabalho desenvolve a análise do trabalho. do conhecimento tácito. levar em consideração os aspectos de natureza contingencial: cultura. como também alavanca mudanças no conceito de produtividade.SER HUMANO . isto é. verifica-se que a ergonomia. passíveis de apresentar disfunções organizacionais. pode -se classificar a ergonomia de três maneiras: Quanto a abrangência: Ergonomia de Posto de Trabalho: abordagem microergonômica. clima. então. ao mesmo tempo. Da mesma forma. costumes. . isto é. portanto. quando do processo de transferência de tecnologia. a antropocentricidade da ergonomia. Neste sentido. ou "o estudo dos fatores humanos num nível macro ou num sistema pessoas -tecnologia mais abrangente. certificar o ser humano. De nada adianta a certificação de qualidade de processos e produtos. de uma região para outra de um mesmo país. é evidentemente. dentre outros parâmetros : a participação do trabalhador. se não se consegue certificar sentimentos. em permanente interação com o ambiente e. "a macroergonomia entende as organizações como sistemas sócio-técnicos e incorpora conceitos e procedimentos da teoria dos sistemas sócio técnicos ao campo da ergonomia". além das considerações ergonômicas tradicionais.ORGANIZAÇÃO. é necessário. Para BROWN JR (1990). A macroergonomia. o que preceitua a ergonomia : a visão antropocêntrica. hoje. evidentemente. a liberdade para a criação e a valorização do saber fazer. geografia. Segundo este autor. se constitui numa ferramenta de gestão empresarial. crenças. observando. Quanto a contribuição: Ergonomia de Concepção: é a aplicação de normas e especificações ergonômicas em projeto de ferramentas e postos de trabalho. aspectos sócio -econômicos. WISNER (1982). de um país para outro. passando por processos de adaptação e. O centro das atenções no ser humano. gerenciais. designada antropotecnologia. etc. propõe uma abordagem mais ampla da ergonomia. também. pessoais e culturais". este sendo visto à partir da qualidade de vida no trabalho. hábitos. no subsistema social. Uma das formas de compatibilizar os sistemas técnico e social. entendendo as organizações como sistemas abertos. que está relacionado com as interações entre (sub -) sistemas tecnológicos e (sub-) sistemas organizacionais. e promove o tratamento da interface MÁQUINA .tecnologia-organização-ser humano e das interações cultura -gerenciamento-tecnologia". Ergonomia de Sistemas de Produção: ab ordagem macroergonômica. que se refletem nas suas performances e muito particularmente.

como MONTMOLLIN. Portanto. Quanto a interdisciplinaridade: Engenharia: é o projeto e a produção ergonomic amente corretos. Al guns autores. definidas preliminarmente. garantindo a segurança. Sem procurar estabelecer uma tipologia ergonômica. Ergonomia de Conscientização: é a capacitação das pessoas nos métodos e técnicas de análise ergonômica do trabalho. Ergonomia da produção: é a ergonomia de chão de fábrica. apresentaremos a seguir uma categorização definida a partir das diferentes designações encontradas na literatura: Ergonomia de projeto: é a incorporação de recomendações ergonômicas no e stágio inicial do projeto de postos de trabalho. realizada em condições controladas de laboratório. a partir das normas e especificações ergonômicas. treinamento e motivação do pessoal. Ergonomia de laboratório: é a pesquisa em ergonomia. Ergonomia industrial: é a correção ergonômica de situações de trabalho industrial já implantadas. Administração: gestão de recursos humanos. Design: é a aplicação das normas e especificações ergonômicas no projeto e design de produtos. projetos e mudanças organizacionais. o estudo ergonômico só é feito após a implantação do posto de trabalho. a saúde e a eficácia do ser humano no trabalho. afirmam que não se .5 ± Os diferentes tipos de ergonomia Na aplicação prática. através da mudança de leiaute das plantas industriais (por exemplo: mud ança de um leiaute por processo para um leiaute por produto). Medicina e Enfermagem do Trabalho: é a prevenção de acidentes e de doenças do trabalho.Ergonomia de Correção: é a modificações de situações de trabalho já existentes. 1. baseada na análise ergonômica dos diversos postos de trabalho. várias têm sido as designações dadas a ergonomia. Psicologia: recrutamento. Ergonomia de Arranjo Físico: é a melhoria de sequências e fluxos de produção. Ergonomia do produto: é a concepção de um determinado objeto.

A comunicação configura a interação existente entre o emissor e o receptor.6 1. pois ela não é realizada em situação real de trabalho.trata verdadeiramente de uma pesquisa ergonômica. "cibernética é uma teoria dos sistemas de controle baseada na comunicação (transferência de informação) entre o sistema e o meio ambiente. foram estabelecidos os pressupostos básicos desta teoria: existe uma nítida tendência para a integração nas várias ciências naturais e sociais. essa teoria de sistemas pode ser uma abordagem mais abrangente de estudar os campos não-físicos do conhecimento científico. e dentro do próprio sistema. realizada em situação real. 1. 2) Conceito de Sistema: BERTALANFFY (ibidem) define "sistema como um conjunto de unidades reciprocamente .6.1 A abordagem sistêmica em ergonomia Teoria de sistemas A teoria de sistemas foi elaborada pelo biólogo alemão LUDWIG VON BERTALANFFY. 1. essa integração parece orientar -se no sentido de uma teoria de sistemas. seja dos seres vivos naturais (homem). isto é. Segundo BERTALANFFY (1975). e do controle (retroação) da função dos sistemas com respeito ao ambiente".6. enquanto que o controle configura a regulação existente. Ela partia de três premissas básicas: os sistemas existem dentro de outros sistemas. as funções de um sistema dependem de sua estrutura. O campo de estudo da cibernética são os sistemas. seja dos seres artificiais (máquina). essa teoria de sistemas aproxima-nos do objetivo da unidade científica. Os pressupostos anteriores podem promover a necessária integração na educação científica. A partir destas premissas. os sistemas são abertos.2 Alguns conceitos fundamentais da teoria de sistema 1) Cibernética: Cibernética é a ciência da comunicação e do controle. no final da década de 40. utilizando se como metodologia a análise ergonômica do trabalho. a retroação. Ergonomia de campo: é a pesquisa em ergonomia.

materiais: são os recursos a serem utilizados pelo sistema para produzir a saída.. para atingir um determinado objetivo (finalidade do sistema). agindo sobre sinais. Globalidade do sistema: o sistema sempre reagirá globalmente a qualquer estímulo produzido em quaisquer das suas unidades.. energias de entrada: permitem movimentar e dinamizar o sistema. energias de saída: é a energi a processada pelo sistema.relacionadas". então. para fornecer informações. formando uma atividade (comportamento ou processamento do sistema). Desta definição decorrem dois conceitos: Objetivo do sistema: as unidades. 3) Conceito de Entrada (input): Entrada é o que o sistema importa do meio ambiente para ser processado. Esses sistemas podem ser: hipercomplexos.. A definição de um sistema depende da focalização à ele dada. definem um arranjo que visa sempre um objetivo. um sub-sistema. energias e materiais (insumos ou entradas a serem processadas pelo sistema). Podem ser: informações: são os dados tratados pelo sistema. 4) Conceito de Saída (output): Saída é o resultado final do processamento de um sistema. serviços. Uma determinada situação de trabalho pode ser: um sistema. lucros. sistema como um conjunto de componentes (partes ou órgãos do sistema). resíduos. Pode-se definir. . Isto é. bem como os relacionamentos. impenetráveis. dinamicamente interrelacionados entre si em uma rede de comunicações (em decorrência da interação dos diversos componentes). há uma relação de causa-efeito entre as diferentes partes de um sistema. um super-sistema. pelo sujeito que pretenda analisá-lo.) 5) Conceito de caixa-preta (black box): Um sistema cujo interior não pode ser desvendado é denominado de caixa preta. energias ou produtos (saídas do sistema). Podem ser: dados: permitem planejar e programar o comportamento do sistema. produtos: são os objetivos do sistema (bens.

correspondente aos sinais. manter a sobrevivência do sistema. ao desenvolvimento. tende à degradação. ou homeostase. ao desap arecimento". enfim. Os sistemas podem operar. possam ter alguma influência sobre a operação do sistema. à desintegração e. Os sistemas existem em um meio ambiente e são por ele condicionados. 12) Conceito de Meio Ambiente: Meio ambiente é o conjunto de todos os objetivos que. dentro de um limite específico. As fronteiras de um s istema são as condições ambientais dentro das quais o sistema deve operar. definindo assim as fronteiras do sistema e as condições dentro das quais o mesmo irá operar. isto é. por intermédio do mecanismo de retroação (auto-controle ou auto-regulação). em série ou em paralelo. 8) Conceito de Redundância: A redundância é a quantidade de informação excedente. enquanto as suas restrições são as limitações introduzidas em sua operação. simultaneamente. é a capacidade que têm os sistemas de manterem um equilíbrio dinâmico. Os sistemas homeostáticos tendem ao progresso. 9) Conceito de Entropia: O conceito de entropia vem da segunda lei da termodinâmica. 7) Conceito de Homeostasia: A homeostasia. cuja ocorrência pode ser prevista a partir de outros sinais. segundo a qual "um sistema termodinâmico que não troca energias com o meio ambiente externo tende a entropia. O objetivo de um sistema total define a realidade para a qual foram ordenadas todas as unidades e relações do sistema. 11) Conceito de Sistema Total: O sistema total é aquele representado por todas as unidades e relações necessárias e suficientes para alcançar um determinado objetivo pré -fixado. . 10) Conceito de Informática: A informática é a parte da cibernética que permite o tratamento racional e sistemático da informação por meios totalmente automáticos.6) Conceito de Retroação (feedback): A retroação é um mecanismo de comunicação entre a saída e a entrada do sistema. As principais funções da retroação são: controlar a saída do sistema. manter o equilíbrio do sistema. entre suas diversas componentes ou partes.

que corresponde a quantidade de informação transmitida por uma fonte. A unidade de quantificação da informação é o BIT. não programável e que mantém uma forte interação com o meio . Para SHANON (ibidem). Quanto a sua constituição os sistemas podem ser: físicos ou concretos: quando compostos de hardwares. Quanto à sua natureza os sistemas podem ser: fechados: são sistemas cujo comportamento é totalmente determinístico e programável e que operam com pouco intercâmbio com o meio ambiente. 1949) é uma teoria estatística que permite medir a quantidade de informação emitida (ou recebi da) por uma fonte.1. WEAVER. cuja probabilidade de emissão é 1/2. SHANNON & W. para serem transmitidas. Os sistemas físicos (máquina) precisam de um sistema abstrato (programação) para poderem funcionar e desempenhar suas funções.6. os cálculos são efetuados no sistema logarítmico de base 2. abertos: são sistemas cujo comportamento é probabilístico (ou mesmo estocástico). a informação é emitida por uma fonte sob a forma de mensagens que.3 Teoria da Informação: A teoria da informação (segundo C. Se todos os sinais são equiprováveis. A transmissão é assegurada pela via de comunicação (canal) até o receptor que decodifica os sinais a fim de torná-los utilizáveis pelo destino. 1. a entropia é máxima e igual a log2 n Onde: n é o número de sinais. são codificadas por um emissor. Quando todos os sinais emitidos por uma fonte são independentes. abstratos: quando compostos de softwares. a entropia desse sistema (o valor médio da informação emitida) é dada pela relação: H = . uns dos outros.6.7 p log 2 p Onde: p é a probabilidade de ocorrência dos sinais emitidos pela fonte.4 ± Classificação dos Sistemas: Os sistemas podem ser classificados segundo a sua contribuição e segundo a sua natureza. Toda a degradação da informação durante a comunicação é devida aos efeito s de ruído ou interferência. Por convenção. que transforma essas mensagens em sinais.

homem. TAYLOR. são sistemas probabilísticos: tratados estatisticamente. são sistemas auto-regulados: homeostáticos. FAYOL e WEBER abordaram as . 1. animais.6 ± Hierarquia dos Sistemas: Pode-se estabelecer uma classificação hierárquica dos sistemas. Sistemas complexos: altamente elaborados e bem inter -relacionados.6. sistemas estocásticos: não previsíveis. 1. constituindo um todo sinérgico (o todo é maior do que a soma das partes). sistemas cibernéticos simples.5 ± Propriedades dos Sistemas: Os sistemas cibernéticos apresentam três propriedades: são sistemas complexos: focalizados como caixa preta.6. Quanto a ocorrência: sistemas determinísticos: totalmente previsíveis. Sistemas hipercomplexos: complicados e não descritivos. sobe-se também a complexidade dos sistemas: sistemas simbólicos.7 ± Sistemas abertos: Os sistemas abertos podem ser entendidos como conjuntos de partes em constante interação (característica de interdependência das partes). sistemas dinâmicos simples.6. Segundo a visão sistêmica. sistemas sócio-culturais. organismos inferiores. orientados para determinados fins (comportamento teleológico) e em permanente relação de interdependência com o ambiente externo (influencia e é influenciado pelo meio ambiente externo). sistemas abertos. sistemas probabilísticos: previsível dentro de uma certa probabilidade. Quanto a complexidade os sistemas podem ser: Sistemas simples: dinâmicos.ambiente. de forma que na base têm-se os sistemas mais elementares e na medida em que se sob na hierarquia. 1. sistemas estáticos.

como variável independente e como variável dependente do ambiente. fronteiras ou limites. A importância da utilização de modelos em ergonomia está relacionada. daquilo que os sociólogos chamam de ideologia. Segundo M.8 ± Características das organizações como um sistema aberto: As organizações apresentam as seguintes características. interdependência das partes. Os modelos físicos ou matemáticos são importantes para facilitar a compreensão do funcionamento dos sistemas. isto é.6. os sistemas abertos tem capacidade de crescimento.organizações segundo uma perspectiva de sistema fechado: os sistemas fechados são sistemas isolados das influências das variáveis externas. morfogênese. atuando. as quais comportam um número limitado de graus ou de variáveis. os sistemas abertos estão em constante interação dual com o meio ambiente. determinísticos. Este sistema limita a representação da realidade à um número restrito de categorias. .6. 1.9 ± Modelos de organização: Modelo é a representação de alguma coisa. mudança. homeostase e "estado estável". a três fatores: manipulação da representação e não da realidade. adaptação ao meio e até auto-reprodução. "modelo é um sistema de representação intencionalmente empobrecido e simplificado da realidade". Os diferentes modelos estão relacionados à modelos mais amplos ou mais gerais. sob certas condições ambientais. de entendimento da realidade. as organizações são partes de um sistema maior e constituída de partes menores. um sistema fechado requer que todas as variáveis sejam conhecidas e controláveis. um sistema determinístico é aquele em que um a mudança específica em uma de suas variáveis produzirá um resultado particular com certeza. fundamentalmente. 1. como um sistema aberto: comportamento probabilístico (às vezes estocástico) e não-determinístico. sendo então. é contingência dos sistemas abertos c ompetirem com outros sistemas. o que não ocorre com o sistema fechado. de MONTMOLLIN (1978). incerteza organizacional. a um só tempo.

As atividades de trabalho do ser humano. 1. 1. baseadas nas tecnologias mecânicas. De fato.6. através de um dispositivo de comando e de um dispositivo de controle. baseado nas tecnologias microeletrônicas. As atividades de trabalho do ser humano. É o estágio do desenvolvimento tecnológico da automação industrial.Máquina (s) Um sistema SHM é um conjunto de postos de trabalho. em uma determinada situação de trabalho. mais ou menos formalizados: tarefa prescrita. anteriormente apresentados. Existem dois tipos de modelos: isomorfos: possuem formas semelhantes. Segundo POYET ( ). a partir de microprocessadores.facilidade de elaboração de modelos. É o estágio do desenvolvimento tecnológico industrial da mecanização. a partir da máquina à vapor de WATT. tarefa induzida ou redefinida. de forma arbitrária. Pode-se estabelecer. três estágios da evolução dos sistemas homens . articulados entre si. homomorfos: formas proporcionais.6. consistem basicamente no comando e no controle de máquinas e sistemas industriais de produção. As atividades de trabalho do ser humano consistem basicamente na manipulação de ferramentas. mas. através de sistemas de controle e comando. É o estágio do desenvolvimento tecnológico da ferramenta.11 ± Sistemas Ser Humano ± Tarefas São mais ricos do que os sistemas ser humano ± máquinas. Estágio da mecanização: neste estágio a percepção e as respostas são indiretas. consistem basicamente na supervisão e diagnóstico de máquinas e sistemas de produção programáveis. as condições ambientais e organizacionais do trabalho. Estágio da automação: neste estágio a percepção e o diagnóstico são apoiados por um SAD. também. sempre podese identificar três tipos de tarefa.máquinas: Estágio da ferramenta: neste estágio a percepção das informações e as respostas dadas pelo ser humano são diretas. concebidas para ampliar suas capacidades ou reduzir suas limitações. as tarefas compreendem não só as condições técnicas de trabalho.10 ± Sistemas Ser Humano (s) . .

ambientais e organizacionais. de um simples posto de trabalho a um complexo sistema de produção. diagnosticar disfunções ergonômicas evidentes. estabelecimento de normas. Esta descrição permite o levantamento de uma série de dados a respeito da situação de trabalho considerada: dados dados dados dados dados referentes referentes referentes referentes referentes aos operadores. finalmente: precisar o tipo de intervenção ergonômica e as diversas áreas envolvidas. às máquinas. cujas entradas (as exigências . funções do sistema de produção considerado: normas de rendimento. levantamentos posturais.tarefa atualizada. isto é. funciona segundo quatro funções básicas. protocolos verbais. controles e comandos. O primeiro passo na análise de um sistema ser humano ± tarefa é a delimitação deste sistema que pode ser estruturada nos seguintes passos: definição da missão do sistema. às condições técnicas de trabalho. informações e ações de trabalho. às condições ambientais de trabalho.). O segundo passo na análise do sistema ser humano ± tarefa é a descrição dos componentes deste sistema. cada uma fornecendo norma s de produção: funções do sistema geral: normas de ação.. em termos técnicos. Qualquer que seja o sistema ser humano ± tarefa a ser analisado. atribuições de funções aos operadores e às máquinas. preparar planos de enquetes (questionários. a identificação das exigências da tarefa. funções dos sub-sistemas entradas e saídas: normas de a rranjo físico do posto de trabalho. uma situação de trabalho é um sistema complexo. definição do perfil do sistema. identificar os grandes processos (os modos operativos). dinamicamente interrelacionado. identificação e descrição das funções do sistema e sub -sistemas.. de tempo e de qualidade do trabalho.6.12 ± Situação de Trabalho: Do ponto de vista ergonômico. às condições organizacionais de trabalho. 1. Esta descrição do sistema ser humano ± máquina permite. entradas e saídas. intervenção corretiva ou de retificação. funções das relações e conexões do sistema de produção: normas de bom funcionamento hierárquico e funcional. etc.

bancos.8 ± Disciplinas de base da ergonomia O arcabouço teórico da ergonomia é baseado em diversas disciplinas científicas. desenvolvimento de sistemas inteligentes de a poio à decisão.. das ciências físicas. sobretudo. 1. 1. supermercados. Todavia. estudos diversos sobre: hospitais. 2) Ergonomia na agricultura e na mineração: melhoria do projeto de máquinas agrícolas e de mineração. ambientais e organizacionais de trabalho. 1) Ergonomia na indústria: melhoria das interfaces dos sistemas ser humanos -tarefas. das ciências biológicas e das ciências humanas. a ergonomia tem sido aplicada no emergente setor de serviços e. Em princípio. em particular da matemática. são as resultantes deste sistema. Mais recentemente. nas atividades domésticas e de lazer. na vida cotidiana das pessoas. caracterizadas na tarefa) determinam os comportamentos do homem no trabalho (caracterizadas nas atividades em termos de informações e ações) e. . melhoria das condições ambientais de trabalho. as duas disciplinas que mais contribuíram para o desenvolv imento científico da ergonomia foram a psicologia e a fisiologia do trabalho.7 ± Aplicações da ergonomia A ergonomia pode ser aplicada nos mais diversos setores da atividade produtiva. também. melhoria das condições organizacionais de trabalho. A figura abaixo mostra a origem da ergonomia. melhoria das tarefas de colheita. na indústria. a partir do inter- . 3) Ergonomia no setor de serviços: melhoria do projeto de sistemas de informação (ergonomia da informática). estudos sobre os efeitos dos agro-tóxicos. transporte e armazenagem. 4) Ergonomia na vida diária: consideração de recomendações ergonômicas na concepção de objetos e equipamentos eletrodomésticos de uso cotidiano.. sua maior aplicação se deu na agricultura. mineração e.técnicas. melhoria do projeto de sistemas complexos de controle (salas de controle). cujas saídas (os resultados do trabalho em termos de produção e saúde).

.relacionamento entre os diversos campos de conhecimento e disciplinas científicas envolvidas.