Você está na página 1de 4

TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO

O resultado de uma determinada técnica dependerá de uma série de fatores intrínsecos e extrínsecos ao educando e de suas diferenças individuais. Tanto é assim, que em uma circunstância uma técnica pode surtir efeito e em outra não. Uma técnica pode sensibilizar a um grupo de alunos e outra não. É necessário recordar que motivar uma aula não é, simplesmente, lançar mão da motivação inicial, preparada anteriormente, mas antes, é um trabalho de ação contínua ao lado da aula e junto a cada aluno; daí a importância que tem o conhecimento das atitudes e aspirações de cada um, a fim de proporcionar-lhe, na medida das possibilidades, trabalhos que correspondam à suas possibilidades, necessidades e preferências. São inúmeras as técnicas de motivação existentes. E é bom que assim seja, pois o docente, em qualquer circunstância, terá a oportunidade de lançar mão de uma ou de outra. Seguidamente vamos passar a considerar algumas das técnicas de motivação. a) Técnica de correlação com a realidade: o docente procura estabelecer relação entre o que está ensinando e a realidade circundante, com as experiências de vida do discente ou com fatos da atualidade. Esta técnica, segundo Nerici, se confunde também com a concretização do ensino. A abstração, a teoria e a definição representam sempre a culminância, o término final do processo intelectivo da aprendizagem, nunca seu ponto inicial ou de partida. Consequentemente, ao iniciar o processo de aprendizagem dos alunos sobre uma unidade didática, no lugar de partir da abstração da teoria para chegar depois aos fatos, siga-se o caminho inverso. Nosso ensino, sempre que seja possível, deve articular-se com o que se desenvolve no ambiente ou na proximidade em que vivem os alunos. O esquema fundamental da correlação com a realidade é o seguinte: - Iniciar a lição enfocando objetivamente fatos ou dados concretos do ambiente físico ou social em que vivem os alunos e dos quais tenham noticia. - Fazer com que a teoria brote gradualmente desses fatos ou dados reais, mediante explicação e discussão dirigida. - Uma vez formulada a teoria, aplicá-la aos fatos, interpretando-os e explicando-os cientificamente. b) Técnica do êxito inicial: Os passos a seguir podem ser: - Planejar pequenas tarefas de fácil execução para os alunos.

. c) Técnica do fracasso com reabilitação: Esta técnica busca criar na conciência dos alunos a necessidade de aprender determinados princípios. enquanto que a didática tradicional dava preferência à segunda. . Ao tentar resolver a tarefa sentirão que lhes faz falta algo para sua resolução. Consiste a técnica no seguinte: . evitando levar os alunos a frequentes frustrações.Fazer voltar os alunos à tarefa inicial para que o resolvam satisfatoriamente. regra ou norma de que careciam.Fazer que o grupo vencido reconheça a vitória do vencedor e lhe aplaudam com autêntico espírito deportivo.Como norma didática diremos que não convém abusar desta técnica. .Expor então o princípio. . . .Rivalidade entre grupos equivalentes. .Preparar bem os alunos para executá-las.No planejamento ou programação das atividades tanto na aula como fora dela.. A técnica consiste em: . .Fazer repetir essas tarefas elogiando-os pelo êxito. . se cria nos alunos a conciência da necessidade de aprender algo mais que lhes esteja faltando.Auto-superação gradual do próprio indivíduo através de tarefas sucessivas de dificuldade progressiva.Emulação de individuos do mesmo grupo ou classes. . É a reabilitação depois do fracasso inicial. designando os alunos como “árbitros”.Apresentar aos alunos um problema ou propor-lhes uma tarefa para a qual não estão ainda capacitados. A didática moderna recomenda mais a primeira e a terceira. Por este fracasso inicial. explicando-o com toda clareza.Na execução de trabalhos ou tarefas.Na valorização e juízo dos resultados obtidos. e) Técnica da participação ativa e direta dos alunos: Deverá induzir aos discentes a participar con suas sugestões e seu trabalho: .Determinar o sistema de recontagem de pontos.Repartir equitativamente e alternadamente as oportunidades entre os indivíduos ou grupos que competem. d) Técnica da competência ou rivalidade: A competência pode ser orientada como: . . regras ou normas com os que todavia não estão familiarizados. facilitando as condições necessárias para o êxito.

sem organização fixa. Organizar os alunos em grupos de trabalho com mando próprio. .Elogiar os alunos pelos acertos conseguidos e pelo progresso realizado.f) Técnica do trabalho socializado: Adota formas distintas : .Sugerir-lhes um método de estudo. . . . As normas para seguir no emprego desta técnica de incentivo poderiam ser: . todavia melhores. . h) Técnica da entrevista ou do estímulo pessoal em breves entrevistas informais: . .Perceber os esforços que os alunos fazem por melhorar o trabalho que efetuam.Informar regularmente aos alunos sobre os resultados que estão obtendo. . em função do trabalho que irá realizar.Mostrar-lhes a possibilidade que tem de melhorar seu trabalho. alguns objetivos.Subdivisão em grupos livres e espontâneos. metas ou resultados que a classe deva alcançar.em primeiro lugar.Convencer os alunos de que não estão aproveitando bem sua capacidade. . inspirandolhes confiança en sua própria capacidade.Organização de toda a classe em forma unitária. . g) Técnica de trabalho com objetivos reforçados: Assinalar. .Insistir na relação direta entre as normas que se devam seguir e os objetivos propostos.Iniciar as atividades dos alunos e supervisar seu trabalho de perto. ou do todo. por um trabalho e por um informe que deverão apresentar à classe. Expressar um juizo sobre o valor e o mérito dos trabalhos realizados pelos grupos incentivando-os para que realizem trabalhos. . Mattos afirma que se trata da tendência paidocêntrica liberal.Emitir uma apreciação objetiva dos resultados obtidos pondo de relevo “as marcas” que vão superando. Permitir o debate das conclusões a que cada grupo chegue. com procedimentos específicos de trabalho que contribuirão para a melhora desejada. Distribuir os trabalhos entre os grupos atuais.Divisão da classe em grupos fixos com um chefe e um secretário responsáveis. Fazer que cada grupo apresente ou relate à classe o resultado de seus trabalhos. . . . y) Outras técnicas que poderíamos anotar são: .

........... religião.. economia... A tabela seguinte indica os resultados de algumas investigações sobre os efeitos que causam os mencionados incentivos: PROCEDIMENTOS Melhora Repreensão pública.................................... É evidente que as técnicas de motivação citadas..........40 % Repreensão em particular.................................. a aplicação das mesmas supõe que o professor conhece e sabe empregar as normas psicológicas das boas e autênticas relações humanas........... o assunto a ser tratado com os problemas propícios de cada fase da vida: problemas de profissão......Acontecimentos atuais da vida social......Experimentação: uma tendência comum a todos é o fazer algo.............. liberdade.... capazes por si mesmos de produzir automaticamente bons resultados...... .......... e outras não citadas....... 6% ............... 95% Reconhecimento de que está piorando ........ moral.Elogios e censuras que podem funcionar como técnicas motivadoras se são usadas com prudência............... 91% Sarcasmo público................-Problemática das idades: o docente deve procurar relacionar.. 10% EFEITOS Indiferente 13% 10% 4% 8% 13% 17% 4% 27% piora 47% 7% 0% 1% 77% 65% 1% 67% Sarcasmo em particular.........83 % Conversação particular amistosa....... esta tendência é manancial de valiosas motivações....96% Elogio público......................... .. A motivação pode reforçar-se com incentivos ou estímulos externos dos quais os mais correntes são as elogios e as repressões......... não constituem recursos e pulos de eficácia mágica e resultados infalíveis............................................................... ....... 18% Reconhecimento de que o aluno está progredindo............ sempre que seja possivel......