Você está na página 1de 4

A conturbada comunidade do ciclismo.

Capitulo 01

Segundo uma publicação do presidente do COI (Comite Olimpico

Internacional), a cogitação de o ciclismo ser excluso dos Jogos Olimpicos

gerou muita inquietação para os atletas e profissionais da área.

As vesperas do Tour de France 2006, uma noticia devastadora, Jesus

Manzano, um ciclista arrependido denunciou os esquemas de dopagem dentro

do ciclismo, como era organizado, quem fornecia e como utilizavam. Com isto

nada mais nada menos que vinte e dois ciclistas foram impedidos de competir

na maior e mais famosa prova do ciclismo mundial, dava-se inicio a Operación

Puerto, suspendendo vários atletas todos suspeitos de ligações com algum tipo

de dopagem, entre eles os favoritos ao titulo como o alemão Jan Ullrich e o

italiano Ivan Basso.

O mundo do ciclismo estava abalado e como se não bastasse o

vencedor da competição o americano Floyd Landis perdeu o titulo após a

confirmação de doping positivo com um alto teor de testosterona na 17º etapa.

Entre os envolvidos nos casos de doping, Eufemiano Fuentes um

medico Ginecologista que se tornou um dos maiores experts em doping para

ciclistas, juntamente com seu sócio José Merino Batres, foram presos em 23 de

março de 2006 em Madri juntamente com outros 5 envolvidos durante a

Operación Puerto que apreendeu cerca de 1000 doses de anabolizantes,

esteroides e Hormonios. Alem de 100 doses de sangue e uma longa lista de


supostos “pacientes de Fuentes”, alguns destes supostos pacientes de Fuentes

estão ciclistas, tenistas, maratonistas e outros atletas.

Este escândalo repercutiu negativamente em toda a imprensa mundial.

Equipes deixaram de existir como é o caso das equipes Liberty Seguros e

Communidad Valenciana. A Phonak, patrocinadora da equipe de Landis

anunciou sua retirada do ciclismo no final da temporada.

Em 2005 o Tour teve seu primeiro Hepta-campeão, o atleta Lance

Armstrong foi o primeiro atleta a vencer sete vezes a competição. Lance foi

vitima de câncer no testículo esquerdo em ***1997, que proliferou por todo o

corpo, em um livro escrito por uma enfermeira que o acompanhou no período

de recuperação, diz que foram utilizadas altas doses de esteróides

anabolizantes, Lance, nega que tenha utilizado tais substancias e diz que

nenhuma substancia foi utilizada. No entanto nada ainda foi comprovado, caso

seja positivo pode perder todo o seu brilho que conquistou durante todos estes

anos.

O Italiano Marco Pantani mais conhecido como “El Pirata”, um dos

maiores escaladores da Historia do ciclismo, campeão do Giro d’Italia **1998,

foi encontrado morto em 2004, vitima de um ataque cardíaco causado por uma

mistura de Cocaína e antidepressivos, junto com seu passaporte que estava

rasurado com depoimentos, alegando que estava sendo perseguido e já não

tinha mais estimulo para viver, tudo o que construiu foi em vão. Pantani era

acusado de doping desde 1999 e estava proibido de participar das

competições. (redigir melhor)


Mas os casos de ciclismo não param por ai, e não é de hoje que os

casos de escândalos tomam conta da comunidade do ciclismo, segundo o site

Podium.pt, há muitos casos de doping e selecionou alguns dos mais relevantes

como os casos:

O primeiro escândalo no Tour de France foi desencadeado pelo britânico

Tom Simpson, que morreu durante a temporada de 1967, durante a escadala

do Mont Ventoux, a montanha mais mítica do Tour de France, Simpson Havia

consumido altas doses de anfetaminas o que o impedia de perceber o limite de

esforço e o calor excessivo. Três anos mais tarde Knut Jensen morreu durante

os Jogos Olímpicos de Roma por uso de Anfetamina, Cafeína e

Vasodilatadores.

Joaquim Agostinho, ciclista português que mais se destacou no Tour de

france, vencedor de 3 edições da Volta de Portugal entre 1970 a 1972, só não

foi penta-campeão porque foi desclassificado da prova durante os anos de

1969 e 1973.

O Caso Festina, talvez este seja um dos maiores escândalos, o

massagista da equipe Willi Voet foi preso na fronteira franco-belga com 40

embalagens de produtos dopantes, os interrogatórios a Voet, permitiram

perceber que o esquema de dopagem era uma pratica generalizada, na

corporação. Isto levou a organização do tour a adotarem uma legislação me

melhor controle sobre o doping.

Giro D’italia 2001, 200 soldados fizeram uma mega busca nos

apartamentos de ciclistas, as caravanas e até veículos de parentes, foram

apreendidas 300 embalagens de dopantes, entre eles produtos que nem


sequer havia comercio e produtos que teriam sido rejeitados pelas autoridades

de saúde, dez ciclistas foram a julgamento.

Tyler Hamilton, ex-atleta da Discovery Channel, a mesma equipe de

Lance Armstrong, competindo pela equipe da Phonak venceu a prova de

contra-relógio, foi flagrado com índice hematócrito acima do permitido, não foi

punido por irregularidades no laboratório responsável pela analise,

recentemente o atleta vem sendo acusado de envolvimento com Eufemiano

Fuentes.

Roberto Heras, durante um contra-relogio na penúltima etapa da Vuelta

a españa 2004, Heras teria utilizado EPO, teria sido também cliente da rede de

dopagem desmantelada pela operación puerto.

Caso Confidis.