Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

GESSO ACARTONADO (DRY WALL)


Disciplina: Conforto Ambiental II
Professor: Aloísio Schmid

CIBELE NETTO MARTINS


KEYLA SARUEM KINDER
PEDRO VIRMOND MOREIRA
O GESSO ACARTONADO:

A tecnologia da construção a seco está cada vez mais substituindo as


técnicas construtivas tradicionais e já está incorporada aos projetos
arquitetônicos. O gesso está participando das técnicas modernas na fabricação de
painéis para paredes, forros e revestimento.

O gesso acartonado surgiu por volta de 1895 nos Estados Unidos, criado por
Augustine Sackett, juntando a resistência à tração, que é proporcionada pelo
cartão e a resistência à compressão, proporcionada pelo gesso.

Isso só se tornou possível após o domínio do tempo de pega deste


(descoberto pouco antes).

O painel de gesso acartonado é composto por um ‘sanduíche’ de cartão-


gesso-cartão; esse ‘recheio’ é obtido través da mistura do gesso comum a alguns
aditivos que:

• aumentam a porosidade da pasta para tornar o painel de gesso


acartonado leve (10Kg/ m²);
• aumentam a resistência mecânica;
• aderem o cartão ao gesso.

O cartão empregado nos painéis é fabricado exclusivamente para este fim e


recebe tratamentos em sua composição e estrutura (que são regidos por normas
internacionais).
A FABRICAÇÃO DOS PAINÉIS

Os painéis de gesso acartonado são utilizados para a construção de


paredes, forros, ‘meias-paredes’ e para revestimento.
A placa de gesso de espessura de 7,50 a 15,50 mm revestida em ambos os lados
por múltiplas camadas de papel resulta em espessuras finais das placas de 10 a
18 mm.
As placas de gesso acartonado possuem bordas rebaixadas para execução
das juntas, e podem ser de três tipos, de acordo com a utilização a qual se
destinam:

• Normais: (padrão ou standard), para paredes sem exigência especifica;

• Resistentes à umidade: tratadas com produtos hidrofugantes, como o


silicone.

• Resistentes ao fogo: possuem aditivos para retardar a liberação de água


da chapa, evitando o colapso da peça.

Espessuras, larguras e resistências podem ser ajustadas de acordo com o


projeto. Pode-se aumentar o número de placas, elevando a resistência mecânica
e ao fogo e melhorando a isolação acústica.
O SISTEMA DRY WALL

O sistema é constituído basicamente de uma estrutura leve em perfis de


aço galvanizado formada por guias e montantes, sobre os quais são fixadas
placas de gesso acartonado, em uma ou mais camadas, gerando uma superfície
apta a receber o acabamento final (pintura, papel de parede, cerâmica, etc).

Montada a estrutura principal, pode-se colocar uma ou mais placas, fazer


tratamento acústico ou térmico, adicionar reforços necessários para sustentar
armários ou pias, verificar onde serão usadas paredes especiais para umidade ou
resistência ao fogo.

Terminada a montagem, a superfície resultante é uniforme, com aparência


monolítica, e aceita qualquer tipo de revestimento: pintura, colagem, cerâmica,
pastilhas e até mesmo pedras, como mármores.

Para a isolação acústica são usadas várias placas com os seus vazios
preenchidos com lã mineral. Por fim, para a fixação dos painéis, cada fabricante
disponibiliza de um sistema de buchas e parafusos específico, incluindo pontos de
ancoragem de cargas, que suportam até 30kg por ponto fixo

VANTAGENS

• Ganho de área útil: a menor espessura das paredes (96 mm) possibilita a
ganhos de área útil da ordem de 4%;
• Peso: as paredes pesam 25 kg/m2, diminuindo portanto a carga da
estrutura, permitindo a adoção de estruturas mais esbeltas, com redução e
supressão de alguns elementos, tais como vigas sob as paredes;
• Resistência Mecânica: as paredes foram testadas e aprovadas pelo IPT
nos ensaios de impacto de corpo mole, corpo duro e corpo suspenso,
comprovando a segurança do sistema construtivo em gesso acartonado;
• Isolamento Térmico: com resistências térmicas médias o sistema possui
isolamento térmico bastante elevado, além da possibilidade de melhora com a
adoção de lãs minerais;
• Isolamento Acústico: por ser formado por três meios, placa de gesso
acartonado - ar ou lã mineral - placa de gesso acartonado, constitui-se num
sistema massa-mola-massa, funcionando a massa (gesso) como isolante e o
vazio (ar ou lã mineral) como amortecedor, obtendo-se altas performances de
isolamento acústico de 36 dB a 68 dB;
• Resistência ao Fogo: as placas são formadas por 20% de água, portanto
incombustível; o filme de cartão da face exposta ao fogo é queimado sem
propagar a chama, a massa de gesso começa a perder água através da
evaporação até decompor-se em pó. As paredes em gesso acartonado possuem
RF 30 até RF 180.
• Facilidade de Instalação: por se tratar de um sistema pré-fabricado
modulado é de instalação (montagem) rápida e fácil, reduzindo o tempo de
execução da obra e os custos de mão-de-obra, tanto de montagem quanto de
administração técnico-financeira ;
• Parede Seca: evita perdas com massas e entulhos, além de higiene e
limpeza;
• Entrosamento entre os projetos: os projetos de instalações elétricas,
hidráulicas, gás, telefone e outras são instaladas e testadas simultaneamente à
execução das paredes, evitando reabertura das mesmas, o que resultaria em
desperdício de materiais, tempo, mão-de-obra.

MEIO AMBIENTE

O gesso é um material ecológico em todas as suas fases de


aproveitamento, desde a mineração da gipsita, sua matéria-prima, até a
aplicação final dos sistemas de construção a seco baseados em chapas de gesso .
Nestes, em particular, tem a capacidade de tornar os ambientes em que é
utilizado mais agradáveis e confortáveis, em razão de suas propriedades físicas e
biológicas:
- Atua como regulador do clima, mantendo o grau de umidade do ambiente
em equilíbrio;

- É um isolante térmico e acústico natural;


- Não é inflamável, proporcionando proteção contra o fogo;
- É inodoro, livre de gases tóxicos;
- Não é agressivo à pele, daí ser aprovado para uso biológico;
- Tem baixa densidade e alta consistência;
- É eletricamente neutro;
- Não forma fibras nem poeira;
- Não tem efeito cumulativo no organismo pois é eliminado na urina.

Sua extração, diversamente da de outras matérias-primas, não gera


resíduos tóxicos e requer pouca interferência na superfície, em geral de duração
relativamente curta.

Na Europa, onde a densidade populacional mais elevada requer um cuidado


especial com a preservação dos solos aráveis ou por reservas florestais, os
especialistas em meio ambiente das empresas de mineração têm tido pleno êxito
na recuperação do equilíbrio das áreas mineradas, dando-lhes condições de
reconstituição da flora e da fauna ou de reaproveitamento agrícola.

Da mesma forma, as fábricas de chapas de gesso e outros derivados da


gipsita são instalações limpas, que somente liberam na atmosfera vapor d´água.
EXEMPLOS NA ARQUITETURA

Projeto: Hotel Unique


Área: 20.000 m²
Sistema Utilizado: Paredes, Forros e Revestimentos

Projeto: Museu Oscar Niemeyer


Área: 3.500 m²
Sistema Construtivo: Paredes e Forros

Projeto: Hotel Grand Hyatt


Área: 180.000 m²
Sistema Construtivo: Paredes, Forros e Revestimentos
Projeto: Blue Tree Towers
Áreas: 80.000 m²
Sistemas Construtivos: Paredes e Forros
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

www.drywall.org.br
www.metalica.com.br
www.bairrovilaolimpia.com.br
techwall.sites.uol.com.br

Interesses relacionados