Você está na página 1de 24

ipd

(introdução ao processamento de dados)

gustavo arruda
ipd (introdução ao processamento de dados) página 2

sumário
a história dos computadores______________________________________________________
como funciona o computador_____________________________________________________
arquivos_____________________________________________________________________
bits, bytes e megabytes_________________________________________________________
hardware e software____________________________________________________________
sistemas operacionais___________________________________________________________
componentes do computador_____________________________________________________
grandes x micros______________________________________________________________
características dos pcs__________________________________________________________
dos e windows________________________________________________________________
estrutura do pc________________________________________________________________
memória ram do pc____________________________________________________________
microprocessadores do pc_______________________________________________________
discos rígidos, disquetes e cds____________________________________________________
impressoras para microcomputadores______________________________________________

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 3

a história
dos

computadores

l ogo após a segunda grande guerra o mundo ganhou seu primeiro computador, como
subsídio para os longos cálculos matemáticos exigidos pelo censo norte-americano. este
"dinossauro" da informática ocupava vários andares de um prédio, com suas válvulas
gigantes e sistema de refrigeração à água. naquela época, os computadores eram usados
exclusivamente por empresas estatais, universidades e grandes companhias privadas, para uso
acadêmico ou empresarial, e a custos elevadíssimos.

primeiros computadores

nos anos setenta, graças ao advento do circuito integrado (chip), o estudante de


eletrônica steve jobs produziu o primeiro "microcomputador": o apple i. popularizando-o, e
colocando "um microcomputador em cada lar americano", a preços bastante reduzidos. nos
anos oitenta, a apavorada ibm foi obrigada a investir maciçamente no desenvolvimento do seu
próprio microcomputador, criando o "pc" ("personal computer" ou computador pessoal).

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 4

microcomputores
apple pc

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 5

como

o
funciona o
computador

comput
adores
são classificados como "sistemas ", pois foram projetados para: entrar, processar e sair com
informações.

sistema

armazenamento

no seu processamento, o computador lê (ou "recupera") constantemente as


informações contidas no disco, lançando-as na memória para serem utilizadas pela cpu. ao
final do trabalho, os dados podem ser gravados ("salvos") no disco.

memÓria

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 6

disco

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 7

o
arquivos

s computadores armazenam todas as suas informações no formato de


"arquivos". os arquivos são gravados em disco ou fita, e lidos pela memória.
podemos ter arquivos de texto (uma carta, um documento, manual, livro,
etc), bancos de dados (informações de um cadastro, sons e imagens) ou um programa
executável (windows, word, etc).

utilitÁrio tipos de arquivos exemplos


processadores de texto textos em geral word
planilhas eletrÔnicas números e gráficos excel
gerenciadores de dados (sgbd) cadastros access
editores eletrÔnicos jornais e revistas page maker
computaÇÃo grÁfica anúncios e folhetos corel draw

o
bits, bytes e megabytes

s espaço em disco e a memória dos computadores são mensurados em

"bytes". um bit é a menor unidade de medida do computador. um byte


equivale a um caractere (letra, número, espaço em branco, sinal ou
caractere de controle) e é formado por oito "bits", mais um bit de checagem (de segurança ou
de "paridade"). a seqüência "binária" ou "digital" de bits 0 ou 1 (acesso ou apagado)
determina qual caracter está sendo representado.

obs: daí atribuir-se aos processadores dos computadores a capacidade de processar


"palavras" (unidades de informação) de 16, 32 ou 64 bits por vez.

exs: q = 011011000, u = 011100100, a = 111000001, 3 = 011110011

aproximadamente (na realidade são mil e vinte e quatro), mil bytes eqüivalem a um
"kilobyte" ou "kbyte" (kb) e mil kbytes a um "megabyte" (mb), ou seja, um milhão de bytes.
mil megabytes formam um "gigabyte" - um bilhão de bytes.

bytes kb mb gb

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 8

1 byte 1 - - -
1 kb 1.000 1 - -
1 mb 1.000.000 1.000 1 -
1 gb 1.000.000.000 1.000.000 1.000 1

obs: um arquivo que contenha apenas uma letra, normalmente não possue apenas 1
byte de tamanho, tendo em vista que para forma-lo são acrescentados caracteres para
demarcação de início e fim de arquivo, tipo do fonte utilizado, etc.

n
hardware e software

ão existem termos em português que traduzam com exatidão os dois


componentes "fisiológicos" do computador: "hardware" e "software". mas,
poderíamos dizer que "hardware" "é tudo que se pode pegar no computador",
ou o próprio "equipamento", e "software" "tudo que é palpável", ou seja, o sistema
operacional e programas do computador.

propriedade exemplos
hardware palpável monitor de vídeo, teclado, mouse, drive, etc.
software impalpável dos, windows, word, excell, etc

obs: estas duas partes são inerentes ao computador, não funcionam em separado e
possuem igual valor para a sua utilização. apesar do software determinar o uso que está sendo
feito do hardware, o software sem o equipamento não tem utilidade, assim como, o hardware
sem os programas não possue serventia.

e
sistemas operacionais

xistem três "classes" de software: "softwares aplicativos", "softwares de

desenvolvimento"e "softwares básicos".

A) softwares aplicativos: se propõem a executar tarefas específicas dos chamados


"usuários finais", como controles administrativos e confeção de textos, por
exemplo. os sistemas de contabilidade, controle de estoques, folha de pagamento,
faturamento e contabilidade, o word, excel, corel draw e page maker estão neste

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 9

grupo;

B) softwares de desenvolvimento: servem aos "desenvolvedores" (programadores e


analistas de sistemas) como "ferramentas" para confecção dos aplicativos e
softwares básicos. são também chamados de "linguagens de programação". nesta
classificação encontramos o clipper, o basic, a linguagem c, etc;

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 10

C) softwares bÁsicos: a terceira categoria se dispõe a viablizar a execução dos


aplicativos, promovendo a interação entre o hardware e o software. são
indispensáveis para o uso dos computadores, tanto aos desenvolvedores como aos
usuários finais. aqui encontramos os sistemas operacionais unix, dos e os/2 warp,
softwares de comunicação e o windows.

classe funÇÃo usuÁrio exemplos


aplicativos tarefas usuário final sistemas de
específicas contabilidade,
word e corel draw
desenvolvimento ferramentas de desenvolvedores clipper, basic
programação e linguagem c
bÁsicos interação entre geral unix, dos, os/2
o hardware e o warp,
software windows e
comunicação

os "sistemas operacionais" funcionam "por baixo" dos aplicativos e possuem as


seguintes funções:
a)gerenciamento dos discos
b)controle da impressão
c)controle da comunicação
d)controle de entrada e saída da informação
e)controle dos periféricos

aplicativo

sistema operacional

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 11

o
componentes do computador

hardware divide-se em: unidades de entrada, unidades de processamento,

unidades de armazenamento, unidades de comunicação e unidades de saída.


o teclado e mouse, por exemplo, servem para entrada de dados para a cpu
("central process unid" ou unidade central de processamento) processá-las, enquanto o vídeo e
a impressora nos dão as respostas. os discos e memória, por sua vez, fornecem a Área de
armazenamento do computador e as placas de comunicação responsabilizam-se pela
interligação entre todos os componentes.

componentes do computador
placa de
teclado mouse vÍdeo impressora comunicaÇÃo

todas estas partes são igualmente importantes: sem as unidades de entrada é


impossível fazermos alguma requisição ao computador; sem as unidades de saída não
obteríamos os resultados; sem as unidades de armazenamento o computador não teria área
para efetivar seu trabalho; sem as unidades de comunicação o computador não funcionaria,
pois a ligação entre as unidades ficaria impossibilitada; e sem as unidades de processamento
deixamos de ter a função primordial para a qual o computador foi concebido.

unidade funÇÃo exemplos


entrada requisições teclado, scanner, caneta Ótica e
mouse
processamento procedimentos cpu (unidade central de
processamento)
saÍda respostas vídeo, plotadora e impressora
armazenamento Área de trabalho memória, fitas e discos

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 12

comunicaÇÃo interligação placas de comunicação e modem/fax

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 13

a
grandes x micros

lém das diferenças de tamanho, custo, capacidade de processamento e


armazenamento, poderíamios descrever três diferenças básicas entre os
computadores de grande porte ("mainframes") e os microcomputadores:
aplicação, arquitetura e topologia.

a) aplicaÇÃo: costuma-se ainda hoje afirmar que os computadores de médio e grande


portes são destinados a grandes volumes de processamento e armazenamento em
corporações, enquanto os microcomputadores apenas para o uso pessoal de um
número reduzido de dados. contudo, este princípio aos poucos está desaparecendo,
com o advento de microprocessadores cada vez mais rápidos e capazes de processar
um alto volume de informações, interligando-se em rede local, para
compartilhamento de recursos, e sendo cada vez mais freqüentes no processamento
central das grandes empresas;

b) arquitetura: as companhias manufaturadoras de computadores maiores desenvolvem


cada uma por si seus padrões de informática, o que chamamos de "arquiteturas
proprietárias". com o pc, o monopólio da microinformática saiu das mãos da ibm,
que "abriu" a arquitetura de seus pcs para os demais fabricantes de impressoras,
discos rígidos ou periféricos, e possibilitou a outras empresas fabricarem seus
próprios "pcs".

caracterÍstica grande mÉdio micro


tamanho grande médio pequeno
aplicaÇÃo grandes empresas médias empresas empresas e lares
capacidade grande média pequena
custo muito alto alto reduzido
arquitetura proprietária proprietária aberta

c) topologia: podemos também salientar que os computadores de médio e grande


portes são construídos em forma de "estrela", ou seja, trabalham com a cpu, as
unidades de comunicação, de fita e disco isoladas em uma sala e ligadas a
"terminais" - formados por conjuntos de monitores de vídeo e teclado - e
impressoras, espalhados em forma de estrela por toda a empresa, para seu uso
compartilhado. já os microcomputadores disponibilizam seus recursos a um único
usuário, em um mesmo local. muito embora esta topologia já esteja se modificando
pelo uso cada vez mais freqüente das "redes locais", atribuindo aos micros
configurações semelhantes ao compartilhamento em estrela dos computadores
maiores.

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 14

topologia

computadores
de grande

e mÉdio
portes

microcomputadores

o
características dos pcs

s pcs possuem duas particularidades que os distinguem dos demais:

modularidade e compatibilidade.

a) modularidade: os microcomputadores são projetados em "módulos". isto é, novas


peças podem ser encaixadas para expansão da capacidade de processamento,
armazenamento e memória ou para comunicação com outros computadores.

modularidade

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 15

b) compatibilidade: os micros têm suas partes e programas compatíveis entre si,


independentemente dos fabricantes que os desenvolveram, e as novas versões de
microprocessadores aceitam normalmente qualquer sistema operacional ou
programa desenvolvido para uma versão anterior. É este, aliás, o principal fator de
sucesso da filosofia dos microcomputadores.

u
dos e windows

m dos sistema operacional mais usados nos pcs é o dos ("disk operational

system" ou sistema operacional em disco). criado pela microsoft por


encomenda da ibm, quando do desenvolvimento do seu microcomputador,
o dos utiliza "comandos de linha" e vem acompanhando o desenvolvimento dos pcs ao longo
dos anos.

no final dos anos oitenta, a mesma microsoft lançou o "windows". um "ambiente


operacional gráfico" para facilitar a operação do pc, através de:
a)janelas
b)Ícones
c)multiprocessamento
d)troca de informações entre aplicativos

o windows proporcionou o aparecimento de uma nova geração de aplicativos "for


windows", que aproveitaram todas suas vantagens para revolucionar, simplificar e popularizar
ainda mais o uso dos pcs.

aplicativo
for windows

windows

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 16

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 17

o
estrutura do pc

s pcs podem

ser
estudados
através da sua estrutura
interna e externa:

a) externa: são
fabricados em três
módulos: gabinete da cpu, monitor de vídeo e teclado. no gabinete são ligados o
monitor, o teclado e todos os demais periféricos (impressora, discos, mouse, caixas
de cd-rom, etc).

estrutura
externa do
microcomputador

b) interna: dentro do gabinete da cpu encontramos:


- a placa principal ou "placa mãe"(mother board)
- os chips da memória
- o chip do processador (386, 486-dx, pentiun, etc)
- os drivers de disquetes

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 18

- o disco rígido
- driver de cd-rom
- as placas de comunicação, de vídeo e de impressora
- a fonte de alimentação e seu ventilador
- os "slots" (encaixes) para placas de expansão

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 19

est
rutur a interna

a
memória ram do pc

"memória ram" pode ser localizada nos chips (pequenas peças de silício) que
compõem a placa de circuito impresso da cpu. serve como "Área temporária de
armazenamento", para cálculos por exemplo, e é completamente apagada
quando do desligamento do equipamento. convencionou-se chamar a memória de trabalho do
computador de "memória ram" ("random access memmory" ou memória de acesso
randômico).

chip de
memÓria

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 20

a memória ram do pc é dividida em quatro "Áreas", correspondentes a cada nível de


acesso: memória básica (ou convencional), até 640kb; memória alta, de 640mb a 1mb;
memória estendida ou xms, de 1mb a 4mb e memória expandida ou ems, acima de 4mb.

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 21

memÓria Área
convencional de 0 a 640kb
alta de 640kb a 1mb
estendida (xms) de 1mb a 4mb
expandida (ems) acima de 4mb

o uso dos tipos de memória depende da necessidade do programa que se utiliza, e é


feito automaticamente por ele. costumamos admitir que programas de editoração gráfica,
como o corel draw, exigem mais de 4mb de memória ram, assim como, os gerenciadores de
multimídia (quando o micro possui drivers de cd-rom).

a quantidade de memória ram presente no microcomputador define sua "configuração"


enquanto à memória. um micro pode ser configurado, atualmente, com 1mb, 4mb, 8mb,
16mb, 32mb e até 64mb, bastando que para tal adicione-se "placas de expansão" de memória.

o
microprocessadores do pc

chip do processador do computador, encontrado na cpu, é responsável pelas

principais rotinas de processamento. o microprocessador do pc original


passou por vários estágios e vem aumentando durante os anos sua
capacidade, mensurada conforme o tamanho da "palavra" que consegue ler. os micros "286",
"386" e "486", "586" e "pentiun" foram batizados assim conforme o processador que utilizam
- 80286, 80386, 80486 e 80586 até o pentiun - processando e comunicando-se (entrada e
saída) através de palavras com 16 e 16 bits, 32 e 16 bits, 32 e 32 bits, 64 e 32 bits e 64 e 64
bits, respectivamente.

pc processador processamento comunicaÇÃo


interno (entrada/saÍda)
286 80286 16 16
386 80386 32 16
486 80486 32 32
586/pentiun 80586/pentiun 64 32

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 22

discos

a
rígidos,
disquetes e cds

nalogamente ao encontrado nos computadores maiores, os micros possuem


"unidades de armazenamento permanente" ("memória permanente", "memória
não volátil" ou "memória secundária") para salvarem as informações e
disponibilizarem seu acesso no dia seguinte. ao contrário da memória ram, os discos e fitas
não perdem os dados. existem três tipos de discos: rígidos, disquetes e cds.

disco disquete disquete cd


rÍgido 5,1/4" 3,1/2"

= <
a) rÍgidos: bem maiores que os disquetes, mas com capacidades que variam de 560mb
a vários gigabytes. também se popularizaram com o nome de "winchesters" e seus
drivers são internos, portanto não visíveis na parte externa do gabinete. outra
peculiaridade dos discos rígidos é não serem removíveis. utilizados como "Área de
trabalho" e compostos por vários discos de alumínio, banhados por camadas de uma
substância sensível ao magnetismo, e vários cabeçotes internos para leitura e
gravação. todo o conjunto está acondicionado em uma caixa metálica blindada.
funcionam como vários drivers de disquetes trabalhando juntos.

b) disquetes: com capacidade de 1,2mb ou 1,44mb e dimensões de 5,1/4" ou 3,1/2",


podem ser removidos, o que lhes dá o codinome de "discos removíveis", sendo
utilizados para "cópia" ou "backup" do disco rígido. os maiores são denominados
de "flexíveis", devido a sua óbvia característica. sua fabricação é em plástico fino,
banhado por um material sensível ao magnetismo e revestido por uma capa (dura
ou flexível). as unidades que lêem e gravam por intermédio de cabeçotes os disco
removíveis são conhecidas por "drivers".

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 23

c) cds:
com as

mesmas dimensões de um disco flexível de 3,1/2", porém com capacidades


semelhantes aos discos rígidos, os cds ("compact disks" ou discos Óticos) só podem
ser lidos, sendo utilizados para recuperação de grandes volumes de dados - daí seu
nome "rom"(read only memory ou "memmória apenas para leitura). são formados
por um disco plástico rígido e transparente, que absorve gravações óticas em sua
superfície. os drivers de cd utilizam o raio laser para decodificá-los.

dimensÕes armazenamento funÇÃo uso acesso


winchester grande grande trabalho fixo leitura e
gravação
disquete pequeno pequeno cópia removível leitura e
gravação
cds pequeno grande recuperação removível apenas
leitura

e
impressoras para microcomputadores

xistem três tipos de impressoras para microcomputadores: matriciais, a jato de

tinta (ou "ink jet") e laser. são usadas dependendo da aplicação.

impressoras

matriciais jato de laser


tinta

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486


ipd (introdução ao processamento de dados) página 24

a) laser: apesar de bem mais caras que as outras, as impressoras a laser possuem um
definição perfeita, sendo as únicas indicadas para a arte-finalização de trabalhos de
computação gráfica (anúncios para jornais, por exemplo). são as mais lentas.

b) jato de tinta: têm um custo intermediário entre os outros dois tipos, fornecendo
ótima definição para textos e gráficos. ideais para relatórios e apresentações
gráficas. são um pouco lentas.

c) matriciais: as impressoras matriciais são as mais accessíveis e rápidas, tendo seu uso
indicado para a impressão de dezenas de páginas, apesar de apresentarem uma
definição bem inferior às demais.

impressÃo resoluÇÃo velocidade custo aplicaÇÃo


matriciais muitas páginas baixa alta baixo apenas textos
jato de tinta poucas páginas média baixa médio relatórios e
gráficos
laser poucas páginas alta baixa alto anúncios

-x-x-x-

gustavo arruda * gustavo@recife.net * (0xx81) 328-2486