Você está na página 1de 4

ESPECIAL

ERROS

NA ESCOLHA DO SOUTIEN

A OFERTA NUNCA FOI TÃO VASTAEAINFORMAÇÃO DISPONÍVEL TÃO COMPLETA. MESMO ASSIM, COM UM SIMPLES GOLPE DE VISTA’, É FÁCIL CONCLUIR QUE GRANDE PARTE DAS MULHERES CONTINUAM A VESTIR SOUTIENS ERRADOS. FALAMOS COM ESPECIALISTAS PARA TENTAR CONHECER QUAIS SÃO OS ERROS MAIS FREQUENTES E ALGUNS DOS RESULTADOS REVELAREM-SE SURPREENDENTES.

O DILEMA DOS TAMANHOS, A FALTA DE INFORMAÇÃO E A DESINFORMAÇÃO

É dado adquirido que o tema dos “tamanhos”

– o facto de ser tão difícil encontrar-se o que se procura no tamanho certo - é um motivo de

frustração para as mulheres que querem vestir Moda. São muitas as que se questionam sobre quem terá definido uma escala tão perversa

e limitada com “standards” que deixam à

margem uma percentagem muito significativa de mulheres.

Estúpido, mas ao mesmo tempo publicitariamente eficaz, o ‘hilariante’ anúncio que passa actualmente nas televisões portuguesas, onde várias mulheres desabafam ao “mundo” a sua felicidade por terem conseguido ‘caber’ na ambicionada peça de vestuário, graças ao iogurte. Este é um paradigma dos tempos que atravessamos.

Pois, se no vestuário exterior há problemas, creiam que a questão é ainda mais crítica no campo da corseterie!

Seria interessante saber quantas mulheres realmente sabem qual é a sua medida de Soutien. Mas, dado não se conhecerem publicamente pesquisas sobre o tema, resta registar as percentagens que, em função

da experiência acumulada, apontam os

3

- Experimente sempre o Soutien antes de decidir comprá-lo.

especialistas, ou seja os responsáveis das marcas e os retalhistas especializados: estes estimam que mais de 50% das mulheres desconhece a sua medida exacta, sendo que umas 30% nem sequer conhece a existência de um critério de medida específico para as Copas (obtido medindo o perímetro do busto abrangendo a parte mais proeminente do peito) que deve ser combinado com o Tamanho (obtido medindo o perímetro do busto logo abaixo do seio) para encontrar-se

a medida exacta do soutien (ver tabela no fim deste artigo).

Na escolha do Soutien verifica-se que o principal “erro” deriva do desconhecimento de que este é um tipo de peça que exige um certo grau de auto-conhecimento, o qual não é tão necessário na compra duma peça exterior. Devido à função de modelar, a sua adaptação tem de ser perfeita em termos anatómicos.

A falta de conhecimento e de informação

ajudam a alimentar ideias pré-concebidas, frequentemente resultantes duma experiência negativa. A mais comum é a de que «os aros do soutien vincam…» ou que «provocam nódulos…». Não é bem assim: um Soutien com o Tamanho e Copa errados é que pode provocar desconforto e até magoar o peito. Neste caso, o problema atribui-se ao facto de vestir-se um Soutien maior do que o necessário para compensar o facto de que

a Copa não tem a profundidade adequada.

Na realidade, os aros contribuem simplesmente para a estrutura de sustentação proporcionando um necessário grau de semi-rigidez. Se o Soutien tiver a medida correcta adaptar-se-á perfeitamente à anatomia do busto e os aros não representarão qualquer problema.

Conselhos:

1 - Aprenda a medir o seu tamanho e copa

de Soutien. Actualize a informação periodicamente, pois todos passamos por ligeiras mudanças morfológicas de que muitas vezes não nos damos conta.

2 - Imaginemos que a sua medida é 36 C:

em alguns pontos de vendas, é comum argumentarem de que um «36 C é igual a um 38 B». Não é verdade. Na realidade é provável que o peito “caiba” no Soutien, pois é um Tamanho maior, mas não proporcionará o grau de conforto e ajuste perfeito dado pelo Tamanho correcto combinado com a profundidade de Copa adequada.

E não compre se tiver a menor dúvida sobre o seu conforto.

É fácil suportar um ligeiro desconforto na cabine de provas,

especialmente se gostamos do modelo, mas o conforto absoluto

é fundamental se temos que o usar durante todo o dia. O Soutien

é uma peça que deve aumentar o seu conforto e não converter-se num inevitável suplício!

NÃO SOU GORDA!

A razão pela qual muitas mulheres usam Soutiens num tamanho

inferior ao seu, nem sempre está relacionada com deficiências na

informação, ou dificuldade em encontrar modelos na medida certa, mas sim a questões de ordem psicológica.

É frequente a dificuldade em “aceitar” para si tamanhos que

não se enquadrem no chamado ‘standard’. E é fácil ouvir uma

exclamação de surpresa, em jeito de negação, quando se diz a uma mulher que deve experimentar uma copa C, D ou superior. Reage perante uma Copa diferente da ‘standard’, que é a B, como se reage perante uns ‘quilinhos’ a mais provocados por algum excesso alimentar. As Copas C, e especialmente as superiores como a D ou a E, são erroneamente associadas

a “mulheres gordas” quando, pelo contrário, são cada vez mais

comuns, especialmente entre as mais jovens, dado a evolução

da morfologia da mulher em todo o mundo ocidental.

Conselhos:

1 - Uma modelo que publicita lingerie, por exemplo nas páginas

da CHICK, veste geralmente um 34C. Ter 2 ou 3 Tamanhos a mais que uma manequim profissional e uma Copa mais profunda não significa ter medidas “fellinianas”. Por outro lado, é absurdo vestir Tamanhos e/ou Copas inferiores às suas necessidades comprometendo a estética e o conforto.

ESCRAVA DA MODA OU AUSÊNCIA DE NOÇÃO ESTÉTICA

A falta de “noção estética” é mencionada pelos especialistas

como outra das principais causas que provocam erros na escolha do Soutien. Quando é acompanhada duma personalidade

que “decalca” em si própria tudo o que vê nos media ou na publicidade, o “cocktail” pode ser explosivo. Por “noção estética” entende-se a capacidade de auto-avaliar o que a valoriza esteticamente e ao mesmo tempo saber o que pode comprometer

a sua imagem.

Mas não saber auto-avaliar-se, em termos estéticos, com o propósito de tirar o melhor partido das suas virtudes

e tornar menos visíveis os próprios “defeitos”, não é um problema circunscrito ao sector da lingerie. Basta passear pelas ruas e observar, por exemplo, a enorme difusão de calças com cintura baixa vestida por mulheres cujas proporções ‘tronco-pernas’ “exigem” precisamente o inverso; para não falarmos dos ‘top’s’ feitos para no máximo exibir ventres planos e bem cuidados mas que vemos vestidos sem qualquer pudor em corpos que noutros tempos vestiriam uma ‘cinta’ para moldar a silhueta.

Mas voltando aos Soutiens, que são o tema deste artigo,

o principal “erro” é ignorar que esta é uma peça do vestuário

que pode ser avaliada sob dois critérios estéticos: O primeiro, visível quando o temos nas mãos e comprovamos a beleza duma

CHICK 57
CHICK 57

renda, encaixe, tecido estampado e adornos. E o segundo que só será visível uma vez vestido, ou melhor ainda quando experimentado com uma blusa ou outra peça exterior. Afinal, é a “arquitectura” do Soutien que faz com que se valorizem as formas do seio. Muitas mulheres não prestam a devida atenção ao segundo aspecto arriscando-se, não apenas, a desaproveitar o que um modelo bem estruturado lhe pode oferecer, como também a realizar uma escolha, que no balcão ou expositor, parece ser excelente mas que uma vez vestido mostra ser uma opção errada.

Quais os erros mais frequentes apontados pelos especialistas?

a) A escolha de modelos actualmente de moda, como por exemplo

os biquínis com o soutien em forma de “cortininha” ou triângulo, quando se tem uma profundidade de Copa que exige modelos estruturalmente mais elaborados.

b) O uso das inestéticas alças de silicone, quando existe uma

extensa oferta de modelos ‘balconet’ (cai-cai) que têm precisamente

a função de deixar os ombros livres e permitir o uso de grandes decotes.

c) A utilização errada: Soutiens não apropriados ao tipo de roupa

que se veste deixando vulgaríssimas alças à mostra, quando existem

modelos com alças multifunções, e alças estilisticamente aptas para serem combinadas com a roupa exterior.

A tão frequente má regulação das alças provocando o “efeito

mochila” (a parte de trás do Soutien fica excessivamente subida).

d) Talvez influenciadas pelos desfiles de moda, ou copiando

algumas famosas ‘pop stars’ que vestem Soutiens deploráveis, usa-se propositadamente uma ou duas medidas abaixo provocando uma compressão exagerada do peito. Esteticamente teremos, na melhor das hipóteses, o efeito visual dum peito a ponto de desbordar do Soutien; ou pior, o inestético efeito de “quebra” no seio.

O SOUTIEN É O PRODUTO MENOS INDICADO PARA SER COMPRADO SEM EXPERIMENTAR. COMPRAS “POR IMPULSO” DEVERIAM SER DEIXADAS SOMENTE PARA OS ARTIGOS QUE MENOS INCIDEM NO BEM-ESTAR DO CORPO

Conselho:

1 - Há uma máxima da Moda que diz que é elegante quem sabe

usar vestuário e os acessórios de moda adequados às próprias

características estéticas para se valorizar. Hoje, a Moda oferece soluções para praticamente todos os estilos, personalidades

e situações. Obviamente que em cada época há ‘trends’ muito

mediatizados e que parecem impossíveis de contornar – podemos voltar ao exemplo das calças de cintura baixa. Mas é fundamental fazer uma análise crítica de si própria: o que não a favorecer elimine da sua lista de compras.

2 - Um bom soutien é, metaforicamente falando, como uma

cirurgia estética que “se tira e põe”. Não hesite em perder algumas horas numa boa casa especializada. Experimente, prove modelos diferentes e ficará a saber o que mais a valoriza e, também, que há múltiplas opções para exibir uma aparência diferente, de acordo com o estado de espírito ou com o objectivo estético que se deseja alcançar.

A COMPRA POR IMPULSO CONSUMIDORA CAPRICHOSA OU CLIENTE DESCONFIADA?

A não ser que se tenha um peito pequeno,

para o qual o soutien tem apenas uma função de protecção e embelezamento, ou então se

queira realizar a compra dum produto “sexy”, pelo que não importa o conforto mas sim

o ‘show off’, o Soutien é o produto menos

indicado para ser comprado sem experimentar. Compras “por impulso” deveriam ser deixadas somente para os artigos que menos incidem no bem-estar do corpo.

Paradoxalmente, a compra por impulso acontece cada vez mais na corseterie. Provavelmente devido aos novos hábitos de consumo, às novas formas de relacionar-se com os produtos criadas pelas grandes cadeias de pronto-a-vestir, que se centram na eliminação das barreiras e na redução da intervenção de vendedores.

Hoje, representa um “choque” para muitas consumidoras a relação de dependência criada num ponto de venda especializado em moda íntima, principalmente para a faixa etária mais jovem que praticamente só frequenta lojas de cadeias e não está habituada a pedir o que quer, sentindo-se constrangida.

Por outro lado, as grandes cadeias têm

procurado levar o mesmo conceito de exibição

e atendimento do pronto-a-vestir à moda íntima

conquistando, em termos de soutiens, a fatia de consumidoras que tem menos exigências quanto à estruturação dos modelos. Naturalmente o Soutien não é uma T-shirt! Exige, no momento da selecção, um certo grau de informação e também de assistência.

O futuro será de quem consiga criar espaços

capazes de realizar um compromisso ideal

entre a necessidade de liberdade, relação directa com os produtos e um grau de assistência na venda muito mais completo

e profissional do que aquele que é

proporcionado actualmente pelas cadeias. Estes espaços começam a existir, criados pelos retalhistas mais dinâmicos, sejam eles independentes ou cadeias especializadas. Mas ainda são uma minoria.

ONDE COMPRAR?

Loja de Cadeia ou Loja Tradicional? Onde é “preferível” comprar um soutien? Esta poderia ser uma pergunta de uma hipotética consumidora, à qual procuramos

responder para terminar o artigo. A resposta torna-se óbvia: «depende da Cadeia». Existem aquelas que introduzem linhas de corseterie

como um mero complemento: são principalmente conhecidas pelas suas linhas de pronto-a-vestir

e aproveitam a imagem da marca e o espaço

comercial para vender também Soutiens. Em termos gerais, são produtos não estruturados

ou deficientemente estruturados, cuja qualidade não acompanha frequentemente o preço. Por outro lado, há cadeias especializadas, como Women’Secret ou Intimissimi, que têm uma oferta competitiva, ainda que bastante limitada no que se refere à oferta de Tamanhos e Copas,

e que, talvez devido a isso, encontram o seu

público dentro dum ‘target’ limitado de mulheres tendencialmente de faixas etárias mais jovens.

Sobre a ‘Loja Tradicional’ usaríamos exactamente a mesma resposta: «Depende da loja». Aqui, a avaliação é muito mais complexa já que cada ponto de venda é um caso singular. Em teoria, o ‘retalho especializado multimarcas’ (termo mais apropriado que ‘tradicional’) tem a desvantagem de estar formado por lojas de menor dimensão e menos evoluídas em termos de espaço e técnicas de exibição do que as cadeias. Mas contam com uma vantagem que é aproveitada de forma desigual pelos retalhistas: as melhores marcas em

design, qualidade de produto e variedade de oferta, vendem os seus produtos através deste canal. A segmentação de preços é muito ampla, partindo de valores equivalentes aos das cadeias e chegando até ao produto exclusivo, quase ‘haute couture’. Na faixa de 30 a 60 Euros o leque de oferta é enorme,

o que nem sempre se reflecte (para não dizer

quase nunca!) precisamente pela limitação de

espaço e porque o próprio canal atravessa um momento de profundas transformações no que

se refere à forma como está planeado o sortido

e apresentada a oferta.

Mas, enfim, como tirar partido dessa oferta que se diz enorme, mas que não o parece, pelo menos para quem precisa de produtos que não se enquadrem dentro dum standard? Apontamos alguns conselhos, que na prática tantas mulheres seguem para aproveitar toda

a variedade de oferta actual.

Localize um ponto de venda que considere possuir o tipo de marcas que lhe agrade em termos de estilo e faixa de preços; assim como lhe pareça ter um tipo de atendimento realmente profissional. Procure comprar, sempre que tiver oportunidade, no mesmo ponto de venda. Conseguirá assim estabelecer uma relação de

confiança que facilitará encontrar o que necessita. Peça ao retalhista, com o qual mantém uma relação de confiança, para lhe mostrar catálogos das marcas principais que compõem a

oferta do estabelecimento; há produtos de “reposição permanente” que as marcas produzem continuamente e que podem interessar-lhe, pois nem sempre é a mais recente novidade que aparece exposta

a que melhor responde às suas necessidades. Partindo do principio

de que não seja fácil para si encontrar o modelo que goste na sua medida, poderá descobrir que modelos existem nos Tamanhos

e Copas que necessita. No caso de não encontrarem tamanhos

disponíveis no ponto de venda, a sua lojista pode perfeitamente encomendá-lo directamente à marca.

Da mesma forma, pode pedir que lhe mostrem antecipadamente, através de catálogos e folhetos, as colecções da temporada seguinte. Pode igualmente pedir à sua retalhista que inclua nas suas encomendas um determinado modelo que lhe tenha agradado, garantindo que também nos artigos catalogados como de “Moda” (onde o surtido disponível nas lojas é menor e nem sempre há possibilidade de pedir à marca à posteriori pois não tem reposição) encontra exactamente o que quer em tons, medidas, etc.

Não tenha receio em explicar ao comerciante o quanto está disposta

a gastar por um Soutien. Nos Soutiens, sobretudo quando nos

referimos às gamas média e média-alta, a diferença de preço corresponde quase sempre a diferenças nos produtos, como materiais mais sofisticados ou simplesmente uma maior qualidade. No caso das cadeias, o ‘target-price’ é fácil de identificar, o que não acontece no retalho multimarcas que trabalha com marcas de segmentos muito diferentes, sendo que o comerciante pode perfeitamente apresentar as gamas que se situam dentro da faixa de preço que foi por si mesma definida.

Agradecemos a todos os profissionais do sector que nos ajudaram com o relato das suas experiências para a elaboração deste artigo: Cláudia Schreff, Responsável da Anita Portugal; Fernanda Couto da Figfort; Lola Bañon, Relações Públicas da Chantelle; Ina Rella, Responsável de Marketing da Triumph e Manuel Leiva, Designer da Vives Vidal. Afrodite, Ana & Cabral, Ardezia, Carolina & Pereira, Culotte, Delicata, Dora Lingerie, Ella Lingerie, Emília Ramos, Fatinela, Maria’s, Maria Rosa Barros, Maria Rosália Teixeira, Marlene Fernandes, Romina e Ruben no retalho especializado.

SOUTIENS - TAMANHO E EQUIVALÊNCIAS

Portugal

30

32

34

36

38

40

42

44

UK/EUA

30

32

34

36

38

40

42

44

Espanha

80

85

90

95

100

105

110

115

França

80

85

90

95

100

105

110

115

Europa

65

70

75

80

85

90

95

100

SOUTIENS - TIPO DE COPA

Contorno altura do mamilo - cm

Copa A

77-79

82-84

87-89

92-94

97-99

102-104

107-109

112-114

Copa B

79-81

84-86

89-91

94-96

99-101

104-106

109-111

114-116

Copa C

81-83

86-88

91-93

96-98

101-103

106-108

111-113

116-118

Copa D

83-85

88-90

93-95

98-100

103-105

108-110

113-115

118-120

Contorno debaixo do peito - cm

63-67

68-72

73-77

78-82

83-87

88-92

93-97

98-102

CHICK 59
CHICK 59