Você está na página 1de 20

Lajes Mistas

Lajes Mistas
Lajes Mistas

Exemplos de lajes mistas

Exemplos de lajes mistas
Exemplos de lajes mistas

Exemplos de utilização de lajes mistas

Estruturas novas

Reabilitação de estruturas

• Estruturas novas • Reabilitação de estruturas • Edifícios comerciais • Edifícios industriais •
• Estruturas novas • Reabilitação de estruturas • Edifícios comerciais • Edifícios industriais •

Edifícios comerciais

Edifícios industriais

Edifícios de escritórios

Armazéns logísticos

Parques de estacionamento

Habitação

Hospitais

• Edifícios de escritórios • Armazéns logísticos • Parques de estacionamento • Habitação • Hospitais
• Edifícios de escritórios • Armazéns logísticos • Parques de estacionamento • Habitação • Hospitais

Vantagens

Diminuição dos custos de construção

o

Ausência ou diminuição da armadura inferior

o

Ausência ou diminuição dos escoramentos

o

Ausência de cofragem

o

Ausência de espaço para armazenamento

o

Economia de tempo

Facilidade na aplicação

o

Chapas com o comprimento exacto

o

Fácil de movimentar e montar

o

Fácil de cortar e rectificar

o

Equipamento para fixação é leve

Diversas funções para a chapa perfilada

o

Cofragem da laje mista

o

Plataforma de trabalho segura

o

Pode trabalhar-se em vários pisos em simultâneo

o

Não escorre calda de cimento entre juntas

o

Travamento lateral das vigas

o

Diminuição do peso do pavimento

Flexibilidade

o

Pode ser combinada com todos os tipos de estrutura: metálica, betão, tijolo e madeira

o

Adaptabilidade a quaisquer geometrias e abertura

Tipos de chapa perfilada

Tipos de chapa perfilada Nervuras abertas Nervuras reentrantes Nervuras altas
Tipos de chapa perfilada Nervuras abertas Nervuras reentrantes Nervuras altas
Tipos de chapa perfilada Nervuras abertas Nervuras reentrantes Nervuras altas

Nervuras abertas

Nervuras reentrantes

Nervuras altas

Exemplos de chapa perfilada

10mm 46mm 50mm 225mm 300mm 10mm 10mm 80mm 60mm 300mm 333mm 15mm 15mm 55mm 55mm
10mm
46mm
50mm
225mm
300mm
10mm
10mm
80mm
60mm
300mm
333mm
15mm
15mm
55mm
55mm
300mm
300mm
5mm
51mm
51mm
40mm
73mm
152mm
150mm
140mm
187mm
55mm
59mm
51mm
51mm
163mm
170mm
150mm
150mm
80mm
53mm
77mm
73mm
172mm
150mm
210
110
150mm 140mm 187mm 55mm 59mm 51mm 51mm 163mm 170mm 150mm 150mm 80mm 53mm 77mm 73mm 172mm
150mm 140mm 187mm 55mm 59mm 51mm 51mm 163mm 170mm 150mm 150mm 80mm 53mm 77mm 73mm 172mm
150mm 140mm 187mm 55mm 59mm 51mm 51mm 163mm 170mm 150mm 150mm 80mm 53mm 77mm 73mm 172mm
150mm 140mm 187mm 55mm 59mm 51mm 51mm 163mm 170mm 150mm 150mm 80mm 53mm 77mm 73mm 172mm

Valores mais frequentes

Protecção contra a corrosão da chapa perfilada por galvanização com 275 g/m2 de zinco (20 µm);

Espessura da chapa perfilada compreendida entre 0.75 mm e 1.50 mm. Na maioria dos casos esta espessura situa-se entre 0.90 mm e 1.25 mm;

Altura das nervuras da chapa perfilada compreendida entre 38mm e 100 mm;

Para sobrecargas correntes os vãos são em geral:

o

Não escorada

3.0 m

o

Não escorada

5.0 m

(nervuras altas)

o

Escorada

5.0 m

Fabrico

Fabrico
Fabrico
Fabrico
Fabrico
Fabrico

A EN1994-1-1 só se aplica a chapa perfilada com:

b r

b

s

0,6

A EN1994-1-1 só se aplica a chapa perfilada com: b r b s ≤ 0,6

Tipos de ligação entre a chapa e o betão

Ligação por atrito (só para chapas com nervuras reentrantes)

por atrito (só para chapas com nervuras reentrantes) Ligação mecânica Ancoragem na extremidade (c onectores ou
por atrito (só para chapas com nervuras reentrantes) Ligação mecânica Ancoragem na extremidade (c onectores ou

Ligação mecânica

(só para chapas com nervuras reentrantes) Ligação mecânica Ancoragem na extremidade (c onectores ou chapa amolgada)
(só para chapas com nervuras reentrantes) Ligação mecânica Ancoragem na extremidade (c onectores ou chapa amolgada)

Ancoragem na extremidade (conectores ou chapa amolgada)

(só para chapas com nervuras reentrantes) Ligação mecânica Ancoragem na extremidade (c onectores ou chapa amolgada)
(só para chapas com nervuras reentrantes) Ligação mecânica Ancoragem na extremidade (c onectores ou chapa amolgada)

Disposições construtivas

Tema de

   

Aplicação

 

Regra

 

Esquema Representativo

 
 

A espessura da laje mista não deve ser menor que 80,0mm e a espessura da lâmina de betão situada acima das nervuras deverá ser maior ou igual a 40,0mm. (EC4 9.2.1 (1))

P40,0mm P40,0mm
P40,0mm
P40,0mm

P80,0mm

Espessura da

P80,0mm

laje

Caso a laje mista funcione como um diafragma ou esteja a funcionar como banzo

P 50,0mm P 50,0mm
P 50,0mm
P 50,0mm

P90,0mm

de

uma viga mista (solidarizada com o perfil

metálico) os valores da alínea anterior devem ser aumentados de 10,0mm.

 

(EC4 9.2.1 (2))

P90,0mm

     
b 0
b
0
b 0
b
0

h

c

h p

Dimensão dos

 

A dimensão dos inertes não deverá ultrapassar o menor de: 0,4h c , b 0 /3 e

inertes

31,5mm.

(EC4 9.2.2 (1))

h

c

 

h

p

/2

h

p

Tema de

Aplicação

Regra

Esquema Representativo

Armadura ordinária deverá ser colocada na lâmina de betão acima das nervuras. A área desta não deverá ser inferior a 80mm 2 /m. (EC4 9.2.1 (3) e (4))

Armaduras

ordinárias

A percentagem de armadura mínima de uma laje mista a actuar como diafragma não deverá ser menor que 0,2% em ambas as direcções. Esta área de armadura terá de ser somada à armadura principal.

> min (2h ; 350mm)

P min (2h ; 350mm) h
P min (2h ; 350mm)
h

O espaçamento dos varões

não deverá exceder o mínimo dos dois seguintes valores:

dobro da altura da laje e

350,0mm.

Disposições construtivas

Tema de

Aplicação

Regra

Esquema Representativo

Suporte da

chapa nos

apoios

Os comprimentos de apoio de cada chapa perfilada sobre os apoios definitivos deverão ser maiores ou iguais a:

l bc =75,0mm e l bs =50,0mm (apoios de aço ou betão);

l bc =100,0mm e l bs =70,0mm (apoios constituídos por outros materiais);

(EC4 9.2.3 (2))

Nota: l bc e l bs são, respectivamente, os comprimentos de apoio do betão e da chapa perfilada constituintes da laje mista.

l bs

l bc l bs l bs l bc l bs l bs l bc
l bc
l
bs
l bs
l
bc
l bs
l
bs
l
bc
de apoio do betão e da chapa perfilada constituintes da laje mista. l bs l bc
de apoio do betão e da chapa perfilada constituintes da laje mista. l bs l bc
de apoio do betão e da chapa perfilada constituintes da laje mista. l bs l bc

Montagem

Parafusos de fixação

Montagem Parafusos de fixação Mínimo • 2 parafusos por painel de chapa em cada extremidade; •

Mínimo

Montagem Parafusos de fixação Mínimo • 2 parafusos por painel de chapa em cada extremidade; •

2 parafusos por painel de chapa em cada extremidade;

Distância mínima dos parafusos à extremidade da chapa 50 mm.

Elementos de bordadura e atravessamento por pilares

• Distância mínima dos parafusos à extremidade da chapa 50 mm. Elementos de bordadura e atravessamento
• Distância mínima dos parafusos à extremidade da chapa 50 mm. Elementos de bordadura e atravessamento

Fitas e fechamentos

Fitas e fechamentos A berturas e negativos

A berturas

e negativos

Fitas e fechamentos A berturas e negativos
Fitas e fechamentos A berturas e negativos
Fitas e fechamentos A berturas e negativos

Situações a considerar

Chapa perfilada funcionando como cofragem (EN1993)

o

Escorada

o

Não escorada

o

Verificação em relação aos ELU

o

Verificação em relação aos ELS

Laje mista (EN1994)

o

Simplesmente apoiada

o

Contínua

o

Verificação em relação aos ELU

o

Verificação em relação aos ELS

Acções

Chapa perfilada funcionando como cofragem

o

Peso da chapa

o

Peso do betão

De acordo com a EN1991-1-1, Anexo A – Tabela A.1:

 

o peso volúmico do betão (γ) é de 24 kN/m 3

aumentar de 1kN/m 3 para percentagem normal de aço em

betão armado e pré-esforçado

aumentar de 1kN/m 3 para betão fresco

o

Cargas de armazenamento

o

Sobrecargas de construção (EN1991-1-6) (4.11.1 (3))

Carga uniforme de1 kN/m2 representando o peso de operários e pequeno equipamento

o Cargas de construção durante a betonagem (EN1991-1-6) (4.11.2)

0,75KN/m 2

0,75KN/m 2

Momento no vão [m] 3,0 x 3,0 Esforço transverso e momento no apoio [m] 3,0
Momento no vão
[m]
3,0 x 3,0
Esforço transverso e momento no apoio
[m]
3,0 x 3,0

2

min ( 0,75KN/m ; 10pp

2

min ( 0,75KN/m ; 10pp

betão

betão

)

)

A carga localizada na área de 3,0 x 3,0m (ou a área total do painel de laje caso este seja menor) tem o objectivo de considerar o equipamento e o acumular do betão na zona imediatamente por baixo da bomba.

Considera-se que estas cargas incluem a carga de construção de 1 kN/m2.

Recomendações durante a betonagem

Restringir a equipa a 4 elementos;

Depositar o betão o mais próximo possível do pavimento;

Evitar as acumulações/ montes de betão;

É recomendável a utilização de betão bombeado;

O betão deve ser moderadamente vibrado

montes de betão; • É recomendável a utiliz ação de betão bombeado; • O betão deve
montes de betão; • É recomendável a utiliz ação de betão bombeado; • O betão deve

o Efeito de “poça”

O efeito de poça consiste no aumento da espessura de betão sobre a chapa perfilada devido à deformação desta por flexão. O aumento da espessura causa um aumento da carga sobre a chapa perfilada ao longo do vão.

Para a verificação do efeito de “poça” utiliza-se o peso da chapa mais o peso do betão húmido afectado dos coeficientes utilizados para a verificação dos ELS.

Se δ < h

/ 10 não é necessário co

nsiderar o efeito de “poça”

h

não é necessário co nsiderar o efeito de “poça” h • δ é a fle cha

δ é a fle cha a meio vão da chapa

S e δ > h / 10 é necessário considerar o efeito de “poça”, através da consideração

de uma carga distribuída equivalente a uma altura de betão d e 0,7δ.

A cções

Laje mista

o

Acções de acordo com a EN1991-1-1.

……

Enchimentos

Tectos falsos

Tubagens suspensas

Remoção das escoras (se necessário) ……

o

Nos cálculos de verificação em relação ao estado limite último, poderá admitir-se que a totalidade das cargas actua na laje mista, desde que esta hipótese também seja considerada no cálculo do corte longitudinal.