Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética

EDIFÍCIOS DE BAIXO CONSUMO COM SISTEMAS ACTIVOS DE ELEVADA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

20 de Maio de 2010

EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES

COMPONENTE PASSIVA DO EDIFÍCIO OPTIMIZADA

COMPONENTE DOS SISTEMAS ACTIVOS OPTIMIZADA

1

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética

EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES
•COMPONENTE PASSIVA REDUÇÃO DOS CONSUMOS ENERGÉTICOS DO EDIFÍCIO EM 40 % •COMPONENTE ACTIVA REDUÇÃO DOS CONSUMOS ENERGÉTICOS DO EDIFÍCIO EM 20%

EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES
SISTEMAS ACTIVOS EFICIENTES EM EDIFÍCIOS SEM A COMPONENTE PASSIVA ESTAR OPTIMIZADA RESULTA EM EDIFÍCIOS NÃO EFICIENTES

ACTUALIDADE

EDIFÍCIOS HIBRIDOS

2

ARREFECIMENTO COM FONTE DE ÁGUA NATURAL EXEMPLO: RIO. LAGO. MINI EÓLICAS. RECUPERAÇÃO DE CALOR NAS UNIDADES DE TRATAMENTO DE AR. PAINÉIS FOTOVOLTAICOS. BIOMASSA. SISTEMA DE ARREFECIMENTO CENTRALIZADO. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIÊNTES SISTEMAS ACTIVOS DE ELEVADA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AQUECIMENTO DAS ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS COM PAINÉIS SOLARES. 3 .Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES TECNOLOGIAS DE RACIONALIZAÇÃO DE CONSUMO DE ENERGIA COMPONENTE PASSIVA OPTIMIZADA. SUPERFICIES RADIANTES. PRODUÇÃO DE CALOR E ELECTRICIDADE CENTRALIZADO. ARREFECIMENTO POR FREE COOLING. CHILLER DE ABSORÇÃO COM PAINÉIS SOLARES. SISTEMA DE ARMAZENAMENTO DE ENERGIA SOLAR TÉRMICA NO SOLO PARA AQUECIMENTO AMBIENTE CENTRALIZADO. RECUPERAÇÃO DE CALOR DO CHILLER. MINI HIDRICA. BOMBAS DE CALOR GEOTÉRMICAS.

Analisar as interacções entre todos os componentes do sistema. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES EFICIÊNCIA AMBIENTAL E IMPACTE AMBIENTAL 4 . para dimensionar os equipamentos. Estabelecer um programa de manutenção regular para todos os equipamentos de aquecimento e de refrigeração. Avaliar a substituição dos equipamentos ineficientes antigos por novos equipamentos d elevada eficiência.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES Determinar correctamente as cargas térmicas dos edifícios. i t de l d fi iê i Considerar estratégias alternativas para a produção de energia térmica de aquecimento e de refrigeração.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES TECNOLOGIAS DE RACIONALIZAÇÃO DE CONSUMO DE ENERGIA 5 .

por meios naturais. é o tipo de Arquitectura que dá especial atenção aos aspectos da adaptação da construção. SISTEMAS DE AQUECIMENTO PASSIVO: 6 . ao clima do local.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES COMPONENTE PASSIVA OPTIMIZADA Arquitectura solar passiva ou Arquitectura Bioclimática. SISTEMAS DE AQUECIMENTO PASSIVO: SUL INCIDÊNCIA SOLAR DIRECTA INCIDÊNCIA SOLAR INDIRECTA OU DESFASADA INCIDÊNCIA SOLAR ISOLADA EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES COMPONENTE PASSIVA OPTIMIZADA NO VERÃO DIMINUIR A TRANSFERÊNCIA DE CALOR PARA O INTERIOR DO EDIFÍCIO COM PROTECÇÕES SOLARES EXTERIORES. E PROMOVER A VENTILAÇÃO NOCTURNA.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES COMPONENTE PASSIVA OPTIMIZADA SISTEMAS DE ARREFECIMENTO PASSIVO: EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES ARMAZENAMENTO DE ENERGIA SOLAR TÉRMICA NO SOLO 7 .

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES ARREFECIMENTO COM FONTE DE ÁGUA NATURAL EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES RECUPERAÇÃO DE CALOR NAS UNIDADES DE TRATAMENTO DE AR 8 .

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES RECUPERAÇÃO DE CALOR NO CHILLER EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SISTEMA DE ARREFECIMENTO CENTRALIZADO 9 .

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES PRODUÇÃO DE CALOR E ELECTRICIDADE CENTRALIZADO EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SISTEMAS ACTIVOS DE ELEVADA EFICIENCIA ENERGÉTICA 10 .

ainda. economicamente competitivos quando comparados com os sistemas eléctricos ou a gás.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES AQUECIMENTO DAS ÁGUAS QUENTES SANITÁRIAS COM PAINÉIS SOLARES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES CHILLER DE ABSORÇÃO COM PAINÉIS SOLARES Apesar de existir um grande potencial de mercado para as tecnologias de arrefecimento solar. os sistemas já existentes não são. principalmente devido ao elevado investimento que os sistemas de arrefecimento solares acarretam e ao baixo preço da energia utilizada nos sistemas clássicos. 11 .

de uma área colectora significativa (acima dos 300 m2). para ser competitivo. 12 .Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES CHILLER DE ABSORÇÃO COM PAINÉIS SOLARES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES CHILLER DE ABSORÇÃO COM PAINÉIS SOLARES O chiller de absorção solar necessita.

Estas unidades para serem q p qualificadas com uma nova especificação “ENERGY p ç STAR” que entrou em vigor em 1 de Dezembro de 2009. As bombas de calor geotérmicas em circuito fechado têm EERs elevados (30) e COP. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES BOMBAS DE CALOR GEOTÉRMICAS 13 .s também elevados (5). Em média. Esta nova especificação permite que as bombas de calor geotérmicas do tipo “águaágua” serem imediatamente elegíveis.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES BOMBAS DE CALOR GEOTÉRMICAS A utilização do solo como armazenamento de energia térmica sazonal é a forma mais eficiente de utilização do solo como fonte de calor e frio. devem ter pelo menos um EEE de 14. 3.1 e um COP de 3. a ENERGY STAR qualifica produtos que sejam 45% energeticamente mais eficientes.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES BOMBAS DE CALOR GEOTÉRMICAS EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES BIOMASSA 14 .

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES BIOMASSA EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES BIOMASSA 15 .

de um lago ou até rio da água do mar.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES A temperatura de um tecto radiante é de 16 ºC. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES 16 . o que é compatível com a temperatura da água de um furo artesiano. sem haver necessidade de chiller. da água de um rio.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES T IP O S D E T E C T O S R A D IA N T E S T te c to = 1 6 ºC L A JE S T E M P E R A D A S T p a re d e = 2 2 ºC F O N T E S D E C A LO R M A L H A S D E P O L IP R O P IL E N O T E C T O S M E TÁ L IC O S SUSPENSOS 17 .

º NORMAN FOSTER 18 .Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES C0MMERZBANK HEAQUARTERS FRANKFURT EDIFÍCIO COM 43 ANDARES EQUIPADO COM 15.000 m2 DE TECTOS RADIANTES ARREFECIDOS ARQ.

Esta água metros refrigerada vinda dos furos. é utilizada a temperatura da água subterrânea (16 ºC) através de furos artesianos com uma profundidade compreendida entre 125 e 410 metros. EDIFÍCIO GLA – Londres. reduzindo a procura do abastecimento de água convencional. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES 19 . circula através dos elementos estruturais do edifício (tectos. paredes e pavimentos) sem necessidade de utilizar sistemas mecânicos de refrigeração.º Norman Foster Para o arrefecimento do edifício. Arq.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES COMBINAÇÃO DE CLIMATIZAÇÃO RADIANTE COM FUROS ARTESIANOS. Depois de circular. as águas subterrâneas são utilizadas nas instalações sanitárias.

(a l) A zona correspondente a Portugal Continental é praticamente toda do tipo D (verde). [DanishAssoc]. identificando-se apenas pequenas faixas costeiras do oeste e do sul como sendo do tipo C (laranja). 20 . Mapa dos recursos do vento a 50 (45) metros acima do nível do chão Regiões mais ventosas .roxo e vermelho) O norte de Itália e o sul de França não são favorecidos em termos do recurso eólico (azul).Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES SUPERFICIES RADIANTES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES MINI EÓLICAS Alas Europeu do vento.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES MINI EÓLICAS EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES MINI EÓLICAS 21 .

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES FOTOVOLTAICOS EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES COMPARAÇÃO DOS CONSUMOS ANUAIS DE ENERGIA ENTRE OS EDIFÍCIOS BIOCLIMÁTICOS E OS TRADICIONAIS 22 .

K.85 W/m2. IEE = CONSUMO ANUAL ESPECÍFICO DE ENERGIA = 40 kWh/m2 23 .Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES EXEMPLOS DE CASAS EFICIENTES EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES “CASAS EFICIENTES” SUPER ISOLAMENTO: COBERTURA 480 mm PAREDES 430 mm VIDROS TRIPLOS COM KRIPTON U=0.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES “CASAS EFICIENTES” 20 CASAS TÉRREAS COM 120m2 CADA. CUSTO DE CADA CASA = 200. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES A CASA ECOLÓGICA OXFORD PAINEIS FOTOVOLTAICOS NO TELHADO – 4 kW. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Ã DE ELEVADA MASSA TÉRMICA. BOA VEDAÇÃO CONTRA INFILTRAÇÕES. OS CUSTOS EXTRA DOS ECO-SISTEMAS IGUALAM O CUSTO DOS SISTEMAS DE AQUECIMENTO. 5 m2 DE ENERGIA SOLAR TÉRMICA.000 EUROS. JANELAS COM VIDRO TRIPLO 24 .

PEQUENA SALAMANDRA A LENHA 25 .K. FUNDAÇÕES EM CAL COM REBOCO. ENERGIA FOTOVOLTAICA.95 W/m2. PEQUENA SALAMANDRA A LENHA PARA AQUECIMENTO. 52% DA ENERGIA CONSUMIDA É DE ORIGEM SOLAR EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES CASAS SUPER ISOLADAS. E SOLAR TÉRMICA. ESTRUTURA EM MADEIRA DE CARVALHO. SOLÁRIO INTEGRAL. VIDROS COM UM COEFICIENTE GLOBAL DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR U=0.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES A CASA SOUTHWELL CASA SUPER ISOLADA. Ç BOA VEDAÇÃO CONTRA INFILTRAÇÕES.

ENERGIA FOTOVOLTAICA E EÓLICA.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES PROJECTO HABITACIONAL HOCKERTON. SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTOS. EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES PROJECTO URBANO DE BAIXO CONSUMO E ELEVADA DENSIDADE 26 . ISOLAMENTO COM 300mm DE ESPUMA DE POLIURETANO. SISTEMA SOLAR PASSIVO ISOLADO COM TERRA. SEM SISTEMA DE AQUECIMENTO.

BOA VEDAÇÃO CONTRA INFILTRAÇÕES.Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES CASAS SEM SISTEMA DE AQUECIMENTO. 27 . VENTILAÇÃO MECÂNICA COM RECUPERAÇÃO DE CALOR NO AR DE EXTRACÇÃO – 80% DE EFICIÊNCIA EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES ISOLAMENTO DO EDIFÍCIO PELO EXTERIOR. 225 APARTAMENTOS EQUIPADOS COM 750m2 de COLECTORES SOLARES TÉRMICOS PARA AQUECIMENTO DAS ÁGUAS DE CONSUMO. REDUÇÃO DOS CONSUMOS DE ENERGIA EM 40%. REDUÇÃO DE 600 EUROS/m2 (25 a 35%) NO CUSTO DOS NOVOS APARTAMENTOS. VIDROS COM U= 0. SUPER ISOLADAS– 4OOmm.8 W/m2.K.

Congresso LiderA 2010 ‐ Edifícios de baixo  consumo com sistemas activos de elevada  eficiência energética EDIFÍCIOS ENERGÉTICAMENTE EFICIENTES PROJECTO FEITO POR 18 ARQUITECTOS. FIM 28 . EDIFÍCIO ENERGETICAMENTE AUTO-SUFICIENTE COM UM AEROGERADOR DE 2. SISTEMA DE AQUECIMENTO CENTRALIZADO 20% POR ENERGIA SOLAR TÉRMICA E 80% POR BOMBAS DE CALOR GEOTÉRMICAS.4 MW. IEE = CONSUMO ANUAL ESPECÍFICO DE ENERGIA INFERIOR A 105 kWh/m2. LIGADO Á REDE PÚBLICA.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful