Você está na página 1de 4

CAPÍTULO 1

CONCEITOS BÁSICOS

1.1. Conceito

13

Precipitação é a água proveniente do vapor d’água da atmosfera, que

chega a superfície terrestre, sob a forma de: chuva, granizo, neve, orvalho, etc. Para as condições climáticas do Brasil, a chuva é a mais significativa em termos de volume.

A precipitação ocorre quando grandes massas de ar úmido atingem

altitudes elevadas devido a convecção, a invasão de massas quentes e frias uma sobre a outra ou devido a forçagem orográfica. O resfriamento noturno devido à perda de radiação provoca orvalho e geada, mas não esfria massas de ar o suficiente para provocar chuva ou neve.

1.2. Formação das chuvas

A umidade atmosférica é o elemento básico para a formação das

precipitações. A formação da precipitação segue o seguinte processo: o ar úmido das

camadas baixas da atmosfera é aquecido por condução, torna-se mais leve que o ar das vizinhanças e sofre uma ascensão adiabática. Essa ascensão do ar provoca um resfriamento que pode fazê-lo atingir o seu ponto de saturação.

A partir desse nível, há condensação do vapor d’água em forma de

minúsculas gotas que são mantidas em suspensão, como nuvens ou nevoeiros. Essas gotas não possuem ainda massa suficiente para vencer a resistência do ar,

14

sendo, portanto, mantidas em suspensão, até que, por um processo de crescimento, elas atinjam tamanho suficiente para precipitar.

1.3. Tipos de chuva

As chuvas são classificadas de acordo com as condições em que ocorre a ascensão da massa de ar.

1.3.1 Chuvas frontais

São causadas por ar quente invadindo ar frio ou vice-versa. O ar quente é forçado para cima, provocando precipitações de duração longa e sobre áreas extensas. No Brasil predominam as frentes frias provindas do sul:

- É de fácil previsão (é só acompanhar o avanço da frente);

- É de longa duração, intensidade baixa ou moderada, podendo causar abaixamento da temperatura;

- Interessam em projetos de obras hidrelétricas, controle de cheias regionais e navegação.

Interessam em projetos de obras hidrelétricas, controle de cheias regionais e navegação. Figura 1.3.1: Chuvas frontais

Figura 1.3.1: Chuvas frontais

1.3.2 Chuvas orográficas

15

É causada por ar úmido sendo forçado para cima por uma barreira física, como as montanhas de uma linha costeira (serra do mar, por exemplo).

- As chuvas são localizadas e intermitentes;

- Possuem intensidade bastante elevada;

- Geralmente são acompanhadas de neblina.

elevada; - Geralmente são acompanhadas de neblina. Figura 1.3.2: Chuvas orográficas 1.3.3 Chuvas convectivas

Figura 1.3.2: Chuvas orográficas

1.3.3 Chuvas convectivas (“chuvas de verão”)

São causadas por aquecimento solar diferencial do solo e camadas de ar mais baixas (principalmente no fim do verão). Células convectivas vão de 25 a 30 km 2 , mas a intensidade de chuva pode ser elevada, pois as nuvens vão até 15 km ou mais (granizo se forma nestas elevações).

- A brusca ascensão promove um forte resfriamento das massas de ar que se condensam quase que instantaneamente.

- Ocorrem em dias quentes, geralmente no fim da tarde ou começo da noite;

- Podem iniciar com granizo;

- Podem ser acompanhadas de descargas elétricas e de rajadas de vento;

- Interessam às obras em pequenas bacias, como para cálculo de bueiros, galerias de águas pluviais, etc.

16

16 Figura 1.3.3: Chuvas convectivas 1.4 Medidas de precipitação - Quantifica-se a chuva pela altura de

Figura 1.3.3: Chuvas convectivas

1.4 Medidas de precipitação

- Quantifica-se a chuva pela altura de água caída e acumulada sobre uma superfície plana.

- A quantidade da chuva é avaliada por meio de aparelhos chamados pluviômetros e pluviógrafos.

- Grandezas características das medidas pluviométricas:

Altura pluviométrica: mediadas realizadas nos pluviômetros e expressas em mm. Significado: lâmina d’água que se formaria sobre o solo como resultado de uma certa chuva, caso não houvesse escoamento, infiltração ou evaporação da água precipitada. A leitura dos pluviômetros é feita normalmente uma vez por dia às 7 horas da manhã. Duração: período de tempo contado desde o início até o fim da precipitação, expresso geralmente em horas ou minutos.

altura

pluviométrica e a duração da chuva expressa em mm/h ou mm/min. Uma chuva de 1mm/ min corresponde a uma vazão de 1 litro/min afluindo a uma área de 1 m 2 .

Intensidade

da

precipitação:

é

a

relação

entre

a