Você está na página 1de 27

INTRODUÇÃO AO

ESTUDO DA ECOLOGIA
ECOLOGIA
É O RAMO DA BIOLOGIA QUE ESTUDA
OS SERES VIVOS E SUAS RELAÇÕES

SER VIVO SER VIVO

SER VIVO MEIO AMBIENTE


NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO
CÉLULA TECIDO ÓRGÃO/SIST. INDIVÍDUO
Citologia Histologia Anatomia Espécie

COMUNIDADE POPULAÇÃO
Conjunto de populações Conjunto de indivíduos
que habitam um mesma de uma mesma espécie
área/volume área/volume

ECOSSISTEMA BIOSFERA
Biocenose Conjunto de
(Comunidade) Ecossistemas
+ do planeta Terra
Biótopo
A Ecologia se divide em:
ALELOBIOSE (divide-se em Cenobiose e Aloiobiose)
ECOBIOSE

ALELOBIOSE ao relacionamento dos seres vivos entre si.


Quando o relacionamento é entre indivíduos de mesma
espécie denominamos de Cenobiose e quando envolve
indivíduos de espécies diferentes usamos o termo
Aloiobiose.

Exemplos:
- Cenobiose: formigas no formigueiro, abelhas na colméia,
um casal em um quarto, etc.
- Aloiobiose: bactérias no estâmago dos ruminantes,
parasitas no seu intestino, etc.

ECOBIOSE: é o relacionamento dos seres vivos com o


meio ambiente.
OUTROS CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Habitat Nicho ecológico

Local comum (endereço) Profissão (papel)


SAVANA zebras, HERBÍVOROS
elefantes, girafas, etc. Muito específico quando
muito próximo gera
competição
POPULA ÇÃO
 Em Biologia define-se como um grupo de indivíduos que
acasalam uns com os outros, produzindo descendência.

DINÂMICA POPULACIONAL
 É o estudo das variações de natalidade e mortalidade;
imigração e emigração das populações. Numa população
animal (como no Brasil), são os seguintes os fatores que
alteram os seus números:
Taxas de: Natalidade, Mortalidade, Imigração e Emigração

DENSIDADE POPULACIONAL
 É a medida expressa pela relação entre a população e a
superfície do território geralmente aplicada a seres
humanos, mas também em outros seres vivos (comumente,
animais). É geralmente expressa em número de habitantes
pela área/volume ocupado (m2/m3)
CADEIA ALIMENTAR E NÍVEL TRÓFICO
É a transferência de energia em sentido unidirecional,
passando por vários níveis tróficos, desde o produtor até
o último consumidor.

CONSUMIDOR
TERCEÁRIO
CONSUMIDOR
SECUNDÁRIO CONSUMIDOR
QUATERNÁRIO

CONSUMIDOR
PRIMÁRIO PRODUTORES
TEIA ALIMENTAR Consumidor
secundário,
terciário ou
Consumidor quaternário
terciário Consumidor
secundário
Consumidor
primário
e secundário
Consumidor
Consumidor primário
primário

Produtor
Produtor

Decompositores
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Pirâmides de Números
 Representa a quantidade de indivíduos em cada nível
trófico da cadeia alimentar proporcionalmente à quantidade
necessária para a dieta de cada um desses.

Cobra
Pardal Parasitas
Gafanhoto Cupins
Capim Árvore
Pirâmide normal Pirâmide invertida
PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Pirâmides de Biomassa
 Relaciona a quantidade de matéria orgânica disponível em
cada nível trófico por unidade de área, em um determinado
momento.. O exemplo abaixo se refere ao período de um ano:

Homem=7OKg

Boi=1t ZOOPLÂNCTON= 20g/m²

Alfafa=8t FITOP.=4g/m²

Pirâmide normal Pirâmide invertida


PIRÂMIDES ECOLÓGICAS
Pirâmides de energia
 Retrata, para cada nível trófico, a quantidade de energia
acumulada, em uma determinada área ou volume, em um intervalo
de tempo. Dessa forma, representa a produtividade do ambiente em
questão.
Energia
dissipada
em forma
Cons.Sec. de calor

Cons. Prim.

Produtor

Observação  Não existe pirâmide invertida


neste caso.
COMPONENTES ABIÓTICOS
DE UM ECOSSISTEMA
Fatores Abióticos
 São os fatores do meio ambiente
que atuam nos seres vivos.

Importância:
LUZ
 Fotossíntese

 Fotoperiodicidade Fotófilos

Classificação:

Fotófobos
TEMPERATURA

 Temperaturavariável = PECILOTÉRMICOS
Classificação:
 Temperatura constante = HOMEOTÉRMICOS

“Lembrar”- Cada ser possui uma temperatura ótima


de sobrevivência para o seu metabolismo.

ÁGUA
Adaptações:
Armazenamento de água
Urina pouco
Fezes secas
Ausência ou baixa quantidade de glândulas sudoríparas
Raízes longas, folhas com a forma de espinhos
PRESSÃO
Suportam grandes variações
 EURÍBAROS =
Classificação:
 ESTENÓBAROS = Não suportam variações

“Não esqueça”- Ao nível do mar a pressão normal é de 1


atm. Se subimos ela diminui, se afundamos ela aumenta.

EURÍBAROS ESTENÓBAROS
SALINIDADE
 SUPORTAM GRANDES VARIAÇÕES =EURÍALINOS
Classificação:
 NÃO SUPORTAM VARIAÇÕES = ESTENÓALINOS

ESTENÓALINOS

PIRANHAS
SALINIDADE
EURIALINOS

CATÁDROMO
LAMPRÉIAS E ENGUIAS

ANÁDROMO
RIO SALMÃO E TAINHA MAR
TIPOS DE RELAÇÕES

Intraespecíficas
Harmônicas
(+/+) ou (+/0)
Interespecíficas

Intraespecíficas
Desarmônicas
(+/-) ou (-/-)
Interespecíficas
RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRA-ESPECÍFICAS

COLÔNIAS SOCIEDADE

Rainha,
operárias
Physalia sp. e zangões
RELAÇÕES HARMÔNICAS INTERESPECÍFICAS

MUTUALISMO PROTOCOOPERAÇÃO

Líquens Bem-te-vi
Alga (alimento) (Nutre-se)
+ +
Fungo (proteção) Rinoceronte
(defende-se)
RELAÇÕES HARMÔNICAS INTERESPECÍFICAS

COMENSALISMO INQUILINISMO

Tubarão Pepino do mar


+ (Casa)
Rêmora +
Fieraster
(inquilino)
RELAÇÕES HARMÔNICAS INTERESPECÍFICAS

EPIFITISMO FORESIA

Orquídeas Cracas
e e
Árvores Siri
RELAÇÃO DESARARMÔNICA INTRA-ESPECÍFICA

CANIBALISMO

Fatores que influenciam: STRESS, ESPAÇO, COMPETIÇÃO e ALIMENTO

Tubarões Coelhos
RELAÇÕES DESARMÔNICAS INTERESPECÍFICAS

PREDATISMO PARASITISMO

Endoparasita = Lombriga

Guepardo Ectoparasita = Carrapato


e
Antílope
RELAÇÕES DESARMÔNICAS INTERESPECÍFICAS

AMENSALISMO

ESCLAVAGISMO

Formiga + Pulgão

Coníferas (Pinus)
ADAPTAÇÕES

CAMUFLAGEM
Quando o animal se confunde com o ambiente

Camaleão Polvo
Urso polar
Cuidado: o grilo realiza camuflagem e mimetismo.
ADAPTAÇÕES

MIMETISMO
Quando indivíduos de uma espécie parecem de outra

BATESIANO
imita um maior
ou + perigoso

Defensivo

MÜLERIANO
utiliza maus odores