Você está na página 1de 67

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Instituto de Ciências Exatas


Depto. de Química

Aula 7: Educação Ambiental

Profa. Lilian Silva


2018
Educação Ambiental
“A contaminação do solo por resíduos não é um fenômeno exclusivo
dos tempos modernos”

Na época dos romanos, foram escavados minérios para extração


de metais, que foram refinados por fusão, poluindo os territórios
próximos com resíduos provenientes das minas

A produção de materiais e produtos químicos na Europa,


mesmo no começo da revolução industrial, causou considerável
poluição
“Contudo, a extensão da contaminação e o risco dos materiais
descartados têm se expandido grandemente no século 20,
particularmente a partir da Segunda Guerra Mundial”

 Existem, somente nos Estados Unidos, mais de 50 mil locais contendo


resíduos perigosos e talvez 300 mil tanques subterrâneos de
armazenagem que apresentam vazamentos (2002)
Educação Ambiental
 Por muitos anos a disposição de resíduos diretamente nos solos era
considerado uma prática aceitável

Até então se acreditava que os produtos gerados pela decomposição do


resíduo eram completamente dissolvidos no solo e não apresentava uma
ameaça de contaminação

Após vários estudos sobre as propriedades de periculosidade do resíduo, à


saúde e o meio ambiente

Perceberam que os produtos gerados poderiam causar danos ao solo, recursos


hídricos e a saúde humana
Educação Ambiental
O percolado, popularmente conhecido como chorume, é
altamente poluente

Chorume é um caldo escuro e ácido, de cheiro típico e desagradável,


proveniente da decomposição da matéria orgânica depositada nos
grandes lixões e nos aterros sanitários

 O chorume é proveniente das reações e processos físicos, químicos e


biológicos do lixo, juntamente com a água da chuva que se acumula no
local onde o lixo está depositado
Educação Ambiental
 Preocupados com a contaminação da água subterrânea alguns
estudos foram desenvolvidos para evitar a disposição do lixo em locais
inadequados, que possam causar contaminação do meio ambiente

 Como resultados de várias pesquisas nesse campo, os resíduos foram


classificados em duas categorias: perigosos e não perigosos
 A principal classificação dos resíduos sólidos no Brasil é a registrada
na NBR 10.004/04 da ABNT, que divide esses substratos por categorias
que levam em consideração seus riscos potenciais para o meio ambiente
e a saúde pública

 Os resíduos podem estar no estado sólido ou semissólido e,


conforme a norma, ser provenientes de atividades de origem industrial,
doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e de varrição
Educação Ambiental
Conceito de Periculosidade segundo a ABNT (NBR 10.004:
2004):

Conceitua a periculosidade de um resíduo como uma característica


apresentada por um resíduo, que, em função de suas propriedades
físicas, químicas ou infecto-contagiosas, pode apresentar:

a)risco à saúde pública, provocando ou acentuando, de forma


significativa, um aumento de mortalidade por incidência de doenças

e ou

b)riscos ao meio ambiente, quando o resíduo é manuseado ou


destinado de forma inadequada
Educação Ambiental
 Segundo a NBR 10004:2004 os resíduos são classificados quanto à
periculosidade da seguinte maneira:

-Resíduos Classe I (Perigosos) – Apresentam risco à saúde pública ou ao


ambiente, caracterizando-se por terem uma ou mais das seguintes
propriedades: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e
patogenicidade

-Resíduos Classe II A (Não inertes) – Podem ter propriedades como


combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade, porém não se
enquadram como resíduo I ou II B

-Resíduos Classe II B (Inertes) – Não têm nenhum dos seus constituintes


solubilizados em concentrações superiores aos padrões de potabilidade
de águas
Educação Ambiental
Características dos resíduos Classe 1 – Perigosos

 Os resíduos considerados perigosos são aqueles que exibem


características que podem colocar em risco as pessoas que os
manipulam ou que com eles tenham contato

Esse tipo de lixo pode, ainda, ser prejudicial à flora e fauna do lugar, se
descartado de maneira incorreta

 Esses resíduos precisam apresentar ao menos uma das seguintes


características: inflamabilidade, corrosividade, toxicidade, reatividade
e/ou patogenicidade
Educação Ambiental
Exemplos:

-Borra de tinta
-Latas de tinta
- Óleos minerais e lubrificantes
- Resíduos com thinner
- Serragem contaminadas com óleo
- Graxas ou produtos químicos
- EPI’s contaminadas (luvas e botas de couro)
- Resíduos de sais provenientes de tratamento térmico de metais
- Estopas, borra de chumbo
- Filtro de ar
- Pastilhas de freio
- Filtros de óleo
- Papéis e plásticos contaminados com graxa/óleo e varreduras
Inflamabilidade

Os resíduos que apresente uma ou mais das características


abaixo são classificados como inflamáveis:

– Ser líquido com ponto de fulgor inferior ou igual a 60º C. O ponto de


fulgor é determinado conforme NBR 14598: 2012
Imagem 1: Aparelho usado para ensaio Imagem 2: Aparelho usado para ensaio
de ponto de fulgor vaso aberto. de ponto de fulgor vaso fechado.

“Por mistura inflamável, para a obtenção do ponto de fulgor, entenda-se


a quantidade de gás ou vapor misturada com o ar atmosférico suficiente
para iniciar uma inflamação em contato com uma fonte de calor (isto é,
a queima abrupta do gás ou vapor), sem que haja a combustão do
combustível emitente. Outro detalhe verificado é que, ao retirar-se a
fonte de calor, acaba a inflamação (queima) da mistura”
Inflamabilidade
– Não ser líquido, mas em condições de temperatura de 25ºC e pressão
de 1 atmosfera (1 atm) produzir fogo por fricção, absorção de umidade
ou alterações químicas espontâneas, queimando de modo vigoroso e
persistente dificultando a extinção do incêndio;

– Ser oxidante definido como substância que pode liberar oxigênio


estimulando a combustão ou aumentando a intensidade do fogo em
outros materiais;

– Ser gás comprimido inflamável de acordo com as regras para o


transporte de produtos perigosos.
Os Produtos perigosos são classificados por classes de riscos, conforme abaixo;
1 Explosivos
2.1 Gases Inflamáveis
2.2 Gases não-Inflamáveis
2.3 Gases Tóxicos
3 Líquidos inflamáveis
4.1 Sólidos inflamáveis
4.2 Substâncias sujeitas a combustão espontânea
4.3 Substancias que em contato com água emitem gases inflamáveis
5.1 Oxidantes
5.2 Peróxidos Orgânicos
6.1 Sustâncias Tóxicas
6.2 Substâncias Infectantes
7 Material Radioativo
8 Corrosivos ou Sustâncias corrosivas
9 Substância Perigosas diversas ou matérias que podem causar diversos perigos

Todos os materiais perigosos podem ser transportados desde que sejam


atendidas as exigências de cada país ou localidade
Corrosividade

Os resíduos são considerados corrosivos quando apresentar uma


ou mais das seguintes características:

– Ser aquoso e apresentar pH inferior ou igual a 2, superior ou igual a


12,5 e quando misturado com água na proporção de 1:1 em peso,
produzir uma solução com pH inferior a 2 ou superior ou igual a 12,5

– Ser líquido e quando misturado com água na proporção em peso,


produzir corrosão no aço maior que 6,5 mm/ano em temperatura de
55º C
Toxicidade

Toxidade é a propriedade que o agente tóxico possui de


provocar um efeito adverso em consequência de sua interação com o
organismo seja por inalação, ingestão ou absorção cutânea

 Os resíduos são classificados como tóxicos quando apresentam uma


ou mais destas características:

– Possuir contaminantes em concentrações superiores aos valores


constantes no anexo F da NBR 10004/2004;
http://www.suape.pe.gov.br/images/publicacoes/normas/ABNT_NBR_n_10004_2004.pdf
– Possuir uma ou mais substâncias constantes no anexo C da NBR
10004/2001;
Toxicidade
– Apresentar toxicidade avaliada de acordo com os seguintes critérios:

Natureza da toxicidade apresentada;


 Concentração dos constituintes tóxicos;
 Potencial do constituinte ou produtos tóxicos de sua degradação em
migrar para o meio ambiente em condições impróprias de manuseio;
 Persistência do constituinte ou produtos tóxicos de sua degradação;
 Potencial do constituinte ou produtos tóxicos de sua degradação em
produtos não perigosos, considerada a velocidade da degradação;
Extensão em que o constituinte ou produtos tóxicos de sua
degradação causam bioacumulação nos ecossistemas;
Efeitos nocivos por agentes teratogênicos, mutagênicos,
carcinogênicos ou ecotóxicos de substâncias isoladas ou decorrentes da
sinergia entre os constituintes do resíduo
Reatividade

 Os resíduos são reativos quando forem instáveis, reagirem de forma


violenta e imediata sem detonar e com a água ou quando formarem
misturas potencialmente explosivas em contato com a água

 Também, quando misturados à água, gerarem gases, vapores ou


fumaças tóxicas, provocando danos à saúde publica ou ao meio
ambiente

 Se confinados e produzirem explosões ou detonações sob estímulo,


ações catalíticas ou temperatura ambiente também são considerados
resíduos reativos
Patogenicidade
 Os resíduos que contêm micro-organismos associados a doenças,
ácidos desoxirribonucleicos (DNA) ou ribonucleicos (RNA), organismos
geneticamente modificados, plasmídeos, cloroplastos, mitocôndrias
e/ou toxinas

Capazes de alterarem as condições normais de saúde em seres


humanos, animais e vegetais são considerados resíduos patogênicos

 Os resíduos que mais se encaixam nessa categoria são os


provenientes dos serviços de saúde, assim como laboratórios, empresas,
universidades e outras atividades que produzem uma ou mais das cinco
categorias em que são enquadrados pela Resolução da ANVISA, nº
306/2004 e Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente –
CONAMA, nº 358/2005.
https://www.vgresiduos.com.br/blog/propriedades-de-periculosidade-do-residuo/
Educação Ambiental
A NBR 10.004/04 aponta os critérios específicos para que o
profissional capacitado classifique e avalie cada propriedade acima
dos resíduos

De maneira que, se enquadrados como perigosos, sejam tomados os


procedimentos mais cuidadosos para o traslado adequado e a correta
destinação desses materiais
Lixo
“Um grave problema no mundo moderno”
A natureza trabalha em ciclos – “nada se perde, tudo se transforma”

“Animais, excrementos, folhas e todo tipo de material orgânico morto


se decompõem com a ação de milhões de micro-organismos
decompositores (bactérias, fungos, vermes e outros) disponibilizando
os nutrientes que vão alimentar outras formas de vida”

 Até o início do século passado, o lixo gerado (restos de comida,


excrementos de animais e outros materiais orgânicos)
“Reintegrava-se aos ciclos naturais e servia como adubo para a
agricultura”

“Mas, com a industrialização e a concentração da população nas


grandes cidades, o lixo foi se tornando um problema”
Lixo
A sociedade moderna rompeu os ciclos da natureza

Extraímos mais e mais Fazemos crescer


matérias-primas montanhas de lixo

E como todo esse rejeito não retorna ao ciclo natural,


transformando-se em novas matérias-primas, pode tornar-se uma
perigosa fonte de contaminação para o meio ambiente ou de doenças
Lixo
Em geral, as pessoas consideram lixo tudo aquilo que se joga fora
e que não tem mais utilidade

 Mas, se olharmos com cuidado, veremos que o lixo não é uma massa
indiscriminada de materiais

 Ele é composto de vários tipos de resíduos, que precisam de manejo


diferenciado
Lixo
Assim, pode ser classificado de várias maneiras:
1 - O lixo pode ser classificado como “seco” ou “úmido”
 O lixo “seco”: é composto por materiais potencialmente recicláveis
(papel, vidro, lata, plástico etc.).

“Entretanto, alguns materiais não são reciclados por falta de mercado,


como é o caso de vidros planos etc.”

 O lixo “úmido” corresponde à parte orgânica dos resíduos, como as


sobras de alimentos, cascas de frutas, restos de poda etc

“Essa classificação é muito usada nos programas de coleta seletiva,


por ser facilmente compreendida pela população”
Lixo
2 - O lixo também pode ser classificado de acordo com seus riscos
potenciais

 De acordo com a NBR/ABNT 10.004 (2004), os resíduos dividem-se


em:

- Classe I, que são os perigosos, e Classe II, que são os não perigosos

- Estes ainda são divididos em resíduos Classe IIA e Classe IIB

Classe IIA: os não inertes (que apresentam características como


biodegradabilidade, solubilidade ou combustibilidade, como os restos
de alimentos e o papel)

Classe IIB: os inertes (que não são decompostos facilmente, como


plásticos e borrachas)
Lixo
Quaisquer materiais resultantes de atividades que contenham
radionuclídeos e para os quais a reutilização é imprópria são
considerados rejeitos radioativos e devem obedecer às exigências
definidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN
Lixo
3 -Existe ainda outra forma de classificação, baseada na origem dos
resíduos sólidos

 Nesse caso, o lixo pode ser, por exemplo, domiciliar ou doméstico,


público, de serviços de saúde, industrial, agrícola, de construção civil e
outros.

“Essa é a forma de classificação usada nos cálculos de geração de lixo”


Lixo
Domiciliar: são os resíduos provenientes das residências

É muito diversificado, mas contém principalmente restos de


alimentos, produtos deteriorados, embalagens em geral, retalhos,
jornais e revistas, papel higiênico, fraldas descartáveis, etc

Comercial: são os resíduos originados nos diversos estabelecimentos


comerciais e de serviços

Supermercados, bancos, lojas, bares, restaurantes, etc

Público: são aqueles originados nos serviços de limpeza urbana

Restos de poda e produtos da varrição das áreas públicas, limpeza de


praias e galerias pluviais, resíduos das feiras livres e outros
Lixo
De serviços de saúde: resíduos provenientes de hospitais, clínicas
médicas ou odontológicas, laboratórios, farmácias, etc

É potencialmente perigoso, pois pode conter materiais contaminados


com agentes biológicos ou perigosos, produtos químicos e
quimioterápicos, agulhas, seringas, lâminas, ampolas de vidro, brocas,
etc

Industrial: são os resíduos resultantes dos processos industriais. O tipo


de lixo varia de acordo com o ramo de atividade da indústria

Nessa categoria está a maior parte dos


materiais considerados perigosos ou tóxicos
Lixo
Agrícola: resulta das atividades de agricultura e pecuária

É constituído por embalagens


de agrotóxicos, rações, adubos, restos de colheita, dejetos da criação de
animais, etc

Entulho: restos da construção civil, reformas, demolições, solos de


escavações, etc
Lixo
 No Brasil, a geração de lixo per capita varia de acordo com o porte
populacional do município.

 Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB),


elaborada pelo IBGE em 2000

A geração per capita de resíduos no Brasil varia entre 450


e 700 gramas para os municípios com população inferior a 200 mil
habitantes

Entre
700 e 1.200 gramas em municípios com população superior a 200 mil
habitantes.
Lixo
Resíduos perigosos

 Os resíduos industriais e alguns domésticos, como restos de tintas,


solventes, aerossóis, produtos de limpeza, lâmpadas fluorescentes,
medicamentos vencidos, pilhas e outros

Contêm significativa quantidade de substâncias químicas nocivas ao


meio ambiente

 Estima-se que existam de 70 a 100 mil produtos químicos sintéticos,


utilizados de forma comercial na agricultura, na indústria e em produtos
domésticos

Infelizmente, as suas consequências são percebidas apenas depois de


muito tempo de uso
Lixo
 Exemplo: Clorofluorcarbono (CFC)

“Há bem pouco tempo era amplamente usado em aerossóis, isopor,


espumas, sistemas de ar condicionado, refrigeradores e outros
produtos, até descobrir-se que sua liberação na atmosfera vinha
causando a destruição da camada de ozônio”

Muitos desses produtos contêm metais pesados, como mercúrio,


chumbo, cádmio e níquel, que podem se acumular nos tecidos vivos, até
atingir níveis perigosos para a saúde

“Os efeitos da exposição prolongada do homem a essas substâncias


ainda não são totalmente conhecidos”
Lixo
 No entanto, testes em animais mostraram que os metais pesados
provocam sérias alterações no organismo:

Aparecimento de câncer

Deficiência do sistema nervoso e imunológico

Distúrbios genéticos

Quando não são adequadamente manejados, os resíduos


perigosos contaminam o solo, as águas e o ar
Lixo
Quanto mais lixo, mais problemas...
O aumento na geração de resíduos sólidos tem várias
consequências negativas:

1 - Custos cada vez mais altos para coleta e tratamento do lixo

2 - Dificuldade para encontrar áreas disponíveis para sua disposição


final

3 - Grande desperdício de matérias-primas

Por isso, os resíduos deveriam ser integrados como matérias


primas nos ciclos produtivos ou na natureza
Lixo
Outras consequências do enorme volume de lixo gerado pelas
sociedades modernas, quando o lixo é depositado em locais
inadequados ou a coleta é deficitária, são:

•Contaminação do solo, ar e água

•Proliferação de vetores transmissores de doenças

•Entupimento de redes de drenagem urbana

•Enchentes

•Degradação do ambiente e depreciação imobiliária

• Doenças
Lixo
Lixo
Recentemente começamos a perceber que, assim como não
podemos deixar o lixo acumular dentro de nossas casas...

“É preciso conter a geração de resíduos e dar um tratamento


adequado ao lixo no nosso Planeta”

“Para isso, será preciso conter o consumo desenfreado, que gera cada
vez mais lixo, e investir em tecnologias que permitam diminuir a
geração de resíduos, além da reutilização e da reciclagem dos
materiais em desuso”
Lixo

Precisamos, ainda, reformular nossa concepção a respeito do lixo

Não podemos mais encarar todo lixo como “resto inútil” mas,
sim, como algo que pode ser transformado em nova matéria-prima para
retornar ao ciclo produtivo
Lixo
Como resolver o problema do lixo?
Um caminho para a solução dos problemas relacionados com o
lixo é apontado pelo Princípio dos Três Erres (3R’s)

Reduzir, Reutilizar e Reciclar

“Fatores associados com estes princípios devem ser considerados,


como o ideal de prevenção e não geração de resíduos, somados à
adoção de padrões de consumo sustentável, visando poupar os
recursos naturais e conter o desperdício”
Lixo

REDUZIR

Consumir menos produtos e preferir


aqueles que ofereçam menor
potencial de geração de resíduos e
tenham maior durabilidade
Lixo

REUTILIZAR

Usar novamente as embalagens

Potes plásticos de sorvetes


servem para guardar alimentos ou
outros materiais
Lixo

RECICLAR

Envolve a transformação dos


materiais: fabricar um produto a
partir de um material
usado
Lixo
1 - Podemos produzir papel reciclando papéis usados

2 - Papelão, latas, vidros e plásticos também podem ser reciclados

Para facilitar o trabalho de encaminhar material pós-consumo para


reciclagem, é importante fazer a separação no lugar de origem

a casa, o escritório, a fábrica, o hospital, a escola etc.

A separação também é necessária para o descarte adequado de


resíduos perigosos
Reciclagem
“A reciclagem é uma das alternativas de tratamento de resíduos
sólidos mais vantajosas, tanto do ponto de vista ambiental como do
social”

Ela reduz o consumo de recursos naturais, poupa energia e água


e ainda diminui o volume de lixo e a poluição

 Além disso, quando há um sistema de coleta seletiva bem


estruturado, a reciclagem pode ser uma atividade econômica rentável

“Pode gerar emprego e renda para as famílias de catadores de


materiais recicláveis, que devem ser os parceiros prioritários na coleta
seletiva”
Reciclagem: a indústria do presente
 Em algumas cidades do país, como por exemplo, São Paulo e Belo
Horizonte

Foi implementada a
Coleta Seletiva Solidária, fruto da parceria entre o Governo local e as
associações ou cooperativas de catadores

“Para atrair mais investimentos para o setor, é preciso uma união de


esforços entre o governo, o segmento privado e a sociedade no
sentido de desenvolver políticas adequadas e desfazer preconceitos
em torno dos aspectos econômicos e da confiabilidade dos produtos
reciclados”
Reciclagem: a indústria do presente

 Os materiais normalmente encaminhados para a reciclagem são:

- O vidro (garrafas, frascos, potes etc.)

-O plástico (garrafas, baldes, copos, frascos, sacolas, canos etc.)

- Papel e papelão de todos os tipos e metais (latas de alimentos,


refrigerantes etc.).

“Por questões de tecnologia ou de mercado, alguns materiais ainda


não são reciclados”
Reciclagem: a indústria do presente
Exemplo:

 Os pneus usados são classificados como inertes, sendo considerados


resíduos indesejáveis do ponto de vista ambiental

A grande quantidade de pneus descartados tornou-se um sério


problema ambiental

 Segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos, o Brasil


descarta, anualmente, cerca de 21 milhões de pneus de todos os tipos:
de trator, caminhão, automóvel, carroça, moto, avião e bicicleta, entre
outros
Reciclagem
 Quando descartados inadequadamente, por exemplo, em lixões,
propiciam o acúmulo de água em seu interior e podem contribuir para a
proliferação de mosquitos transmissores da dengue e do cólera

 Quando descartados em rios e lagos podem contribuir para o


assoreamento e enchentes

 Quando são queimados, produzem emissões extremamente tóxicas,


devido à presença de substâncias que contêm cloro (dioxinas)

2,3,7,8-tetraclorodibenzo-p-dioxina
Reciclagem
“Por esse motivo, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA)
proibiu o descarte e a queima de pneus a céu aberto e responsabilizou
fabricantes e importadores pela destinação final ambientalmente
adequada daqueles que não tiverem mais condições de uso”

 Existem várias formas de reutilizar os pneus, como por exemplo,


fazendo a recauchutagem

 Ainda, a partir dos pneus, pode-se produzir um pó de borracha que


serve para fabricar tapetes, solados de sapatos, pneus e outros
artefatos

 No Brasil e em muitos outros países, os pneus inservíveis já têm sido


utilizados na pavimentação de estradas, misturando-se a borracha ao
asfalto
Aterros Sanitários
“Segundo a pesquisa do IBGE, em 64% dos municípios brasileiros o lixo
é depositado de forma inadequada, em locais sem nenhum controle
ambiental ou sanitário”

Lixões ou vazadouros

Terrenos onde se acumulam enormes montanhas de lixo a céu


aberto, sem nenhum critério técnico ou tratamento prévio do solo, com
a simples descarga do lixo sobre o solo

“Além de degradar a paisagem e produzir mau cheiro, os lixões


colocam em risco o meio ambiente e a saúde pública”
Aterros Sanitários
 Os lixões atraem insetos, cachorros, cavalos, aves, ratos e outros
animais, que, podem disseminar, direta ou indiretamente, várias
doenças

 Do ponto de vista imobiliário, os lixões também se tornaram um


transtorno, pois depreciam os imóveis vizinhos

Em relação, à questão social o problema ainda é mais grave: os lixões


se tornaram um meio de vida para alguns segmentos excluídos da
população brasileira
Aterros Sanitários
Como resultado da degradação dos resíduos sólidos e da água de
chuva é gerado o chorume

Elevado poder de contaminação porque pode se infiltrar no solo,


contaminando-o e podendo até mesmo contaminar as águas
subterrâneas e superficiais

Pode ter um potencial de contaminação até 200 vezes superior ao


esgoto doméstico
Aterros Sanitários
O chorume que se desprende do lixão

se infiltra no solo carregando micro-organismos, metais pesados,


nitratos, fosfatos, além de outras substâncias poluentes

Contaminando o lençol freático (reservatório de água subterrânea


proveniente da água da chuva infiltrada no solo), e
consequentemente os córregos e rios
Aterros Sanitários
 A decomposição dos resíduos sólidos gera principalmente metano
(CH4) e dióxido de carbono (CO2)

Juntamente com outros gases presentes na atmosfera, contribui para o


aquecimento global da Terra, já que são gases de efeito estufa

Existe uma técnica ambientalmente segura para dispor os


resíduos, denominada aterro sanitário

 Esta técnica surgiu na década de 1930 e vem se aperfeiçoando com o


tempo
Aterros Sanitários
O aterro sanitário pode ser entendido como a disposição final
de resíduos sólidos no solo

Fundamentado em princípios de engenharia e normas operacionais


específicas

Objetivo: Confinar o lixo no menor espaço e volume possíveis, isolando-


o de modo seguro para não criar danos ambientais e para a saúde
pública

“Os resíduos
dispostos em aterros estão isolados do meio ambiente externo por
meio da impermeabilização do solo,
da cobertura das camadas de lixo e da drenagem de gases”
Aterros Sanitários
É um método de aterramento dos resíduos em terreno
preparado para a colocação do lixo, de maneira a causar o menor
impacto ambiental possível

• O solo é protegido por uma manta isolante (chamada de


geomembrana) ou por uma camada espessa de argila compactada,
impedindo que os líquidos poluentes, lixiviados ou chorume, se infiltrem
e atinjam as águas subterrâneas

• São colocados dutos captadores de gases (drenos de gases) para


impedir explosões e combustões espontâneas, causadas pela
decomposição da matéria orgânica

Os gases podem ser queimados


para evitar sua dispersão na atmosfera
Aterros Sanitários
• É implantado um sistema de captação do chorume, para que ele seja
encaminhado a um sistema de tratamento

• As camadas de lixo são compactadas com trator de esteira, umas


sobre as outras, para diminuir o volume, e são recobertas com solo
diariamente, impedindo a exalação de odores e a atração de animais,
como roedores e insetos

• O acesso ao local deve ser controlado com portão, guarita e cerca,


para evitar a entrada de animais, de pessoas e a disposição de resíduos
não autorizados
Aterros Sanitários
Aterro controlado
 O aterro controlado não é considerado uma forma adequada de
disposição de resíduos

porque os problemas ambientais de contaminação da água, do ar e do


solo não são evitados,

“Não são utilizados todos os recursos de engenharia e saneamento


que evitariam a contaminação do ambiente”

 No entanto, representa uma alternativa melhor do que os lixões, e se


diferenciam destes por possuírem a cobertura diária dos resíduos com
solo e o controle de entrada e saída de pessoas
Referências
BAIRD, C., Química Ambiental, Bookman, 2002

https://www.vgresiduos.com.br/blog/propriedades-de-periculosidade-do-residuo/ Acessado em
25/05/2018

http://meuresiduo.com/categoria-1/o-que-sao-residuos-perigosos Acessado em 25/05/2018

http://www.teraambiental.com.br/blog-da-tera-ambiental/entenda-melhor-o-processo-de-
classificacao-de-residuos - Acessado em 25/05/2018

http://info.opersan.com.br/res%C3%ADduos-classe-i-ou-res%C3%ADduos-classe-ii-qual-
%C3%A9-a-diferen%C3%A7a – Acessado em 25/05/2018

http://www.mma.gov.br/estruturas/secex_consumo/_arquivos/8%20-%20mcs_lixo.pdf –
Acessado em 25/05/2018

https://www.portalsaofrancisco.com.br/meio-ambiente/aterro-sanitario Acessado em
25/05/2018
http://www.prohomeimoveis.com.br/prohome-ambiental/cartilha-reciclagem-de-
lixo/Reciclagem Acessado em 25/05/2018
Referências
https://www12.senado.leg.br/emdiscussao/edicoes/residuos-solidos/mundo-rumo-a-4-bilhoes-
de-toneladas-por-ano/como-alguns-paises-tratam-seus-residuos - Acessado em 25/05/2018

https://www.significados.com.br/chorume/ Acessado em 25/05/2018

http://biolub.com.br/blog/ensaios-em-lubrificantes-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-
ponto-de-fulgor-e-ponto-de-combustao/ Acessado em 01/06/2018

http://www.suape.pe.gov.br/images/publicacoes/normas/ABNT_NBR_n_10004_2004.pdf
Acessado em 01/06/2018

https://pt.wikipedia.org/wiki/Transporte_de_produtos_perigosos Acessado em 05/06/2018