Você está na página 1de 19

CELEBRAÇÃO

LITURGICA DO
MATRIMÔNIO
Palestrante: Diac. José Luiz B. Torres
“Todo aquele, pois,
que ouve estas minhas
palavras e as põe em
prática, será
comparado a um
homem prudente, que
edificou a sua casa
sobre a rocha”
(Mt 7,24).
INTRODUÇÃO
O O ideal é que a celebração do sacramento do matrimônio
seja feita dentro da liturgia da Santa Missa. Mas, mesmo
sem a Missa, a celebração matrimonial, em liturgia
própria, confere a plenitude sacramental da Graça de
Deus aos nubentes.
O A comunhão, inclusive sob as duas espécies, é também
opcional. Como já dissemos, os ministros deste
sacramento são os noivos. São eles que, por meio do
consentimento mútuo, de livre e espontânea vontade,
concedem um ao outro a graça sacramental.
O O padre (pode ser também um bispo, um diácono ou leigo
credenciado pelo bispo) preside a celebração e representa
a igreja na cerimônia.

O É de suma importância que os noivos conversem com o


celebrante antes do casamento, especialmente sobre a
celebração, a fim de que tudo aconteça de acordo com as
orientações e critérios adequados e requeridos pela igreja.
Celebração do Matrimônio sem a
Missa
O Boas-Vidas (ou Acolhida);
O Leitura da Palavra de Deus;
O Homilia;
O Diálogo com os noivos;
O Consentimento;
O Benção e entrega das alianças;
O Oração dos fiéis;
O Bênção nupciais;
O Pai-Nosso;
O Bênção Final e Despedida.
Celebração na Missa
O Boas vindas (acolhida);
O Ritos iniciais;
O Ato penitencial;
O Hino de louvor (Glória);
O Oração da coleta;
O Leitura da palavra de Deus;
O Salmo responsorial;
O Aclamação ao evangelho;
O Evangelho;
O Homilia;
O Diálogo com os noivos;
O Consentimento;
O Bênção e entrega das alianças;
O Oração dos fiéis;
O Conto das ofertas;
O Oração sobre as oferendas;
O Oração Eucarística;
O Pai-Nosso;
O Bênção Nupcial;
O Comunhão;
O Ação de graça;
O Oração após a comunhão;
O Bênção Final e despedida.
Escolha das leituras, orações e
cantos
O Os noivos podem e devem participar da
escolha das leituras e orações da celebração
do seu matrimônio. Existem diversas opções
de modelos no Ritual do Matrimônio
(livro que pode ser adquirido em livrarias
católicas e que existe nas paróquias). Para a
primeira leitura, temos, por exemplo: 1 Cor
13, 1-8 e Tb 8, 4b-8). Para o evangelho: Mt
19, 1-6; 10-11 e Mt 7, 24-29.
O A acolhida e a ação de graças podem ser
elaboradas pelos noivos, ou alguém encarregado
para isso, de acordo com a cerimônia.
O Já as orações da coleta, dos fiéis e final (pós-
comunhão), sejam escolhidas também dos
modelos do ritual do matrimônio.
O Os cantos também podem ser escolhidos pelos
os noivos, contanto que sejam litúrgicos e
adequados a cada momento, para que não
impeçam a assembleia de ouvir os noivos ou o
sacerdote.
O Convém frisar que os cantores e os
instrumentos musicais não se sobressaiam,
pois o que é dito pelos noivos e pelo
sacerdote, durante o rito sacramental, é o
que é o mais importante e, portanto, precisa
ser testemunhado publicamente.
O Também é bom lembrar que músicas da
MPB e “temas” de filmes e novelas não são
litúrgicas.
Rito Sacramental do Matrimônio

Apresentamos, a seguir,
as partes específicas do
rito do matrimônio e
uma das opções
disponíveis no ritual.
Diálogo com os noivos:
O Nessa parte o celebrante faz três perguntas aos noivos (que
respondem 3 vezes sim)
1º Se pretendem se unir em matrimônio, de livre e espontânea
vontade (“SIM”, de um ao outro).

2º Se prometem amor e fidelidade por toda vida (“SIM” à


indissolubilidade e a infidelidade)

3º Se estão dispostos a acolher e educar os filhos na Lei de Cristo e


da Igreja (“SIM” à fecundidade)

Os noivos respondem SIM, de forma que todos possam ouvir.


Consentimento
O celebrante pede aos noivos que dêem um ao outro a
mão direita , para a manifestação do consentimento,
dizendo a seguinte fórmula:

NOIVO: Eu, (fulano), te recebo (fulana) por minha


esposa, e te prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na
saúde e na doença, amando-te e respeitando-te todos os
dias de minha vida.
NOIVA: Eu, (fulana), te recebo (fulano) por meu esposo,
e te prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na
doença, amando-te e respeitando-te todos os dias de
minha vida.
CELEBRANTE: Deus confirme esse compromisso que
manifestantes perante a igreja e derrame sobre vós as
suas bênçãos! O que Deus uniu o homem não separe!
Após o consentimento e a ratificação feita pelo
celebrante, os dois já não são mais noivos: são marido e
mulher, diante de Deus e de toda a assembleia.
Benção e entrega das alianças
Celebrante: Ó Deus, abençoai estes vossos filhos e
santificai-os no seu amor: que estas alianças, sinal de
fidelidade, recordem a (“fulano”) e (“fulana”) a sua
promessa. Por Cristo Nosso Senhor.
Todos: Amém.
Esposo: (“fulana”), recebe esta aliança em sinal do meu
amor da minha fidelidade. Em nome do pai, do filho e
do espírito santo.
Esposa: (“fulano”), recebe esta aliança em sinal do meu
amor da minha fidelidade. Em nome do pai, do filho e
do espírito santo.
Bênção nupcial: o celebrante pede as bênção de Deus
sobre o casal e sobre cada um dos nubentes em
particular, conforme fórmula propria da igreja.
Que Deus abençoe
essa união