Você está na página 1de 41

Fisiologia do Sistema

Cardiovascular
Introdução

Função: manutenção do fluxo sanguíneo e pressão arterial,


mantendo constante a oxigenação, distribuição de
nutrientes e excreção de resíduos

Sistema fechado formado pelo coração (bomba) + vasos


sanguíneos (transporte);
Sistema circulatório
Pequena circulação (pulmonar): O sangue venoso vai
do coração aos pulmões (onde ocorrem as trocas
gasosas) e retorna ao coração já oxigenado.

Grande circulação (sistêmica): O sangue oxigenado


circula por todo o organismo, levando oxigênio aos
tecidos e recolhendo seus resíduos, e retorna ao
coração como sangue venoso;
Pequena e grande circulação
Coração: configuração interna
O coração é dividido em 4
câmaras: átrios direito e
esquerdo, superiormente, e
ventrículos direito e esquerdo,
inferiormente;
Coração: configuração interna
Veia cava
 Átrio direito: superior

 Comunica-se com as veias cava


superior e inferior (que trazem o
sangue venoso de todo o corpo)
e com o seio coronário (drena o
sangue venoso do coração).

 Bombeia o sangue proveniente


desses vasos para o ventrículo
direito;

Veia cava
inferior
Coração: configuração interna
Tronco pulmonar
 Ventrículo direito:
 Maior parte da superfície anterior
do coração;

 Bombeia o sangue venoso


proveniente do átrio direito
através do tronco pulmonar, que
ramifica-se em artérias pulmonar
direita e esquerda , que
conduzem o sangue para os
pulmões para que seja
descarregado o CO2 e captado o
O2;
Coração: configuração interna
Veias pulmonares
 Átrio esquerdo:
 Comunica-se com as 4 veias
pulmonares que trazem o
sangue já oxigenado de volta do
pulmão;
 Bombeia o sangue para o
ventrículo esquerdo;
Coração: configuração interna
 Ventrículo esquerdo:
 Forma o ápice do coração;
 Possui parede mais espessa;
 Comunica-se com a artéria aorta,
para onde bombeia o sangue
arterial recebido do átrio
esquerdo. A aorta se ramifica
nutrindo os mais diversos tecidos
do corpo;
Coração: configuração interna
 Valvas do coração: O coração possui 2 valvas
atrioventriculares e 2 semilunares;

 Valvas atrioventriculares

 Tricúspide: Localizada no óstio átrio-ventricular direito, é formada por 3


válvulas que se projetam para dentro do ventrículo e se fecham impedindo
o refluxo do sangue para o átrio direito;

 Bicúspide ou mitral: Localizada no óstio átrio-ventricular esquerdo, é


formada por 2 válvulas que se fecham para impedir que o sangue retorne
para o átrio esquerdo;
Coração: configuração interna
 Valvas semilunares: ambas formadas por 3 válvulas

 Valva do tronco pulmonar: Localizada no óstio do


tronco pulmonar, ao se fechar impede o refluxo do
sangue para o ventrículo direito;

 Valva da aorta: Localizada no óstio da aorta, impede o


refluxo de sangue da aorta para o ventrículo
esquerdo;
Valvas do
coração

bicúspide

Valva do
tronco
pulmonar

Valva do
tronco
pulmonar

tricúspide
Distúrbios das valvas cardíacas
Estenose: estreitamento na abertura, restringindo o
fluxo sanguíneo;
Insuficiência: Falha que impede que a válvula se feche
totalmente;
Prolapso da valva mitral (PVM): uma ou ambas válvulas
protraem-se para dentro do AE;
Afeta 30% da população (especialmente mulheres);
Causa de insuficiência;
Se não podem ser reparadas, são substituídas (humanas,
porcos; artificiais de plástico ou metal)
Distúrbios das valvas cardíacas

Exemplo de estenose: A: válvula saudável abre


completamente para passagem do sangue; C:
válvula aórtica não se abre completamente,
restringindo o fluxo sanguíneo; Exemplo de prolapso de válvula mitral;
Distúrbios das valvas cardíacas
Excitação cardíaca

Disco intercalar (membrana entre duas fibras


musculares). Essas membranas se fundem formando
junções comunicantes permeáveis que permitem a
propagação do potencial de ação.
Excitação cardíaca
 Complexo estimulante do coração: 1% das fibras do músculo cardíaco
servem para gerar e propagar potenciais de ação repetidos no músculo
cardíaco, funcionando como um marca-passo e coordenando a
contração das câmaras;
 Sequência dos potenciais de ação:

Ramos direito,
Nó Fascículo esquerdo e
Nó sinoatrial atrioventricular atrioventricular ou Feixe subendocárdico
(parede do AD) (septo interatrial) de His (Septo (fibras de Purkinge)
interventricular) do fascículo

 Nó sinoatrial é o marcapasso do coração por ser capaz de gerar


potenciais de ação mais rapidamente que as demais regiões
Excitação cardíaca
Ciclo cardíaco
Envolve todos os eventos associados a um batimento:

 Diástole ventricular: pela diferença de pressão, 75% do volume do


sangue passa do átrio para o ventrículo; atrioventriculares abertas e
semilunares fechadas;

 Sístole atrial: impulsiona o sangue (25% restantes) para os ventrículos;


valvas atrioventriculares abertas e semilunares fechadas;

 Sístole ventricular: impulsiona o sangue para o tronco pulmonar


(direito) e aorta (esquerdo); atrioventriculares fechadas e semilunares
abertas;
Ciclo Cardíaco
Sons do coração
Lubb (primeiro): Som longo e crescente das valvas
fechando após o início da sístole ventricular;
Dupp (segundo): Som curto e agudo das valvas
semilunares fechando ao fim da sístole ventricular;
Pausa ocorre durante o relaxamento dos ventrículos;
Eletrocardiograma
P: despolarização atrial; potencial QRS: despolarização ventricular;
propaga-se do nó AS pelos átrios; quando o potencial de ação se
Após o início da onda P os átrios propaga pelos ventrículos. Após o
contraem. início dessa onda, os ventrículos
de contraem.

T: repolarização
ventricular; precede o
relaxamento ventricular;
Vasos Sanguíneos
Rede de tubos que transportam o sangue do coração
para os tecidos e destes de volta para o coração

Sistema arterial: partem do coração e ramificam-se até


atingirem os capilares;
 Grande calibre: 7mm ou mais de diâmetro
 Médio calibre: diâmetro entre 2,5 e 7mm
 Pequeno calibre: diâmetro entre 0,5 e 2,5mm
 Arteríolas: diâmetro menor que 0,5mm
Artéria aorta -
estrutura
Vasos Sanguíneos
Sistema arterial
Endotélio: camada mais interna
(entre o sangue e o músculo liso);
libera substâncias vasoativas:
 Vasodilatadores: óxido nítrico; fator
hiperpolarizante derivado do
endotélio (EDHF); prostaciclina;
(PGI2);
 Vasoconstritoras: endotelinas;

angiotensina II; espécie reativas de


O2 (ERO); tromboxano;
Vasos Sanguíneos
Mais profundas em relação às veias; as superficiais
originam-se das artérias musculares e destinam-se à
pele (calibre bem reduzido);

Sofrem pressão:
Pressão arterial: pressão gerada pelo sangue na parede
dos vasos à medida que o ventrículo esquerdo contrai;
 120mm Hg na sístole
 80mmHg na diástole
Vasos Sanguíneos
Sistema venoso: partem dos
tecidos e anastomosam-se
(fundem-se gerando vasos
mais calibrosos) até
chegarem ao coração;
 Existem veias de pequeno,
médio e grande calibre, além
de vênulas;
 Podem ser superficiais ou
profundas;
 Seu endotélio também libera
substâncias vasoativas;
Circulação sanguínea
Ramificam-se
Artérias carregam
em arteríolas e,
o sangue arterial para Em razão de sua
finalmente, em
fora do coração permeabilidade, ocorre
capilares
a troca de nutrientes
e resíduos entre as
células e o sangue

As veias trazem
o sangue venoso de Os capilares, que
volta para o coração agora contém resíduos, como
o CO2, anastomosam-se
formando vênulas e, em
seguida, veias
Débito cardíaco
Volume de sangue bombeado pelo coração (ambos ventrículos)
durante um minuto.

Débito cardíaco = frequência cardíaca x volume sistólico

Garante fluxo sanguíneo necessário para realização das atividades


de cada tecido do corpo; frequência pode variar entre 60 e 180
batimentos/min; volume pode variar entre 70 e 120ml;

DC (sedentário)=70 x 71= 5000l.min


DC (atleta)=50 x 100=5000l.min
 Durante o exercício máximo, o débito de um indivíduo pode chegar a
22000l.min
Pressão Arterial
Definição: força exercida na parede da artéria durante
o ciclo cardíaco;
PA sistólica (máxima): contração do ventrículo
esquerdo, com ejeção de 70-100ml de sangue na artéria
aorta; valor=120mmHg;
PA diastólica (mínima): relaxamento do ventrículo
com redução da PA para 70-80mmHg (facilidade com
que o sangue passa das arteríolas para os capilares)
PA diminui à medida que o sangue se distancia do
ventrículo esquerdo: 35mmHg (capilares sistêmicos);
Pressão Arterial
PA tende a diminuir com a redução do volume
sanguíneo (5l sangue); Se essa redução for maior que
10%, os mecanismos homeostáticos não conseguem
controlar a pressão e ela cai, podendo colocar a vida em
risco;
Situações que aumentem o volume sanguíneo
(retenção de líquido, por exemplo) aumentam a
pressão arterial;
Regulação da freqüência cardíaca e pressão
arterial
Se a frequência dependesse somente do nó SA, ele
estabeleceria uma frequência de 100 batimentos por minuto,
mas outros sistemas atuam nessa regulação:
SNA simpático (estimula)e parassimpático (inibe):
 A liberação de neurotransmissores aumenta (acetilcolina) e diminui
(noradrenalina) a frequência;
 Origina-se no centro cardiovascular, no bulbo, região que recebe

estímulos e direciona uma resposta apropriada;


 Esses estímulos podem ser provenientes dos:
 Quimiorreceptores

 Barorreceptores
Regulação da freqüência cardíaca e PA
 Quimiorreceptores: presentes nas bifurcações da aorta e carótida, são
sensíveis a pressão de O2 e CO2, além de variações de pH. Hipóxia (baixa
[O2]), acidose (queda no pH) ou hipercapnia (alta [CO2]) estimulam esses
receptores, que enviam estímulos ao CV, que aumenta a estimulação
simpática de alguns vasos gerando vasoconstrição e aumentando a PA;

 Barorreceptores: neurônios sensíveis a variações de pressão, localizados no


arco da aorta e nas carótidas. São ativados pela retração ou distensão da
parede aórtica; Se houver aumento da PA, eles enviarão impulsos nervosos ao
longo dos nervos sensitivos ao centro CV, que responderá com impulsos ao
longo dos nervos motores causando dilatação arteriolar e contração
miocárdica com redução da frequência, débito cardíaco e PA (estimulação do
parassimpático). Se a PA cai, eles são menos distendidos e enviam impulsos
mais lentamente ao centro cardiovascular, aumentando contração
miocárdica e fluxo sanguíneo (estimulação do simpático);
Barorreceptores
Regulação da freqüência cardíaca
Regulação química (hormônios):
 Sistema renina-angiotensina-aldosterona (RAA): Quando diminui o volume
sanguíneo, com redução do fluxo para os rins, células renais secretam a
enzima renina que, converte o angiotensinogênio do fígado em angiotensina
I, que é convertida em angiotensina II pela ECA (enzima conversora de
angiotensina), causando vasoconstrição, aumentando a PA. Angiotensina II
estimula a secreção de aldosterona, que aumenta a reabsorção de Na e água
pelos rins, aumentando o volume sanguíneo e a PA.
 Catecolaminas: secretadas em resposta à estimulação simpática, aumentam
o débito cardíaco mediante aumento da frequência e força de contração

Outros fatores:
 Idade (bebê=120/min; adulto=80/min), gênero (pouco mais alto nas
mulheres), aptidão física, dentre outros;
Regulação Sistema nervoso e hormonal
Verificação da Circulação
Pulso:
alternada expansão e recuo de uma artéria após cada
contração e relaxamento do ventrículo esquerdo; mais forte
nas artérias mais próximas ao coração.
Pode ser medido nas artérias radial (pulso), braquial (borda
medial do bíceps braquial), carótida (pescoço) e poplítea
(atrás do joelho);
Verificação da Circulação
Normalmente igual a frequência cardíaca (75bpm);
Taquicardia: frequência cardíaca ou pulso acima de
100bpm em repouso;
Bradicardia: frequência cardíaca ou pulso abaixo de
50bpm em repouso;
Verificação da Circulação
Esfigmomanômetro
Verificação da Circulação
Pressão arterial