Você está na página 1de 8
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro
Nº 196 / Ano XVII
Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende
Janeiro de 2013
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de
SÊ Nº 196 / Ano XVII Agrupamento 1096 do CNE - Paróquia de Resende Janeiro de

EDITORIAL

 

NESTE NÚMERO PODE LER:

» Impressão digital - Viver o presente…

(pág. 2)

Dezembro é sempre um mês muito intenso, cheio de atividades e de vivências, como que a lembrar-nos que não devemos adiar para o ano seguinte o que devemos realizar nesse ano… foi assim o nosso mês de dezembro. Centrados no Natal, vivemos a caminhada de Adven- to em função da celebração da vinda do Salvador… pelo meio celebrámos a Imaculada Conceição a que associa- mos a Festa das mães, também a recordar-nos o nosso natal associado ao de Jesus…

» Aconteceu - A comunidade em notícia

(pág. 2)

» Epifania… dia de Reis!

(pág. 3)

» Ceia de Natal do Grupo de Jovens

(pág. 3)

» De faca e garfo (Baba de camelo com nozes)

(pág. 3)

» Liturgia - O Ano da Fé!

(pág. 4)

» Movimento paroquial

(pág. 4)

O

ponto culminante foi mesmo a celebração do nosso

» Kim - Lobiexplora

(pág. 5)

Salvador que centramos na celebração da Eucaristia sole- ne, mas que procuramos também celebrar em família paro- quial, com a já habitual Festa de Natal da Comunidade. Aconteceu no dia 22 e foram 3 horas de verdadeiro espírito natalício com a participação de todos os grupos de pastoral paroquial, desde crianças a jovens e adultos… reinou o espírito e a partilha da mensagem do Natal - Jesus veio ao nosso encontro para nos ensinar o caminho ao encontro do Pai. Entre canções de Natal, peças de teatro, representa-

» O Uivo do Lobito - Festa da Mãe de das mães (pág. 5)

» Janeiro em destaque…

(pág. 5)

» A Chama - O projeto pessoal de vida

(pág. 6)

» Rota Azul - Dois meses de grandes atividades (pág. 6)

» O Agrupamento em notícia

(pág. 6)

» Momentos de descontração

(pág. 7)

 

» Festa de Natal da Paróquia

(pág. 8)

ções de mensagem natalícia, partilhámos o espírito de família que somos e saímos mais enriquecidos com a admiração dos dons e qualidades de todos… e houve Natal, porque o Menino encerrou a Festa com o brinde habitual para alegria dos mais pequenos…

O ano novo já dá os primeiros passos e, em perspeti-

va, mais um ano que se antevê difícil, mas certamente cheio de surpresas e oportunidades que não queremos desperdiçar. Janeiro é assinalado pela semana da unidade dos cristãos… uma oportunidade para todos nos envolver- mos na procura de um espírito mais solidário e fraterno, reconhecendo que é mais importante o que nos une do que o que nos separa e aprendendo a estabelecer pontes de diálogo com cada irmão. Janeiro é marcado também pelo Laus Perene tradi- cional da paróquia. Em tempos tão materializados como são os que vivemos, é importante valorizarmos a oração na nossa vida pessoal, familiar e comunitária. De entre os vários momentos de oração, surge a adoração como a mais valiosa e importante. Vamos aproveitar o dia 14 para viver alguns momentos de encontro com o Senhor presen- te na Eucaristia e valorizarmos o sentido da gratidão para com Ele através da nossa adoração. Neste ano da Fé, procuremos valorizar este dom de Deus na nossa vida, saibamos aproveitar as oportunidades de crescimento da fé que Ele nos proporciona e acredite- mos que Ele não abandona os que n‘Ele confiam. Feliz 2013 com a bênção de Deus!

Pe. José Augusto (Chefe de Agrupamento)

bênção de Deus! Pe. José Augusto (Chefe de Agrupamento) Agrupamento 1096 C.N.E. – Largo da Igreja
Impressão digital Viver o presente “ Paremos de indagar o que o futuro nos reserva
Impressão digital Viver o presente “ Paremos de indagar o que o futuro nos reserva

Impressão digital

Viver o presente

Paremos de indagar o que o futuro nos reserva e recebamos como um presente o que quer que nos traga o dia de hoje”.

Heráclito

Mais um ano que passou nesta roleta apressada do tempo… mais um conjunto de oportu- nidades e experiências vividas… mais um sem fim de momentos proporcionados… algumas metas alcançadas, outras que não passaram de expectativas… imensas coisas boas que contri- buíram para a nossa realização, algumas dificuldades e obstáculos que dificultaram o nosso caminho… novas experiências vividas, novas pessoas que se cruzaram no nosso viver, outras que deixaram o nosso convívio… um misto de sentimentos que fomos experimentando, positiva e negativamente… enfim, 366 dias que passaram a fazer parte da nossa história de vida pes- soal, familiar, social… Iniciamos agora um novo ano no qual depositamos um conjunto de espectativas, divididas entre a esperança e a apreensão… a medir pelas vozes mais comuns, o negativismo parece

reinar na maioria da população portuguesa como consequência das baixas expectativas em relação ao futuro imediato… a vontade de ir mais além parece chocar com o medo e as sombras que envolvem o amanhã de incertezas… não arriscar parece ser a atitude mais cómoda e simul- taneamente mais realista…

É assim que se joga a nossa vida… olhando para trás e para a frente e sabendo conjugar

estes dois olhares no tempo presente, vivendo-o… a realidade que nos envolve tão enigmática em relação ao futuro parece querer privar-nos de viver a vida com verdadeiro sentido… pinta-se de negro o futuro e temos medo de arriscar… amaldiçoa-se o passado que nos conduziu aqui e esquecemo-nos de agradecer… não vivemos o presente, porque desconfiamos que seja verda- deiramente um ―presente‖ para aproveitarmos… Não podemos ser escravos desta obsessão em relação ao futuro… para nossa sanidade mental, precisamos de ir vivendo o tempo presente como um dom que nos é oferecido diaria- mente, aprendendo a valorizar o passado pelas oportunidades que nos legou, pelo crescimento de vida que nos proporcionou, pelos alicerces que nos permitiu edificar para nossa realização… só quem se mostra reconhecido em relação à herança que recebeu, pode encarar o futuro como

uma continuidade de construção na qual se integre como autor e não meramente como rece- tor… sentir que a vida nos legou muitas oportunidades e realizações implica sentir-se na obriga- ção de dar continuidade a esta cadeia de serviço aos outros legando-lhes um futuro um pouco melhor…

O futuro é sempre espaço de incerteza e indefinição… não podemos sofrer por antecipa-

ção como se tudo estivesse amarrado à fatalidade do destino… temos que acreditar que o futuro

é uma construção nossa e que, não dependendo exclusivamente de nós, também depende de nós… baixar os braços nos momentos difíceis, significa torná-los mais difíceis… é certo que a esperança não se pinta como quem desenha um arco-íris numa folha de papel, exige mais do que isso, mas ―há mais vida para lá do arco-íris‖… somos convidados a envolver-nos positiva- mente na construção do nosso mundo com a certeza de que o que nós não fizermos, ficará por fazer, porque ninguém nos pode substituir… infelizmente há muitas obras inacabadas por inér- cia de todos nós… um dia compreenderemos que nos arrependemos mais por aquilo que deixá- mos de fazer do que por aquilo que fizemos, mesmo que nem sempre tenha corrido bem… Esta é a hora de viver… porque viver é ―desembrulhar o presente‖ e maravilhar-se com o espaço de realização que ele nos oferece… reconhecer a magia de cada momento como espa- ço único de encantamento… aproveitar as capacidades que nos foram dadas para concretizar algo de novo… unir esforços com aqueles que vivem ao nosso lado e dar as mãos para nos complementarmos… deixar-se embalar no sonho de chegar mais longe e mais além e não ter medo de dar um passo em frente… todos os dias, ao acordar, o ―presente‖ está lá, ao alcance das nossas mãos… é só ―desembrulhar‖, sem medo da surpresa, mas com a curiosidade e o encantamento duma criança que nunca se cansa de desembrulhar um brinquedo e outro e outro, sempre com o mesmo encantamento e com o mesmo sorriso de fascínio pela novidade e pela oportunidade de realização… A vida é esse magnifico dom de Deus, um presente sempre renovado para que não nos cansemos de viver… limitar-se a sobreviver é ser mal agradecido e rejeitar o dom, porque quem reconhece o dom que recebeu tem necessariamente de tornar-se dom para os outros, numa cadeia de serviço generoso à vida… esta torna-se, assim, uma aventura sem fim, sem monoto- nia e sem monopólios… todos temos o papel principal quando não abdicamos dele… em cada dia que passa são mais 24h de oportunidades, 1440 minutos de expectativas, 86400 segundos de realizações… não desperdicemos o dom do ―presente‖!

Pe. José Augusto

A Comunidade em notícia
A Comunidade em notícia

A Comunidade em notícia

No dia 8 de dezembro celebrámos na comunidade a Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa

No dia 8 de dezembro celebrámos na comunidade a Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora à qual, como já é hábito, associamos a Festa das Mães. A celebração foi preparada de véspera com um tempo de vigília entre as 18h e as 22h, durante o qual o San- tíssimo Sacramento esteve exposto à adoração dos fiéis, tendo-se con- cluído com uma celebração mariana. No dia 8 a celebração centrou-se na eucaristia solene em que homena- geámos a Mãe de Deus e as nossas mães. Que a Mãe do céu continue a proteger e a abençoar todas as mães da nossa comunidade. No dia 22 celebrámos a Festa de Natal da Paróquia. Com a participa- ção dos mais diversos grupos de pastoral paroquial, procurámos cele- brar o espírito desta quadra festiva partilhando a mensagem que o Prín- cipe da Paz nos veio trazer. Entre cânticos, representações, mensa- gens e peças de teatro, o espírito do Natal esteve sempre presente duran- te as três horas que durou a Festa. No dia 29 tivemos mais um momento de Formação inserido na caminhada de evangelização proposta para este ano da Fé. A temática inseriu-se no ambiente da quadra que estamos a viver - ―Creio em Jesus Cristo que foi concebido pelo poder do Espírito San- to e nasceu da Virgem Maria…‖. Parti- ciparam cerca de duas dezenas de pessoas e foi mais uma oportunidade de reflexão, partilha e desenvolvimen- to da fé no mistério da Encarnação. Valeu a pena para quem esteve.

de reflexão, partilha e desenvolvimen- to da fé no mistério da Encarnação. Valeu a pena para
de reflexão, partilha e desenvolvimen- to da fé no mistério da Encarnação. Valeu a pena para

Ano da Fé

Formação no Centro Paroquial

“Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostó- lica ”

Dia 19 às 21h

Vem crescer na Fé!

Epifania… dia de Reis! No céu brilhou uma estrela diferente Três sábios Gaspar, Melchior e
Epifania… dia de Reis!
No céu brilhou uma estrela diferente
Três sábios Gaspar, Melchior e Baltazar
Começaram logo a estudar
De faca e
garfo
A profecia ao facto referente.
(A nossa rubrica
de culinária)
Seus palácios, durante dias, vão deixar
E, guiados pela estrela florescente,
Chegam até ao Médio Oriente
E com Herodes vão conversar.
Com ódio a arder no coração,
Herodes mostra desejo de ir também.
Pede aos cortesãos que vejam bem
Para não irem lá em vão.
Não querendo Herodes, porém,
Enfrentar tão cruel traição,
Ide, sereis recebidos de alma e coração,
Vede e voltai por Jerusalém.
Não se cumpriu, porém, o desejo do traidor.
Avisados por um anjo, foram por outro lado
E

A

o rei esperou, esperou, revoltado, respirar ódio, ingratidão e dor.

Pe. Martins

Ceia de Natal do Grupo de Jovens

A ceia de natal do grupo de jovens realizou-se no dia 14 de dezem- bro no local habitual da reunião, isto é, numa sala da casa paroquial. Fugimos à regra no que diz respeito à escolha do prato uma vez que o jantar não foi o tradicional baca- lhau com batatas, mas sim carne assa- da na brasa. Este pequeno momento em que estivemos reunidos serviu para fortalecer as nossas amizades, parti- lharmos histórias e momentos importantes para nós e, não menos importante, o facto de estarmos unidos a promover o convívio. Foi mais uma atividade que vai ficar na memória deste grupo pela união demonstrada e pelo número de elementos que participou, mostrando que o grupo está em constante crescimento. Isto é bom pois, neste número, reflete-se que os jovens querem, cada vez mais, imitar Jesus Cristo, o nosso Melhor Amigo. Um obrigado a todos os presentes pela amizade e companheirismo.

Sara Margarida Alves (Gotas d’Orvalho)

Melhor Amigo. Um obrigado a todos os presentes pela amizade e companheirismo. Sara Margarida Alves (Gotas

Baba de Camelo com Nozes

Ingredientes

Leite CondensadoBaba de Camelo com Nozes Ingredientes Água Ovos Nozes Preparação: Coloca-se na panela de pressão uma

ÁguaBaba de Camelo com Nozes Ingredientes Leite Condensado Ovos Nozes Preparação: Coloca-se na panela de pressão

OvosBaba de Camelo com Nozes Ingredientes Leite Condensado Água Nozes Preparação: Coloca-se na panela de pressão

Nozesde Camelo com Nozes Ingredientes Leite Condensado Água Ovos Preparação: Coloca-se na panela de pressão uma

Preparação:

Coloca-se na panela de pressão uma lata de leite con- densado fechada, água sufi- ciente para que a lata fique submersa até ao meio. Tam- pa-se a panela e deixa-se fer- ver durante trinta minutos. Retira-se a panela do lume, deixa-se sair todo o

vapor, abre-se, retira-se a lata

e deixa-se arrefecer de um dia para o outro. Abre-se a lata e coloca-

se o leite num recipiente.

Batem-se quatro gemas e juntam-se ao leite conden-

sado mexendo bem até se obter uma massa homogé- nea, à qual se misturam cin-

quenta gramas de nozes pica- das e por último as claras batidas em castelo. Mexe-se tudo, deita-se numa taça de vidro, põe-se

no frigorífico e serve-se frio.

in “Livro de ouro da doçaria tradicional”

Ao Ritmo da Liturgia O ano da fé! Movimento Paroquial Dezembro/2012 Acabamos de celebrar o

Ao Ritmo da Liturgia

O ano da fé!

Movimento Paroquial

Dezembro/2012

Acabamos de celebrar o mistério do Natal que ofereceu ao mundo a oportuni- dade de ver, em forma humana, o Cria- dor do universo que tomou o nome de

Jesus que lhe foi dado pelo Anjo e que significa a própria missão que vinha desempenhar. Efetivamente, Jesus signi- fica Salvador. Ora a Fé, que todos julga- mos possuir, tem de passar pela crença na presença de Deus entre nós na pes- soa de Jesus Cristo, presente sacramen- talmente no sacrário e misticamente nas pessoas, em especial naquelas que a sociedade marginaliza. O papa Bento XVI convida-nos insis- tentemente a viver este ano de uma for- ma diferente, mostrando ao mundo que vive submerso sob uma onda impetuosa de laicismo, de secularismo e de relati- vismo, de vazio, de desânimo, de desilu- são e mesmo de desespero, outro hori- zonte onde se respira

em que a vida e a morte recebem um significado certo. Torna-se urgente criar uma sã inquietação. Não podemos viver tranquilos. O papa apresenta Santo Agostinho como paradigma desta inquietação, que

levou a evitar a superficialidade e a dar um sentido à vida, depois de vencer todas as dúvidas e erros que o acompa- nharam durante a busca da Verdade. É esta a caminhada que todos deve- mos fazer. Entretanto durante esta cami- nhada, surge, como afirma S. João da Cruz a noite escura dos sentidos e da inteligência em que nada vemos. Nessa ocasião devemos dizer: Senhor, eu não compreendo mas aceito, porque acredito em Ti. É um ato de Fé. Quais as dificuldades para entrar nesta porta? O papa lembra-nos essas dificuldades:

o

1 Os homens construíram um mun-

Batismos:

Tornaram-se novos mem- bros da nossa Comunidade:

Batismos: Tornaram-se novos mem- bros da nossa Comunidade: Dia 02 - Mariana Filipa Amaral Loureiro Caldas,
Batismos: Tornaram-se novos mem- bros da nossa Comunidade: Dia 02 - Mariana Filipa Amaral Loureiro Caldas,

Dia 02 - Mariana Filipa Amaral Loureiro Caldas, filha de Filipe Manuel Loureiro Caldas e de Dulce Marlene Pinto do Amaral, residentes na vila; Dia 23 - Matilde Pinto de Brito, filha de Alberto Manuel Melo Pinto de Brito e de Liliana Sofia Pinhota Brito, residentes em Odivelas; Dia 29 - Lara Filipa Correia de Castro, filha de António José Soares de Castro Vieira e de Juliana Pereira Correia, residen- tes na vila; Dia 29 - Frederico José Loureiro Maga- lhães Queirós da Fonseca, filho de Luís Frederico de Meneses Magalhães Adão da Fonseca e de Maria Catarina Loureiro Leão Ferreira de Queirós, residentes no Porto; Dia 29 - Camila Irene Baumann Luís, filha de Rui Jorge Ferreira Luís e de Mara Jocia- ne Baumann, residentes em Genebra.

29 - Camila Irene Baumann Luís, filha de Rui Jorge Ferreira Luís e de Mara Jocia-
29 - Camila Irene Baumann Luís, filha de Rui Jorge Ferreira Luís e de Mara Jocia-
29 - Camila Irene Baumann Luís, filha de Rui Jorge Ferreira Luís e de Mara Jocia-
29 - Camila Irene Baumann Luís, filha de Rui Jorge Ferreira Luís e de Mara Jocia-

ar puro, onde se vive

a verdadeira realida-

do para seu uso e

 
consumo. É difícil encontrar Deus neste nundo . 2 – Tudo está submetido ao controlo

consumo. É difícil encontrar Deus neste nundo. 2 Tudo está submetido ao controlo da razão e da liberda- de. Todavia a razão e a Fé são conciliáveis

colaborantes. A razão apoia a Fé e a Fé dá capacidade à razão. 3 A Fé incoerente de muitos cris- tãos, que não é acompanhada por um testemunho que a torne credível. Os cristãos têm de fazer uma purificação da sua vida, expulsando do seu coração ídolos antigos com tudo o que não é puro aos olhos de Deus. Como abrir esta porta da Fé? É o papa quem nos ensina a abrir esta porta:

e

de, onde desabro- chem sonhos, proje- tos, ideais. Este novo hori- zonte é o mundo da fé. Para entrar neste novo mundo, o papa escreveu para todos nós a carta apostóli- ca: A PORTA DA FÉ. Esta porta introduz-nos na vida de comunhão com Deus e está sempre aberta. Atravessar aquela porta é embre- nhar-se num caminho que tem início no Batismo e dura a vida inteira até à pas- sagem para a vida eterna. Ora, acontece que uma maioria dos nossos cristãos, talvez mesmo nós, per- demo-nos no caminho. Por isso o papa diz: “É necessário redescobrir o caminho da Fé.” Existe, uma grande dificuldade em mostrar esse caminho na medida em que as pessoas, na sua maioria, julgam ter fé suficiente, como afirma o papa:

“Julgam a fé um pressuposto da sua

Iniciar esta abertura por um ato de sincera HUMILDADE, uma vez que a confiança nas suas próprias forças, o orgulho, a autonomia, a autossuficiência

a presunção de saber tudo cegam o homem completamente.

e

Para eles e seus pais, desejamos as maiores felicidades.

Casamentos:

Celebraram o seu matrimónio durante o mês os seguintes noivos:

o seu matrimónio durante o mês os seguintes noivos: Dia 08 - João Paulo de Sousa
o seu matrimónio durante o mês os seguintes noivos: Dia 08 - João Paulo de Sousa

Dia 08 - João Paulo de Sousa Augusto e Maria Manuela de Carvalho Almeida Pinto de Sousa.

Para eles desejamos as maiores felicida- des no novo estado de vida.

Funerais:

Faleceram na nos- sa Comunidade: Dia 02 - Alberto da Fonseca, residente no Enxertado; Dia

Faleceram na nos- sa Comunidade:

Faleceram na nos- sa Comunidade: Dia 02 - Alberto da Fonseca, residente no Enxertado; Dia 08

Dia 02 - Alberto da Fonseca, residente no Enxertado; Dia 08 - Manuel Rosa Pedro, residente no Lar de Idosos; Dia 13 - Teresa de Jesus, residente no

no Enxertado; Dia 08 - Manuel Rosa Pedro, residente no Lar de Idosos; Dia 13 -
no Enxertado; Dia 08 - Manuel Rosa Pedro, residente no Lar de Idosos; Dia 13 -

vida”. A Fé precisa de abrir-se ao infinito

Pe. Martins

lugar de Poçarro (S. João de Fontoura); Dia 19 - Olívia do Patrocínio Silva, resi- dente em Rendufe; Dia 25 - Aurora Adelaide, residente em Loureiro.

Dia 19 - Olívia do Patrocínio Silva, resi- dente em Rendufe; Dia 25 - Aurora Adelaide,
Dia 19 - Olívia do Patrocínio Silva, resi- dente em Rendufe; Dia 25 - Aurora Adelaide,
   

Pensamento do Mês

A compreensão é a recompensa da fé. Portanto não procures com- preender para crer, mas antes crê para compreender”. Santo Agostinho

Aos

seus

familiares

apresentamos

as

nossas sentidas condolências.

 
 
  Janeiro  
  Janeiro  
 
  Janeiro  

Janeiro

 
 

em

destaque

 
 

LOBIEXPLORA

Nos passados dias 1 e 2 de dezembro, realizou-se na nossa sede um acantona- mento entre Lobitos e Exploradores, ao qual demos o nome de ―LOBIEXPLORA‖. No primeiro dia, de manhã, fizemos o nosso pórtico com a ajuda da Comissão de Serviço dos Lobitos. Depois de o pórtico estar pronto fomos almoçar. O almoço foi muito animado, pois teve algumas anedotas pelo meio. De tarde, dobramos os Jornais enquanto ensaiávamos as músicas para a missa e para o fogo de conselho. À noite, celebrou-se a missa e o fogo de conselho com a presença e ajuda de alguns pais. Em seguida fizemos alguns jogos. No dia seguinte, preparou-se o pequeno-almoço e, depois de tudo arrumado, fizemos alguns jogos. Mais tarde preparou-se o almoço. Em seguida arrumados a cozinha e fomo-nos embora. Eu gostei muito, pois foi um acantonamento com os dois grupos mais novos dos escuteiros, o que me fez relembrar a minha presença nos Lobitos. Agradeço a todos os que estiveram presentes no nosso acantonamento, bem como a colaboração dos Chefes e da Comissão de Serviço dos Lobitos.

 

Dia 01:

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus;

-

-

Dia Mundial da Paz;

 

Dia 02:

-

Memória de S. Basílio Magno e S.

Gregório de Nazianzo; Dia 03:

 

-

Ultreia dos Cursistas;

Dia 04:

-

1ª Sexta-Feira - confissões;

 

Dia 05:

Ceia de Reis do Grupo Coral; Dia 06:

-

 

Solenidade da Epifania do Senhor; Dia 13:

-

Festa do Batismo de Jesus; Dia 14:

-

 
 

Patrícia Oliveira (Guia da Patrulha Pantera)

Laus Perene da Paróquia; Dia 17:

-

 
 
 
 
 

-

Memória de Santo Antão;

 

Ultreia dos Cursistas; Dia 18:

-

Festa da Mãe e das mães!

Festa da Mãe e das mães! A cerimónia da Solenidade da Imacula- da Conceição de Nossa

A cerimónia da Solenidade da Imacula- da Conceição de Nossa Senhora, a que se associa a Festa das Mães, foi preparada pela secção dos Lobitos com a colaboração das restantes secções dos Escuteiros. Os chefes desta secção e alguns caminheiros foram incansáveis na preparação desta cerimónia que foi emotivamente vivida por todos os pre- sentes, especialmente pelas mães que neste dia, em particular, resplandeciam a sua beleza interior. Em cada leitura realizada, em cada momento de reflexão, em cada cântico entoa- do, foram transmitidas e interiorizadas bonitas mensagens repletas de significados. Obrigada a todas as Mães pelas mães que são e pelos filhos e pessoas que nos ajudam a ser.

- Início da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos;

Caminhada do Grupo de Jovens; Dia 19:

Formação ―Creio na Igreja Una, San- ta, Católica e Apostólica…‖ Dia 20:

- Padroeiro da Diocese; Dia 21:

- Memória de Santa Inês;

- Reunião do Conselho de Pastoral -

21h;

Dia 24:

Memória de S. Francisco de Sales; Dia 25:

-

Encerramento da Semana de Ora- ção pela Unidade dos Cristãos; Dia 26:

-

-

-

-

-

Solenidade

de

S.

Sebastião

Festa da Conversão de S. Paulo;

-

Memória de S. Timóteo e S. Tito;

 
 

-

Pista ―Rota das Capelas‖ - Escutei-

 

Inês Matos (Lobita)

ros; Dia 27:

 
 

São aniversariantes no mês de janeiro:

Campanha de luta contra a lepra; Dia 28:

-

 

Aspirante a Lobito Diogo Pedro (15), Lobito Nelson (04); Exploradora Solange (21); Pioneira Ana Cristina (24); Dirigente Adérito Dias (07).

Memória de S. Tomás de Aquino; Dia 31:

-

- Memória de S. João Bosco;

 

P A R A B É N S!!!

- Ultreia dos Cursistas.

 
O projeto pessoal de vida O 1096 em Notícia Nos dias 1 e 2 de
O projeto pessoal de vida O 1096 em Notícia Nos dias 1 e 2 de
O projeto pessoal de vida O 1096 em Notícia Nos dias 1 e 2 de

O projeto pessoal de vida

O 1096 em Notícia

O 1096

em

Notícia

O projeto pessoal de vida O 1096 em Notícia Nos dias 1 e 2 de dezembro

Nos dias 1 e 2 de dezembro os Pionei- ros colaboraram na campanha de reco- lha de alimentos promovida pelo Ban- co Alimentar contra a fome. No mesmo de reco- lha de alimentos promovida pelo Ban- co Alimentar contra a fome. No mesmo fim de semana e no anterior, do mesmo modo, alguns exploradores e caminhei- ros participaram numa campanha para- lela promovida pela Conferência de S. Vicente de Paulo da Paróquia. É o senti- do da solidariedade que faz parte da nossa formação e que, nesta quadra de Natal ganha maior expressão. Valeu a pena o esforço para ajudar quem mais precisa.

Nos dias 1 e 2 de dezembro decorreu o “Lobiexplora” , acantonamento de Lobi- tos e Exploradores. O espaço escolhido foi a nossa sede “Lobiexplora”, acantonamento de Lobi- tos e Exploradores. O espaço escolhido foi a nossa sede e inseriu-se no desen- volvimento das atividades de estágio do candidato a Dirigente, José Luís. A ativi- dade foi muito bem sucedida, quer pela orientação e dinâmicas estabelecidas quer pelo envolvimento e participação de todos os elementos. Parabéns Zé Luís.

No dia 7 de dezembro decorreu a Vigília da Imaculada Conceição em prepara- ção da sua Solenidade que decorreu no dia 8 e à Imaculada Conceição em prepara- ção da sua Solenidade que decorreu no dia 8 e à qual nós associamos a Festa das Mães. Participámos em ambas as cerimónias, como de costume, sendo especiais dinamizadores os Lobitos.

No dia 22 de dezembro decorreu a Fes- ta de Natal da Paróquia . Como não podia deixar de ser, lá estivemos Fes- ta de Natal da Paróquia. Como não podia deixar de ser, lá estivemos a assi- nalar a nossa presença e participação naquela noite longa de vivência do espí- rito natalício em família paroquial. Crian- ças, jovens e adultos dos diversos gru- pos de pastoral paroquial dinamizaram um espetáculo que durou cerca de três horas entre canções, peças de teatro, representações, mensagens… tudo com o espírito do verdadeiro natal… e o Menino Jesus esteve presente!

Atividades de janeiro:

«A atitude de "pôr-se a caminho", a imagem do apóstolo peregrino, pressupõe, para cada caminheiro, traçar esse cami- nho. A estrada é um lugar de perseverança, de experiência de uma lenta e paciente construção de si mesmo, de aprendizagem da capacidade de se comprometer para além do imediato, e de ir até ao fim do seu compromisso. É fascinante neste ideal a capacidade de servir tanto aos extrovertidos como aos mais tímidos, tanto aos músicos como

todos quererão ser um dia professores, ou

dar um concerto no Central Park ou participar nuns Jogos Olím- picos. Traçar estas metas é desenhar um projeto pessoal de vida. São metas orientadoras não necessariamente obrigatórias nem definitivas, que criamos quando olhamos para o nosso futu- ro. Este projeto deve ser elaborado de forma a proporcionar o enriquecimento e o desenvolvimento das qualidades do cami- nheiro (técnicas, físicas, morais, sociais, intelectuais, vocacio- nais, espirituais), o respeito pelos valores propostos na mística, a progressão sugeri- da no sistema de progresso e os fins do caminheirismo».

In, http://cne25.planetaclix.pt

aos desportistas

In, http://cne25.planetaclix.pt aos desportistas Dois meses de grandes atividades No fim do mês de novembro
In, http://cne25.planetaclix.pt aos desportistas Dois meses de grandes atividades No fim do mês de novembro

Dois meses de grandes atividades

No fim do mês de novembro e no início do mês de dezembro decorreram, mais uma vez, campanhas de solidariedade, em novembro pela Conferência de S. Vicente de Paulo e em dezembro pelo Banco Alimentar contra a fome. Muitos jovens aderiram a estas campanhas ajudando na recolha de alimentos e nós, Pioneiros, tanto numa como noutra marcamos presença. Estas campanhas mos- tram o quanto as pessoas podem ser generosas pois foi ainda significativo o resulta- do desta recolha. Mesmo com a crise que atravessamos, as pessoas tentam ajudar ao máximo e penso que isso não é só aqui em Resende mas sim em todo o lado. É bom ajudar mesmo sabendo que não receberemos nada em troca, este sim é o verdadeiro significado de ajudar, sentir-se bem ao fazê-lo mesmo sabendo que não ganhará nada em troca, quer dizer, para algumas pessoas. Sim recebe-se, a felicida- de de ver os outros bem e neste espírito natalício nada é mais propício do que ajudar os outros. No passado dia 22 de dezembro decorreu também, mais uma vez, a nossa Festa de Natal da Paróquia no Externato D. Afonso Henriques, que contou com peças de teatro, canções e reflexões e participaram desde as crianças da catequese, Cursis- tas, Grupo Coral, Escuteiros, etc. Mais um grande convívio e uma atividade com grande sucesso em que o salão polivalente esteve praticamente cheio de pessoas que não quiseram perder momen- tos de reflexão e também de grande descontração. Todos os que passaram por aque- le palco estão de parabéns pois correu tudo muito bem fazendo então mais uma festa excelente. E, como não podia deixar de ser, fica aqui o agradecimento ao Senhor Padre José Augusto e Padre Martins por conduzirem esta paróquia sempre no bom caminho e também a todos aqueles que ajudaram na animação, na preparação, na participação, decoração e também aos técnicos de som. Obrigada e Parabéns Paróquia de Resende por mais um ano repleto de ativida- des de grande sucesso!

 
Jan. – Dia Desportivo (Lobitos); Jan. – Preparação / Acampamento de pais (Lobitos);

Jan. Dia Desportivo (Lobitos);

Jan. – Preparação / Acampamento de pais (Lobitos);

12 19 jan. – Dia Desportivo (Pioneiros); jan. – Jogos Tradicionais

12

19

jan. Dia Desportivo (Pioneiros);

jan.

Jogos

Tradicionais

(Exploradores);

 

Inês Pedro (Guia da Equipa Vasco da Gama)

26 de jan. – Pista ―Rota das Capelas‖.

26

de jan. – Pista ―Rota das Capelas‖.

A cultura é a única bagagem que não ocupa espaço… Curiosidades: 1. O pavão usa
A cultura é a única bagagem que não ocupa espaço… Curiosidades: 1. O pavão usa

A cultura é a única bagagem que não ocupa espaço…

A cultura é a única bagagem que não ocupa espaço…

Curiosidades:

1. O pavão usa a sua beleza para se exibir e atrair as fêmeas. Se as penas caírem, nascem de novo.

2. As pautas de música foram inventadas pelo monge beneditino Guido d’ Arezzo, no século XI. São 4 linhas e sete notas.

3. Os coletes à prova de bala, as escadas de incêndio, o limpa-para-brisas e as impressões a laser têm em comum o facto de terem sido invenções feitas por mulheres.

4. “Entrar com o pé direito” deriva de uma tradição dos Romanos, sugerindo que dá sorte. Esquerdo em latim diz-se “sinistrum” (sinistro), uma palavra antipática.

5. “Jurar a pés juntos” é uma expressão que surge na época da Inquisição, onde os acusados tinham os pés amarrados (juntos) e eram torturados até dizerem a verdade.

6. Em todo o mundo, milhões de árvores são “acidentalmente” plantadas por esquilos que enterram nozes e não sabem onde as puseram.

7. No tempo de D. Afonso Henriques, o tempo médio de vida era de 35 anos. Mas ele morreu com 74 anos de idade.

8. “Cai o Carmo e a Trindade” é uma expressão que significa desgraça. Recorda o que aconte- ceu no terramoto de Lisboa em 1755 em que caíram os grandes conventos do Carmo e da Trindade.

9. Na América, os índios andavam sempre em fila com o propósito de apagarem as pegadas dos que iam à frente. Por isso, ainda hoje se diz: caminhar em fila indiana.

10. Ninguém consegue lamber o próprio cotovelo. 75% dos que leem esta curiosidade tentam lamber o próprio cotovelo. 11.A maior palavra portuguesa é “pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico”, com 46 letras. Só existe nos livros de cientistas.

(In Revista “Juvenil”)

O que é uma impressão digital genética?
O que é uma impressão digital genética?

A saliva possui células que, sendo diferentes de pessoa para pessoa, possuem uma informação genética única. Se, por exemplo, um crimi- noso deixar no lugar do crime uma ponta de cigarro, os peritos con- seguem, a partir dela, determinar o seu ADN (ácido desoxirribonu- cleico), ou seja, a sua informação genética. Esta pode ditar a sua cul- pa, pois o ADN é, tal como as impressões digitais, único e exclusivo de cada pessoa. O ADN pode ser encontrado em vestígios de san- gue, no esperma e nos cabelos.

Com

Com

quatro

letras

apenas,

sou

fácil de

Adivinha

quatro letras apenas, sou fácil de Adivinha rixa, só no mar sou desejada.  

rixa,

no

mar

sou

desejada.

 
Tenho olhos

Tenho

olhos

e

não

conhecer; ferramenta, rio ou peixe, nome de homem ou mulher. Já me deves ter comido, como fruta apetecida e mesmo como cidade sou bastante conhecida.

fruta apetecida e mesmo como cidade sou bastante conhecida. Uma senhorita, muito asse- nhorada, nunca sai

Uma senhorita, muito asse- nhorada, nunca sai à rua, anda sempre molhada. O que é?

vejo, tenho boca e não falo, ando e não tenho pernas.

Do lado esquerdo estão dez, do lado direito outros dez; se lhes subtrair dez ainda ficam dez.é? vejo, tenho boca e não falo, ando e não tenho pernas. quanto mais come tem

quanto

mais come tem mais fome?

quedez ainda ficam dez. quanto mais come tem mais fome? é, que é, Qual é a

é,

que

é,

Qual é a coisa qual é ela, pequenina como abelha, enche a casa até à telha?ficam dez. quanto mais come tem mais fome? que é, que é, Diga-me cá, ó senhor,

Diga-me cá, ó senhor, já que é tão adivinhão, que me vem a mim a ser a sogra da mulher do meu irmão?é ela, pequenina como abelha, enche a casa até à telha? Sou um nobre muito rico

Sou um nobre muito rico feito por sábio engenho. Dou-vos tudo quan- to tenho, com quanto tenho me fico.que me vem a mim a ser a sogra da mulher do meu irmão? Sou uma

Sou uma dama preciosa dos mance- bos desejada, os cães comigo têmdo meu irmão? Sou um nobre muito rico feito por sábio engenho. Dou-vos tudo quan- to

Alivie o stress…

… sorria!

Na esplanada:

- O que tem de fresco?

- Gelados!

- E uma coisa ainda mais fres-

ca?

- Mais fresca é a tinta do ban-

co onde se sentou! ————————————–———————— Um bêbado regressa a casa e encontra a porta fechada. Bate e grita à mulher:

- Teresa, atira-me cá para baixo a chave da

casa!

A mulher, impaciente, diz:

- Aqui a tens.

- Agora atira-me também o buraco da fecha-

dura, que não o encontro. ——————————–—–———————— Duas mães falam dos seus filhos.

- O meu filho é formidável. Tem cinco anos e

já levanta dez quilos…

- Pois o meu filho só tem três meses e, duran-

te a noite, levanta toda a família!

————————————————————-

O filho da patroa da casa diz ao menino da

porteira:

- Sabes, Alfredo, quem faz os meninos é a cegonha! Vêm de Paris!

- Eu sei, mas nós lá em casa somos muito

pobres e é a minha mãe quem faz sempre os

bebés!

————————————————————-

- Jaime, porque copiaste a redação pelo teu

irmão?

fácil… era falar da mãe!

O tema que vos tinha dado era muito

era falar da mãe! O tema que vos tinha dado era muito - Senhor professor, nós

- Senhor professor, nós temos a mesma mãe. Se eu dissesse coisas diferentes das que tinha dito o meu irmão, diria mentiras!

————————————————————-

A criança disse à tia rica e solteira:

- Tia, não quer fechar os olhos?

Admirada perguntou:

- Porque me perguntas isso?

- Os meus pais disseram que, quando a tia

fechasse os olhos, ficaremos ricos! ———————————————————— Duas meninas:

- Eu nunca vou ter filhos…

- Porquê?

- Ouvi dizer que o download demora 9 meses!

————————————————————-

Um aluno vai ter com o professor de matemá-

tica.

- Senhor professor, se não me passar, vou afogar-me no rio!

- Impossível: as abóboras ficam sempre a boiar

Respostas do número anterior: - Lâmpada - Letra d - Laranja - Letra j -
Respostas do número anterior:
- Lâmpada
- Letra d
- Laranja
- Letra j
- Lebre
- Letra m
- Letra a
- Letra p
- Letra a
- Letra z
- Letra b
- Língua

Festa de Natal da Paróquia

Festa de Natal da Paróquia No passado dia 22 de dezembro realizou-se mais uma vez a

No passado dia 22 de dezembro realizou-se mais uma vez a célebre Festa de Natal da paróquia de Resende, com o intuito de celebrarmos e relembrarmos o verdadei- ro significado do Natal, partilhando, assim, esta alegre noite com os nossos familiares, amigos, colegas de catequese e catequistas. A festa contou com a participação dos vários grupos da catequese, que nos pre- sentearam com variadas apresentações, nomeadamente a interpretação de canções de Natal e peças teatrais, contou também com a participação dos escuteiros, dos cursistas, dos paroquianos crismados em 2011, com a estimada e respeitada palavra do Sr. Abade e com uma participação especial das catequistas. Tivemos, ainda, a oportunidade de observar um diaporama realizado pelo ex catequista Miguel Pereira. O Grupo Coral da Igreja de Resende não se mostrou indiferente, participando também nesta festa com as tradicionais canções de Natal, mas não se ficou por aí, este ano preparou uma agradável surpresa aos paroquianos, apresentando um teatro intitulado: ‗Grupo Coral em Cena‘ da autoria de Marinho Almeida, com a encenação do próprio, juntamente com Joaquim Pereira, Inês Pereira e Margarida Almeida, proporcionando assim um momento descon- traído, onde não faltaram umas boas gargalhadas. Para esta festa Inês Pedro e Fábio Martins vestiram os papéis de apresentadores, fazendo um excelente trabalho. Por fim, as crianças deliciaram-se com a aparição do Menino Jesus, encarnado por Lucas Duarte, dando-se, assim, o desfecho desta maravilhosa festa. Foi com muita alegria, amor e ternura que toda a comunidade desfrutou desta divertida festa, não esquecendo o motivo tão importante pelo qual a festejamos: o nascimento do nosso Sal- vador.

Margarida Marinho Almeida (9º ano de catequese)

A festa da paróquia de Resende realizou- se no dia 22 de dezembro pelas 20:30 no poliva- lente do Externato D. Afonso Henriques com a colaboração das crianças da catequese e restan- tes grupos da paróquia. Iniciamos a festa com as crianças da catequese a cantarem várias músicas:

Estrelinha de Belém, Menino Jesus, É Natal, É Natal e Toca o Sino. Houve também teatros repre- sentados pelos outros grupos da paróquia. No fim da festa, como já é habitual, o Meni- no Jesus foi ao palco e atirou rebuçados para as pessoas. Foi assim uma festa que as pessoas gosta- ram, com paz, harmonia e espírito natalício. Obri- gada pela colaboração.

Rita Pereira (5º ano de catequese)

gada pela colaboração. Rita Pereira (5º ano de catequese) No dia 22 de dezembro, pelas 20:30h,
gada pela colaboração. Rita Pereira (5º ano de catequese) No dia 22 de dezembro, pelas 20:30h,

No dia 22 de dezembro, pelas 20:30h, no polivalente do Exter- nato D. Afonso Henriques, decorreu mais uma vez a Festa de Natal da Paróquia de Resende. Assim como todas as outras, esta Festa rica em cultura, contou com a presença de alunos da catequese e os seus respetivos catequis- tas, alguns jovens crismados em 2011, Escuteiros, Cursistas e Grupo Coral de Resende que realizaram peças de teatro com reflexões sobre o verdadeiro espírito do Natal e canções. Foi sem dúvida um grande sucesso devido à presença de mui- tas pessoas que assistiram a talentos que existem em Resende. Como fonte de convívio e descontração foi uma noite cheia de aprendizagem. Queremos desde já agradecer ao André Sequeira pela sua dis- ponibilidade e à sua incansável ajuda com a nossa peça de teatro. Reconhecemos o esforço do Padre José Augusto e do Padre Martins necessário para conduzir esta comunidade pelos bons caminhos, deixa- mos um enorme agradecimento, assim como àqueles que nos propor- cionaram esta noite cheia de ensinamentos. Um grande obrigado à Paróquia de Resende!

Vitória Sequeira (Jovens Crismados em 2011)