P. 1
Revalida 2012 Padrao Respostas Prova Discursiva(1)

Revalida 2012 Padrao Respostas Prova Discursiva(1)

|Views: 6|Likes:
Publicado porManoel Aguiar

More info:

Published by: Manoel Aguiar on Nov 13, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/25/2015

pdf

text

original

Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira GABARITO – REVALIDA 2012

PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 1

a) Amigdalite estreptocócica, amigdalite aguda purulenta, amigdalite purulenta, faringoamigdalite estreptocócica, faringoamigdalite aguda purulenta ou faringoamigdalite purulenta. 2,5 pontos b) Penicilina G benzatina, Penicilina benzatínica, Benzilpenicilina ou Benzetacil (nome comercial). A dose recomendada para crianças acima de 25 kg é de 1.200.000 UI, por via intramuscular. 2,5 pontos c) Para o diagnóstico de febre reumática são utilizados os Critérios de Jones (1992) modificados sendo critérios maiores e menores. Os critérios maiores são: cardite, artrite, coréia de Sydenham, eritema marginado e nódulos subcutâneos. Os critérios menores são: febre, artralgia, elevação dos reagente de fase aguda (VHS, PCR) e intervalo PR prolongado no ECG. Para o diagnóstico de GNDA a tríade clássica edema, hematúria e hipertensão, com dosagem da fração C3 do complemento diminuída são suficientes 2.5 pontos d) Não. A profilaxia secundária está indicada para pacientes com diagnóstico de febre reumática. Consiste na administração contínua de antibiótico específico ao paciente portador de febre reumática prévia ou cardiopatia reumátia comprovada, com o objetivo de prevenir colonização ou infecção de via aérea superior pelo estreptococo beta-hemolítico do grupo A (EBGA), com consequente desenvolvimento de novos episódios da doença. Não se indica profilaxia para GNDA 2,5 pontos

PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 2 a) a principal hipótese diagnóstica:     Prenhez ectópica íntegra/ Gravidez ectópica íntegra.0 pontos: Prenhez ectópica íntegra/ Gravidez ectópica íntegra. New York: McGraw Hill Medical. Prenhez tubária não rota/Gravidez tubária não rota. Tratamento e Prevenção da Febre Reumática. uma vez que nos casos onde ocorreu rotura costumam estar presentes sinais e sintomas de sinais e sintomas de hemoperitônio e choque. Prenhez tubária íntegra/Gravidez tubária íntegra. Brasília: Ministério da Saúde. Prenhez tubária rota /Gravidez tubária rota. JAMA. Ministério da Saúde.4): 1-18. Prenhez ectópica não rota/Gravidez ectópica não rota.5 pontos: Prenhez ectópica/ Gravidez ectópica/ Prenhez tubária/Gravidez tubária 0 ponto: Prenhez ectópica rota/ Gravidez ectópica rota. Special writing group of the Committee on Rheumatic Fever. 23rd ed. 3. Portaria n° 156/2006 que dispõe sobre o uso da penicilina na atenção básica à saúde e nas demais unidades do Sistema Único de Saúde (SUS).Referência bibliográficas: 1. Diretrizes Brasileiras para o Diagnóstico. associada a abdome distendido e silencioso. Valor a ser atribuído segundo o padrão de resposta:    2. Endocarditis and Kawasaki Disease on the Council of Cardiovascular Disease in the Young of the American Heart Association. 2. DAJANI. Prenhez ectópica não rota/ Gravidez ectópica não rota. 2010. Arq Bras Cardiol 2009. Secretaria de Vigilância em Saúde. com dor de forte intensidade. 1992. 1. Prenhez tubária não rota/Gravidez tubária não rota. 1992 update. CUNNINGHAM & COLS. Esta não é a principal hipótese diagnóstica. 2006. Prenhez tubária íntegra/Gravidez tubária íntegra. . Referência bibliográficas: 1. BRASIL. dor no ombro e abaulamento de fundo de saco vaginal. AS. Guidelines for the diagnosis of rheumatic fever: Jones Criteria. 93(3 supl. 268: 2069-73. Williams Obstetrics.

Gestação de alto risco: manual técnico.4 pontos para qualquer um dos itens mencionados e não repetidos-máximo 2. 2010. CUNNINGHAM & COLS. b) cinco informações que justificam a principal hipótese diagnóstica para esse quadro clínico:            sangramento vaginal/ sangramento vaginal tipo borra de café dor em baixo ventre/ dor tipo contínua em baixo ventre/ dor abdominal aguda data da última menstruação desconhecida início precoce da atividade sexual (antes dos 18 anos) múltiplos parceiros sexuais história anterior de cirurgia abdominal/história anterior de apendicectomia ausência de sinais de instabilidade hemodinâmica presença de sangue em canal vaginal útero ligeiramente aumentado de volume dor à palpação em região anexial direita massa palpável em região anexial direita Valor a ser atribuído segundo o padrão de resposta:  0.0 ponto para qualquer um dos itens mencionados e não repetidos-máximo 2. Williams Obstetrics. ed. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Brasília (DF).com/dynamed/. EBSCO DynaMed website.ebscohost. Acessado em 26 de agosto 2012. 23rd ed. ECTOPIC PREGNANCY. 2. 2010.0 pontos Referência bibliográficas: 1. c) dois diagnósticos diferenciais a serem considerados para o caso:        Gravidez intrauterina/Gravidez intrauterina normal Ameaça de abortamento/Abortamento tópico/Ameaça de abortamento tópico Abscesso pélvico Torção de ovário Endometrioma Corpo lúteo hemorrágico Tumor ovariano/Neoplasia ovariana Valor a ser atribuído segundo o padrão de resposta:  1.0 pontos Referências bibliográficas: . New York: McGraw Hill Medical. Atualizado em 23 de abril de 2012.2. 5. Disponível em: http://www.

Gestação de alto risco: manual técnico. ECTOPIC PREGNANCY. 2.   Imagem: Ultrassom (USG) transvaginal/ Ultrassom (USG) pélvico transvaginal/ Ultrassom (USG) pélvico Exame laboratorial: Dosagem da fração beta do hormônio gonadotrófico coriônico (βHCG)/ βHCG sanguíneo/ Beta HCG sanguíneo/Dosagem de gonadotrofina coriônica. 2010. ECTOPIC PREGNANCY. 4. Infertilidade/ Subfertilidade/Dificuldade para conceber/Dificuldade para engravidar Valor a ser atribuído segundo o padrão de resposta:  1.25 pontos se for citado apenas ultrassom /ultrassonografia/USG. Atualizado em 23 de abril de 2012. Acessado em 16 de agosto de 2012. 23rd ed. d) dois exames complementares a serem solicitados para confirmação da hipótese diagnóstica.1.com/contents. ed. Atualizado em 17 de julho de 2012. 2010. Atualizado em 17 de julho de 2012.0 ponto para qualquer um dos itens mencionados e não repetidos-máximo 2 pontos . UpToDate website. 3. Valor a ser atribuído segundo o padrão de resposta:   1.0 ponto para qualquer um dos itens mencionados e não repetidos-máximo 2 pontos Observação: relação ao exame de imagem creditar 0. 5. Brasília (DF). 23rd ed. Disponível em: http://www. 2010. CUNNINGHAM & COLS. Acessado em 26 de agosto 2012. Williams Obstetrics. Recidiva Prenhez ectópica/ Gravidez ectópica/ Prenhez tubária /Gravidez tubária.ebscohost. Acessado em 16 de agosto de 2012. Williams Obstetrics. EBSCO DynaMed website. Disponível em: http://www.com/dynamed/. ECTOPIC PREGNANCY. New York: McGraw Hill Medical. CUNNINGHAM & COLS.uptodate. 2. New York: McGraw Hill Medical. e) duas complicações decorrentes da principal hipótese diagnóstica:    Prenhez ectópica rota/ Gravidez ectópica rota/ Prenhez tubária rota/Gravidez tubária rota/ Rotura tubárea. MINISTÉRIO DA SAÚDE. UpToDate website.uptodate. Disponível em: http://www. Referências bibliográficas: 1.com/contents.

2. 2 curvas 60% B) Descreva o estado nutricional do menor considerando os índices avaliados.Referências bibliográficas: 1. EBSCO DynaMed website. ECTOPIC PREGNANCY. 23rd ed. CUNNINGHAM & COLS. Acessado em 26 de agosto 2012 PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 3 A) Plote nas curvas anexas os dados antropométricos. 2.com/dynamed/. Disponível em: http://www. 2010.ebscohost.0 pontos .0 pontos Pontuação por acerto parcial por percentual do valor do subitem: : plotou uma curva certa 30%. Atualizado em 23 de abril de 2012. New York: McGraw Hill Medical. Williams Obstetrics. 2.

2. 2 descrições corretas 60% C) Cite a(s) patologia(s) que deve(m) ser investigada(s) relacionada(s) aos diagnóstico nutricional e os exames subsidiários necessários a investigação neste momento quando pertinentes.HDL.0 pontos Síndrome metabólica OU. Resistência Insulinica ou diabetes tipo 2. ou TGO/TGP) Pontuação por acerto parcial por percentual do valor do subitem: se não respondeu sindrome metabólica. Clesterol tota e freções . Função hepática (ou Alanina aminotransferase. ou TGP. 2. 1 exame: 20% 2 exames: 40% D) Cite duas outras medidas antropométricas que poderiam ter sido feitas e descreva a execução de uma delas. Perfil lipídico (ou Triglicerídeos. Hipertensão arterial Exames: Glicemia de jejum. Peso elevado para idade ou peso alto para a idade. e respondeu um única patologia: 20% 2 patologias corretas:40%. Dislipidemias ou hipertrigliceridemia ou hipercolesterolemia.E/I P/I IMC/I Altura adequada para idade ou estatura adequada para idade.0 pontos .( não aceitar obesidade/sobrepeso/obesidade grave) Obesidade ou Obsesidade leve/moderada (não aceitar sobrepeso ou Obesidade grave) Pontuação por acerto parcial por percentual do valor do subitem: 1 descrição correta 30%. LDL e ).

0 pontos Alimentar (qualquer três das abaixo): Não proibir nenhum alimento. No ponto médio em região posterior faz-se a mesdida com o braço agosra extendido. leite semidesnatado ou derivados lácteos não gordurosos. mas restringir/reduzir o consumo de alimentos muito calóricos( ricos em açucar e gordura como salgadinhos. OU Prega subescapular: mede-se com auxílio do adipômetro (=plicômetro ou paquímetro) um prega de pele de 2cm de profundidade localizada a 2cm abaixo da escápula. Essa medida serve para a avaliação indireta da gordura visceral. . 3 porções dia. OU Circunferência braquial: Mede-se a distância úmero-olécrano na parte lateral do braço com este fletido a 90o. associar em média 6 porções de frutas e verduras. 2. restringir o uso de embutidos e o excesso de sal. associar alimentos ricos em fibras. preferencialmente os cereias integrais. OU Prega tricipital: Mede-se a distância úmero-olécrano na parte lateral do braço com este fletido a 90o. Pontuação por acerto parcial por percentual do valor do subitem: 1 medida sem descrição: 20% 2 medidas sem descrição: 60% 1 medida com descrição correta: 80% E) Faça um proposta de orientação alimentar (pelo menos três orientações) e comportamental (pelo menos duas proposições) a ser feita para o menor e sua família. biscoito recheado.Circunferência Abdominal: deve-se marcar. o ponto médio entre a última costela fixa (décima) e a borda superior da crista ilíaca. inicialmente. local onde a fita inextensível será colocada. No ponto médio em região posterior pinça-se a dobra de pele com profundidade de 2cm e mede-se esta prega com au´silio de um adipômetro. refrigerantes). fastfood.

saude. Pontuação por acerto parcial por percentual do valor do subitem: 1 orientação alimentar correta: 10% 2 orientações alimentares corretas 30% 3 orientações alimentares corretas: 50% 1 orientação comportamental: 30% 2 orientação comportamental: 50% Referência bibliográficas: 1. etc Inscrever a criança em atividades regulares como escolinha de futebol. Não comer assistindo televisão. capoeira etc. Organizar o horário das refeições junto com toda a família. televisão e computador. Organizar o horário das refeições junto com toda a família. Evitar líquidos em excesso durante as refeições.br/sisvan. http://nutricao. Comportamental (qualquer duas das abaixo): Atividades regulares ao ar livre como andar de bicicleta. passear no parque ou jogar bola.php?conteudo=curvas_cresc_oms. Orientar estas medidas para o lanche da escola. . Orientar a mãe a não supervalorizar a alimentação nem forçar a criança a comer quando já estiver satisfeita ou comer mais quando doente.gov.Não prescrever alimentos "ligth". natação. SISVAN sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. Acessado em 14/08/2012. Avaliar presença de fatores de estresse e a necessidade de psicoterapia para o binônio/família. evitar refrigerantes. Limitar o tempo de video game.

páginas 2132 e 2133). DL. KASPER. JL & LOSALSO J. Harrison’s Principles of Internal Medicine. DL . CRB-65).sbp. 2012. JAMESON. pois a paciente não apresenta critérios de gravidade. a amostra de escarro deve ter mais que 25 neutrófilos e menos de 10 células epiteliais escamosas por campo de . Thorax 2009. Lim WS. KASPER. HAUSER. Disponível em http://www. 2ª. AS. Harrison’s Principles of Internal Medicine. 2012.pdf. Referência bibliográficas: 1. 2009. PA sistólica > 90 e diastólica > 60 mmHg e idade < 65 anos. Wunderink R. derrame pleural ou condições favorecedoras do processo pneumônico (ex: tumores. CURB-65. 2012.35(6):574-601.2. Departamento Cientí¿co de Nutrologia. (página iii27) 3. et al. DL. DL . envolvimento multilobar. (Site of Care. Chapter 257: Pneumonia. – São Paulo: SBP. alterações estruturais. pneumatoceles. justificando o tratamento fora do ambiente hospitalar. HAUSER. JAMESON. Baudouin SV. Wunderink R. Chapter 257: Pneumonia. 18th Edition. et al. c) Para ser adequada para utilização e interpretação. (Clinica diagnosis. bronquiectasias). SL. Mandell L. O paciente não pontua (zero pontos) no CRB-65. Aceitar se descrever os parâmetros da paciente sem mencionar o sistema de pontuação: ex: frequência respiratória < 30 irpm. O candidato deve mencionar algum critério conhecido de avaliação de gravidade de pneumonia aguda comunitária (PSI. Diretrizes brasileiras para pneumonia adquirida na comunidade em adultos imunocompetentes – 2009. nível de consciência normal. BTS guidelines for the management of community acquired pneumonia in adults: update 2009. AS.br/pdfs/14297c1Man_Nutrologia_COMPLETO. FAUCI. FAUCI. Mc Graw-Hill Companies Inc. Lundgren F. Obesidade na infância e adolescência – Manual de Orientação / Sociedade Brasileira de Pediatria. Corrêa R. 18th Edition. PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 4 a) Não há necessidade de internação hospitalar. padrão broncopneumônico. George RC. Mc Graw-Hill Companies Inc. Ed. SL.com. Sociedade Brasileira de Pediatria. JL & LOSALSO J. Mandell L. Referência bibliográficas: 1. páginas 2133 e 2134). J Bras Pneumol. 64 Suppl 3:iii1. In: LONGO. 2. In: LONGO. Pereira-Silva J. (página 582) b) Citar pelo menos três condições entre: presença de cavitações.

Wunderink R. 44 (Suppl 2):S27–72. amoxacilina+clavulanato. Referência bibliográficas: 1. Harrison’s Principles of Internal Medicine.35(6):574-601. Mc Graw-Hill Companies Inc. página 2133). JAMESON. sem comorbidades. KASPER. Anzueto A. FAUCI. Wunderink R. DL. Aceitar fluoroquinolonas respiratórias (moxi e levofloxacina 7 dias) e beta-lactâmicos 7 dias (amoxacilina. 18th Edition. cefuroxime) com ou sem macrolídeos associados. Referência bibliográficas: 1. Thorax 2009. Lundgren F. Lombalgia. HAUSER. et al. sem hospitalização ou uso de antibióticos prévios. DL. (página 579) d) Macrolídeos via oral (azitromicina 3 a 5 dias ou claritromicina 7 dias). DL . HAUSER. SL. 2012. In: LONGO. Pereira-Silva J. Mandell L. Lombalgia Idiopática. Lim WS. BTS guidelines for the management of community acquired pneumonia in adults: update 2009. DL . Lundgren F. Dor lombar). Site of Care. 2009. Chapter 257: Pneumonia. página S45 (tabela 7) 3. Clinical Infectious Diseases 2007. 2. Corrêa R. J Bras Pneumol. (página 586) PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 5 a) Qual a hipótese diagnóstica correto para o caso? 2. KASPER. Pereira-Silva J. Mc Graw-Hill Companies Inc. Aceitar doxiciclina 7 dias. SL. Wunderink R. 64 Suppl 3:iii1. Harrison’s Principles of Internal Medicine. FAUCI. (Gram’s stain. Baudouin SV. Diretrizes brasileiras para pneumonia adquirida na comunidade em adultos imunocompetentes – 2009. et al. visando cobertura para bactérias gram positivas (pneumococo) e germes atípicos em paciente com quadro de pneumonia aguda comunitária sem gravidade. J Bras Pneumol. et al. pois está nos guias internacionais. George RC. (página iii37 Tabela 5) 4. . Infectious Diseases Society of America/American Thoracic Society Consensus Guidelines on the Management of Community-Acquired Pneumonia in Adults. Diretrizes brasileiras para pneumonia adquirida na comunidade em adultos imunocompetentes – 2009. JL & LOSALSO J. 18th Edition. In: LONGO. Chapter 257: Pneumonia. Mandell L. páginas 2134 e 2135 (tabela 4). 2012. descartada.35(6):574-601. Corrêa R. JAMESON. AS.5 pontos Lombalgia crônica inespecífica (outras denominações possíveis e corretas: Lombalgia mecânica. JL & LOSALSO J. AS. 2.menor aumento. et al. Mandell L. 2009. portanto a amostra não tem valor diagnóstico e não deve ser interpretada e sim.

5 pontos O ibuprofeno deve ser suspenso.ausência de sinais radiculares c). pois trata-se de um anti-inflamatório não esteroidal inibidor não seletivo de Cox. 2. Seu uso intermitente neste caso e seu mecanismo de ação não opióide relacionado à inibição de recaptação de serotonina contribuem para ação analgésica eficiente. uma vez que existe um grande componente de insatisfação com a vida pessoal e profissional. 2. Hérnia de disco . O tramadol.b) Cite 2 diagnósticos diferenciais. Dentre os fármacos que a paciente está utilizando atualmente. .5 pontos Lombociatalgia – exame neurológico normal. apesar da utilização de opióide ser controversa para dor não neoplásica. Acompanhamento com psicoterapia. com riscos de tolerância e adição menores do que os opióides comuns. alongamento muscular e perda de peso Acompanhamento com nutricionista visando perda de peso. Deve ser evitado nos pacientes com doenças dispépticas e nos diabéticos pelo aumento do risco de insuficiência renal decorrente da redução do fluxo sanguíneo renal que é mediado pelas protaglandinas renais. identifique o que deve ser suspenso e justifique. identifique os dados descritos no caso que voce utilizou para afastá-los 2.5 pontos Incentivo à participação em um programa de atividades física visando melhorar a capacidade aeróbica. Manobra de elevação do MI em extensão negativa Espondilite anquilosante – HLA B27 negativo.cujo uso crônico está relacionado à toxicidade gástrica e renal. d) Enumere duas condutas não farmacológicas efetivamente úteis para o tratamento adequado desta paciente em longo prazo. está melhor indicado do que o AINE. além de frustração documentados na lombalgia crônica inespecífica. Raio x de sacroilíaca normal.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->