Você está na página 1de 2

Leitura de autores clssicos estimula o crebro, diz estudo

Resultado revela que atividade cerebral 'dispara' com semntica complexa. Pesquisa tambm sugere que poesia mais eficaz que livros de autoajuda.
Do G1, com informaes da EFE

Tweet
Comente agora

Pintura retrata Shakespeare; segundo estudo, textos do escritor estimulam atividade cerebral (Foto: Creative Commons cc-by-sa 3.0)

Um estudo da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, divulgado nesta tera-feira (15), sugere que ler autores clssicos, como Shakespeare e T.S. Eliot, estimula a mente. Alm disso, a pesquisa conclui que a poesia pode ser mais eficaz em tratamentos do que livros de autoajuda. Especialistas em cincia, psicologia e literatura inglesa da universidade monitoraram a atividade cerebral de 30 voluntrios que leram primeiro trechos de textos clssicos. Em seguidas, leram esses mesmos pargrafos traduzidos para a linguagem coloquial. Os resultados, que sero apresentados esta semana em uma conferncia, foram antecipados pelo jornal britnico "Daily Telegraph". De acordo com a publicao, os resultados mostram que a atividade do crebro "dispara" quando

o leitor encontra palavras incomuns ou frases com uma estrutura semntica complexa, mas no h reao quando o mesmo contedo expresso em linguagem coloquial, com frmulas de uso cotidiano. Esses estmulos se mantm durante um tempo, potencializando a ateno do indivduo, segundo o estudo, que usou textos de autores ingleses como Henry Vaughan, John Donne, Elizabeth Barrett Browning e Philip Larkin. Os especialistas descobriram ainda que a poesia " mais til que os livros de autoajuda", j que atinge o lado direito do crebro onde so armazenadas as lembranas autobiogrficas e ajuda a refletir sobre as memrias e entend-las sob outra perspectiva. "A poesia no s uma questo de estilo. A descrio profunda de experincias acrescenta elementos emocionais e biogrficos ao conhecimento cognitivo que j possumos de nossas lembranas", explica o professor Philip David, que vai apresentar o estudo. Os especialistas buscam compreender agora como a atividade cerebral foi afetada pelas contnuas revises de alguns clssicos da literatura que buscam adapt-los linguagem atual, como o caso das obras de Charles Dickens.