Você está na página 1de 2

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas

Escolares: metodologias de operacionalização


(Conclusão)

Sessão 7 - Tarefa 2

Análise e comentário crítico

Referências Agrupamento Agrupamento Agrupamento Agrupamento


nos relatórios de Escolas de Escolas de Escolas de de Escolas de
da IGE à BE Conde de Dra. Maria Vila Flor Rio de Mouro
Oeiras Alice Gouveia

Caracterizaç Pag.3
ão do
Agrupamento

Resultados Pag.6

Prestação do Pag.8 Pag.4 e 8 Pag.8


Serviço
Educativo

Organização Pag.9 Pag.10 Pag.9 Pag.9


e Gestão
Escolar

Liderança Pag. 10 e 11 Pag.11 Pag.11

Capacidade Pag.12
de auto-
regulação e
melhoria do
Agrupamento

Escolhi estes quatro relatórios por serem de agrupamentos com


características semelhantes ao agrupamento a cujo quadro pertenço. Trata-
se de agrupamentos com escolas do pré-escolar, primeiro ciclo e escola
sede do 2º e 3º ciclos. No entanto após a leitura do Relatório do
Agrupamento de Escolas de Vila Flor, verifiquei que este estabelecimento de
ensino também tem secundário, mas dado o investimento feito, mantive a
opção.

Após a leitura e feito o simples levantamento do número de vezes que as BE


aparecem nos relatórios, ficamos certos de um longo caminho a percorrer. A
implementação das BE no tecido escolar terá de ser uma prioridade de
todos os protagonistas, que terão de repensar os seus papéis no
envolvimento das actividades escolares. Com efeito, para que a
“construção” das Bibliotecas Escolares seja uma realidade nos próximos
anos, o ME, a IGE, as DRE, os órgãos directores e naturalmente os
professores bibliotecários, terão de trabalhar em conjunto.

Naturalmente que a situação expressa pelos relatórios observados, se deve


a múltiplos factores. A saber: muitas BE tinham coordenadores com apenas
algumas horas distribuídas para o efeito, o Modelo de Auto Avaliação era
apenas conhecido de alguns professores bibliotecários e os órgãos
directores foram, por vezes, pouco sensíveis à importância da BE.

Assim e perante o panorama destes relatórios, exigisse-se por parte de


todos um trabalho no sentido de fazer chegar aos vários níveis de actuação
da RBE, a divulgação do seu Modelo de Auto Avaliação. Para que o que é
preconizado na página 123 do referido modelo:

“Resumo dos resultados de auto-avaliação a integrar no relatório de auto-avaliação


da escola (Tópicos de apresentação da Escola à IGE) e a referenciar na entrevista
com a
Inspecção Geral de Educação”

Seja possível. Desta forma poderão as BE desempenhar cabalmente o seu


papel.

Florinda Carvalho