Você está na página 1de 1

JN - Imprimir Artigo 1 of 1

http://jn.sapo.pt/2008/04/29/pais/camara_queixase_chantagem_educacao.html
Câmara queixa-se de chantagem
na Educação

A Câmara de Miranda do Corvo acusou ontem um


organismo dependente do Ministério da Educação de
exercer uma postura de "chantagem" sobre o
município na aprovação do projecto de um Centro
Educativo que consta da Carta Educativa.

Fátima Ramos, presidente da autarquia (PSD),


denunciou ontem que o Gabinete de Estatística e
Planeamento da Educação (GEP) não deu ainda
parecer favorável à construção de um Centro
Educativo porque exige o encerramento de escolas
com um número de crianças superior às previstas na
Lei.

"Pretendem que encerremos escolas com muito mais


de 20 alunos, quando a legislação refere apenas o
encerramento gradual das escolas do 1.º ciclo com
menos de 20 alunos", criticou a autarca. A presidente
diz que a construção do equipamento, orçado em
1,715 milhões de euros, obteve parecer favorável da
Direcção Regional de Educação do Centro (DREC) e
consta da Carta Educativa do concelho, homologada
pela ministra da Educação em 15 de Janeiro.

"Não podemos aceitar essas exigências. Estamos


disponíveis para cumprir a legislação mas ninguém
tem o direito de exigir que façamos mais do que o
previsto na Lei", frisa Fátima Ramos, que afirma não
"compreender" a situação.

Salientando a necessidade de construir um Centro


Educativo em Miranda do Corvo para evitar que as
crianças continuem a ter aulas em horário desdobrado,
a autarca teme que a postura do GEP venha a
inviabilizar a candidatura ao Quadro de Referência
Estratégico Nacional (QREN).

http://jn.sapo.pt/tools/imprimir.html?file=/2008/04/29/pais/camara_queixase_chantagem_educacao.html