Você está na página 1de 4

05/06/2015

Leiatrechodoromance"ORostodeumOutro",deKoboAbe­22/03/2015­Ilustríssima­FolhadeS.Paulo

05/06/2015 Leiatrechodoromance"ORostodeumOutro",deKoboAbe­22/03/2015­Ilustríssima­FolhadeS.Paulo

Leiatrechodoromance"ORostodeum

Outro",deKoboAbe

KOBOABE

traduçãoLEIKOGOTODA

ilustraçãoVERIDIANASCARPELLI

22/03/201503h57

SOBREOTEXTOOtrechoabaixointegraoromance"ORostodeumOutro".Publicada

originalmenteem1964etranspostaparaocinemaporHiroshiTeshigaharaem1966como

"ORostodaMaldade",aobraterásuaprimeiratraduçãonoBrasillançadapelaCosac

Naifynomêsquevem.

*

Oacúmulodasnoitesdeinsôniatransformou­senumcaroçoquecomeçouaseexpandir

emmeucenhoe,quandoadurezadobancosetornavaquaseinsuportável,fuifinalmente

conduzidopelaenfermeiraaoaposentoadjacente.Aclaridadeestagnadaqueatravessava

otoldoeradeumabrancuraleitosa.Emboranãohouvesseseringa,outrosinstrumentos

igualmenteameaçadores,algunspoucofamiliares,enfileiravam­sesobreaescrivaninha,e

aoladodestaficavamumarquivodeprontuáriosmédicoseumacadeiragiratória.Frentea

frentecomestaúltima,umacadeiragiratóriaparaopaciente.Umpoucomaisadiante,um

biombocomestruturadeferroeumcestosobrearmaçãoprovidaderodinhasparaas

roupasdespidasporpacientesOconjunto,perfeitamenteprevisível,medeprimiuainda

mais.

Acendiumcigarro.Erguiocorpoàprocuradeumcinzeiroemesobressalteiaoavistaro

conteúdodeumpratoesmaltadosobreaescrivaninha.Umaorelha,trêsdedos,umpunho,

umafacedesdeapálpebraatéoslábiosositensestavamexpostosdemaneira

descuidada,vívidoscomoórgãosrecém­mutilados.Comeceiasentir­menauseado.

Pareciammaisreaisqueosreais.Eununcahaviaimaginadoque"réplicasexatas"fossem

tãoatrozes.Bastavaobservarocorteparateracertezadequeeramapenasmodelosde

plástico,masderepentepareceu­mequechegavaasentirocheirodesagradávelda

morte.

VeridianaScarpelli

05/06/2015

Leiatrechodoromance"ORostodeumOutro",deKoboAbe­22/03/2015­Ilustríssima­FolhadeS.Paulo

Derepente,osr.Ksurgiudetrásdobiombo.Contrariandooqueeuesperava,temuma

aparênciagentil,oquemefazrespiraraliviado.Cabelosralosecrespos,óculossemaro

delentesgrossascomofundodegarrafa,queixocarnudoAlémdomais,haviaemtornodo

sr.Kumodordesubstânciasmedicinaisfamiliares.

Masagorafoiavezdeosr.Kficarperturbado.Comexpressãoatarantada,examinavaora

meunomenocartãodevisitasemsuamão,orameurosto,momentaneamente

incapacitadodefalar.

­Istosignificaqueosenhor­disseosr.K,interrompendo­seemseguida,observandouma

vezmaismeucartãodevisitasecontinuandodepoisafalarnumtomdiferenteemais

contidodoquequandoconversáramosaotelefone­veiomeprocurarnaqualidadede

paciente?

Depaciente,semdúvida.Mas,pormaisavançadaquefosseacapacitaçãotécnicadosr.

K,elanãoseriasuficienteparasatisfazeraminhasexpectativas.Quandomuitoeupoderia

contarcomalgunsconselhos.Poroutrolado,revelartudofrancamenteeofendê­loseria

umaatitudeimatura.Imaginandotalvezqueeutivessemecaladoporestarconstrangido,o

sr.Kcontinuouemtombondoso:

­Sente­se,porfavorQuefoiquelheaconteceu?

­Fuiatingidoporumaexplosãodearlíquidoaofazerumaexperiência,entende?Achoque

medescuidei,porqueestouhabituadoatrabalharcomnitrogêniolíquidoe

05/06/2015

­Queloides?

Leiatrechodoromance"ORostodeumOutro",deKoboAbe­22/03/2015­Ilustríssima­FolhadeS.Paulo

­Emtodoorosto,comoosenhorpodever.Parecequemeutipofísicofavoreceessa

reação.Tantoassimqueomédicoquecuidavademimdeclinoudetodaresponsabilidade.

Dissequequalquerfalhanamaneiradetratarascicatrizesprovocariaosurgimentode

novaslesões.

­Masparecequenadaaconteceuemtornodoslábios,nãoé?

Removiosóculos,aproveitandoorumodaconversa,edisse:

­Porsorteosolhostambémsesalvaram.Felizmente,estavacommeusóculosdemiopia.

­Foisorte,realmente!­disseosr.Kcomentusiasmo,comoseoproblemafossedele.­

Sejaqualforasituação,olhoselábiossãoimportantesOsdoisprecisammantero

movimentoCasocontrárioficaimpossíveldisfarçar,pormaisqueaformasejaperfeita.

Pelojeito,osr.Keraumprofissionaldedicado.Enquantomeolhavafixamente,suamente

jápareciaprepararumesboço.Mudeidepressadeassuntoparanãodesapontá­lo:

­Lioartigoqueosenhorescreveu.Édoverãodoanopassado,senãomeengano.

­Issomesmo,doanopassado.

­Poisoseutrabalhomeespantou.Nuncaimagineiquefossetãorequintado.

Aparentandosatisfação,osr.Kapanhouumdedomacilento,depositou­onapalmada

mãoeofezrolarcomcuidado:

­Esteéumtrabalhoqueexigemuitaperseverança.Vêcomoaimpressãodigitalnaponta

dodedonãodifereemnadadeumareal?Porcausadisso,recebiumpedidoinusitadoda

polícia:elesqueremqueeuaregistre

­Osenhortambémfazosmoldesemgesso?

­Nadadisso,usopastadesilicone.OgessonãocapturaminúciasEstávendocomo

reproduziucomnitidezatéessepedacinhodepelelevantadonabasedaunha?

Aopegarapeçatemerosamentecomapontadosdedos,percebiqueeraviscosacomo

umservivoe,emborasoubessequenãopassavadeumartefato,fiqueihorrorizadoao

pensarquepoderiaserinfectadopelamorte.

­Istomepareceatésacrílego

­Detodomodo,ocorpohumanonãopassadisso

Demonstrandoorgulho,osr.Kapanhououtrodedoeodepositouemposiçãovertical

sobreaescrivaninha,comocortevoltadoparabaixo.Pareceu­mequeummortohavia

rompidootampodaescrivaninhaeespetadoodedonoar.

­Osegredoédaraoacabamentoesseaspectomeiosujo.Quandovocêprocuraatender

àsdemandasperfeccionistasdosclientes,acabaproduzindoalgototalmenteincoerente

Porexemplo,esteéumdedomédio,demodoqueacrescenteiumanódoanoladointerno

dafalange.Dáaimpressãodeumamanchadenicotina,nãodá?

­Foipintadocomumpinceloualgoparecido?

05/06/2015

Leiatrechodoromance"ORostodeumOutro",deKoboAbe­22/03/2015­Ilustríssima­FolhadeS.Paulo

­Nempensar­disseosr.K,rindoaltopelaprimeiravezemnossoencontro.­Ora,seeu fizesseisso,desbotarianuminstante,nãoé?Debaixoparacima,vousobrepondo materiaisdecoresdiferentes.Porexemplo,acetatodevinilaparaaáreadasunhasSefor preciso,umpoucodesujeiradebaixodasunhassombranaáreadasarticulaçõesenas rugasumlevetomazuladobordejandovasossanguíneos eporaívai.

­Istoéumobjetodearte.Nãoétrabalhoparaqualquerum

­Concordo­disseK,imprimindomovimentosmiúdosenervososaojoelho­,masistoé

rudimentarsecomparadoàconfecçãodeumrosto.Umrostorepresentasempreomáximo

dacomplexidadeParacomeçar,existeessetranstornochamadoexpressãofacial,nãoé?

Pois,vejabem,todarugaousaliênciadeapenasumdécimodemilímetro,

quandosobrepostaaumrosto,setransformadeimediatoemalgomuitosignificativo

­Masnãohácomofazê­lomover­se,certo?

­Ah,issoéimpossível­disseK,descruzandoaspernasereposicionando­se.­No

momento,omáximoqueconsigoécuidardoaspectoexternodorosto,nãomesobra

tempoparapensaremmovimentos.Demodoqueoúnicojeitoéirpreenchendoaos

poucos,escolhendoáreasquequasenãosemovem.Alémdisso,temosoutrotranstorno

queéaquestãodaporosidade.Noseucaso,porexemplo,emboranãopossaafirmar

nadasemumexamediretonoto,mesmoporcimadasbandagens,queosenhortranspira

muitoAcreditoquesuasglândulassudoríparassobreviveram.E,secontinuamativas,não

convémrecobrirorostointeirocomalgonãoporoso.Issonãosólheseránocivodoponto

devistafisiológicocomotambém,eprincipalmente,teráumefeitosufocante,nãolheserá

possívelsuportaromaterialnemduranteametadedeumdia.Melhormesmoénão

radicalizarnessasquestões.Vejabem:umvelhocomdentesimaculadamentebrancos

comoosdeumacriançasetornariaridículo.Muitomaiseficazdoqueissoéfazer

retificaçõesquaseimperceptíveisaoolharalheioOsenhorécapazderemoversozinho

essasbandagens?

KOBOABE(1924­93)escritoredramaturgojaponês.

LEIKOGOTODA,74,tradutora,respondepelotextodeediçõesbrasileirasdeautores

japonesescomoHarukiMurakamieKenzaburoOe.

VERIDIANASCARPELLI,37,ilustradora,éautorade"OSonhodeVitório"(CosacNaify).

Endereçodapágina:

CopyrightFolhadeS.Paulo.Todososdireitosreservados.Éproibidaareproduçãodoconteúdodestapágina

emqualquermeiodecomunicaçao,eletrônicoouimpresso,semautorizaçãoescritadaFolhadeS.Paulo.