P. 1
Curso de Higiene e Segurança No Trabalho

Curso de Higiene e Segurança No Trabalho

|Views: 905|Likes:
Publicado pormcardoso19855685

More info:

Published by: mcardoso19855685 on Mar 01, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/27/2011

pdf

text

original

Sections

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Realizado por Marina Cardoso nº9

1

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Índice
Introdução..................................................................................................................................................................................................... 3 O telemóvel .................................................................................................................................................................................................. 4 Ondas electromagnéticas ........................................................................................................................................................................ 6 Quem inventou o telemóvel? ................................................................................................................................................................21 De onde surgiu a ideia? .........................................................................................................................................................................22 Designação .................................................................................................................................................................................................23 A utilidade...................................................................................................................................................................................................24 Personalização ..........................................................................................................................................................................................25 A evolução do telemóvel ........................................................................................................................................................................27 - Telemóveis de primeira geração .................................................................................................................................................27 - Telemóveis de segunda geração .................................................................................................................................................28 -Telemóveis de segunda geração e meia ....................................................................................................................................29 -Telemóveis de terceira geração ....................................................................................................................................................29 -Telemóveis de quarta geração ......................................................................................................................................................31 OS SMS .......................................................................................................................................................................................................32 OS MMS .....................................................................................................................................................................................................34 Eu e os telemóveis ...................................................................................................................................................................................36 O risco dos Telemóveis para a Saúde ...............................................................................................................................................37 Conclusão....................................................................................................................................................................................................40 Bibliografia ..................................................................................................................................................................................................42

Realizado por Marina Cardoso nº9

2

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Introdução
O telemóvel é um objecto essencial no nosso quotidiano. Este esta de tal maneira integrado na nossa rotina, que talvez nunca nos tenhamos perguntado de como apareceu o telemóvel? lugar. E Quase será todas já as pessoas vez têm um telemóvel, quais os utilizam-no frequentemente, a qualquer hora e em qualquer que alguma perguntamos constituintes dos telemóveis e se acarretam riscos para a nossa saúde? E afinal quantas gerações de telemóveis há actualmente? Eu sinceramente não sei as respostas a estas perguntas mas vou neste trabalho os desenvolver como estas são questões de como como apareceram telemóveis, constituídos,

funcionam e quais os riscos para a nossa saúde.

Realizado por Marina Cardoso nº9

3

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

O telemóvel

O telemóvel é um aparelho de ondas electromagnéticas que permite em a transmissão cada A bidireccional uma delas do de voz e por dados um utilizáveis em uma área geográfica que se encontra dividida células, servida telefone transmissor/receptor. invenção celular

ocorreu em 1947 pelo laboratório BELL, nos EUA. Há diferentes das 80), tecnologias nos informações com os para ou na NMT a difusão sua e das ondas na na

electromagnéticas compressão dos anos

telefones

móveis,

baseadas

distribuição: AMPS; na

primeira geração (1G) (a analógica, desenvolvida no início sistemas segunda geração (2G) (digital, desenvolvida nos finais dos anos 80 e inicio dos anos 90): GSM, CDMA e TDMA; na segunda geração e meia (2,5G) (uma evolução à 2G, com melhorias

Realizado por Marina Cardoso nº9

4

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

significativas em capacidade de transmissão de dados e na adopção da tecnologia de pacotes e não mais na comutação de circuitos), presente nas tecnologias GPRS, EDGE, HSCSD, EVDO, e 1xRTT; na terceira geração (3G( (digital, com mais recursos, em desenvolvimento desde o final dos anos 90), como UMTS; na terceira

geração e meia (3,5G), como HSDPA, HSPA e HAUPA. A indústria classifica os sistemas de telefonia móvel em gerações: - A primeira geração (1G) de analógica; - A segunda geração (2G) de digital; - A segunda geração e meia (2,5G) com melhor capacidade de transmissão de dados e na adopção da tecnologia de pacotes e não mais comutação de circuitos; - A terceira geração (3G); - Quarta geração (4G), em desenvolvimento.

Realizado por Marina Cardoso nº9

5

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Ondas electromagnéticas
É importante tomarmos consciência de como estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelos Sol, a maior e mais importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor e da luz recebidos através de ondas eletromagnéticas. Além que povoam na de o outras, espaço faixa recebemos também: da nossa dos a radiação as

eletromagnética emitida, por átomos de hidrogênio neutro interestelar de galáxia; emissões radiofreqüências "quasares"

(objetos ópticos que se encontram a enormes distâncias de nós, muito além de nossa galáxia, e que produzem enorme quantidade de energia); pulsos intensos de radiação dos "pulsares" (estrelas pequenas cuja densidade média é em torno de 10 trilhões de vezes a densidade média do Sol).

Essas radiações são tão importantes que deram origem a uma nova ciência, a Radioastronomia, que se preocupa em

Realizado por Marina Cardoso nº9

6

Curso de higiene e segurança no trabalho
captar e analisar essas informações

STC5-DR1
do espaço

obtidas

através de ondas. Há ainda as fontes terrestres de radiação eletromagnética: as estações de rádio e de TV, o sistema de telecomunicações à base de microondas, lâmpadas artificiais, corpos aquecidos e muitas outras.

A

primeira

previsão

da

existência

de

ondas

eletromagnéticas foi feita, em 1864, pelo físico escocês, James Clerk Maxwell . Ele conseguiu provar teoricamente que uma perturbação eletromagnética devia se propagar no vácuo com uma velocidade igual à da luz. E a primeira verificação experimental foi feita por Henrich depois, Hertz, em por 1887. meio por de meio Hertz de produziu outros Seu ondas e, foi eletromagnéticas sintonizados na circuitos oscilantes trabalho

detectou-se

circuitos

mesma

freqüência.

homenageado posteriormente colocando-se o nome "Hertz" para unidade de freqüência.

Realizado por Marina Cardoso nº9

7

Curso de higiene e segurança no trabalho
LEIS DE MAXWELL Maxwell estabeleceu algumas leis

STC5-DR1

básicas

de

eletromagnetismo, baseado nas já conhecidas anteriormente, como a Lei de Coulomb, a Lei de Ampère, a Lei de Faraday, etc. Na realidade dando , Maxwell à reuniu de os que conhecimentos eletricidade,

existentes e descobriu as correlações que havia em alguns fenômenos, origem teoria magnetismo e óptica são de fato manifestações diferentes do mesmo fenômeno físico. O físico inglês Michael Faraday já havia afirmado que era possível produzir um campo a partir de um campo magnético variável. Imagine um imã e um anel:

Considere o imã perpendicular ao plano do anel. Movendose ou o imã ou o anel, aparecerá uma corrente no anel, causado por um campo elétrico criado devido à variação do fluxo magnético no anel. Maxwell verificou que o contrário também era possível. Um campo elétrico variável podia gerar um campo magnético. Imagine duas placas paralelas sendo carregadas

progressivamente:

Realizado por Marina Cardoso nº9

8

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Ao crescerem as cargas das placas, o campo elétrico aumenta, produzindo uma campo magnético (devido a variação do campo elétrico). Embora Maxwell tenha estabelecido quatro equações para descrever os fenômenos eletromagnéticos analisados, podemos ter uma noção de sua teoria baseados em duas conclusões:

Um campo elétrico variável no tempo produz um campo magnético. Um campo magnético variável no tempo produz um campo elétrico. A GERAÇÃO DE ONDAS ELETROMAGNÉTICAS Imagine uma antena de uma estação de rádio:

Realizado por Marina Cardoso nº9

9

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Na extremidade da antena existe um fio ligado pelo seu centro a uma fonte alternada (que inverte o sentido a intervalos teremos a instantes, de tempo a determinados). num sentido no corrente Num e, certo instante, de alguns sentido. corrente depois outro

A velocidade de propagação de uma onda eletromagnética depende do meio em que ela se propaga. Maxwell mostrou que a velocidade de propagação de uma onda eletromagnética, no vácuo, é dada pela expressão:

onde

é a permissividade elétrica do vácuo e

é a

permeabilidade magnética do vácuo.

Aplicando os valores de encontra-se a velocidade:

e de

na expressão acima,

ou (valor exato) que é igual a velocidade da luz. Nisso Maxwell se baseou para afirmar que a luz também é uma onda eletromagnética.

Realizado por Marina Cardoso nº9

10

Curso de higiene e segurança no trabalho
Podemos resumir as características

STC5-DR1
das ondas

eletromagnéticas no seguinte:

São formadas por campos elétricos e campos magnéticos variáveis. O campo elétrico é perpendicular ao campo magnético. São ondas transversais (os campos são perpendiculares à direção de propagação). Propagam-se no vácuo com a velocidade "c" . Podem propagar-se num meio material com velocidade menor que a obtida no vácuo.

 

 

Com isto, o campo elétrico ao redor do fio em um certo instante estará apontando num sentido e, depois, no sentido contrário.

Esse

campo

elétrico

variável

irá

gerar

um

campo

magnético

, que será também variável. Por sua vez, esse

campo magnético irá gerar um campo elétrico. E assim por diante .... Cada campo varia e gera outro campo que, por ser variável, gera outro campo: e está criada a perturbação eletromagnética que se propaga através do espaço, constituída pelos dois campos em recíprocas induções.

Realizado por Marina Cardoso nº9

11

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Note que o campo elétrico é perpendicular à direção de propagação e o campo magnético também, o que comprova que a onda eletromagnética é uma onda transversal. Além disso, o campo elétrico é perpendicular ao campo magnético, o que podemos verificar facilmente: quando um fio é percorrido por cargas em movimento, o campo elétrico num ponto próximo ao fio pertence ao plano do fio, enquanto o campo magnético está saindo ou entrando neste plano.

ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO A palavra espectro (do latim "spectrum", que significa fantasma ou aparição) foi usada por Isaac Newton, no século XVII, para descrever a faixa de cores que apareceu quando numa experiência a luz do Sol atravessou um prisma de vidro em sua trajetória. Atualmente chama-se espectro eletromagnético à faixa de freqüências e respectivos comprimentos de ondas que caracterizam os diversos tipos de ondas eletromagnéticas. As ondas eletromagnéticas no vácuo têm a mesma

velocidade , modificando a freqüência de acordo com espécie e, conseqüentemente, o comprimento de onda.

Realizado por Marina Cardoso nº9

12

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

** As escalas de freqüência e logarítmicas.

comprimento de onda são

Fisicamente, não há intervalos no espectro. Podemos ter ondas de qualquer freqüências que são idênticas na sua natureza, diferenciando no modo como podemos captá-las. Observe que algumas freqüências de TV podem coincidir com a freqüência de FM. Isso permite algumas vezes captar

Realizado por Marina Cardoso nº9

13

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

uma rádio FM na televisão ou captar um canal de TV num aparelho de rádio FM.

CARACTERÍSTICAS DAS PRINCIPAIS RADIAÇÕES

Ondas de Rádio "Ondas de rádio" é a denominação dada às ondas desde freqüências muito pequenas, até 1012 Hz , acima da qual estão os raios infravermelhos. As ondas de rádio são geradas por osciladores

eletrônicos instalados geralmente em um lugar alto, para atingir uma maior região. Logo o nome "ondas de rádio" inclui as microondas, as ondas de TV, as ondas curtas, as ondas longas e as próprias bandas de AM e FM. Ondas de rádio propriamente ditas As ondas de rádio propriamente ditas, que vão de 104 Hz a 107 Hz , têm comprimento de onda grande, o que permite que elas sejam refletidas pelas camadas ionizadas da atmosfera superior (ionosfera).

Realizado por Marina Cardoso nº9

14

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1
modo que é

Estas ondas, além disso, têm a capacidade de contornar obstáculos como árvores, edifícios, de relativamente fácil captá-las num aparelho rádio-receptor. Ondas de TV As emissões de TV são feitas a partir de 5x107 Hz (50 MHz) . É costume classificar as ondas de TV em bandas de freqüência (faixa de freqüência), que são:

VHF : very high frequency (54 MHz à 216 MHZ à 13) UHF : ultra14 à 83) SHF : super-high frequency EHF : extremely high frequency VHFI : veri high frequency indeed

canal 2

  

As ondas de TV não são refletidas pela ionosfera, de modo que para a estas 75 Km ondas é serem captadas o uso a de distâncias estações superiores repetidoras. necessário

Realizado por Marina Cardoso nº9

15

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Microondas Microondas correspondem à faixa de mais alta freqüência produzida por osciladores eletrônicos. Freqüências mais altas que as microondas só as produzidas por oscilações moleculares e atômicas. As microondas são muito utilizadas em telecomunicações. As ligações de telefone e programas de TV recebidos "via satélite" de outros países são feitas com o emprego de microondas.

As

microondas

também

podem

ser

utilizadas

para

funcionamento de um radar. Uma fonte emite uma radiação que atinge um objeto e volta para o ponto onde a onda foi emitida. De acordo com a direção em que a radiação volta pode ser descoberta a localização do objeto que refletiu a onda.

Realizado por Marina Cardoso nº9

16

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Luz visível Note que nosso olho só tem condições de perceber

freqüências que vão de 4,3x1014 Hz a 7x1014 , faixa indicada pelo espectro como luz visível. Nosso olho percebe a freqüência de 4,3x1014 como a cor vermelha. Freqüências abaixo desta não são visíveis e são chamados de raios infravermelhos , que têm algumas aplicações práticas. A freqüência de 7x1014 é vista pelo olho como cor

violeta. Freqüências acima desta também não são visíveis e recebem o nome de raios ultravioleta. Têm também algumas aplicações. A faixa correspondente à luz visível pode ser

subdividida de acordo com o espectro a seguir.

Realizado por Marina Cardoso nº9

17

Curso de higiene e segurança no trabalho
Raios X

STC5-DR1

Os raios X foram descobertos, em 1895, pelo físico alemão Wilhelm Röntgen. Os raios X têm freqüência alta e possuem muita energia. São capazes de atravessar muitas substâncias embora sejam detidos por outras, principalmente pelo chumbo. Esses raios são produzidos elétrons material. dotados A de energia energia cinética sempre que um feixe de sobre feixe um obstáculo é do incidente

incidem

parcialmente transformada em energia eletromagnética, dando origem aos raios X. Os raios X são capazes de impressionar uma chapa

fotográfica e são muito utilizados em radiografias, já que conseguem atravessar a pele e os músculos da pessoa, mas são retidos pelos ossos.

Realizado por Marina Cardoso nº9

18

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Os raios X são também bastante utilizados no tratamento de doenças como o câncer. Têm ainda outras aplicações: na pesquisa da estrutura da matéria, em Química, em Mineralogia e outros ramos. Raios Gama As ondas eletromagnéticas com freqüência acima da dos

Os raios artificial de elementos radioativos.

tempo, até atingir uma forma mais estável.

raios cósmicos que atingem a alta atmosfera terrestre em grande quantidade por segundo.

Realizado por Marina Cardoso nº9

19

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

modo que os cientistas que trabalham em laboratório de radiação devem desenvolver métodos especiais de detecção e proteção contra doses excessivas desses raios.

Realizado por Marina Cardoso nº9

20

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Quem inventou o telemóvel?
A ACTRIZ Hedy Lammar foi quem visionou a tecnologia, que mais tarde viria a dar origem a comunicação móvel. Durante a II Guerra Mundial, esta teve a ideia de usar a frequência alterada, de modo a desviar a intercepção electrónica dos torpedos aliados, impossibilitando-os de bloquear as transmissões. Os investigadores da Bell Laboratories em 1947 metodizaram um processo através do qual pequenas torres ou células captavam ininterruptamente o sinal do telemóvel, deixando a anterior livre para uma nova transmissão. No dia 3 de Abril de 1973, o investigador da Motorola, Dr. Martin Cooper, fez a primeira chamada móvel. Este momento viria a mudar a vida de milhões de cidadãos no mundo.

Realizado por Marina Cardoso nº9

21

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

De onde surgiu a ideia?
A ideia surgiu em 1947, quando alguns pesquisadores se aperceberam, que recorrendo a pequenas células poderiam aumentar a capacidade de comércio dos telefones móveis. No entanto, apesar de aqui estar a base do conceito, ainda não existia a técnica nem a possibilidade de alargar o comércio de conversação, já que a quantidade de chamadas possíveis de realizar ao mesmo tempo as era muito reduzida. móveis, Foi dando necessário chegar a 1968, para que se compreendesse que era fundamental incrementar comunicações frequências e possibilitando a existência de uma rede de comunicações móveis avançada.

Realizado por Marina Cardoso nº9

22

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Designação
Em Portugal, estes (telefone equipamentos móvel). são designados apareceu por em

“telemóvel”,

Este

termo

Portugal em finais dos anos 80 pela mão dos CTT/TLP (único operador de comunicações na altura), que baptizaram este serviço (assente na tecnologia analógica AMPS) de “ Serviço Telemóvel”. popularidade: Em Portugal, quando os em 1992, o termo a ganhou TMN – CTT/TLP criaram

Telecomunicações Móveis Nacionais S:A:, que iria utilizar o termo “telemóvel” para designar os equipamentos e não o serviço. Em Portugal a taxa de utilização já e superior a 100%, ou seja, existem mais telemóveis que habitantes portugueses. Devido a estes números, os operadores tentam fidelizar os seus clientes através de novos serviços, na comunicação de dados, com destaque para o acesso móvel à Internet através de tecnologias de terceira geração.

Realizado por Marina Cardoso nº9

23

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

A utilidade
O telemóvel era somente usado para falar, já è usado para enviar SMS, tirar fotos, despertar, gravar lembretes, jogar e ouvir músicas, e não se fica por aqui, no Japão e na Europa, vão desde surgem ler aparelhos a usar portáteis, remotamente como um GPS, videoconferências e instalação de programas variados, que e-book computador qualquer, quando devidamente configurado.

Realizado por Marina Cardoso nº9

24

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Personalização
Juntamente com tecnologia digital, chegou alem de qualidade e segurança, a possibilidade de personalizar os telemóveis. Inicialmente podia se configurar o toque monofónico, formados apenas por bip de mesmo tom, configurados para ter o ritmo da música, e também figuras monocromáticas que são quase desconhecidas. Com a nova geração de aparelhos, principalmente nos lançamentos do sistema GSM, veio alem de toques polifónicos e em formato MP3 juntamente com imagens coloridas. As imagens podem ser de 2 tipos: Formato GIF; só suporta 256 cores, nos primeiros

aparelhos era usado este formato. Formato JPG; difundido graças ás câmaras digitais e

suporta até 64 milhões de cores e é usado em aparelhos mais avançados. Para personalizar o telemóvel: - Portal da operadora na internet; Pelo próprio aparelho via WAP (é cobrado mesmo para

escolher toques ou imagens). Ao longo do tempo os telemóveis agregaram muitos recursos, tais como câmera, rádio FM

e leitor MP3. Alguns inclusive, têm um computador de mão Palm ou PocketPC integrado - chamados smartphones.

Realizado por Marina Cardoso nº9

25

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1
Alguns são o

Tem como característica principal instalar programas que utilizam e-mail. os Os recursos sistemas disponíveis operativos do aparelho. utilizados exemplos são dicionários, tradutores, jogos e clientes de mais Symbian e o Windows Mobile, tendo o Linux crescido de forma exponencial. Com as novas tecnologias de terceira geração, que oferecem dados em alta velocidade, é possível realizar chamadas de vídeo-conferência em tempo real, com a camera frontal junto do visor. A maioria dos novos modelos possui alguma forma de conexão com outros telefones através de: - IrDA (infravermelho); - Bluetooth; Que servem para envio de dados entre telefones. Nos dias de hoje o telemóvel já não e só um simples

telemóvel de bolso. Possuem resoluções maiores que simples câmaras digitais indo de resolução de 12.1Mpx, lançadas na Europa até 8.1 Mpx no Brasil. A internet já pode ser acesa via hi-fi e banda larga 3G e4G no Japão. Jogos que se comparam ao videogame PSP com qualidade 3d. Antes tinham capacidade ate 4mil cores agora possuem capacidade ate 16 milhões. Hoje existem telemóveis sensíveis ao toque.

Realizado por Marina Cardoso nº9

26

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

A evolução do telemóvel
- Telemóveis de primeira geração

Os telemóveis de 1G são analógicos, enviam a informação através de ondas variando de forma contínua. Somente são usados para a comunicação de voz com uma ligação variável devido á interferência. Têm uma nível de segurança muito baixo já que e muito simples escutar ligações alheias através de um sintonizador de rádio assim como podendo se acreditar as ligações na conta de um terceiro.

Realizado por Marina Cardoso nº9

27

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

- Telemóveis de segunda geração

È a mudança de protocolos de telefonia móvel analógica para digital. Chegou por volta de 1990de vido á necessidade de ter um maior numero de ligações simultâneas. Permitiam conexões simultâneas com a mesma banda larga, permitiam integrar outros serviços, no mesmo sinal, com o envio de mensagens de texto (SMS) e capacidade de transmissão de dados entre dispositivos de fax e modem. A 2G limita a área de uso dos telemóveis ás regiões com companhias que deram suporte, em Portugal foi a GSM.

Realizado por Marina Cardoso nº9

28

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

-Telemóveis de segunda geração e meia

A 2,5G é um termo genérico que cobre várias tecnologias para redes sem fios. A 1G é analógica, a 2G é digital e a 2,5G com melhorias significativas em capacidade de transmissão de dados e na adopção de da tecnologia de pacotes e não mais comutação de circuitos. Tem velocidades superiores á 2G e, permite acesso á internet mais flexível e mais eficiente. Utiliza tecnologias como GPRS (General Packet Rádio Service). Não trás mudanças na forma de falar ao telemóvel, mas sim na internet, a velocidade e muito maior (pode chegar a 144Kbps, mas alcança na media 70Kbps) e principalmente a adopção de tecnologia de pacotes, que permitira o acesso á internet com custos mais baixos. Os telemóveis que de suportarão voz mais de a 2,5G como e a 3G deverão de e

implementar reconhecimento reconhecimento telas

diversas automático maiores.

funções

software chip receptor cameras GPS,

potente, textos, terão

bluetooth,

facilidades similares as dos notebooks, como joysticks e coloridas Alguns digitais embutidas, áudio player para músicas MP3 e vídeo.

-Telemóveis

de terceira geração

3G é um termo genérico que cobre várias tecnologias para redes de telefonias sem fio no futuro. Combina internet móvel de alta velocidade com serviços baseados em IP

Realizado por Marina Cardoso nº9

29

Curso de higiene e segurança no trabalho
(inernet protocol). pesado e Liberta pontos nos de de

STC5-DR1
lentas, Permite

conexões imóveis.

equipamento

acesso

acesso mais rápido a banda larga e torna viável o download acelerado de arquivos de som e imagem nos aparelhos móveis. - WCDMA: interface rádio do padrão de 3G estabelecido como evolução para operadores GSM. HSPA: trata-se do serviço de pacote de dados que

possibilita oferecer banda larga móvel com elevadas taxas de transmissão. Esta rede oferece serviços multimédia via telefone de elevada qualidade. EVDO: O CDMA 1xEVDO (evolução apenas de dados), ou

(evolução de dados optimizados). Isto devido ao facto da tecnologia fazer apenas a transmissão de dados, transportar livremente a voz e ser compatível com o mesmo, permite transmitir uma alta capacidade de dados em uma única canalização de 1,25MHz. Esta tecnologia melhora a qualidade e potencializa a

velocidade dos serviços multimédia, com ela, será possível fazer vídeo-chamadas – ligações telefónicas com transmissão de áudio e imagem em tempo real, alem de acesso a internet para downloads com Os de vídeos ate e 20 musicas actual. velocidades telemóveis

vezes mais rápida que a conexão com esta tecnologia têm como funções: - Conversas vídeo/áudio; - Televisão; - Internet; - Entre outras.

Realizado por Marina Cardoso nº9

30

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

-Telemóveis de quarta geração

Ainda

não

existe

definição,

podendo

se

dizer

que

será

baseado no já estabelecido. Será baseada totalmente em IP sendo um sistema de sistemas de rede de redes, alcançando a convergência entre as redes de cabo e sem fio assim como computadores, dispositivos electrónicos e tecnologias de informação para prever velocidades entre 100Mbps em movimento e 5 Gbps em repouso, mantendo uma qualidade de serviço de ponta a ponta de alta segurança para permitir oferecer serviços de qualquer tipo, a qualquer momento em qualquer lugar. Este previsto chegar a Portugal em 2010.

Realizado por Marina Cardoso nº9

31

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

OS SMS

O

SMS

(Short

Message

Service

ou

Serviço

de

Mensagens

Curtas) é uma função que permite a escrita, o envio e recepção de pequenas mensagens de texto ate 160 caracteres por mensagem que podem conter letras, números, símbolos ou uma combinação destes. Esta funcionalidade surgiu em 1992 com a tecnologia digital GSM quando as redes moveis e a Internet começavam a dar os primeiros passos. A primeira mensagem escrita foi enviada de um computador pessoal, em Dezembro de 1992, para um telefone móvel da rede Vodafone GSM, no Reino Unido. Todas as operadoras móveis possuem este serviço conjuntamente com outros serviços básicos das redes móveis, sem qualquer custo adicional ao do envio de cada mensagem. Os SMS são muito utilizados para enviar pequenos recados a outros utilizadores de telemóveis. É também através deste serviço que as operadoras notificam os seus utilizadores quando eles têm uma mensagem de voz no seu gravador (voice mail). Neste serviço e muito comum utilizarem se abreviaturas (por exemplo, k em vez de

que!), estas alem de pouparem caracteres tornam a escrita ainda mais rápida. Também e normal utilizar se os símbolos de pontuação para representar emoções, tristeza, alegria ou mesmo uma gargalhada à semelhança do que acontece nos chats da Internet ou nos emails. Esta e uma das funções mais utilizadas nos telemóveis.

Realizado por Marina Cardoso nº9

32

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1
enviar imagens,

O SMS torna se cada vez mais abrangente, havendo mesmo modelos de telemóveis que permitem logótipos e melodias, dando lugar a um novo conceito, o SEM (Ennhanced Messagig Service) ou seja o Serviço de Mensagens Realçado. A terceira o geração envio anuncia de o aparecimento com imagens do de MMS, nível que de

permitirá

mensagens formatado,

elevado

personalização,

texto

grande

qualidade e animações de áudio e vídeo.

Realizado por Marina Cardoso nº9

33

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

OS MMS
O Multimédia Messaging Service (MMS) é a capacidade de enviar e receber mensagens multimédia. Permite o envio de uma combinação de texto, imagem, áudio, e vídeo numa única mensagem, que pode ser totalmente personalizada. O MMS é um novo padrão estabelecido que pelo 3GPP (Third as

Generation

Partnership

Project),

reúne

todas

entidades mundais participantes no desenvolvimento da 3ªG móvel e assume comunicar. Os serviços do MMS podem ser disponibilizados em qualquer interface aéreo baseado no protocolo IP, tal como nas redes GPRS e EDGE. Com o MMS o utilizador vai poder enviar mensagens muito completas, com cor, som, animação, imagens em tempo real, etc. O serviço suporta formatos como o GIF, o JPEG, o MPEG4, o MP3 e o WAV. A utilização do MMS é possível tecnicamente utilizando a tecnologia GPRS com velocidades que rondam os 42Kbps. O MMs necessita de várias plataformas de suporte, alem das já existentes. Que são o MMS Relay, o MMS se como uma forma inteiramente nova de

Message store, e o MMS User Database e incluem se no utilizador e uma novidade dos padrões. Um perfil de utilizador móvel, sendo definido e

MMSE

(Multimédia Messagig Service Environement). O conceito de

é gravado no operador da rede gerido pelo próprio utilizador

através da internet. Este perfil determinara que mensagens
Realizado por Marina Cardoso nº9

34

Curso de higiene e segurança no trabalho
podem ser descarregadas de imediato e

STC5-DR1
quais ficam no

servidor para uma recolha tardia, receberá notificações sobre mensagens enviadas/recebidas ou sobre o tipo destas. Este perfil também pode ser utilizado para criar filtros que poderão impedir a recepção de mensagens não solicitadas. Ou seja, o MMS incorpora as melhores funcionalidades do SMS melhorando as e introduz novas funcionalidades. O SMS e o MMs são muito diferentes no que respeita a forma como estão estruturados, sendo o ultimo bastante mais complexo. As aplicações usadas bem como os dispositivos inerentes a cada um são também muito diferentes, todavia o MMS mantém a compatibilidade com o SMS. A interacção do utilizador com o MMS é mais distinta, sendo mais interactiva.

Realizado por Marina Cardoso nº9

35

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Eu e os telemóveis
O meu primeiro telemóvel foi-me dado pela minha mãe quando eu andava na escola secundária de Ponte Sor, não me recordo o ano em que andava mas sei que ela deu-me o dela porque na altura comprou outro. Era um Sony-Ericson da rede Vodafone. Entretanto fui crescendo e fui adquirindo outros telemóveis mais modernos que ia aparecendo. O meu pai ofereceu-me um nokia 3310 e depois deste tive um Sony-ericson e quando apareceu as videochamadas os meus pais deram-me um Motorola v980, todos estes da rede Vodafone. Com o surgimento da rede Optimus e como na altura havia mais rede do Com que a da Vodafone troquei um de nokia rede e de um telemóvel. esta operadora tive 3310,

Motorola l6 e um nokia 5000. Com a instalação de uma antena da tmn nas Galveias comprei Mas um desta não rede, adquiri um sansung e depois um nokia Express music. como gostei da rede, dos custos desta e de como a rede em si funciona mundei novamente e com ele para faço e a apenas envio Optimus. algumas centenas Actualmente tenho um lg cookie preto chamadas, escrevo

de sms e vou por vezes a internet.

Realizado por Marina Cardoso nº9

36

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

O risco dos Telemóveis para a Saúde
Os Telemóveis estão associados a maior risco de cancro

As radiações das ondas emitidas pelos telemóveis aumentam o risco de cancro das glândulas salivares, segundo um estudo de investigadores israelitas divulgado hoje pela AFP e publicado na edição de Dezembro da cancro American são 50 por Journal cento maiores of para os Epidemiology. utilizadores O trabalho permitiu concluir que os riscos deste tipo de frequentes de telemóveis (22 horas por mês ou mais). O perigo aumenta se os utilizadores usarem frequentemente a mesmo lado (orelha) para a comunicação. “Os resultados sugerem que existe uma relação de causa efeito entre os telemóveis e o desenvolvimento de tumores nas glândulas salivares”, concluem os investigadores. Num grupo de 460 doentes, 58 desenvolveram tumores malignos e em 402 foram detectados tumores benignos das glândulas. A investigação foi liderada por Sigal Sadetzki, do centro médico Tel Hashomer de Tel Aviv e terá sido apoiada pela Organização A possível telemóveis concluir entanto, tem que de alguns Mundial ligação sido ainda existe tumores entre muito não uma no o de cancro e ao estudada existem cérebro relação e Saúde a longo que dos (OMS). dos anos. o no ser utilização

Aparentemente, aparecimento

provas os

permitam entre devem

directa que

aparelhos,

especialistas

defendem

Realizado por Marina Cardoso nº9

37

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

aprofundados os estudos que se dediquem à utilização a longo prazo.

Direcção-Geral de Saúde recomenda restrições no uso de telemóveis por crianças

Apesar relação

de

a

ciência

não

ter a

estabelecido a

uma

inequívoca

entre

exposição

campos

electromagnéticos e problemas na saúde humana, a utilização de telemóveis pelas crianças deve ser feita se. Estes conselhos sobre constam esta de um dos dois que documentos acabam de de ser "com algumas restrições", o uso de auricular recomenda-se e a utilização de capas especiais deve evitar-

trabalho

problemática

publicados e divulgados no site da Direcção-Geral da Saúde (DGS), apesar de já terem vários anos. O documento sobre os sistemas de comunicações móveis sublinha mesmo que tem havido uma "avaliação incorrecta dos riscos" pelos media e as populações, porque se verifica uma "sobre-estimação" dos riscos associados às estações das antenas de telemóveis e uma "subestimação" dos inerentes ao uso dos telemóveis. Elaborado por um grupo de de trabalho em 2003, o relatório mais vasto (sobre a Exposição da População aos Campos Electromagnéticos, como linhas de alta tensão, antenas de telemóvel, rádio e televisão) lembra que hoje "as radiações [não ionizantes] são omnipresentes" e "não existe um risco zero". As pessoas estão cada vez rodeadas de aparelhos eléctricos, nota o subdirector-geral da Saúde, José Robalo, garantindo, porém, que não há razões para alarme.

Realizado por Marina Cardoso nº9

38

Curso de higiene e segurança no trabalho
O problema é que, de a uma e dado ponto, o

STC5-DR1
refere riscos adultos elevada defende a de nos para que o com aos campos

relatório os nos

possibilidade leucemia possuir produzir estudos níveis O relatório

intensa

exposição

electromagnéticos infantil uma

aumentar tumores

ligeiramente cerebrais

locais de trabalho. Mas frisa que as radiações terão de intensidade térmicos. efectuada suficientemente José Robalo efeitos tem sido de pretende

documento deve ser lido com cuidado: "A maior parte dos em animais muito como "um bombardeados radiações funcionar elevados". aviso para as

populações estarem despertas e informadas sobre os riscos que correm" e adoptarem comportamentos que os minimizem, evitando exposições excessivas. Mas há riscos ou não? "Se houver cumprimento das regras definidas, não." As crianças são consideradas grupos mais vulneráveis porque a radiação penetra com maior facilidade numa caixa craniana mais fina. Robalo assevera ainda que o relatório não esteve metido na gaveta. Pelo contrário: serviu para estabelecer orientações nesta área, nomeadamente a portaria de Novembro de 2004 que definiu os valores máximos dos níveis de radiações nos equipamentos "mais problemáticos", como as antenas fixas de telemóveis e as linhas de alta tensão. Mas a prova de que ainda há muitas lacunas a colmatar é a de que a avaliação do efeito das radiações electromagnéticas sobre a saúde é um dos objectivos do Plano Nacional de Acção Ambiental e Saúde. PÚBLICO 18.08.2007, Alexandra Campos

Realizado por Marina Cardoso nº9

39

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Conclusão
O aparelho a que chamamos telemóvel é um que aparelho permite de a comunicação por ondas electromagnéticas

transmissão bidireccional de voz e dados utilizáveis em uma área geográfica que se encontra dividida em células cada uma delas servida por um transmissor/receptor. A invenção deste ocorreu o em 1947 pelo da laboratório Motorola, móvel Dr bell, nos EUA, contudo 1973 investigador a primeira em que Martin Cooper em

utilizou um protótipo de telemóvel e no dia 3 de Abril de fez chamada muitos fazendo furor Manhattam, rua. Este foi um momento em que acabaria de mudar a vida de milhões de cidadãos em todo o mundo. Em 1973 a Motorola e um lançou peso de as 1089 bases gr. da Os 1ºgeração telemóveis de da nova-iorquinos pararam,

boquiaberta, porque viram um tipo a falar ao telemóvel na

telemóveis ao anunciar o DynaTAC 8000x, com um preço de 4000 dólares 1ºgeração são analógicos e estes somente podem ser usados para comunicação de voz e tem uma qualidade de ligação variável devido à interferência. Por volta de 1990 chega a 2ºgeração, a digital, que nos permitiu mensagens segunda melhorias mais de em geração conexões texto, e meia, simultâneas, posterior uma de a evolução como esta à de o envio apareceu dados e de a com não logo

2ºgeração

capacidade

transmissão

adopção da tecnologia de pacotes e não mais comutação de circuitos. Esta geração permite o acesso internet e utiliza tecnologias como GPRS.

Realizado por Marina Cardoso nº9

40

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

No final de 1990 surge a 3ºgeração. Esta geração permite o acesso mais rápido à banda larga e torna viável o downland acelerado de arquivos de som e imagem nos aparelhos moveis, conversas de vídeo/áudio, televisão, entre outras funcionalidades. Actualmente esta a chegar a 4ºgeraçao de telemóveis que consistirá baseado já no estabelecido. Será baseada totalmente em IP sendo um sistema de sistemas de rede de redes, alcançando a convergência entre as redes de cabo e sem fio assim como computadores, dispositivos electrónicos e tecnologias de informação para prever velocidades entre 100Mbps em movimento e 5 Gbps em repouso, mantendo uma qualidade de serviço de ponta a ponta de alta segurança para permitir oferecer serviços de qualquer tipo, a qualquer momento em qualquer lugar. Contudo a direcção geral de saúde recomenda restrições no uso de telemóveis devido a possibilidade de risco de desenvolvimento de cancro no cérebro e no sistema nervoso.

Realizado por Marina Cardoso nº9

41

Curso de higiene e segurança no trabalho

STC5-DR1

Bibliografia
http://pt.Wikipedia.org/wiki/telefone_celular

http://artefactogeracional.blogspot.com/2009/09/brevehistoria-do-telemovel.html

http://www.minerva.uevora.pt/stclara/pp0304/alunos/6f/comunica/telem.html

http://www.gsmhouse.net/index.php?showtopic=25162

http://saudeambiental07.blogspot.com/2007/12/telemveisassociados-maior-risco-de.html

http://www.fersap.pt/fersap/modules.php?name=News&file=arti cle&sid=663

http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://www.fisica.net /einsteinjr/9/Image4.gif&imgrefurl=http://www.fisica.net/ei nsteinjr/9/ondas_eletromagneticas.html&usg=__nDnCH5hW9uEkgW kmp4VXwWDEnJs=&h=267&w=482&sz=22&hl=ptPT&start=2&um=1&tbnid=84GwQgvnWTZCM:&tbnh=71&tbnw=129&prev=/images%3Fq%3Dondas%2Bele tromagn%25C3%25A9ticas%26hl%3Dpt-PT%26sa%3DX%26um%3D1

Realizado por Marina Cardoso nº9

42

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->