Você está na página 1de 25

1

Atuadores e Sistemas Pneumáticos

Prof. Dr. Emílio Carlos Nelli Silva


Método de Cascata
Escola Politécnica da USP
Departamento de Engenharia Mecatrônica e Sistemas
Mecânicos

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 2

Método de Cascata

O comando CASCATA resume-se em dividir


criteriosamente uma seqüência complexa em varias seqüências
mais simples, onde cada uma dessas divisões recebe o nome de
GRUPO DE COMANDO. Não existe número máximo de
grupos, mas sim, um número mínimo, 2 (dois) grupos .

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 3

Roteiro para Aplicação do Método Cascata

1- Dividir a seqüência em grupos de movimentos, sem que ocorra a


repetição de movimento de qualquer atuador em um mesmo grupo;
2 - Cada grupo de movimentos deve ser relacionado com uma linha
de pressão. Para tanto deve ser utilizado o arranjo de válvulas
inversoras que permite estabelecer o número de linhas de pressão;
3 - Interligar, apropriadamente, às linhas de pressão os elementos
de sinal que realizam a comutação de posição das válvulas de
comando dos diversos atuadores e das válvulas inversoras das
linhas de pressão.

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 4

Aplicação do Método

1a Etapa: Tomando a seqüência do início, efetuar a divisão toda vez


que for notado em um mesmo grupo uma mesma letra com sinais
opostos, ou seja, o mesmo cilindro não pode fazer movimentos
diferentes em um mesmo grupo de comando, ou ainda, “Letras
iguais com sinal algébrico oposto não podem ficar numa mesma
linha (grupo).

Exemplo 1: A+B +/B -A- /

A + B + ⇒ Grupo de comando 1
B - A - ⇒ Grupo de comando 2

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 5

Exemplo 2: A + B + / B - A - / B+ / B- /

Exemplo 3: A + B + C + / C – B – A -

Exemplo 4: A + B + / B - C + / C- A - /

Exemplo 5: A + B + / A - / A + B -/ A - / A+ C + / C- A - /

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 6

• Após a divisão da seqüência deve ser esquematizado o conjunto


de válvulas memória que serão as responsáveis pelo fornecimento
de ar aos grupos de comando (linhas);
• Para se determinar o número de válvulas que serão utilizadas no
conjunto de válvulas memória, deve-se levar em consideração o
número de grupos de comandos (linhas), ou seja:
Numero de válvulas memória = número de grupos - 1
Nm = NG - 1
• O conjunto de válvulas memória será composto geralmente por
válvulas de quatro ou cinco vias com duas posição e acionamento
por duplo piloto positivo.

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 7

2a Etapa: Verificar ao final do ciclo, que linha permanece


pressurizada. Isto irá depender da seqüência considerada e da
divisão escolhida.

Exemplo 6:

No exemplo vemos que a seqüência dá origem a um sistema


cascata com três linhas e com a última linha (linha 3) pressurizada
ao final do ciclo.

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 8

No método cascata, quando o último grupo é composto por


movimentos que se unidos ao primeiro grupo não desobedece à
regra da segunda etapa, ou seja, “Letras iguais com sinais algébricos
opostos não podem ficar numa mesma linha”, pode-se unir o último
grupo ao primeiro reduzindo assim o número de linhas e o número
de memórias.
No exemplo 6, temos:

Nesta divisão teremos o ar pressurizando a linha “1” no final do


ciclo. Este artifício só pode ser realizado com o último e o primeiro
grupo, caso não haja choque com a regra da 1a Etapa.
Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva
Circuitos Pneumáticos 9

3a Etapa: Construir o sistema cascata, identificando os elementos


segundo a critério:
Elementos de Trabalho: A , B , B , C , D , ...
Elementos de Sinal Traseiros: ao , bo , co , do , ...
Elementos de Sinal Dianteiros: a1 , b1 , c1 , d1 , ...

Observações Importantes:
• As linhas (grupos) de cascata sempre serão alimentadas através
de válvulas memória.
• O método cascata possui limitações em relação ao número de
linhas ( +/- 10 linhas) devido ao problema da queda de pressão
em cada válvula que se amplia em função da dimensão da rede de
distribuição.
Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva
Circuitos Pneumáticos 10

4a Etapa: Construção do sistema e verificação da seqüência de


comutação.
Caso 1 – Sistema com Duas Linhas: A primeira válvula do conjunto
alimenta o primeiro e o segundo grupo de comando.

Observação: Se houver dois grupos haverá apenas uma válvula


memória
Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva
Circuitos Pneumáticos 11

Sistema com Duas Linhas

12 10 12 10

• Aplicando-se pressão no orifício de comando "10" teremos o


grupo 2 pressurizado.
• Caso o comando seja dado no orifício "12" o grupo de comando
pressurizado será o grupo 1.

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 12

Aplicação do Método para casos de três grupos de comando

• A válvula de comando inferior é ligada ao orifício de pressão


da superior pela sua utilização 2 .
• A utilização 4 da válvula inferior deverá estar ligada ao orifício
"12" da válvula superior e ao grupo consecutivo.

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 13

Aplicação do Método para casos de três grupos de comando

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 14

Seqüência de Comutação

S1 – linha 4 para linha 1

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 15

Seqüência de Comutação

S2 – linha 1 para linha 2

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 16

Seqüência de Comutação

S3 – linha 2 para linha 3

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 17

Seqüência de Comutação

S4 – linha 3 para linha 4

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Circuitos Pneumáticos 18

Aplicação do método para casos de quatro grupos de comando ou mais

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Exemplos de Aplicação 19

Dispositivo de Dobra e Estampagem

Cilindro 1 (fixa)
Cilindro 2 (dobra) Chapa de metal

Cilindro 3 (dobra)

Cilindro 4 (fura)

Cilindro 1

Cilindro 2
Diagrama de
acionamento: Cilindro 3

Cilindro 4

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Exemplos de Aplicação 20

Circuito Pneumático de Máquina

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Exemplos de Aplicação 21

Rebitador

Diagrama de
acionamento:

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Exemplos de Aplicação 22

Circuito Pneumático de Máquina

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Exemplos de Aplicação 23

Dispositivo de injeção para decoração de bolos

Diagrama de
acionamento:

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Exemplos de Aplicação 24

Circuito Pneumático de Máquina

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva


Referências 25

• Hasebrink, J.P, "Manual de Pneumática - Fundamentos", Vol.1


Parte 1, Rexroth - Divisão Pneumática, Diadema, SP, Brasil, 1990.

• Meixner, H. e Kobler, R., "Introdução à Pneumática", Livro


Didático, FESTO Didactic, São Paulo, SP, Brasil, 1977.

• "Manutenção de Instalações e Equipamentos Pneumáticos", Livro


Didático, FESTO Didactic, São Paulo, SP, Brasil, 1977.

• Moreira, I. S., "Técnicas de Comando Pneumático", SENAI-SP,


São Paulo, SP, Brasil, 1991.

Prof. Dr. Emilio C. Nelli Silva