Você está na página 1de 46

CLEONICE MACIEL DOS SANTOS

“A CONSTRUÇÃO DA SEGURANÇA,
SEJA O ALICERCE NO TRABALHO”

SENAC
BARRETOS – SP
2008

1
CLEONICE MACIEL DOS SANTOS

Trabalho de conclusão de curso, como


exigência parcial para obtenção do
Certificado de Técnico de Segurança do
Trabalho, realizado através do Senac, da
Turma 0I/2006.
Orientador: Profs.: Jamil B. Neves e Manoel
Luiz Neto.

SENAC
BARRETOS – SP
2008

2
DEDICO a minha família, por toda a compreensão e incentivo, pelo o apoio moral e
financeiro, e também para meus professores com muita gratidão, e a todos os
colegas de sala com carinho.

3
AGRADEÇO a empresa GOLDEN DOLPHIN por conceder-me a oportunidade de
estagiar na empresa, com a finalidade de aperfeiçoar meu aprendizado técnico em
segurança do trabalho, bem como ao Senac, por transmitir os ensinamentos
necessários.

4
Florescer como jardins

Precisamos cultivar jardins onde se possa descançar, com muitos caminhos para andar.
Assim, podemos conseguir para quem quiser um lugar para semear.
Onde comece a lançar raiz profunda as ilusões quebrar, onde se valorizem as mãos vazias
Onde comecem a brotar e germinar todas as flores do mundo que um dia o homem se
esqueceu de plantar.
Precisamos cultivar jardins onde reine a paz, com muitos caminhos, muitos, por onde
podemos passar.

Mônica

5
DICE

INTRODUÇÃO.....................................................................................................................8
OBJETIVO.............................................................................................................................9
PAVIMENTOS:...............................................................................................................10
QUADRO DE ÁREAS....................................................................................................11
MEMORIAL DESCRITIVO...............................................................................................11
1 - PORTARIA.................................................................................................................11
2- BLOCO FLAT – TORRES 1 E 2................................................................................12
3- BLOCO HOTEL – TORRE 3......................................................................................13
4- ESTACIONAMENTOS..............................................................................................14
5- QUIOSQUES...............................................................................................................14
6 - PISCINAS TERMAIS ADULTO E INFANTIL........................................................14
7-PISCINAS NATURAIS................................................................................................15
Razão Social.........................................................................................................................15
Endereço...............................................................................................................................15
ORGANOGRAMA..............................................................................................................17
FLUXOGRAMA..................................................................................................................18
VERIFICAÇÕES DAS NORMAS DE SEGURANÇA (NR’s)..........................................19
NR 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS.........................................................................................19
1.1 - Descrição..................................................................................................................19
1.2 - Diagnóstico..............................................................................................................20
1.3 – Proposta...................................................................................................................20
NR 2 - INSPEÇÃO PRÉVIA...............................................................................................20
2.1 - Descrição..................................................................................................................20
2.2 - Diagnóstico..............................................................................................................20
2.3 - Proposta....................................................................................................................20
NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM
MEDICINA DO TRABALHO - SESMT............................................................................21
4.1 - Descrição..................................................................................................................21
4.2 - Diagnóstico..............................................................................................................21
4.3 - Proposta....................................................................................................................23
NR 5 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA.................23
5.1 - Descrição..................................................................................................................23
5.2 - Diagnóstico..............................................................................................................24
5.3 – Proposta...................................................................................................................24
NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI.......................................25
6.1 - Descrição..................................................................................................................25
6.2 - Diagnóstico..............................................................................................................25
6.3 - Proposta....................................................................................................................25
NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL
(PCMSO)..............................................................................................................................26
7.1 - Descrição..................................................................................................................26
7.2 - Diagnóstico..............................................................................................................26
7.3 - Proposta....................................................................................................................26
NR- 8 - EDIFICAÇÕES.......................................................................................................27
8.1 - Descrição..................................................................................................................27
8.2 – Diagnóstico..............................................................................................................27
NR-10-INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE..........................................28
10.1 - Descrição................................................................................................................28

6
10.2 - Diagnóstico............................................................................................................28
10.3 – Proposta.................................................................................................................28
NR-11-TRANSPORTE,MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE
MATERIAIS........................................................................................................................29
11.1 - Descrição................................................................................................................29
11.2 - Diagnóstico............................................................................................................29
11.3 - Proposta..................................................................................................................29
NR 12 - MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS.......................................................................30
12.1 - Descrição................................................................................................................30
12.2 - Diagnóstico............................................................................................................30
12.3 – Proposta.................................................................................................................30
NR 13 - VASOS SOB PRESSÃO........................................................................................31
13.1 - Descrição................................................................................................................31
13.2 - Diagnóstico............................................................................................................31
13.3 - Proposta..................................................................................................................31
NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES..................................................32
15.1 - Descrição................................................................................................................32
15.2 - Diagnóstico............................................................................................................32
15.3 - Proposta..................................................................................................................32
NR 17 - ERGONOMIA........................................................................................................33
17.1 - Descrição................................................................................................................33
17.2 - Diagnóstico............................................................................................................33
17.3 - Proposta..................................................................................................................33
NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA
CONSTRUÇÃO...................................................................................................................34
18.1 - Descrição................................................................................................................34
18.2 - Diagnóstico............................................................................................................34
18.3 - Proposta..................................................................................................................34
NR 20 - LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS E INFLAMÁVEIS...............................................36
20.1 - Descrição................................................................................................................36
20.2 - Diagnóstico............................................................................................................36
20.3 - Proposta..................................................................................................................36
21 - NR 21 - TRABALHO A CÉU ABERTO.....................................................................37
4.21.1 - Descrição.............................................................................................................37
21.2 – Diagnóstico............................................................................................................37
Proposta............................................................................................................................38
NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS...................................................................39
4.23.1 – Descrição............................................................................................................39
4.23.2 - Diagnóstico.........................................................................................................39
4.23.3 – Proposta..............................................................................................................39
NR 24 - CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE
TRABALHO........................................................................................................................40
4.24.1 – Descrição............................................................................................................40
4.24.2 - Diagnóstico.........................................................................................................40
4.24.3 - Proposta...............................................................................................................41
NR 25 - RESÍDUSO INDUSTRIAIS..................................................................................41
4.25.1 - Descrição.............................................................................................................41
4.25.2 - Diagnóstico.........................................................................................................41
4.25.3 - Proposta...............................................................................................................41
NR 26 - SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA.....................................................................42

7
4.26.1 - Descrição.............................................................................................................42
4.26.2 - Diagnóstico.........................................................................................................42
4.26.3 - Proposta...............................................................................................................42
NR 27 - REGISTRO PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO
TRABALHO NO MINISTÉRIO DO TRABALHO............................................................43
4.27.1 - Descrição.............................................................................................................43
4.27.2 - Diagnóstico.........................................................................................................43
4.27.3 - Proposta...............................................................................................................43
NR 28 - FISCALIZAÇÃO E PENALIDADES...................................................................44
4.28.1 - Descrição.............................................................................................................44
4.24.2 - Diagnóstico.........................................................................................................44
4.24.3 - Proposta...............................................................................................................44
5 – CONCLUSÃO...............................................................................................................45
6 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...........................................................................46
Sites......................................................................................................................................46
7 - ANEXOS........................................................................................................................46

INTRODUÇÃO

A segurança é base fundamental dentro de uma comunidade, seja ela dentro do


ambiente empresarial ou social, pois tem por objetivo preservar o direito de cada cidadão,
isso quando valor em segurança púbica. Quando pensamos em Segurança do Trabalho é
algo muito mais preocupante, justamente pelo fato que esta segurança, depende
exclusivamente de cada um de nós.

Não devemos distrair ou levar as coisas com pouca importância, pois talvez não
teremos uma segunda chance para recomeçar.

8
OBJETIVO

Garantir que o trabalhador possa exercer suas atividades laborais em um ambiente


seguro, oferece aos mesmos condições de retornar para sua casa intacto, sem ofuscar sua
imagem com excelente condições físicas.

PROJETO REALIZADO NA EMPRESA:


DE CONSTRUÇÃO CIVIL

DESCRIÇÃO DA EMPRESA:

INDEPENDENTE GOLDEN DOLPHIN CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO LTDA,


a empresa com sua construção e administração própria n a rede de hotelaria ,iniciada a obra
dia 01/12/005, no parque do peão na cidade de Barretos SP, o empreendimento
compreenderá 03 edificações em forma de ferradura e contendo 710 apartamentos,e um
parque aquático com águas termais.

9
PAVIMENTOS:

I.- BLOCO DE APOIO


• PORTARIA
• QUIOSQUE 1
• QUIOSQUE 2

II.- BLOCO FLAT – TORRE 1


• SUB SOLO
• PAVIMENTO TÉRREO
• 05 (CINCO) PAVIMENTOS TIPO
• CASA DE MAQUINAS
• RESERVATÓRIO SUPERIOR
III.- BLOCO FLAT – TORRE 2
• SUB SOLO
• PAVIMENTO TÉRREO
• 05 (CINCO) PAVIMENTOS TIPO
• CASA DE MAQUINAS
• RESERVATÓRIO SUPERIOR
IV.- BLOCO HOTEL – TORRE 3
• SUB SOLO
• PAVIMENTO TÉRREO

10
• 05 (CINCO) PAVIMENTOS TIPO
• CASA DE MAQUINAS
• RESERVATÓRIO SUPERIOR

QUADRO DE ÁREAS

(a) BLOCO DE APOIO


• PORTARIA
• QUIOSQUE 1 16,00 m²
• QUIOSQUE 2 36,00 m²

TOTAL DO BLOCO (AP) 88,00 m²

(b) BLOCO FLAT – TORRE 1


• SUB SOLO 3.138,32 m²
• PAVIMENTO TÉRREO 3,182.32 m²
• 05 (CINCO) PAVIMENTOS TIPO 13.126,40 m²
• CASA DE MAQUINAS 175,64 m²
• RESERVATÓRIO SUPERIOR 175,64 m²

TOTAL DO BLOCO (T1) 19.798,32 m²

(c) BLOCO FLAT – TORRE 2


• SUB SOLO 3.138,32 m²
• PAVIMENTO TÉRREO 3.182,32 m²
• 05 (CINCO) PAVIMENTOS TIPO 13.126,40 m²
• CASA DE MAQUINAS 175,64 m²
• RESERVATÓRIO SUPERIOR 175,64 m²

TOTAL DO BLOCO (T2) 19.798,32 m²

(d) BLOCO HOTEL – TORRE 3


• SUB SOLO 3.113,00 m²
• PAVIMENTO TÉRREO 3.113,00 m²
• 05 (CINCO) PAVIMENTOS TIPO 13.921,80 m²
• CASA DE MAQUINAS 175,64 m²
• RESERVATÓRIO SUPERIOR 175,64 m²

TOTAL DO BLOCO (T3) 20.499,08 m²

MEMORIAL DESCRITIVO

1 - PORTARIA
ESTRUTURA Concreto armado

11
PAREDES Alvenaria
ESQUADRIAS Alumínio Anodizado fosco Natural
VIDROS Incolor
COBERTURA Telha Colonial Branca, ou similar
REVESTIMENTO INTERNO Reboco paulista, massa e pintura PVA
REVESTIMENTO EXTERNO Reboco
Textura Acrílica
Cerâmica
TETO Reboco paulista, massa e pintura PVA
PAVIMENTAÇAO INTERNA Cerâmica
SANITÁRIOS Piso e Paredes: Cerâmica
EQUIPAMENTOS / APARELHOS Bacia caixa acoplada
Cuba de louça
Metais e Acessórios
Bancada de Granito
MARQUISE Estrutura metálica
Vidro aramado ou similar
SOLEIRAS Granito

2- BLOCO FLAT – TORRES 1 E 2


ESTRUTURA Concreto armado
PAREDES Alvenaria
ESQUADRIAS Alumínio Anodizado fosco Natural
VIDROS Incolor 4mm
COBERTURA Laje Impermeabilizada
PROTEÇAO E TRATAMENTOS Calha Impermeabilizada com manta
alumínio
REVESTIMENTO INTERNO Reboco paulista, massa e pintura PVA
REVESTIMENTO EXTERNO Reboco
Textura Acrílica
Cerâmica
TETOS Reboco Paulista, massa e pintura PVA
PAVIMENTAÇAO Piso Cerâmica 30x30cm
PAVIMENTAÇAO SANITÁRIOS Piso Cerâmica 20x20cm
Parede 20x20
Rodapé cerâmica e Roda teto gesso
EQUIPAMENTOS-APARELHOS Bacia caixa acoplada
METAIS
Metais e Acessórios
SOLEIRAS Granito Cinza
GUARDA CORPO Ferro pintado ou alumínio anodizado fosco
INSTALAÇAO ELETRICA Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais
INSTALAÇAO HIDRAULICA Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais

12
INSTALAÇAO INCENDIO Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT
INSTALAÇAO SANITÁRIA Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais
INSTALAÇAO COMUNICAÇAO Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT
INSTALAÇAO DISTRIBUIÇAO DE GÁS Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais

3- BLOCO HOTEL – TORRE 3


EXTRUTURA Concreto armado
PAREDES Alvenaria
ESQUADRIAS Alumínio Anodizado fosco Natural
VIDROS Incolor 4mm
COBERTURA Laje Impermeabilizada
PROTEÇAO E TRATAMENTOS Calha Impermeabilizada com manta
alumínio
Sem proteção mecânica
REVESTIMENTO INTERNO - Reboco paulista, massa e pintura PVA
REVESTIMENTO EXTERNO - Reboco,
Textura Acrílica
Cerâmica 10x10cm
TETOS Reboco paulista, massa e pintura pva
PAVIMENTAÇAO Piso Cerâmica 30x30cm
PAVIMENTAÇAO SANITÁRIOS Piso Cerâmica 20x20cm
Parede 20x20
Rodapé Cerâmica
EQUIPAMENTOS – APARELHOS Bacia caixa acoplada
-METAIS
Cuba
Metais e Acessórios
Bancada Granito Cinza
SOLEIRAS Granito Cinza
GUARDA CORPO Ferro pintado ou alumínio anodizado fosco
PEITORIL Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais
INSTALAÇAO ELÉTRICA Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais
INSTALAÇAO HIDRÁULICA Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT.
INSTALAÇAO INCÊNDIO Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT
INSTALAÇÂO SANITÁRIA Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais

13
INSTALAÇAO COMUNICAÇAO Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT
INSTALAÇÂO DISTRIBUIÇAO DE GÁS Conforme projeto técnico elaborado de
acordo com as normas da ABNT e posturas
das concessionárias locais

4- ESTACIONAMENTOS

Aparqueados e arborizados, com área permeável em pavimento ecológico, piso


intertravado ou com cobertura em britas ou seixo rolado.

5- QUIOSQUES
ESTRUTURA Concreto armado
PAREDES Alvenaria
ESQUADRIAS Alumínio Anodizado fosco Natural
VIDROS Incolor 4 mm
COBERTURA Telha colonial com estrutura metálica
REVESTIMENTO INTERNO Reboco paulista, massa e pintura PVA
REVESTIMENTO EXTERNO Reboco,
Textura Acrílica
Cerâmica
TETOS Reboco paulista, massa e pintura pva/
PAVIMENTAÇAO Piso Cerâmica 30x30cm
PAVIMENTAÇAO SANITÁRIOS Piso Cerâmica 20x20cm
Parede 20x20
Rodapé cerâmica
EQUIPAMENTOS –APARELHOS Bacia caixa acoplada -
-METAIS
Cuba -
Metais e Acessórios -
MARQUIOSE Estrutura metálica
Vidro aramado ou similar
SOLEIRAS Granito Cinza
GUARDA CORPO Ferro pintado ou alumínio anodizado fosco
PEITORIL Cerâmica 10x10

6 - PISCINAS TERMAIS ADULTO E INFANTIL


ESTRUTURA Concreto armado
PAREDES Tijolo estrutural
ESQUADRIAS Não tem
VIDROS Não tem
COBERTURA Não tem
PROTEÇAO E TRATAMENTOS Impermeabilizada
REVESTIMENTO Cerâmico

14
TETOS Não tem
PINTURA Não tem
PAVIMENTAÇAO Cerâmica

7-PISCINAS NATURAIS
ESTRUTURA Concreto armado
PAREDES Tijolo estrutural
ESQUADRIAS Não tem
VIDROS Não tem
COBERTURA Não tem
PROTEÇAO E TRATAMENTOS Impermeabilizada
REVESTIMENTO Cerâmico
TETOS Não tem
PINTURA Não tem
PAVIMENTAÇAO Cerâmica

Razão Social

INDEPENDENTE GOLDEN DOLPHIN CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES


LTDA.

Endereço
Rodovia Brigadeiro Faria Lima, km 428 – Parque do Peão – 14780-000 Barretos - SP
CEP. 14780000

15
Telefone: (17)3328 1340
CNPJ 07.441.962/0001-25 Inscrição Estadual: 204.193.436.117.
CNAE 45.21-7
Grau de risco: 4
Área da empresa: 46.906.48 m²
Área em construção: 60.183,72 m²
Número de funcionários: 90, sendo:
Homens: 85
Mulheres: 05

16
ORGANOGRAMA
DIRETORIA

ADMINIS OBRAS
TRATIVO

ENGENH
GERENT
EIRO
E
CIVIL

SECRETARIA MESTRE
DE
OBRAS
obras ENCARRE ENCARRE ENCARRE
DEPARTAMENT GADO DE GADO AMOXAR
GADO DE VIGIAS
O FINANCEIRO ALVENARI CARPINTA IFE
ARMAÇÃO
DEPARTAMENT A RIA
O DE PESSOAL
PEDREI- ARMADO CARPINTEI
RO ZELADOR
DEPARTAMEN RO R
compras TO DE
VENDAS
SERVENT SERVENT SERVENT
E E E

DEPARTAMEN
TO DE
obras
CONTABILIDA
DE
COMPRA
S
TÉCNICO DE
SEGURANÇA
DO
TRABALHO

17
FLUXOGRAMA

MATERIAIS

AÇO

PEÇAS EM AÇO
DEPÓSITO OU
BAIA DE
CLASSIFICA
QUANTO A
ESPESSURAÇÃO
Õ CORTE E DOBRA
DAS PEÇAS

CONFECÇAÕ DE
ESTRIBOS PARA
VIGAS E PILARES
ARMAÇÃO
POSITIVO E
NEGATIVO PARA
LAGES

18
RESUMO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO, NA ÁREA DE ARMAÇÃO:

• Chegada dos vergalhões


• Corte e dobra
• Confecção de estribos para vigas e pilares
• Transporte para montagem
• Montagem de Lages positivos e negativos
• Montagens de vigas, pilares e bloco.

Número de funcionários: 15
Função:
Corte-02
Dobra-04
Solda- 01
Montagem-08

VERIFICAÇÕES DAS NORMAS DE SEGURANÇA (NR’s)

NR 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS

1.1 - Descrição

A primeira norma regulamentadora do trabalho urbano, sob o título Disposições


Gerais, estabelece o campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de
Segurança e Medicina do Trabalho Urbano, bem como os direitos e obrigações do
governo, dos empregados e dos trabalhadores no tocante a este tema específico no que diz
seguindo seu texto original “... são de observância obrigatória pelas empresas privadas e
públicas e pelos órgãos públicos de administração direta e indireta, bem como pelos órgãos
dos poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação
das Leis de Trabalho – CLT...”. A NR 1 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível
de legislação ordinária, através dos artigos 154 a 159 da CLT- Consolidação das Leis de
Trabalho.

19
1.2 - Diagnóstico

A empresa possui Ordem de Serviço, mas não efetua ordem de serviços por troca
de função, nem mesmo para os trabalhadores terceirizados.

1.3 – Proposta

• Implantar Ordens de Serviço por Função (Anexo III);


• Implantar Ordem de Serviço e treinamento s para Terceirizados (Anexo IV).
Responsável: Departamento de pessoal.

NR 2 - INSPEÇÃO PRÉVIA

2.1 - Descrição

A segunda norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece as situações em


que as empresas deverão solicitar ao Ministério do Trabalho e Emprego a realização de
inspeção prévia em seus estabelecimentos, bem como forma de sua realização. Texto
transcrito da NR 2 “....Todo estabelecimento novo, antes de iniciar suas atividades, deverá
solicitar aprovação de suas instalações ao Órgão Regional do MTb...”. A NR 2 tem a sua
existência jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através dos artigos 160 a
161 da CLT .

2.2 - Diagnóstico

Identifiquei que a empresa não possui o CAI (certificado de aprovação de


instalação).

2.3 - Proposta

Solicitação do CAI (Certificado de Aprovação de Instalações). Fixar em local


visível, caso a empresa venha sofrer modificações em suas instalações deverá solicitar

20
novamente junto ao Órgão Regional do Trabalho, outro Certificado de Aprovação de
Instalação (CAI).

Responsável: Departamento de pessoal.


NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA
DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO -
SESMT

4.1 - Descrição

A quarta norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece a obrigatoriedade


das empresas públicas e privadas que possuam empregados regidos pela Consolidação das
Leis do Trabalho, de organizarem e manterem em funcionamento Serviços Especializados
em Engenharia e em Medicina do Trabalho (SESMT), com a finalidade de promover a
saúde e proteger a integridade do trabalhador, no local de trabalho. Trecho de texto
transcrito da NR 4 “...o dimensionamento dos Serviços Especializados em Engenharia de
Segurança e Medicina do Trabalho vincula-se à gradação do risco da atividade principal e
ao número total de empregados do estabelecimento ...” A NR 4 tem a sua existência
jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através do artigo 162 da CLT.

4.2 - Diagnóstico

Levando em conta sua Classificação Nacional de Atividades Econômicas


(CNAE) de número 45.21.7 - Construções de Edifícios e Obras de Engenharia Civil. Com
número total de funcionários sendo 90 empregados de acordo com o Quadro II da NR 4
está desobrigada da instalação do SESMT próprio, mas a empresa deve cumprir com suas
obrigações na área de Segurança e Medicina do Trabalho com a finalidade de promover a
saúde e proteger a integridade do trabalhador no local de trabalho, para isso a empresa
contratou uma assessoria especializada na área de Segurança e Medicina do Trabalho.

21
QUADRO II

DIMENSIONAMENTO DO SESMT

Nº de empregados no Acima de
estabelecimento 5.000 para
cada
Grau 50 101 251 501 1.001 2.001 3.501
grupo de
de a a a a a a a
4.000
Risco Técnicos 100 250 500 1.000 2.000 3.500 5.000
ou fração
acima
de 2.000**
Técnico Seg. Trabalho . . . 1 1 1 2 1
Engenheiro Seg.
. . . . . 1* 1 1*
Trabalho
Aux. Enfermagem
1 . . . . . 1 1 1
Trabalho
Enfermeiro do
. . . . . . 1* .
Trabalho
Médico do Trabalho . . . . 1* 1* 1 1*
Técnico Seg. Trabalho . . . 1 1 2 5 1
Engenheiro Seg.
. . . . 1* 1 1 1*
Trabalho
Aux. Enfermagem
2 . . . . 1 1 1 1
Trabalho
Enfermeiro do
. . . . . . 1 .
Trabalho
Médico do Trabalho . . . . 1* 1 1 1
Técnico Seg. Trabalho . 1 2 3 4 6 8 3
Engenheiro Seg.
. . . 1* 1 1 2 1
Trabalho
Aux. Enfermagem
3 . . . . 1 2 1 1
Trabalho
Enfermeiro do
. . . . . . 1 .
Trabalho
Médico do Trabalho . . . 1* 1 1 2 1
Técnico Seg. Trabalho 1 2 3 4 5 8 10 3
Engenheiro Seg.
. 1* 1* 1 1 2 3 1
Trabalho
Aux. Enfermagem
4 . . . 1 1 2 1 1
Trabalho
Enfermeiro do
. . . . . . 1 .
Trabalho
Médico do Trabalho . 1* 1* 1 1 2 3 1
OBS.: Hospitais, Ambulatórios,
(*) - Tempo parcial (mínimo de três horas)
Maternidades, Casas de Saúde e Repouso,
(**) - O dimensionamento total deverá ser feito
Clínicas e estabelecimentos similares com
levando-se em consideração o dimensionamento da
mais de 500 (quinhentos) empregados
faixa de 3.501 a 5.000 mais o dimensionamento
deverão contratar um Enfermeiro do Trabalho
do(s) grupo(s) de 4.000 ou fração de 2.000.
em tempo integral.

22
4.3 - Proposta
- Registrar mensalmente os dados atualizados dos acidentes e arquivos de
Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT).
- Doenças ocupacionais e agentes de insalubridades.

Responsabilidade: CIPA, Diretoria e Departamento de pessoal.

NR 5 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE


ACIDENTES - CIPA

5.1 - Descrição

A quinta norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece a obrigatoriedade


das empresas públicas e privadas em organizar e manter em funcionamento, dependendo
de sua classificação econômica, uma comissão constituída, exclusivamente por
empregados eleitos e indicados pelo empregador, com o objetivo de prevenir infortúnios
laborais através da apresentação de sugestões e recomendações, visando melhorar as
condições do meio ambiente de trabalho. Trecho de texto transcrito da NR 5 “...devem
constituir CIPA, por estabelecimento e mantê-la em regular funcionamento as empresas
privadas, públicas, sociedades de economia mista, órgãos da administração direta e
indireta, instituições beneficentes, associações recreativas, cooperativas, bem como outras
instituições que admitam trabalhadores como empregados...”.A NR 5 tem a sua existência
jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através do artigo 163 a 165 da CLT.

23
5.2 - Diagnóstico

A empresa de acordo com sua Classificação Nacional de Atividades Econômicas


(CNAE) 45.21.7 apresenta no Quadro II da NR 5 o grupo de risco C 18a –apresentando
no Quadro I da NR 5 o seguinte dimensionamento : 03 membros efetivos e 03 suplentes
por parte do empregador e 03 membros efetivos e 03 suplentes por parte dos empregados,
estando a empresa no momento adequada com o que pede nesta norma se tratando no
caso do dimensionamento da CIPA.
Esta CIPA teve sua gestão iniciada Março 2007 e término programado para
Março 2008

5.3 – Proposta

- Acompanhamento do processo eleitoral da CIPA (Anexo V);


- Participar anualmente em conjunto com a empresa de campanhas de Prevenção
da AIDS.
- Realização anualmente de Sipat, semana Interna de Prevenção de Acidentes do
Trabalho.
- Treinamento para os novos cipeiros a ser realizado a partir da ata de posse
- Treinamento para elaboração e Implantação do Mapa de Risco a ser realizado
junto com o treinamento para novos cipeiros (Anexo VI);
- Motivar os cipeiros na participação das reuniões mensais;
-Manter um representante da empresa responsável pelo cumprimento dos
objetivos da CIPA;
- Investigação de acidentes (Anexo VII).

Responsabilidade: Departamento de pessoal e CIPA.

24
NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

6.1 - Descrição

A sexta norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece definições legais,


forma de proteção, requisitos de comercialização e responsabilidades (empregador,
empregado, fabricante, importador e Ministério do Trabalho) quanto ao EPI, ela também é
de extrema importância principalmente no que diz respeito a responsabilidade do
empregador, é de fundamental importância também para a aplicação da NR 15 , na
caracterização e/ou descaracterização da insalubridade. Trecho de textos transcritos da NR
6 “item 6.3... a empresa é obrigada a fornecer aos empregados gratuitamente, EPI
adequado ao risco...”item 6.7 “...cabe ao empregado – Alínea a) usar, utilizando-o apenas
para a finalidade a que se destina...”.
A NR 6 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária ,
através do artigo 166 a 167 da CLT.

6.2 - Diagnóstico

A empresa fornece gratuitamente a todos os funcionários EPI’s de acordo com os


riscos ambientais, os funcionários assinam ficha de EPI, mas não recebem treinamento
específico, documentado, de uso e procedimentos para troca.

6.3 - Proposta

-Acrescentar na ficha de EPI, a numeração do CA. (Certificado de Aprovação) do


Equipamento de Proteção individual.
- Treinamento específico de EPI (Anexo VIII );
- Procedimento de utilização de EPI (Anexo IX).
Responsabilidade: Departamento pessoal e compras.

25
NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE
OCUPACIONAL (PCMSO)

7.1 - Descrição

A sétima norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece a obrigatoriedade


de elaboração e implantação do PCMSO, por parte de todos os empregadores e
instituições com o objetivo de monitorar, individualmente, aqueles trabalhadores expostos
aos agentes químicos, físicos e biológicos definidos pela NR 9 (PPRA), o PCMSO é parte
integrante do conjunto mais amplo da saúde dos trabalhadores, devendo ser articulado com
as exigências das demais normas regulamentadoras, considerando as questões incidentes
sobre homem, com ênfase no instrumental clínico-epidemiológico, na abordagem da
relação entre sua saúde e o trabalho que deverá ter prioridade na prevenção, rastreamento e
diagnóstico preventivo dos aspectos de saúde relacionados ao trabalho, inclusive de
natureza subclínica, além da constatação da existência de doenças ocupacionais. A NR 7
tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária , através do artigo
168 a 169 da CLT.

7.2 - Diagnóstico

A empresa realiza exames admissionais, periódicos, de retorno ao trabalho, de


mudança de função e demissionais de acordo com PCMSO terceirizada por empresa de
assessoria especializada na área.

7.3 - Proposta

-Manter acompanhamento por parte do empregador e departamento de pessoal


dos exames realizados conforme PCMSO a partir da data de sua implantação até seu
término em janeiro de 2009
- Treinamento de Primeiros Socorros
- Manter mo estabelecimento a primeira via do ASO.

26
Responsabilidade:: Departamento de pessoal, Assessoria em medicina do trabalho.

NR- 8 - EDIFICAÇÕES

8.1 - Descrição

A oitava norma regulamentadora do trabalho urbano dispõe sobre os requisitos


técnicos mínimos que devem ser observados nas edificações para garantir segurança e
conforto aos que nela trabalham. A NR 8 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível
de legislação ordinária, através do artigo 170 a 174 da ²CLT .

8.2 – Diagnóstico
.
A empresa apresenta nos setores de Administração e alojamento provisórios:
ambiente com pé direito de 3 metros, paredes de alvenaria e divisórias separando os
diversos departamentos, teto forro paulista, cobertura de telhas de cerâmico piso cimento
queimado iluminação natural acrescida de lâmpadas fluorescentes, ventilação natural
através de portas e janelas e artificial com acréscimo de ventilador e ar condicionado.
Setores de produção são; confecção de blocos e canaletas; ambiente aberto piso rústico,
com pé direito de 3m, estrutura de madeira área com 60m² cada, cobertura com telha de
amianto. Confecção e montagem de ferragem; com pé direito 3m estrutura de madeira,
ambiente aberto telha de amianto.

8.3 - Proposta
- Manter sempre suas edificações em bom estado de conservação e fazer vistoria
periódica;
Responsabilidade: Diretoria.

27
NR-10-INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

10.1 - Descrição

A décima norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece as condições


mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações
elétricas, em suas diversas etapas, incluindo elaboração de projetos, execução, operação,
manutenção, reforma e ampliação, assim como a segurança de usuários e de terceiros, em
quaisquer das fases de geração, transmissão, distribuição e consumo de energia elétrica,
observando–se, para tanto, as normas técnicas oficiais vigentes e na falta destas, as normas
técnicas internacionais. A NR 10 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de
legislação ordinária, através do artigo 179 a 181 da CLT.

10.2 - Diagnóstico

A empresa possui projeto de instalação elétrica feita por profissional habilitado


com Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Na parte externa da empresa não há
para-raios em seu perímetro, verificando os locais de trabalho as máquinas e os
equipamentos estão aterrados, no setor de manutenção há profissional habilitado conforme
NR 10 para execução de serviços de reparos na parte elétrica e existem falhas na
sinalização nos quadros energizados.

10.3 – Proposta

- Laudo elétrico de acordo com NR 10.


- Sinalização dos quadros energizados
Responsabilidade: Diretor e Encarregado de manutenção.

28
NR-11-TRANSPORTE,MOVIMENTAÇÃO,
ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAIS.

11.1 - Descrição

A décima primeira norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece os


requisitos de segurança, a serem observados nos locais de trabalho, no que se refere ao
transporte, à movimentação, à armazenagem e ao manuseio de materiais, tanto de forma
mecânica, quanto manual, de modo a evitar acidentes no local de trabalho. Essa NR foi
redigida devido ao grande número de acidentes, causados pelos equipamentos de içamento
e transporte de materiais, ocorridos com a crescente mecanização das atividades que
motivaram um aumento da quantidade de:
Materiais movimentados no ambiente de trabalho. A NR 11 tem a sua existência
jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através do artigo 182 a 183 da CLT.

11.2 - Diagnóstico

A empresa conta com uma pá carregadeira, uma motoniveladora, um caminhão


caçamba, ônibus transporte coletivo.
Transporte manual; carrinho de mão,os motoristas de caminhões e ônibus tem
habilitação referente à categoria, tipo direção defensiva, primeiros socorros,
Armazenagem, material de construção, a céu aberto, e equipamentos e outros
materiais no almoxarifado.

11.3 - Proposta

- Check-List para caminhões;


- Cartão de identificação para os operadores de equipamentos motorizados
Responsabilidade: Diretoria e Encarregado de transportes.

29
NR 12 - MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

12.1 - Descrição

A décima segunda norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece as


medidas prevencionistas de segurança e higiene do trabalho a serem adotadas na
instalação, operação e manutenção de máquinas e equipamentos, visando à prevenção de
acidentes do trabalho. A NR 12 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de
legislação ordinária, através do artigo 184 a 186 da CLT.

12.2 - Diagnóstico

A empresa possui dobradeira manual, aparelho de solda, elétrica, esmerilhadeira,


policorte, furadeiras elétricas e de bancada, betoneira, cerra circular, de bancada cerra
circular manual, motor vibrador, mangote vibrador. A empresa possui programa de
manutenção preventiva nas máquinas, as esmerilhadeira e os policorte possuem proteção
de disco, nas furadeiras de bancada há morsas para prender as peças a serem trabalhadas.

12.3 – Proposta

- Manutenção preventiva das máquinas e equipamentos;


- Chek-List para máquinas de solda;
- Treinamento Operacional de Máquinas e equipamentos;

Responsabilidade: Encarregado de manutenção, Diretoria e Departamento de


pessoal.

30
NR 13 - VASOS SOB PRESSÃO

13.1 - Descrição

A décima terceira norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece todos os


requisitos técnicos e legais relativos à instalação, operação e manutenção de vasos de
pressão, de modo a se prevenir a ocorrência de acidentes do trabalho. Trecho de textos
transcritos da NR 13 “item 13.6...vasos sob pressão são equipamentos que contém fluidos
sob pressão interna ou externa...” item 13.6.4 “... todo vaso de pressão deve possuir, no
estabelecimento onde estiver instalado... alínea a)Prontuário do vaso de pressão, b)
Registro de segurança, c) Projeto de instalação, d) Projetos de alteração ou reparo, e)
Relatórios de inspeção..”. A NR 13 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de
legislação ordinária, através do artigo 187 a 188 da CLT.

13.2 - Diagnóstico

A empresa possui 1(um) vaso sob pressão do tipo reservatórios de ar comprimido


utilizados devido revolveres de pintura, , com capacidade de 13 litros, sendo de classe
estão localizados em local externo ao da produção, em local arejado, fechado por paredes
de compensado tipo tapume não tem sinalização de segurança da área.

13.3 - Proposta

- Providenciar prontuário técnico;


- Sinalizar área.

Responsabilidade: Diretoria e Departamento pessoal

31
NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES

15.1 - Descrição

A décima quinta norma regulamentadora do trabalho urbano define em seus


anexos, os agentes insalubres, limites de tolerância e os critérios técnicos e legais para
avaliar e caracterizar as atividades e operações insalubres e o adicional devido para cada
caso. Trecho de textos transcritos da NR 15 “item 15.1....são consideradas atividades ou
operações insalubres as que se desenvolvem, 15.1.1 acima dos limites de tolerância ruído
contínuo ou intermitente, ruídos de impacto, exposição ao calor, radiações ionizantes...”.
Significado de local insalubre: doentio, enfermo, prejudicial à saúde, nocivo e de
insalubridade: inadequado à vida; nocivo. A NR 15 tem a sua existência jurídica
assegurada, a nível de legislação ordinária, através do artigo 189 a 192 da CLT .

15.2 - Diagnóstico

Na empresa há locais com alto índice de ruído em alguns setores que envolvem
máquinas, radiações não ionizantes e trabalhos com produtos químicos (pintura), a
empresa adota medidas de proteção coletivas e individuais a fim de minimizar os riscos
ambientais dos ambientes de trabalho, porém não há o Laudo Técnico das Condições
Ambientais de Trabalho a fim de pagamento ou não de Insalubridade, mas a empresa
efetua o pagamento com adicional de 20% aos operadores de betoneiras e elevadores de
cargas e guardas noturnos.

15.3 - Proposta

- Solicitar a elaboração de Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho


(LTCAT), para o controle de possível Insalubridade dos ambientes de trabalho.

Responsabilidade: Diretor e Departamento de pessoal.

32
NR 17 - ERGONOMIA

17.1 - Descrição

A décima sétima norma regulamentadora do trabalho urbano visa estabelecer


parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às condições
psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto,
segurança e desempenho eficiente. Trecho de texto transcrito da NR 17 “item 17.1.2.....
para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos
trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a
mesma abordar no mínimo, as condições de trabalho conforme estabelecido nesta norma
regulamentadora...”. A NR 17 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de
legislação ordinária, através do artigo 189 e 199 da CLT .

17.2 - Diagnóstico

A empresa tem atividades onde se exige grande esforço físico de seus


funcionários, posturas incorretas e trabalhos que requerem longas posições em pé,
causando desconforto e fadiga, a empresa não possui nenhum tipo de treinamento de
postura ou laudo ergonômico das funções desenvolvidas em busca de melhores condições
de trabalho.

17.3 - Proposta

- Solicitar avaliação ergonômica de funções;


-Propor contratação de acordo com biótipo da pessoa e função a ser desenvolvida;
- Palestras educativas a respeito de ergonomia de produção;
- Propor Ginástica Laboral.
Responsabilidade: Diretoria.

33
NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO
NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

18.1 - Descrição

A décima oitava norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece diretrizes


de ordem administrativa, de planejamento e organização, com o objetivo de implementar
procedimentos de aspecto preventivo relacionados às condições de trabalho na construção
civil. A NR 18 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária,
através do artigo 200 da CLT .

18.2 - Diagnóstico

A empresa de construção civil acordo com o quadro I ,da NR-4 Classificação


Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)45.21.7, Edificações, com grau de risco-4,
atende em parte as Normas Regulamentadoras-NRs- preocupando-se com a saúde e a
integridade física dos seus colaboradores ,implantando os programas exigidos como:o
PCMAT -Programa de Condições do Meio Ambiente de Trabalho na Construção civil.)
CIPA –Comissão Interna de Prevenção de Acidentes;

18.3 - Proposta
-Todos os trabalhadores devem receber treinamentos admissional e periódico, e
cópias desses treinamentos, visando a garantir a execução de suas atividades com
segurança;
Executar treinamento de admissão com carga horária de 6 (seis) horas dentro do
horário de trabalho de:
• Proteção das pontas dos vergalhões;
• complementar sinalização de segurança;
• Isolamento dos vãos livres.

34
35
NR 20 - LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS E INFLAMÁVEIS

20.1 - Descrição

A vigésima norma regulamentadora do trabalho urbano trata das definições e


aspectos de segurança envolvendo as atividades com líquidos inflamáveis e combustíveis,
gás liquefeito de petróleo (GLP) e outros gases inflamáveis. A NR 20 tem a sua existência
jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através do inciso II do artigo 200 da
CLT, transcrito: “...Art. 200 Cabe ao Ministério do Trabalho estabelecer disposições
complementares às normas de que se trata este capítulo, tendo em vista as peculariedades
de cada atividade ou setor de trabalho, especialmente sobre: II depósitos, armazenagem e
manuseio de combustíveis, inflamáveis e explosivos, bem como trânsito e permanência
nas áreas respectivas.

20.2 - Diagnóstico

A empresa não tem como atividade principal o trabalho com líquidos e


combustíveis inflamáveis, mas usa produtos com o mesmo ponto de fulgor (thinner e
solventes) em seu processo de produção de pintura, como base solvente de tintas, na
cozinha o botijão de GLP se encontra anexa às instalações do escritório.

20.3 - Proposta

- Demarcar e sinalizar locais onde há manuseio e armazenamento de solventes e Thinner


usados pelo setor de pintura. (pequena quantidade)
- Instalação de extintores próximos a estes locais;
- Instalar chuveiros e lava olhos para o setor de pintura;
- Arquivar fichas de emergência dos produtos químicos.
Responsabilidade: Técnico de Segurança do Trabalho.

36
21 - NR 21 - TRABALHO A CÉU ABERTO

4.21.1 - Descrição

A vigésima primeira norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece as


medidas preventivas relacionadas com a prevenção de acidentes nas atividades a céu
aberto, tais como, minas ao ar livre e pedreiras. A NR 21 tem a sua existência jurídica
assegurada, a nível de legislação ordinária, através do inciso V do artigo 200 da CLT,
transcrito: “...Art. 200 Cabe ao Ministério do Trabalho estabelecer disposições
complementares às normas de que se trata este Capítulo, tendo em vista as peculariedades
de cada atividade ou setor de trabalho,proteção contra insolação, calor, frio, umidade e
ventos, sobre tudo no trabalho a céu aberto, com provisão, quanto a este, de água potável,
alojamento e profilaxia de endemias;

21.2 – Diagnóstico

A empresa executa trabalhos a céu aberto, como: confecção de alvenaria,


abertura manual de valas e blocos de coroamento, apiloamento, movimento em terra,
montagem de escoramento em madeira ou ferro, montagem de armações em aço,
fabricação de pré-moldados, concretagem de lajes e pilares, impermeabilização, cobertura
com telha de amianto.

37
.

Proposta
- Oferecer protetor solar aos trabalhadores que ficam exposto a insolação mais de
6 (seis) horas, afim de proteger dos raios ultra- violetas, ou,
- Revezamento de ambiente.
-Colocar cobertura nos pontos fixos onde os funcionários trabalham.

38
NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS

4.23.1 – Descrição

A vigésima terceira norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece


medidas de proteção contra incêndios de que devem dispor os locais de trabalho, visando a
prevenção da saúde e da integridade física dos trabalhadores. Trecho transcrito da NR 23
23.1.1.todas as empresas deverão possuir: a) proteção contra incêndio, b) saídas
suficientes para a rápida retirada do pessoal em serviço em caso de incêndio, c)
equipamento suficiente para combater o fogo em seu início, d) pessoas treinadas no uso
correto destes equipamentos...”. A NR 23 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível
de legislação ordinária, através do inciso IV do artigo 200 da CLT, transcrito: “...Art. 200
Cabe ao Ministério do Trabalho estabelecer disposições complementares às normas de que
se trata este capítulo, tendo em vista as peculariedades de cada atividade ou setor de
trabalho, especialmente sobre: IV – proteção contra incêndio em geral e as medidas
preventivas adequadas, com exigências ao especial revestimento de portas e
paredes,construção de paredes contra-fogo, diques e outros anteparos, assim como garantia
geral de fácil circulação, corredores de acesso e saídas amplas protegidas, com suficiente
sinalização.

4.23.2 - Diagnóstico

A empresa possui equipamentos de combate a incêndio como extintores, nas


edificações provisórias, mas não há brigada de incêndio. Nas edificações permanentes
existe um projeto que é elaborado por profissional competente de acordo com as normas
da ABNT.

4.23.3 – Proposta

- Implantar brigada de incêndio


- Implantar normas internas para não obstruir extintores;

39
- Manter em arquivo no estabelecimento a cópia do atestado de vistoria do corpo
de bombeiros, observando o período de validade;
- Inspecionar extintores,

Responsabilidade: Diretoria e Departamento pessoal.

NR 24 - CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS


LOCAIS DE TRABALHO

4.24.1 – Descrição

A vigésima quarta norma regulamentadora do trabalho urbano determina


requisitos básicos para as instalações sanitárias e de conforto a serem observados nos
locais de trabalho, especialmente no que se refere a: banheiros, vestiários, refeitórios,
cozinhas, alojamentos e água potável. Os estabelecimentos devem dispor de instalações
sanitárias mantidas em bom estado de asseio e higiene, separadas por sexo, além de outros
aspectos construtivos e de conservação predial. A NR 24 tem a sua existência jurídica
assegurada, a nível de legislação ordinária, através do inciso VII do artigo 200 da CLT,
transcrito: “...Art. 200 Cabe ao Ministério do Trabalho estabelecer disposições
complementares às normas de que se trata este capítulo, tendo em vista as peculariedades
de cada atividade ou setor de trabalho,especialmente sobre: VII – Higiene nos locais de
trabalho, com discriminação das exigências, instalações sanitárias com separação de sexos,
chuveiros, lavatórios, vestiários e armários individuais, refeitórios ou condições de
conforto por ocasião das refeições, fornecimento de água potável, condições de limpeza
nos locais de trabalho e modo de sua execução, tratamento de resíduos industriais.

4.24.2 - Diagnóstico

A empresa possui sanitários e chuveiros separados por sexo, levando em conta o


número de funcionários, local para refeição arejado, com mesas e acentos de madeira e

40
pontos de água potável localizados próximo ao refeitório nos setores, os locais de
sanitários e o refeitório são limpos e higienizados 02 vezes ao dia, há 02 bebedouros, não é
realizada análise de água a cada 3 meses.

4.24.3 - Proposta

- Manutenção e limpeza diária dos locais de refeição e sanitários;


- Análise de água potável a cada 3 meses;
Responsabilidade: Diretoria

NR 25 - RESÍDUSO INDUSTRIAIS

4.25.1 - Descrição

A vigésima quinta norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece medidas


preventivas a serem observadas pelas empresas sobre o destino final a ser dado aos
resíduos industriais resultantes dos ambientes de trabalho, visando à prevenção da saúde e
da integridade física dos trabalhadores. A NR 25 tem a sua existência jurídica assegurada,
a nível de legislação ordinária , através do inciso IV do artigo 200 da CLT. A aplicação da
NR 25 deve ser feita a partir da consulta da legislação federal, estadual e municipal. A
resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente 06/88 é uma das mais importantes,
pois trata da implementação das diretrizes nacionais visando controle dos resíduos
industriais, através da obrigatoriedade da realização do inventário dos resíduos industriais
gerados e/ou existentes no país.

4.25.2 - Diagnóstico

A empresa tem resíduos industriais gerados pelo setor de descarte restos de aço e
embalagens metálicas são recolhidos por empresa de reciclagem de aço.

4.25.3 - Proposta
- Designar local adequado para depositar materiais descartados.
Responsabilidade: Diretoria.

41
NR 26 - SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA

4.26.1 - Descrição

A vigésima sexta norma regulamentadora do trabalho urbano estabelece a


padronização das cores a serem utilizadas como Sinalização de Segurança nos Ambientes
de Trabalho, visando a prevenção da saúde e da integridade física dos trabalhadores. A NR
26 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através do
inciso VIII do artigo 200 da CLT. Trecho transcrito da NR 26 .26.1.1. esta norma
regulamentadora (NR) tem por objetivo fixar as cores que devem ser usadas nos locais de
trabalho para prevenção de acidentes, identificando os equipamentos de segurança,
delimitando áreas, identificando canalizações empregadas nas indústrias para a condução
de líquidos e gases e advertido contra riscos.

4.26.2 - Diagnóstico

A empresa esta sinalizada, faltando apenas algumas áreas, como os quadros


energizados.
Setor de fundação.

4.26.3 - Proposta

- Sinalizar proteções de máquinas;


- Sinalização educativa;
- Sinalização adequada dos equipamentos de eletricidade;

Responsabilidade: Diretoria.

42
NR 27 - REGISTRO PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE
SEGURANÇA DO TRABALHO NO MINISTÉRIO DO
TRABALHO

4.27.1 - Descrição

A vigésima sétima norma regulamentadora do trabalho estabelece os requisitos


para o registro profissional para o exercício da função de Técnico de Segurança do
Trabalho. A NR 27 tem sua exigência jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária,
especificamente através do artigo 2º da Lei nº7.410, de 27/11/85 e do Decreto nº 92.530 de
09/04/86, transcrito abaixo: Lei nº 7.410 - Art. 2º O exercício da profissão de Técnico de
Segurança do Trabalho será permitida exclusivamente: I – ao portador de certificado de
conclusão de curso de Técnico de Segurança do Trabalho, a ser ministrado no país em
estabelecimento de 2º grau; II – ao portador de certificado de conclusão de curso de
Supervisor de Segurança do Trabalho, realizado em caráter prioritário pelo Ministério do
Trabalho; III – ao possuidor de registro de Supervisor de Segurança do Trabalho, expedido
pelo Ministério do Trabalho, até a data fixada na regulamentação desta lei. Decreto nº
92.530, de 09 de abril de 1986- Art. 7º O exercício da profissão de Técnico de Segurança
do Trabalho depende de registro no Ministério do Trabalho.

4.27.2 - Diagnóstico

A empresa tem Técnico de Segurança do Trabalho,

4.27.3 - Proposta

- Assegurar que o técnico da empresa fiscalize as empresas terceirizadas.

Responsabilidade: Diretoria e Departamento de pessoal

43
NR 28 - FISCALIZAÇÃO E PENALIDADES

4.28.1 - Descrição

A vigésima oitava norma regulamentadora do trabalho urbano determina os


procedimentos a serem adotados pela fiscalização, a cargo dos órgãos competentes do
Ministério do Trabalho e Emprego, no que diz respeito aos prazos que as empresas têm
para atender às infrações levantadas e também ao procedimento de autuação por infração
às normas regulamentadoras. A NR 28 tem a sua existência jurídica assegurada, a nível de
legislação ordinária, através dos artigos 201 à 204 da CLT.

4.24.2 - Diagnóstico

A empresa já passou por fiscalização, mas não sofreu nenhum tipo de


penalidade,

4.24.3 - Proposta

- Controle de todos os documentos relativos à Segurança e Medicina do Trabalho


e a Consolidação das Leis Trabalhistas em caso de fiscalizações.

Responsabilidade: Diretoria.

44
5 – CONCLUSÃO

Este projeto foi desenvolvido na empresa Golden Dolphin a fim de levantar os


riscos existentes nos ambientes de trabalho e a partir dos dados coletados, foram propostas
melhorias visando adequar as empresas as normas de segurança e medicina do trabalho,
respaldo-a de penalidades inscritas em lei e proporcionando melhores condições de
trabalho a seus colaboradores.

45
6 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Livros
• Segurança e Medicina do Trabalho – Editora Atlas

Sites

• Ministério Trabalho e Emprego: www.mte.gov.br


• Previdência Social: www.previdenciasocial.gov.br
• Saúde e Trabalho: www.saudeetrabalho.com.br

. Grupo cipa: www.cipanet.com.br

7 - ANEXOS
Anexo I -Verificação de Segurança (check-list) X
Anexo II - Localização X
Anexo III – Ordem de serviço por função X
Anexo IV – Ordem de Serviço para Terceirizadas X
Anexo V - Processo eleitoral da Cipa X
Anexo VI - Treinamento para Cipeiros X
Anexo VII - Treinamento de Mapa de Riscos X
Anexo VIII -Investigação de Acidentes X
Anexo IX -Treinamento especifico de EPI X
Anexo X - Procedimento Interno de troca de EPI X

46