Você está na página 1de 1

ESCALAPB 2% 5% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 95% 98%

PB
100%
ESCALACOR 2% 5% 10% 15% 20% 30% 40% 50% 60% 70%
COR
80%85% 90% 95% 98% 100%

Produto: JT - BR - 12 - 09/07/06 12A - Cyan Magenta Amarelo Preto Proof

12A JTCIDADÃO JORNAL DA TARDE


%HermesFileInfo:12-A:20060709:

DOMINGO, 9 I 7 I 06

>pais & mestres


SugestãodeaulaparaalunosdoEnsinoMédio

Culturaeculináriafrancesa
FRANCÊS NA ESCOLA E NA COZINHA

RECEITA: Cada região francesa tem seus pratos típicos, feitos com ingredientes locais, e
Ingredientes: que são acompanhados também por um bom vinho da região. Além disso, muitas
festividades francesas (festa da fecundidade, sucesso da colheita) são marcadas
por comidas típicas, como é o caso dos “crepes”, apresentados na aula de hoje
250 g
de farinha

OCEANO
100 g AT L Â N T I CO
de manteiga
com sal

5 FRANÇA “Crepe” vem do latim


ovos “crispus”, que significa
“crespo, ondulado”, e
refere-se, portanto, às
1 pitada bordas onduladas dessa
de sal especiaria. Para os
franceses, essa palavra
1/2 litro evoca sempre algo festivo
de leite integral e alegre.

1 colher
de sopa
de rum (no Brasil,
usamos pinga)
Recheio: Em francês crepe escreve-se com acento e é uma
DOCE SALGADO palavra feminina, já em português, não tem acento
1 pote 30 fatias e é uma palavra masculina: um crepe. Quando se
com recheio doce de presunto
faz as crepes, sempre se pensa em um momento
agradável, de confraternização e alegria, e toda
criança francesa aprende a fazer os crepes desde
1 pote 30 fatias cedo, pois se trata de uma receita com ingredientes
de sorvete de mussarela
acessíveis e saudáveis para essa faixa etária, e de
elaboração também bastante fácil
Com uma receita pode-se fazer,
aproximadamente, 24 crepes.

MODO DE FAZER:
Coloque, um a um, os Bata bem até que Unte a frigideira
ingredientes no a massa adquira com um pouco de
liquidificador nesta ordem: um aspecto liso. manteiga. Aqueça
ovos, leite, manteiga bem e coloque uma Quando Este é um momento especial Quando o segundo lado estiver frito,
farinha, sal e pinga. concha da massa da começarem a surgir para os alunos, pois cada um retire o crepe da frigideira, coloque-
crepe, girando a bolhas na massa, movimente deve se encarregar de virar o o em um prato e acrescente o recheio,
frigideira para o crepe de um lado para outro da próprio crepe, e é preciso ter a dobrando-o depois em quatro e
3 2 1 que a massa frigideira e o jogue para o alto, presença de um adulto para servindo-o
Despeje em uma tigela preencha fazendo com que ele gire e caia encorajá-los e ajudá-los. Caso enrolado em
4 5 6 e deixe descansar por todo seu novamente sobre a frigideira do lado não consiga fazer essa operação, um guardanapo
meia hora. fundo. que ainda não foi frito. vire a crepe com uma espátula. de papel

FONTE: NCE – USP INFOGRÁFICO: TCHA-TCHO/AE

MAÍRA TEIXEIRA combonsingredientes,elaborados curiosidades; sobre essa especiaria francesa, 1.150inglesas,ouseja,alínguafran- No mundo de hoje é possível ver
maira.teixeira@grupoestado.com.br
com cuidado, bem apresentados e 2) a preparação e fritura do crepe, quemuitosnoBrasilvãoassociarà cesa é a que teve maior influência e falar com o outro lado do planeta
O JT, em parceria com o Núcleo de degustados em volta de uma mesa, quetraz um desafiopara osalunos: panqueca. No entanto, o crepe é mundial. apenas com o toque de um botão.
Comunicação e Educação (NCE- com amigos e familiares. Cada re- conseguir“virar”ocrepesemdeixá- mais fino e mais leve do que a pan- No Brasil, a influência dessa lín- Quanto mais línguas você apren-
USP),coordenadopeloprofessorIs- gião francesa tem seus pratos típi- la cair fora da frigideira; queca, devendo ser comido logo gua também foi importante. Co- der maior será sua compreensão
mar de Oliveira Soares, propõe cos, feitos com ingredientes locais, 3) adegustaçãodocrepe,cadaalu- após sua preparação. nhecidos como “galicismos” ou do mundo e mais oportunidades
umaauladeculináriaparasertraba- e são acompanhados também por no escolhendo o recheio que dese- “francesismos”, os termos de ori- você terá!
lhada interdisciplinarmente por um bom vinho da região. Além dis- ja para saboreá-lo. MULTIPLICANDO gem francesa presentes no idioma Sabequaléosegredoparaapren-
professores do Ensino Médio. so, muitas festividades francesas Trata-sedeumaatividadequede- Depois de os alunos terem português se devem não apenas às der uma língua nova? Compreen-
Ela foi elaborada pela professora são marcadas por comidas típicas, manda uma infra-estrutura exter- 5 aprendido como fazer os cre- relações históricas entre Portugal e der uma palavrinha aqui, outra ali,
CristinaCasadei Pietraróia, da área como é o caso dos “crepes”, apre- naàsala de aula: espaço para ama- pes, o professor poderá propor al- França,comotambémàdissemina- e aos poucos, depois de uns meses,
de Língua e Literatura Francesa da sentados na aula de hoje. nipulação dos ingredientes (mesa gunsexercíciosparaumaavaliação çãodaliteraturafrancesaentrenós. perceber que você já entende e até
FFLCH-USP e presidente da Asso- de trabalho com utensílios culiná- da aula. Uma das atividades pode São milhares os galicismos incor- fala francês.
ciação dos Professores de Francês OBJETIVO rios – liquidificador, tigela e fogão). ser a de reconhecer em sentenças porados ou transformados em em- Equipe de Consultoria Educo-
do Estado de São Paulo (APFESP), O objetivo dessa aula é fazer emportuguêsquepalavrassãofran- préstimosnalínguaportuguesa(oes- municativa: Carmen Gattás, Iza-
com a colaboração de Heloisa Mo- 2 com que os alunos descu- DESENVOLVIMENTO cesas.Fazerexercícioscomduasco- trangeirismoéotermoquemantém bel Leão, Luci Ferraz.
reira,professoradeFrancêsda5ªsé- bramoprazernãoapenasdedegus- Primeiromomento:apresen- lunas (uma com desenho de obje- sua forma original na nova língua; o
rie do Colégio Santa Cruz. tar um prato típico francês – e co- 4 ta-se a história do crepe para tos em francês e a outra com os no- empréstimoéotermoqueseadapta BIBLIOGRAFIA
nhecer os aspectos culturais que o osalunos,bemcomoodiadaChan- mes correspondentes). à nova língua e a ela se incorpora Sartre, Jean-Paul, Sartre no
INTRODUÇÃO envolvem –, mas também de fazer deleur–emqueeleéopratoprinci- comtransformaçõesortográficas). 8 Brasil, A Conferência de
Partiremosdoprovérbiofran- os próprios crepes, de “colocar a pal –, as curiosidades e os provér- PORTUGUÊS E FRANCÊS Araraquara,traduçãoLuizRoberto
1
cês: “Dize-me o que comes e mão namassa” eaprender uma re- bios que envolvem essa receita. NolivroPalavrassemFrontei- POR QUE FRANCÊS ? SalinasFortes,RiodeJaneiro,Edito-
te direi quem és.” Esse é um dos ceita que poderão depois repetir Segundo momento: fazer os cre- 6 ras (Editora Record), Sérgio Aprender uma língua estran- ra Paz e Terra, São Paulo, Unesp,
muitosprovérbiosqueindicamare- em casa, com a família. pes com os alunos. É interessante Correa da Costa, ex-embaixador 7 geira é aprender uma nova 1986;AcadémieCulinairedeFrance
lação dos franceses com sua ali- apresentar-lhestodososingredien- brasileiro em Washington e há 12 maneira de pensar e de ver o mun- – Cuisine Française, Editora Le Bé-
mentação, uma relação privilegia- ATIVIDADE tes em francês, solicitar que repi- anos residente na França, recupe- do. lier, 1971; Mozzani, E., Le Livre des
da que faz com que a gastronomia Esta aula compreende três tam as palavras e juntamente com rou 3 mil palavras que circulam li- Aprender uma língua desenvol- Superstitions, mythes, croyances et
seja parte da identidade nacional. 3 etapas: osalunoscontaraquantidadetam- vremente entre 46 idiomas. Das 3 ve nosso raciocínio, nos faz ver e légendes, collection Bouquins, Edi-
Na França, comer não é “engolir” 1) a apresentação do crepe, sua bém em francês. mil palavras identificadas pelo au- aceitar as diferenças entre os po- tions Robert Laffont, 1995; Cretin,
qualquer coisa às pressas, mas sim origem etimológica, sua história, Terceiromomentoéodedegus- tor, principalmente na imprensa vos,assimcomocompreenderme- N., Thibault, D., Le Livre des Fêtes,
comer bem, saborear pratos feitos seu contexto cultural atual e suas tar os crepes e fazer comentários mundial, 1.420 são francesas e lhor nossa própria língua e cultura. Gallimard Jeunesse, 1995

>pó de giz Anote A Unicamp receberá grupos de escolas nos dias 1º e 2 de setembro para conhecer os cursos de
graduação. Inscrições no: http://www.upa.unicamp.br/inscricao/inscricao.shtml
MAURILO CLARETO/AE DIVULGAÇÃO

SitedaNovaEscola USP:francês Comédiamostraa


trazasaulasdo‘JT’ paraprofessores culturafrancesa
Osprofessoresjápodemter Amanhãéoúltimodiadas AcomédiafrancesaPais,
acessoatodasasativida- inscriçõesparaoCursode Filhos&Etc,queestáem
despublicadaspeloJTemparceria FériasdeFrancês(NívelI)do cartaznoCineSegallemSãoPau-
comoNúcleodeComunicaçãoe DepartamentodeLetras lo,éumaopçãoparaquemquer
EducaçãodaUSPpormeiodosite ModernasdaFaculdadede
Palavraéquefazmi- saberumpoucomaissobreacultu-
daRevistaNovaEscola:www.no- MaspexibemostradoartistafrancêsDegas Filosofia,LetraseCiências lagre.Tomaavião, rafrancesa.Ofilmetrazahistória
vaescola.org.br,quetambémcon- Humanasda(FFLCH)daUSP.O dovelhoLeo,quetemtrêsfilhos
tacomplanosdeaulaselaborados Paraosprofessoresque Amostratraçaopanoramahis- cursoédestinadoagraduandose
atravessaalma.Falao quenãosefalam.Pararesolvero
poreducadores.Outraboadicaéo quiseremaliararteaoplano tóricodavidadoartista,exibindo pós-graduandosdaUSPede quesente,inventa, problema,eleinventaquetemuma
portaldoNCE-USP,quetraztex- deaulasugeridohojepeloJT,uma obrasdepintoreseescultoresque outrasuniversidades,professores Caminha,assimmesmo, doençagravíssimaevaimorrer.
toscomplementaresparaarealiza- boadicaéamostra“Degas,ouni- influenciaramseutrabalho,como daredepúblicaeparticulare Comoseuúltimodesejopedeaos
çãodasatividadessugeridasaos versodeumartista”,queacontece IngreseCorot,ouqueporeleforam funcionáriosdaUSP.Informações: Naescuridão”CRISTINACASA- filhosqueoacompanhememvia-
domingosnoJT:www.usp.br/nce. até20deagostonoMasp. influenciados.(11)3251.5644 11-3091-4645 DEIPIETRARÓIA,PROFESSORA gemaoCanadá.(11-5574-7322)