TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL Desenho Técnico Moderno

Capítulo 10 ± Toleranciamento Dimensional e Estados de Superfície
OBJECTIVOS
Compreender a importância do toleranciamento dimensional para o fabrico; Usar o sistema ISO de desvios e ajustamentos-Determinar o tipo de ajustamento mais adequado em cada situação e caracterizá-lo; Ler e inscrever cotas toleranciadas nos desenhos; Conhecer a interacção do toleranciamento com os processos de fabrico e de verificação; Especificar o acabamento superficial das peças e indicá-lo nos desenhos.

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL

‡ Toleranciamento Dimensional
-O toleranciamento dimensional destina-se a limitar os erros dimensionais no fabrico das peças. - Quanto maior é a precisão exigida, maior é o custo - As tolerâncias especificadas podem condicionar o processo de fabrico a usar e vice-versa - Na prática, dimensões exactas não são possíveis nem necessárias. - As tolerâncias e estados de superfície estão interligados. - A correcta e adequada especificação das tolerâncias é essencial para se garantir a correcta montagem de componentes.

C usto

29.980 29.959

30f7
T olerância

Furo ± Elemento externo que. vai estar contido noutro elemento.TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Definições Elemento ± Uma característica ou pormenor individual da peça. uma reentrância. . Tolerância (T) ± É a quantidade que uma dimensão especificada pode variar. um furo ou uma linha de eixo. Tolerância fundamental (IT) ± Classe de qualidade de acordo com o sistema ISO de desvios e ajustamentos. como seja uma superfície. vai conter outro elemento. Classe da tolerância ± Termo usado para designar a combinação de uma tolerância fundamental com um desvio fundamental. Desvio fundamental ± É a posição da zona de tolerância em relação à linha de zero. um cilindro. numa montagem. (Exemplo h8 ou G10). numa montagem. T = CMAX ± CMIN Zona de tolerância ± Zona compreendida entre a cota máxima e a cota mínima. Veio ± Elemento interno que.

) Cota Máxima (CMAX. .ES C MA -C N (T = CMAX ± CMIN   T = ES ± EI) EI ! C MIN -C N Desvio Inferior (EI. representa a cota nominal e em relação à qual os desvios são definidos. Desvio Superior (ES. Cota Nominal (CN. ei) Linha de zero .cn) ± Cota não toleranciada inscrita nos desenhos. Cmin) ± Dimensão mínima permitida ao elemento. Cota Mínima (CMIN.É uma linha que. cmax) ± Dimensão máxima permitida ao elemento. es) .TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Definições (Cont. na representação gráfica dos desvios e ajustamentos.

IT0..TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ SISTEMA ISO DE TOLERÂNCIAS LINEARES O valor da tolerância depende de três factores: 1) Cota nominal. 3) Posição da zona de tolerância em relação à linha de zero (importante nas montagens) ‡ Classes de qualidade IT .. IT1.IT18 . . 2) Qualidade. .Todas as cotas pertencentes à mesma classe têm o mesmo grau de precisão independentemente da cota nominal.A norma ISO 286-1 define 20 classes de tolerâncias fundamentais: IT01.

forjamento) R ctific ç o Broch M Tor Bor Fr s F r ç o F iç o i ct ril to to . classes de tolerância Quali ade IT Pr cesso 4 5 6 7 8 9 10 11 Poli Es Tor c ril to to to to r Utilização Instrumentos de verificação (calibres. fundição.TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Aplicação das classes de tolerância fundamentais Classe de Qualidade 01 a 4 5e6 7e8 9 a 11 12 a 18 ‡Processos de fabrico vs. padrões. estampagem. etc ) Construção mecânica de grande precisão Construção mecânica cuidada Construção mecânica corrente Construção mecânica grosseira (laminagem.

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Valores da tolerância função da qualidade IT Cota omi al (mm) De > 1 3 6 10 18 30 50 80 120 180 250 315 400 500 630 800 1000 CLASSES I 1 I 2 I 3 I 4 I 5 I 6 I 7 I 8 I 9 E QUALI ADE I 11 I 12 I 13 I 14 I 15 I 16 I 17 I 18 I 10 Até e 3 6 10 18 30 50 80 120 180 250 315 400 500 630 800 1000 1250 08 12 1 1 12 2 3 4 4 5 6 7 8 10 12 14 16 18 20 22 25 28 33 4 5 6 8 9 11 13 15 18 20 23 25 27 32 36 40 47 6 8 9 11 13 16 19 22 25 29 32 36 40 44 50 56 66 Tolerâ cia Qm 10 12 15 18 21 25 30 35 40 46 52 57 63 70 80 90 14 18 22 27 33 39 46 54 63 72 81 89 97 25 30 36 43 52 62 74 87 100 115 130 140 155 40 48 58 70 84 100 120 140 160 185 210 230 250 280 320 360 420 60 75 90 110 130 160 190 220 250 290 320 360 400 440 500 560 660 01 0 12 0 15 0 18 0 21 0 25 03 0 35 04 0 46 0 52 0 57 0 63 07 08 09 1 05 0 14 0 18 0 22 0 27 0 33 0 39 0 46 0 54 0 63 0 72 0 81 0 89 0 97 11 1 25 14 1 65 0 25 03 0 36 0 43 0 52 0 62 0 74 0 87 1 1 15 13 14 1 55 1 75 2 23 26 mm 04 0 48 0 58 07 0 84 1 12 14 16 1 85 21 23 25 28 32 36 42 06 0 75 09 11 13 16 19 22 25 29 32 36 4 44 5 56 66 1 12 15 18 21 25 3 35 4 46 52 57 63 7 8 9 10 5 14 18 22 27 33 39 46 54 63 72 81 89 97 11 12 5 14 16 5 15 25 15 25 2 3 4 4 5 6 8 10 12 13 15 16 18 21 24 15 25 15 25 2 25 35 45 6 7 8 9 10 11 13 3 4 5 7 8 9 10 11 13 15 18 110 175 125 200 140 230 105 165 260 .

a b c cd d e ef f fg g h j js k m n p r s t u v x y z za zb zc .TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Posição dos desvios fundamentais para furos e veios ‡ 28 Classes ± ISO 286-1 Furos .A B C CD D E EF F FG G H J JS KMNPRSTUV X Y Z ZA ZB ZC Veios .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Tabelas dos desvios (exemplo de parte da tabela para veios) Cota omi al (mm) Desvio Superior es ( alores em Qm) a -270 -270 -280 -290 -300 -310 -320 -340 -360 -380 -410 b -140 -140 -150 -150 -160 -170 -180 -190 -200 -220 -240 c -60 -70 -80 -95 -110 -120 -130 -140 -150 -170 -180 c -34 -46 -56 -20 -30 -40 -50 -65 -80 -100 -120 e -14 -20 -25 -32 -40 -50 -60 -72 ef -10 -14 -18 f -6 -10 -13 -16 -20 -25 -30 -36 fg -4 -6 -8 g -2 -4 -5 -6 -7 -9 -10 -12 0 0 0 0 0 0 0 0 js e > 3 6 10 14 18 24 30 40 50 65 80 100 té e 3 6 10 14 18 24 30 40 50 65 80 100 120 Todas as classes de qualidade Desvios Simétricos: ei=-IT/2 es=IT/2 .

ou a tolerância. excepto se um dos desvios é zero. estes devem ter.TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ INSCRIÇÃO DAS TOLERÂNCIAS NOS DESENHOS Simbologia ISO Simbologia ISO e desvios Simbologia ISO e cotas limites Cota nominal e os desvios 30f7 Cota nominal e desvios Cota nominal e desvios simétricos 0 30-02 0 30f7 -0020 -00 1 30±01 2 2 30 i 0 30f7 30 + 2 + 2 Cotas limites Cota limite numa direcção -0020 -00 1 -Quando são indicados os dois desvios. obrigatoriamente.Os desvios. o mesmo número de casas decimais. devem obrigatoriamente ser indicados no mesmo sistema de unidades da cota. . .

01 3 ¡   1 0° 5.90° .1 1 4.25' 59° 48' ± 0º0'30'' Ø30 H h Ø30F7+0.020 Ø30h 0 -0.TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL ‡ Indicação de tolerâncias em desenhos de conjunto ‡ Indicação de tolerâncias angulares 5'' 3 +0º0'1 0° -0º0'30'' Ø30 H /h 1 5°±0.041 +0.

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS Tipos de ajustamentos (mesma cota nominal para veio e furo): ‡ ajustamento com folga ‡ ajustamento com aperto ‡ ajustamento incerto CMIN cmax CMAX < cmin .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS Tipos de ajustamentos: ‡ ajustamento com folga ‡ ajustamento com aperto ‡ ajustamento incerto CMIN cmax CMAX < cmin .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS: folgas e apertos ‡ folga máxima ‡ folga mínima ‡ aperto máximo ‡ aperto mínima Fmax = CMAX ± cmin = ES ± ei Fmin = CMIN ± cmax = EI ± es Amax = cmax ± CMIN = es ± EI Amin = cmin ± CMAX = ei ± ES .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS: Tolerância e classe ‡ Tolerância do ajustamento Taj = t+T Taj = FMAX ± Fmin Taj = AMAX ± Amin ‡ Classe do ajustamento resulta da combinação de uma classe de tolerâncias para furos com uma classe de tolerância para o veio (ex: H7/u6) .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL CLASSES DE TOLERÂNCIAS RECOMENDADAS EM AJUSTAMENTOS .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS RECOMENDADOS ‡ sistema de furo normal (sistema mais usual) Baseado num furo com desvio fundamental na posição H ‡ sistema de veio normal Baseado num veio com desvio fundamental na posição h .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS RECOMENDADOS (para sistema de furo normal) .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL AJUSTAMENTOS RECOMENDADOS .

TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL TOLERANCIAMENTO DIMENSIONAL GERAL ± ISO 2768 ‡ Escolher classe e indicar na legenda ou junto da legenda Exemplo: ISO 2768-m .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful