P. 1
A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO

|Views: 380|Likes:
Publicado por8dori19

More info:

Published by: 8dori19 on Aug 13, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/18/2014

pdf

text

original

PLANEJAMENTO A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO Já imaginaram construir um arranha-céu com os detalhes todos guardados na memória?

O tamanho exato de cada degrau de cada escada, a altura exata de cada pé direito, de cada porta, janela, largura dos corredores, elevadores, tubulações de água, energia elétrica, gás, telefone, internet, TV, ar condicionado, detalhes de acabamento de cada ambiente etc. Para isto existe o projeto onde se detalha cada item e se evita esquecimentos graves capazes de comprometer a própria realização da obra. Esta é a verdadeira dimensão da necessidade de planejamento para qualquer outro tipo de obra de qualquer área e não é por acaso que vive-se ouvindo expressões do tipo: Projeto Cultural, Projeto Social, Projeto Educacional, Projeto Político, Projeto de Vida. Planejar não significa apenas buscar o registro dos detalhes para evitar esquecimentos. É bem mais do que isso. Planejar é ordenar as ações. É estabelecer o passo a passo de maneira a se ter uma sequência lógica na realização de qualquer trabalho. Apesar de, até aqui, termos apenas arranhado o conceito pleno de Planejamento, já se pode perceber a inexorável necessidade de fazê-lo por escrito e o mais completo possível. Não é difícil entender que cada minuto consumido na elaboração minuciosa de qualquer projeto é capaz de economizar horas, dias, semanas, anos na fase de sua implementação. Um bom planejamento consegue minimizar todos os tipos de perdas de tempo, de espaço, de dinheiro. O tempo que se “perde” planejando é reconquistado com juros e correção monetária no momento de se dar a partida para a construção da idéia. A importância do Planejamento é tal que, se não for feito, melhor será nem começar a realizar qualquer sonho. Melhor mantê-lo como sonho do que teimar e transformá-lo num pesadelo. Afinal de contas, na verdade, planejar acaba ticando mais barato do que improvisar compulsivamente. O QUE É PLANEJAMENTO? Planejamento é um processo contínuo e dinâmico que consiste em um conjunto de ações intencionais, integradas, coordenadas e orientadas para tornar realidade um objetivo futuro, de forma a possibilitar a tomada de decisões antecipadamente. Essas ações devem ser identificadas de moda a permitir que elas sejam executadas de forma adequada e considerando aspectos como o prazo, custos, qualidade, segurança, desempenho e outras condicionantes. Um planejamento bem realizado oferece inúmeras vantagens à equipe de projetos. Tais como: •Permite controle apropriado; •Produtos e serviços entregues conforme requisitos exigidos pelo cliente; •Melhor coordenação das interfaces do projeto; •Possibilita resolução antecipada de problemas e conflitos; •Propicia um grau mais elevado de acertividade nas tomadas de decisão. “Praparar-se para o inevitável, prevenindo o indesejável e controlando o que for controlável” (Peter Drucker). Em resumo, o tempo dedicado ao planejamento é vital para evitar problemas na fase de execução. O objetivo central do planejamento é minimizar a necessidade de revisões durante a execução. Ação planejada versus ação improvisada. Seria possível uma vida ou uma sociedade totalmente planejada? Não. Daí a coexistência das duas formas de agir Planejar = antecipar racionalmente uma ação, um resultado que se quer uma guerra ou batalha, uma construção, uma reorganização do espaço. 1

um estudo da realidade onde se vai intervir. objetivos. quem decide e para quem). Técnica(razão. Dilemas do planejamento: 1. Além disso. Estratégias a serem implementadas e o Cronograma Plano e Projeto: as diversas interpretações: 1. 3. novos projetos). 2 . e o plano pode ser modificado em função de fatores imprevistos ou da constatação de sua insuficiência ou inoperância. Atividade. e plano como algo mais aberto e flexível. Espaço ou área de abrangência 3. ciência) versus Política (quem manda. O PLANEJAMENTO SE LIMITA AO PLANO? NÃO. 2. TIPOS DE PLANEJAMENTO QUANTO À NATUREZA: •Planejamento Estratégico •Planejamento Tático •Planejamento Operacional Planejamento Estratégico Fixa a natureza da organização: missão. médio ou longo prazo) 2. Planejamento tecnocrático versus planejamento democrático ou participativo. um acompanhamento. Ele é um processo contínuo.•Pressupõe um Plano •Existe desde a pré-história. Plano como algo técnico e projeto mais aberto (projeto político. ao diagnóstico seguese um prognóstico e deste propostas de ação. • Responsabilidade: direção geral (alta administração).). 2. ações etc. • Responsabilidade: executivos da diretoria e subordinados (nível médio). por exemplo). o processo de planejamento costuma ter vários planos sucessivos ou às vezes complementares. •Vem depois (ou a partir) de um diagnóstico. Planejamento Tático Serve para gerenciar recursos visando atingir os planos estratégicos (projetos. Recursos disponíveis 5. mais fechado. no qual deve existir uma implementação com uma série de etapas. Tempo (curto. levando em conta um tempo com suas etapas ou fases. Projeto como um pré-plano (projeto de pesquisa. Um Plano deve levar em conta: 1. Projeto como algo técnico. setores abrangidos 4. mas se expandiu com o pensamento racional O QUE É PLANO? É uma antecipação do futuro com objetivos e meios ou recursos. estratégias.

QUANTO AOS OBJETIVOS E METAS ORGANIZACIONAIS • Planejamento Permanente (Políticas) •Planejamento de Uso Único (Programas/Projetos) Planejamento Permanente Fixa a natureza e o conteúdo durante longo prazo de: políticas. QUANTO AO TEMPO •Planejamento de longo prazo •Planejamento de médio prazo •Planejamento de curto prazo A INTEGRAÇÃO DO CURTO. fruto de seu posicionamento estratégico. as empresas ainda devem seguir uma estratégia “balanceada” e investir na melhoria dos processos dos quatro grupamentos. modificados ou descartados. Planejamento Único Servem a um propósito específico.Planejamento Operacional Objetiva otimizar as operações. Segundo Kaplan e Norton (2004. elaboração de procedimentos. pg. MÉDIO E LONGO PRAZO NO BALANCED SCORECARD As quatro perspectivas do BSC permitem um balanço entre os objetivos de curto. regras e regulamentos. As empresas que focam no relacionamento e soluções para os clientes focam nos processos de gestão de clientes. médio e longo prazo. procedimentos. orçamentos. projetos. durante um período limitado e depois são trocados. preservando as suas relações de interdependência e seu papel estratégico”. • Responsabilidade: chefes de departamento (nível baixo). 49-51) “a estratégia compõe-se de temas complementares simultâneos que abrangem horizontes temporais próprios a cada tema estratégico. As empresas que adotam uma estratégia de liderança de produto têm como alavancador principal seus processos de inovação.: Programas. Mesmo tendo ênfase em algum grupo de processos. 3 . visando a realização dos planos estratégicos e táticos. que precisam ser desenvolvidos de forma simultânea e compartilhada. As empresas que seguem a estratégia de baixo custo total destacam-se nos processos de gestão operacional. Ex.

ao reduzir performance por eliminar competências essenciais e produzir desmobilização do capital humano e organizacional. e podemos esperar de 24 a 48 meses para que os plenos resultados da inovação XXV ENEGEP Porto Alegre. Os processos de inovação são processos de maturação mais demorada. Os processos selecionados como críticos devem pertencer aos quatro grupamentos. e depois se esgotar. melhoram sua imagem como empregadoras e empresas cidadãs. e passem a condição de fornecedores preferidos fruto da dedicação às comunidades selecionadas. dentro de 12 a 24 meses. médio e longo prazo. A captação dos benefícios gerados pelos processos regulatórios e sociais leva sempre mais tempo. RS. e que resultou numa imagem de ineficiência e fracasso que são históricos. equilibra-se o processo de geração de valor entre o curto e o longo prazos. Uma teoria pode dar certo por um tempo. As empresas executam centenas de processos ao mesmo tempo. garantindo-se assim o valor sustentável no tempo para os acionistas. pois não havia sido testada no longo prazo.As economias de custo resultantes da melhoria da eficiência dos processos operacionais geram benefícios rápidos. quando se esgotam na sua capacidade de gerar resultado e na sua capacidade de gerar sustentabilidade. NÍVEIS DE PLANEJAMENTO NECESSIDADES HUMANAS: •Educacional •De Desenvolvimento •De Expansão Industrial •Habitacional VARIÁVEIS DO PROCESSO: •Social •Econômica •Administrativa ÁREA DE COMPETÊNCIA: •Municipal •Regional • Estadual • Nacional GLOBALIDADE/ABRANGÊNCIA: •Global •Parcial •Setorial 4 . numa perspectiva de longo prazo. mas no médio/longo prazo revelou suas falácias. cada um criando valor de alguma forma. quanto entram em ação os paradigmas sistêmicos dos limites do crescimento. de curto prazo. e que agora. e levam mais tempo para produzir receita e melhorar as margens. que se mostrou eficaz no curto prazo. 29 de Outubro a 01 de Novembro de 2005 apareçam. A figura abaixo demonstra esta característica de balanceamento simultâneo dos temas estratégicos de curto. Brasil. sistematizados num processo integrado de gestão. O aumento da receita decorrente da melhoria do relacionamento com os clientes produz resultados a médio prazo. à medida que as empresas evitam autuações e litígios. Desta forma. merecem uma reflexão. Estas economias resultantes do incremento da eficiência dos processos constituem-se no foco do movimento da reengenharia.

5 . •Dimensão temporal: o planejamento estratégico tem sempre um alcance maior no tempo. •Amplitude de efeitos: as decisões envolvidas no planejamento estratégico envolvem a organização como um todo e não simplesmente uma parte dela.Níveis de Implantação: • Macro •Micro • Misto Tipo de Entidade: •Governamental •Privado Prazos/Ritmo: •Semanal •Mensal •Semestral •Anual Tempo/Resultados: •Curto prazo •Médio prazo •Longo prazo Detalhamento: •Plano • Projeto • Programa • Política ASPECTOS QUE DIFERENCIAM OS PLANEJAMENTOS •Nível das decisões: o planejamento estratégico é sempre realizado nos escalões mais elevados da empresa. do que o plano operacional.

relacionando-as as suas forças e fraquezas e cria estratégias de ação que visam o ajuste e o alinhamento organizacional ao ambiente. SAPIRO. p. através de uma retroalimentação organizada e sistemática. p. 1984. medir o resultado dessas decisões em confronto com as expectativas alimentadas” (DRUCKER.41 2). Em 1956. p. •“[. •“ concebido para a organização como uma totalidade. 6 . organizar sistematicamente as atividades necessárias à execução dessas decisões e. define o negócio e delimita seu ambiente de atuação. Esse percentual subiu para 85% em 1966.39). Fatores-Chave de Sucesso Evidenciam questões realmente críticas para a organização. Diagnóstico Estratégico Interno Situação da organização diante das dinâmicas ambientais. Em geral. 2003. sistematicamente e com o maior conhecimento possível do futuro contido. da missão e dos objetivos organizacionais. eficácia e efetividade” (CHIAVENATO.] deve maximizar os resultados e minimizar as deficiências utilizando princípios de maior eficiência. no qual se busca a inserção da organização e de sua missão no ambiente em que ela esta atuando” (CHIAVENATO.133. no momento do estabelecimento de seus propósitos futuros. 8% das grandes empresas norte-americanas utilizavam o planejamento estratégico. parte de cima para baixo. “É o processo contínuo de. 2003.39). SAPIRO.136). tomar decisões atuais que envolvem riscos.PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO HISTÓRICO Após a Segunda Guerra Mundial. envolve a organização como um sistema integrado e é focado no longo prazo” (CHIAVENATO.. Evolução do Pensamento Estratégico: •Planejamento Financeiro •Planejamento de Longo Prazo •Planejamento Estratégico •Administração Estratégica •Gestão Estratégica CONCEITO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO “É um processo de formulação de estratégias organizacionais. surgem os primeiros conceitos tradicionais de planejamento estratégico transferidos da área militar para o mundo empresarial. 2003. Diagnóstico Estratégico Externo Antecipa ameaças e oportunidades para a concretização da visão.39).. Declaração de Missão Elemento que traduz a responsabilidade e pretensões da organização. SAPIRO. DEFINIÇÕES DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO •“ está relacionado com os objetivos estratégicos de médio e longo prazo que afetam a direção ou a viabilidade da empresa” (CHIAVENATO. Visão de Negócios Mostra a imagem real da organização. p. p. identificadas a partir da análise do diagnóstico. 2003. SAPIRO.

quando será feito e quanto custará para ser realizado. informação e conhecimento. formulando estratégias. prever custos. desta forma. • Programação das Ações Definir quem vai fazer. FASES DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO •Avaliação Estratégica Análise do ambiente interno (forças e fraquezas da empresa) e do ambiente externo (oportunidades e ameaças do mercado). programas. É necessário implantá-lo por meio de programas e projetos específicos. • Monitoração Acompanhar todas as etapas para garantir que seguirão o planejamento previsto e atingir o sucesso almejado. convertendo-as em possíveis forças. • Definição das Prioridades Identificação e definição dos principais focos de necessidades e objetivos da empresa. delegar tarefas. o que será feito. a empresa terá condições e ferramentas suficientes para caminhar durante o ano e contornar imprevistos que venham a surgir. planos etc. Análise dos Públicos de Interesse Consiste na identificação dos grupos e de seus interesses e poderes de influência com respeito à missão da organização. 7 . Conseguirá. considerando que terá realizado uma análise das possibilidades com antecedência. Com estas ações mínimas realizadas anualmente. Formalização do Plano Um plano estratégico é um plano de ação. Auditoria de Desempenho e Resultados Rever o que foi implantado para decidir novos rumos do processo de planejamento. Basta apenas ter foco e dedicação. visando potencializar suas forças e minimizar ou eliminar suas fraquezas. otimizar tempo e potencializar resultados. esses sistemas alimentam o planejamento. como será feito.Sistemas de Planejamento Estratégico Alimentados por dados. ajustando-o avaliando-o. políticas.

então? Eles planejaram estrategicamente o futuro de sua empresa. torna-se necessário o desenvolvimento de um Planejamento Estratégico. 8 . perde-se dinheiro. pois só assim poderiam delinear um futuro esperado para suas empresas e maneiras de alcançar ou se aproximar o mais possível desse futuro desejado. normalmente os recursos da pequena e média empresa são limitados. aumentando desse modo o desempenho no trabalho e as atividades tornam-se mais eficazes.IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA EMPRESA A evolução mercadológica tem proporcionado situações em que cada vez mais as empresas precisam se organizar e definir seus objetivos e estratégias anuais. fecham as portas antes de completarem dois anos de vida. estão buscando ferramentas e técnicas para que as auxiliem no processo gerencial. Mas somente será efetivo com a participação de toda a liderança e o comprometimento de toda uma equipe. para assim. o desenvolvimento de um planejamento estratégico lançará as bases para a construção de um futuro promissor e a geração de um mercado mais profissional e preparado para as constantes mudanças que sempre ocorrerão. definindo um projeto consistente para a organização. É investido quase todo o capital próprio e ainda dinheiro de empréstimos numa visão sólida de crescimento. diante da complexidade no cenário empresarial e de tantas turbulências e incertezas. traçar os objetivos e metas do ano seguinte ou do que está se iniciando. até mesmo. mas um planejamento estratégico é sempre eficiente? Desde que não seja utópico será. Corriqueiramente. segundo Rebouças (2001 “[. Os motivos são vários e os empresários se justificam dizendo que foi por causa da alta carga tributária ou por que a economia está ruim ou ainda a falta de apoio do governo. supervisores e a média gerência devem estar familiarizados com a administração estratégica. Os objetivos traçados deverão ser ousados. Com relação às empresas no Brasil. Geralmente acontece assim: tem-se a idéia. As empresas brasileiras tomam os seus caminhos sem muita noção do que fazer e o grande diferencial entre o negócio bem sucedido e um à beira da falência. O que eles fizeram. Segundo a pesquisa divulgada pelo SEBRAE (2004) entre 70% e 80% das empresas no Brasil. O Planejamento Estratégico é. O Planejamento Estratégico é uma dessas ferramentas. É cada vez maior o número de empresas no Brasil que. Empregados. O Planejamento Estratégico deve ser feito anualmente.. mas alcançáveis. Portanto. se uma maneira não deu certo. essa apreciação ajuda-os a manter suas atividades de trabalho mais próximas da administração da organização. Pode-se encarar a situação por outra ótica: a falta de planejamento. que pode ser visualizado e compartilhado por todos os integrantes da equipe responsável pela gestão da empresa. para que possam atingir os resultados esperados e. Assim. Inclusive. são também oportunidades para desenvolver soluções e abrir novos mercados para seus produtos. a importância do planejamento no universo administrativo está relacionada diretamente ao futuro de qualquer organização. Só visa-se o “lucro”. na verdade. as micro e pequenas empresas não fazem um planejamento antes de iniciar o negócio. pois ele auxilia essas empresas a utilizarem melhor suas capacidades e minimizar a perda de energia em atividades que não dirigem para o caminho correto. Por sua vez o futuro de uma empresa será os resultados das ações que estão sendo realizadas agora. Muitas dessas empresas já perceberam que os desafios e as ameaças com as quais se deparam diariamente. Para tanto.] os gestores deveriam entender que é primordial as empresas obterem um planejamento estratégico estruturado. a construção de um projeto comum. o gestor sabe como direcionar para outra opção no momento certo e de forma adequada”. por isso o planejamento é mais essencial ainda. abre-se a empresa e espera-se o cliente entrar. contornar possíveis situações que comprometeriam o sucesso dos negócios. está em saber como se planejar para disputar o mercado e manter-se sobrevivente a ele. muito menos aonde se quer chegar com o empreendimento.. Logo depois. o negócio e adquire-se muita dívida.

ou seja. portanto. O diagnóstico estratégico é o primeiro passo do processo de planejamento e através dele que a organização irá obter informações norteando o seu direcionamento estratégico. o conceito atual de negócios é aplicado perante os cenários futuros objetivando verificar a necessidade de se promoverem ajustes nas competências que mantenham a vantagem competitiva desejada. Depois devem ser determinados os objetivos e definidas as ações a serem desenvolvidas. O planejamento nasce a partir dos grandes objetivos que a organização quer atingir. O planejamento deve ter o seu início com o levantamento de dados para conhecimento do ambiente de atuação. deve ficar também evidente a vantagem competitiva que ela produz. A compreensão detalhada de como se estrutura estrategicamente o negócio da empresa favorece a construção de um processo decisório mais rápido e alinhado aos interesses da empresa e de seus clientes. a realização de um trabalho deste tipo produz outras consequências positivas: •Alinhamento dos participantes à estratégia da empresa. que deve ter enfoque no momento atual. É preciso planejar. demandando reavaliação constante e sólido trabalho em equipe. portanto. Uma vez uniformizado este conhecimento. “todos falando a mesma língua”. Existe. O objetivo maior do Planejamento Estratégico é desenvolver estratégias que guiarão a organização a obter um melhor desempenho e. um melhor resultado. até que ponto a concepção do negócio da empresa está clara para seus líderes principais. que tem início a primeira fase do planejamento estratégico. É necessário acompanhamento e avaliação contínua por meio de um sistema de informações gerenciais eficaz. isso é obtido como uma otimização da base de sustentação no processo decisório. Na verdade existem vários modelos que são altamente eficazes. planejamento é algo que todos concordam. no início do trabalho compreende uma fase de diagnóstico da aplicação destes conceitos. Além disso. afim de constituir na dimensão crítica para o sucesso permanente”. tanto por suas opiniões durante a fase de diagnóstico dos problemas quanto pela franqueza utilizada na discussão da visão de cada um a respeito da concepção atual do negócio da empresa. O ponto da questão é a organização encontrar qual o modelo que melhor se adapta a sua realidade. Finalmente. O Plano Estratégico em si consiste em objetivos e ações estruturados numa base temporal para implementar estes ajustes. alguns fazem da mesma maneira e poucos fazem adequadamente. Além da estruturação estratégica propriamente dita. Principais etapas da implementação de um plano estratégico: a) Diagnóstico Estratégico De acordo com Cobra (1992). o que exige uma equipe coesa. 9 . um modelo ideal de planejamento estratégico? A resposta é não. . uma estrutura de organização bem delineada e aceita por todos. muitos fazem.A Implementação do Planejamento Estratégico Para a elaboração e a implementação planejamento estratégico das empresas faz-se necessário que o gestor obtenha conhecimentos teóricos necessário para melhorar sua aplicação. bem como no próximo desafio.0 esforço coletivo em discutir as divergências existentes até a obtenção de uma convergência de opinião. Portanto. “ tudo começa como uma auto-avaliação acerca do negócio da organização em que o negócio está e em qual deveria estar. consequentemente. condição fundamental para a obtenção de uma visão estratégica compartilhada pela liderança. passamos para uma fase de construção de cenários futuros que estruturem as incertezas que as mudanças estão provocando nos negócios. É nesse ponto.

Mas o que pode determinar grande parte do sucesso de uma administração é a capacidade de adaptação às mudanças de ambiente. E com base no diagnóstico estratégico que a empresa irá se antecipar às mudanças e preparar-se para agir em seus ambientes externos e internos. assim como as mudanças que estão ocorrendo no contexto competitivo. 10 . se bem aproveitadas. d) Análise Interna De acordo com Chiavenato (1993). entre os quais: o mercado nacional. A entrada de um novo concorrente forte no mercado. Entretanto. fornecedores. e durante os períodos em que a influência do governo nos negócios aumenta. ou seja. podem fornecer uma vantagem competitiva para a empresa. deve-se partir para uma síntese. Para Kotler (2000). é importante que os gestores conheçam bem cada um dos elementos do planejamento e suas funções. Já as ameaças. de forma sistemática. devem ser selecionadas aquelas que consistirem em maior preocupação para a gerência. é importante ressaltar que o planejamento não deve ser definido com base em todas as oportunidades e ameaças identificadas. causando dificuldades para a sua gestão e desempenho. economia. antecipando-se aos seus concorrentes. Essa seleção deve priorizar as oportunidades do ambiente que a empresa pode aproveitar com reais chances de sucesso. por sua vez. é a verificação dos aspectos do macro e do micro ambientes. Como exemplo. as oportunidades para as quais a empresa possui as competências necessárias. ou seja. todos esses são aspectos que pode. “a análise interna trata-se de uma análise organizacional. a diminuição da demanda. As oportunidades são fatores do ambiente geral que. Segundo Peter Wright (2001) à medida que a concorrência doméstica e externa se intensifica. adaptando-os a essa realidade e às suas necessidades. de uma análise das condições internas para permitir uma avaliação dos principais pontos fortes e fracos que a empresa possui”. a chave de oportunidades se uma empresa repousa sobre a questão de se pode fazer mais por essa oportunidade que os concorrentes. Essas definições mostram que a estratégia pode ser fruto de um processo conduzido por todos dentro d uma empresa. Para utilizá-la eficazmente.m ser definidos como ameaças para a empresa. pode então obter uma excelente arma competitiva. visando identificar e monitorar as variáveis competitivas que lhes afetam. consumidores. aquelas que afetam mais diretamente a empresa e o ambiente em que ela atua. Já. O gestor que sabe utilizar esses instrumentos de planejamento de forma coerente. podemos citar as falhas apresentadas pelo concorrente.O diagnóstico capta e mantém atualizado o conhecimento da empresa em relação ao ambiente e a si própria. no caso das ameaças. a compreensão da administração estratégica torna-se cada vez mais essencial”. são fatores que podem vir a perturbar o funcionamento da empresa. tecnologia. visando identificar as principais oportunidades e ameaças encontradas. a implementação de restrições tarifárias por parte de um país importador dos produtos da empresa. b) Análise Externa Trata-se de uma análise das condições externas que rodeiam a empresa e que lhe impõem desafios e oportunidades como explica Chiavenato (1993). ou seja. Assim considera. regional e internacional. aspectos políticos e concorrência. c) Oportunidades e Ameaças Uma das práticas importantes de um bom planejamento dentro da análise externa. Ë necessário que o gestor faça uma triagem das oportunidades e ameaças mais relevantes em relação à sua empresa. que podem ser aproveitadas pela empresa como uma oportunidade para melhorar o seu produto e ganhar em diferencial. socioeconômica. cultura. as quais estão influenciando na própria prática do planejamento e lançando alguns desafios para a sua gestão nas empresas.

assim como seus pontos fracos. faz-se necessário salientar que o gestor somente estará apto quando identificar com clareza suas principais vantagens competitivas. Essa visão tem se consolidado graças a uma forma de gestão que estimula o envolvimento dos trabalhadores na formulação das estratégias da empresa. Também se verifica sob uma análise interna onde o gestor irá avaliar as competências e as falhas da empresa. através de um processo contínuo de aprendizado. em seguida. sendo formulado a partir da prática. Através da análise dos pontos fortes e fracos. para melhor implantação dos objetivos almejados e de um comprometimento maior. eles terão as informações necessárias para determinar os objetivos e as estratégias que possam aproveitar melhor as competências da empresa e equacionar os problemas internos identificados. assim como resolver às ameaças e oportunidades identificadas externamente. Muitos produtos da 3M surgiram das inovações produzidas pelos próprios funcionários que.Essa análise visa identificar os principais pontos fortes e fracos da empresa para nortear o processo de planejamento. Com isso. pois é a partir dessa análise que se saberá quais os recursos com que se pode contar e também quais são os pontos vulneráveis no momento de se estabelecerem as estratégias da empresa. Por fim. os gestores e suas equipes poderão determinar com mais clareza as prioridades em termos de ameaças e oportunidades existentes no ambiente externo. cuja visão é descrita como ser reconhecida como a empresa mais criativa do mundo. Para o sucesso. Uma empresa onde as estratégias são de níveis emergentes é a 3M. 11 .Como também pode surgir de um processo emergente. o que servirá como referência e complemento na realização do diagnóstico. É importante nessa fase que se busque compatibilizar as informações obtidas na análise interna e externa. foram adotadas pela empresa como um todo. considera-se de suma importância que as empresa busquem a participação de todos e em diferentes cargos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->