Você está na página 1de 2
Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA Departamento de Patologia e

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre UFCSPA Departamento de Patologia e Medicina Legal Disciplina de Medicina Legal Professora Helena Hubert Silva

Preenchimento do Atestado de Óbito

Abaixo segue uma parte muito importante do Atestado de Óbito. Entretanto, é nela que, muitas vezes, ocorrem erros em seu preenchimento, como pudemos ver no material de apoio desta atividade. Responda às perguntas que se seguem levando-se em conta o preenchimento correto do Atestado de Óbito.

em conta o preenchimento correto do Atestado de Óbito. CASO CLÍNICO 1 MCC, 78 anos, branco,

CASO CLÍNICO 1

MCC, 78 anos, branco, masculino. Diagnóstico há 25 anos de dislipidemia. Na manhã de ontem acordou às 6 da manhã sentindo forte dor em aperto, retro-esternal, com irradiação para a face ulnar do braço esquerdo e mandíbula. Apresentava sudorese e palidez intensas. Sua mulher chamou a ambulância às 7 horas e o levaram ao Pronto-Socorro, onde no ECG foi detectado um supra- desnivelamento de ST, sendo diagnosticado Infarto Agudo do Miocárdio. Às 10 da manhã inicia quadro de hipotensão, taquicardia, sudorese, torpor, oligúria e cianose. Por mais que a equipe se esforçasse, o paciente não sobrevive ao choque cardiogênico provocado pelo infarto. É declarado óbito às 10h30. Você é o médico responsável pelo preenchimento do Atestado de Óbito, devendo responder às seguintes questões (seu colega respondeu à última línea ):

CAUSAS DA

 

Tempo entre inicío da condição e a morte

CID - 10

MORTE

a)

Doença ou estado mórbido que

 

causou diretamente a morte:

Choque cardiogênico

30 min

I23

b)

Devido a (causas antecedentes):

 

Infarto agudo do miocárdio

1 hora

I21

c)

Devido a:

 

Aterosclerose de artérias coronarianas

4 h e 30 min

I25.1

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA Departamento de Patologia e

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre UFCSPA Departamento de Patologia e Medicina Legal Disciplina de Medicina Legal Professora Helena Hubert Silva

CASO CLÍNICO 2

TC, 29 anos, negra, feminino. Paciente há dois meses vinha apresentando humor deprimido, afeto hipomodulado, ideação suicida persistente, alucinações auditivas e visuais, intensa irritabilidade, aumento de velocidade de fala e pensamento. Tem crises semelhantes há 10 anos, e recebeu o diagnóstico de Transtorno Afetivo Bipolar (TAB) também há 10 anos. Porém, nunca tomou a medicação prescrita. Nesta última crise, procurou atendimento médico e sem que a paciente mencionasse que tinha sido diagnosticada com TAB foi-lhe receitada Fluoxetina (antidepressivo). Sabe-se que pacientes com TAB apresentam piora de sintomas em episódios mistos (com características de maniairritabilidade, aumento da velocidade de fala e pensamento associados a características de depressão) no uso de antidepressivos sem estabilizadores do humor (lítio, por exemplo). Uma semana após a introdução do medicamento apresentou aumento da irritabilidade e agravamento da ideação suicida, culminando em seu suicídio. Você está no DML e o corpo desta paciente chega com o histórico de que ela pulou do 7º andar (precipitação de altura) de seu prédio no dia anterior por volta das 22h e de que os vizinhos da paciente haviam chamado o serviço médico de emergência às 22h 05min, embora a queda tenha sido fatal e nada pudesse ter sido feito para salvá-la. Na necropsia foi identificado edema cerebral por traumatismo craniano. Seu colega psiquiatra já preencheu a última alínea.

CAUSAS DA

 

Tempo entre inicío da condição e a morte

CID - 10

MORTE

a)

Doença ou estado mórbido que

 

S02.9

causou diretamente a morte:

 

Edema cerebral por traumatismo craniano

Ignorado

b)

Devido a (causas antecedentes):

 

Ignorado

Precipitação de altura

Ignorado

c)

Devido a:

 

F31

Transtorno Afetivo Bipolar

2 meses