Aprendendo com os erros do irmão do Filho Pródigo.

É possível uma pessoa ter um pai incrível, uma casa maravilhosa, um campo cheio de novilhos, empregados, acesso à boa música, amigos e, mesmo assim, estar insatisfeito, vivendo como um pobre infeliz? Primeiro: ele não aceitava entrar naquela festa "... indignou-se e não queria entrar"; Segundo: ele já não considerava o outro como seu irmão, ele diz ao pai: "Este teu filho...; Terceiro: o que o pai estava fazendo para o outro filho ele considerava um desperdício: "Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado"; Quarto: ele, apesar de ter tudo, vivia como um mendigo, era um rico/pobre; Quinto: ele cobra do pai aquilo que já era seu, por direito: "Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas..."; Sexto: ele nunca conseguiu servir e obedecer ao pai por amor e prazer. "Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos..."; Sétimo: ele sofre de complexo de superioridade e de perfeição. Isto fica explícito quando ele afirma: "...Te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento...";

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful